Campeonato Carioca de Futebol de 1990

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wikitext.svg
Este artigo ou seção precisa ser wikificado (desde abril de 2012).
Por favor ajude a formatar este artigo de acordo com as diretrizes estabelecidas no livro de estilo.
Campeonato Carioca de Futebol de 1990
Times
Campeão Botafogo
Vice-campeão Vasco da Gama
Artilheiro Gaúcho (Flamengo) - 14 gols

Campeonato Carioca de Futebol de 1990.

O Botafogo se sagrou Bicampeão Estadual em 1990, após uma campanha quase invicta novamente (perdeu apenas 1 jogo para o América de Três Rios).

Esta foi a campanha do Campeão:

Adversário – Resultado – Local:

América – 0 x 0 (Maracanã) e 0 x 0 (Caio Martins).

América (TR) – 1 x 0 (Caio Martins) e 0 x 1 (Artur Ribas – Três Rios).

Americano – 2 x 1 (Caio Martins) e 0 x 0 (Godofredo Cruz).

Bangu – 2 x 2 (Caio Martins) e 0 x 0 (Proletário).

Cabofriense – 0 x 0 (Alair Corrêa) e 5 x 3 (Caio Martins).

Campo Grande – 1 x 0 (Caio Martins) e 2 x 0 (Ítalo del Cima).

Flamengo – 2 x 1 e 2 x 0 (ambos no Maracanã).

Fluminense – 2 x 0 e 0 x 0 (ambos no Maracanã).

Itaperuna – 0 x 0 (Jair Bittencourt) e 1 x 0 (Caio Martins).

Nova Cidade – 1 x 0 (Ítalo del Cima) e 4 x 0 (Caio Martins).

Vasco – 1 x 1, 1 x 1 e 1 x 0 (todos no Maracanã).

Total de Jogos: 23; Vitórias: 12; Empates: 10; Derrota: 1; Gols Pró: 28; Contra: 10.

A final foi contra o C.R. Vasco da Gama no Maracanã: Botafogo 1x0 (gol de Carlos Alberto Dias)

BOTAFOGO 1 x 0 VASCO

Data: 29 / 07 / 1990

Local: Maracanã (Rio de Janeiro)

Público: 35.083

Árbitro: Cláudio Garcia

Gol: 1° tempo: 0 a 0; Final: Botafogo 1 a 0, Carlos Alberto Dias

Botafogo: Ricardo Cruz, Paulo Roberto, Wilson Gottardo, Gonçalves e Renato Martins; Carlos Alberto Santos, Luisinho e Djair (Gustavo); Donizete, Valdeir e Carlos Alberto Dias. Técnico: Joel Martins da Fonseca.

Vasco: Acácio, Luiz Carlos Winck, Célio Silva, Quiñonez e Mazinho; Zé do Carmo, Marco Antônio Boiadeiro e Bismarck; Tita, Sorato e William (Roberto Dinamite).

Técnico: Alcir Pinto Portela.

A volta olímpica da caravela[editar | editar código-fonte]

Um dos episódios mais marcantes deste campeonato ocorreu na final no campeonato, quando Botafogo e Vasco fizeram a decisão, saindo o Botafogo vitorioso e conquistando o título. Porém, na ótica dos vascaínos deveria ser disputada uma prorrogação devido a uma interpretação duvidosa do regulamento.

Dizia o regulamento que a final seria disputada entre os campeões da Taça Guanabara (no caso o Vasco) e da Taça Rio (no caso o Fluminense). Porém caso um terceiro time somasse mais pontos ao final dos 2 turnos, este seria considerado "bye" (no caso o Botafogo), aguardando o confronto entre os 2 primeiros. Nesta "semifinal" o Vasco derrotou o Fluminense por 1x0.

A polêmica se estabeleceu porque o Vasco considerou que por ter ganho este jogo ele ganharia 2 pontos que poderiam ser computados aos ganhos anteriores, e ao término do jogo contra o Botafogo, no qual saiu derrotado, ambos estariam empatados em pontos, o que forçaria uma prorrogação.

Após a comemoração dos jogadores do Botafogo, eles deixaram o gramado do Maracanã, se recusando a disputar a prorrogação. Com isso o Vasco considerou que o Botafogo abandonou o campo, se autoproclamando campeão. Como a taça havia sido levada pelos botafoguenses, os jogadores do Vasco pegaram uma caravela levada por algum torcedor da Geral e deram uma "volta olímpica".

Após o episódio, a Federação de Futebol do Rio de Janeiro deu razão ao Botafogo, confirmando o título.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Campeonato Carioca de Futebol é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.