Joelma Mendes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Joelma (banda Calypso))
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde dezembro de 2017). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Joelma
Joelma performando durante a Avante Tour no Réveillon Brasília 2018.
Informação geral
Nome completo Joelma da Silva Mendes
Também conhecido(a) como Jô, "Rainha do Pará", "Rainha do Calypso", "Dona do Relógio"
Nascimento 22 de junho de 1974 (43 anos)[1]
Local de nascimento Almeirim, PA
Brasil
Gênero(s)
Ocupação(ões)
Cônjuge Beto Sarraff (c. 1988–92)
Robson Matos (c. 1994–96)
Ximbinha (c. 2003–15)
Filho(s) Natália Mendes Sarraff (n. 1989)
Yago Mendes Matos (n. 1995)
Yasmin Mendes Farias (n. 2004)
Instrumento(s)
Extensão vocal Meio-soprano
Período em atividade 1994 (1994)–presente
Gravadora(s) Independente (1999–00; 2002–08)
Sony Music (2000–02)
Som Livre (2008–11)
Radar Records (2012–15)
Universal Music (2016–18)
Afiliação(ões) Banda Calypso
Influência(s)
Página oficial joelmaoficial.com.br
Assinatura de Joelma

Joelma da Silva Mendes (Almeirim, 22 de junho de 1974),[2] mais conhecida apenas como Joelma, é uma cantora, compositora, estilista, empresária, coreógrafa, dançarina e produtora musical brasileira. Nascida e criada em Almeirim, cidade interiorana do Pará, ela iniciou sua carreira artística aos 19 anos de idade cantando na Banda Fazendo Arte, onde foi vocalista do grupo por quatro anos, totalizando dois álbuns oficiais. Alcançou sucesso ainda como vocalista da Banda Calypso. Cantou na banda por mais de 15 anos e tendo totalizado treze álbuns em estúdio, dez álbuns ao vivo e oito DVDs oficiais. A banda tornou-se líder absoluta na vendagem de álbuns na década de 2000, sendo eleita uma das bandas recordistas de vendas no país.[3] Durante toda sua carreira já vendeu cerca de quase 22 milhões de cópias no Brasil e no exterior, tendo recebido um certificado de disco de Diamante Quíntuplo, tornando-se a primeira artista brasileira à receber a certificação. Joelma coleciona mais de 15 prêmios musicais vencidos e mais de 30 indicações, dentre eles, a consagrada premiação musical da América Latina, o Grammy Latino, na qual recebeu três indicações na categoria de 'Melhor Álbum de Música Regional ou de Raizes Brasileiras', mas não levou ambas na ocasião. Foi nomeada por quatro vezes uma das 100 mulheres mais sexys do mundo pela revista VIP.[4]

Em 2016, assinou contrato com a Universal Music Group e lançou seu álbum de estreia em carreira solo, Joelma. O álbum teve um ótimo desempenho comercial, tornou-se êxito e permaneceu por três meses na parada Brazil Albums da Billboard e sendo o álbum mais vendido do ano com mais 25 mil cópias, segundo a Associação Brasileira dos Produtores de Discos (ABPD). Os singles "Não Teve Amor" e "Ai Coração" alcançaram boas posições como as mais tocadas nas rádios nacionais por mais de 1 ano. Com o passar do tempo, Joelma lançou diversos EPs, singles e álbuns oficias, como o Avante, seu primeiro DVD e álbum ao vivo, lançado em 2017, dando continuidade a carreira solo após o fim e seu desligamento da Banda Calypso em 2015. O projeto rendeu um total de cerca de 30 mil cópias vendidas, sendo CD e DVD. Em venda no site da Livraria Saraiva, logo após seu lançamento em 29 de abril, acabou tornando-se o mais vendido na loja virtual, tendo uma de suas faixas no 'Top Músicas' do iTunes Store do país africano Moçambique.

Joelma tem como marca registrada sua voz, timbre e performance que mistura canto com dança. Conhecida internacionalmente, tendo feito vários shows em países como Portugal, Espanha, Alemanha, Suíça, Itália, Angola, Cabo Verde, Estados Unidos, Paraguai, Argentina, Peru, Reino Unido, Alemanha, Japão, França e outros demais lugares. Em 2009, a cantora recebeu o Título Honorífico de Cidadã Pernambucana pela proposta do deputado Nelson Pereira do PCdoB, que destacou o Estado de Pernambuco como importância no início de sua carreira artística.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Cachoeira de Panãma, um dos pontos turísticos de Almeirim, onde Joelma nasceu e viveu até seus 19 anos de idade.

Joelma nasceu em Almeirim, cidade do interior paraense, em 22 de junho de 1974. Ela é filha de um garimpeiro, José Benhum Mendes com uma costureira e regente de coral de uma igreja, Maria Nazaré Mendes. Quando criança, passou muitas dificuldades: Seu pai era alcoólatra e espancava sua mãe. Devido a constantes problemas com o vício, ele não trabalhava, e sua mãe tinha que sustentar a casa vendendo doces, Joelma e os irmãos, mesmo crianças, a ajudavam nas distribuições. Aos 7 anos de idade, seu pai saiu para trabalhar e nunca mais retornou.

"Tive uma infância bem difícil. Meu pai era violento, bebia muito e não trabalhava. Minha mãe sustentava ele e mais sete filhos. Não entendia aquilo, eu só chorava. Tinha uma mesa no meio da cozinha e minha mãe fez uma capa de mesa que ia até o chão. Era meu esconderijo ficar ali embaixo conversando com Deus. Nunca contei nada do que acontecia na minha casa para ninguém."

— Joelma sobre sua infância.[5]

De sua infância para adolescência, o maior sonho de Joelma era se formar e trabalhar em advocacia, apesar de amar a música e ter aprendido na igreja a tocar violão. Com apenas 15 anos de idade, tornou-se mãe, dando a luz a Natália Mendes Sarraff, filha de Joelma com seu primeiro namorado, com quem se casou aos 14 anos, Roberto Luís Sarraff, um jovem rapaz que trabalhava de taxista da cidade onde morava. Com 18 anos, devido a diversos desentendimentos, separou-se do marido e voltou com a filha para a casa da mãe. Por mais que procurasse, não arranjava emprego, e então, por influência de amigos que reconheciam seu potencial artístico e elogiavam sua voz marcante, começou a ganhar dinheiro investindo no seu talento, até então nunca utilizado: Cantando e tocando violão pelos bares de Almeirim e cidades da região, ficando mais conhecida ainda após participar da Feira de Arte e Cultura da cidade, o que a rendeu um convite para participar de um teste de formação da banda musical Fazendo Arte. No grupo, aprendeu a cantar e dançar ao mesmo tempo, passando a desenhar o figurino da banda, e criar coreografias, já que possuía dançarinos. Ela fazia parte do conjunto musical junto com outros 15 membros, sendo eles cantores, backvocals, guitarristas e outros. Foi vocalista da banda por quatro anos, até decidir seguir carreira solo, lançando um álbum futuramente.

Em 1993 e 1994, com uma carreira inicial de cantora, porém nada ainda muito profissional, e já morando sozinha com a filha em Belém há um ano, para onde se mudou sabendo que teria mais oportunidades de se profissionalizar na música, por ser uma cidade grande, casou-se novamente, desta vez com um vereador, chamado Robson Matos, que na época era seu namorado há poucos meses. Teve que pausar a recente carreira por conta de uma nova gestação que também não foi planejada, dando a luz a seu único menino, Yago, em 1995. Em 1996, devido a constantes brigas, separaram-se, e Joelma retomou com força total sua carreira artística, mesmo enfrentando dificuldades financeiras e de tempo, por estar sozinha com dois filhos, porém não abandonou seu sonho de cantar profissionalmente, e continuou cantando, dançando e tocando violão em bares e boates. Em um almoço na casa de seu amigo, o cantor paraense Kim Marques, em 1997, Joelma conheceu Cledivan Almeida Farias, o Ximbinha. Conhecido por seus arranjos, Ximbinha aceitou produzir o disco solo de Joelma. Na época, com o nome artístico de Joelma Lins, a cantora e o guitarrista começaram a namorar, e em poucos meses decidiram viver juntos na casa dele, para onde Joelma levou seus dois filhos, que passaram a ser criados com ajuda de Ximbinha. Em 2003, após seis anos morando juntos, casaram-se oficialmente em uma pequena cerimônia civil. A parceria estendeu-se para além da vida pessoal, e resolveram se unir profissionalmente para formar a Banda Calypso em junho de 1999. De início, esperavam vender dez mil discos, o que consideravam uma vitória. Quinze anos depois do lançamento do primeiro CD, a banda já ultrapassava 20 milhões de discos vendidos.[6]

Carreira artística[editar | editar código-fonte]

1999–2015: Carreira com Banda Calypso[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Banda Calypso
Joelma durante apresentação da Banda Calypso em Recife (PE), 2012.

Joelma é quem fazia e construía as coreografias da Banda Calypso, quando ainda participava da banda. É conhecida por sua voz suave, botas de saltos altíssimos, jogadas de cabelo e pela capacidade de cantar e dançar ao mesmo tempo.[carece de fontes?] Já ganhou inúmeros prêmios por sua atuação como vocalista da banda Calypso, além de ter sido considerada por quatro vezes uma das mulheres mais sexys do mundo pela revista VIP.[carece de fontes?] A banda totalizou 21 álbuns oficiais, tendo vendido mais de 20 milhões de cópias no Brasil e no exterior.[7]

Separação e fim da Banda Calypso[editar | editar código-fonte]

Após a sua separação do ex-marido Ximbinha, por conta de traições da parte dele, Joelma anunciou no Programa da Sabrina, que foi ao ar em 29 de agosto de 2015, que se desligaria da Banda Calypso em dezembro e seguiria carreira solo, com o mesmo ritmo que deu notoriedade a ela.[8][9]

Joelma Mendes Eu vou cumprir com a Calypso até o final do ano. Eu vou deixar a Calypso e vou seguir minha carreira solo, mas no mesmo estilo da Calypso. Joelma Mendes

— afirma Joelma.

A assessoria confirmou as palavras de Joelma e que a mesma passaria a se chamar, artisticamente, Joelma Calypso.[10] Sites especulavam que ela poderia seguir carreira gospel, mas a cantora deixou claro que pretendia continuar seguindo o ritmo que a consagrou no cenário mundial. Em um show realizado em Goiânia, em 28 de agosto, a cantora agradeceu o apoio dos fãs e reforçou sua saída da Banda com último compromisso no dia 31 de dezembro, e depois, começaria a "servir a Deus" cantando o ritmo calypso.[11][12]

2016–presente: Carreira solo, Joelma e Avante[editar | editar código-fonte]

Ver artigos principais: Joelma (álbum), Avante (álbum) e Avante Tour
Joelma durante a Avante Tour, em dezembro de 2017.

Em 8 de março de 2016, a cantora assinou contrato com a gravadora Universal Music Group (uma das maiores do planeta), sendo de responsabilidade do selo, os direitos de imagens da artista, juntamente com a divulgação e promoção de shows.[13][14] No dia 28 de abril, lançou seu primeiro álbum solo, Joelma, possuindo 14 faixas, tendo uma mistura de vários ritmos, desde o arrocha ao pop, sem deixar de lado o famoso calipso.[15][16] O álbum foi muito bem sucedido, tendo vendido cerca 35 mil cópias, alcançando o topo da TOP 20 Semanal ABPD e ficando em segundo lugar na tabela da Billboard Brazil Albums, onde se permaneceu por três meses.[17] "Ai Coração" foi a primeira canção do álbum e da artista a ser trabalhada, logo depois, vem "Não Teve Amor", se tornando o grande sucesso da cantora e sendo carro-chefe de sua carreira solo. Em julho, lançou como single a música "Debaixo do Mesmo Céu", juntamente com um clipe onde destaca a cantora sozinha, equilibrando toda sua sensualidade e romantismo ao mesmo tempo. O vídeo foi gravado em um dos lugares mais charmosos da cidade de Recife, em Pernambuco: o Castelo Eventos. Localizado em Boa Viagem. O lugar tem um cenário medieval, a forma como o artista procurou desde o início. Em menos de 24 horas, o videoclipe subiu ao topo dos mais comprados do iTunes Brasil.[18] Em 30 de setembro de 2016, lançou um EP de forma digital, com o nome de Assunto Delicado. O extended play possui apenas quatro faixas inéditas, onde ambas estariam presentes em seu projeto ao vivo, que seria gravado em novembro daquele mesmo ano.

Em 9 de novembro de 2016, Joelma gravou seu primeiro álbum ao vivo e DVD em São Paulo, no Coração Sertanejo, com a presença de cerca de cinco mil pessoas; Avante, cujo título e conceito celebra sua nova fase, foi lançado no dia 29 de abril de 2017.[19][20] O projeto conta com as participações das cantoras Ivete Sangalo e Solange Almeida, junto, seus três filhos: Natália, Yago e Yasmin. O trabalho, sendo CD e DVD, venderam cerca de 30 mil cópias, tendo sido o produto mais comprado no site da livraria Saraiva horas após o lançamento. Os singles "Amor Novo" e "Chora Não, Coração" se tornaram número um nas rádios. As canções "Não Teve Amor" e "Mulher Não Chora" permaneceram no topo das mais vendidas do iTunes Store de Moçambique. Em 7 de fevereiro de 2017, Joelma lançou o livro biográfico Entre Olhares, escrito por Jessyca Campos, uma fã da cantora. O lançamento ocorreu em Goiânia no Shopping Cerrado, onde duzentos fãs foram sorteados, participaram do evento e receberam o livro com o autógrafo da ídola. O livro contém relatos do convívio pessoal da cantora e histórias de fãs. No mesmo evento, Joelma realizou uma coletiva para a imprensa local e uma exposição com alguns figurinos usados durante sua carreira.[21]

Em 8 de março de 2018, no Dia Internacional da Mulher, Joelma lançou o single, "Perdeu a Razão", uma parceria com a cantora Marília Mendonça, focada no sertanejo universitário, que fala sobre violência contra a mulher. A canção, em poucos minutos, se tornou uma das mais vendidas na loja virtual iTunes Store, obtendo mais de 1 milhão de acessos no YouTube em menos de 48 horas, tornando-se e ficando por muito tempo como '#3 vídeos em alta'. A música também entrou para a parada musical 'Brazil Viral 50' do Spotify, ficando na 3º posição.

Características musicais[editar | editar código-fonte]

Voz[editar | editar código-fonte]

Joelma durante show da Banda Calypso em Porto Alegre (RS), 2008.

Segundo o site de análises de vozes Vocal Pop, a extensão vocal de Joelma é o conjunto de todas as notas que um cantor consegue articular e está dividida em: tenor, barítono, baixo, soprano, meio-soprano e contralto. A cantora se encaixa no meio-soprano, abrangendo 2 ou 3 oitavas, tendo sua voz caracterizada pelo registro mais agudo, englobando growls e falsetes misturada bem reguladas juntamente com performances.

Influências[editar | editar código-fonte]

Barbra Streisand (esquerda) e Daniela Mercury (direita) são as principais influências da artista.

Joelma cita como influência principal a cantora Barbra Streisand. Em 2012, no programa De Frente com Gabi, a cantora revelou que durante sua infância e adolescência passava grande parte do dia ouvindo a música de Barbra, "Woman in Love" diariamente de forma repetitiva. Joelma também revelou, em entrevista para a TV Aratu (afiliada SBT da Bahia), que Daniela Mercury também foi uma de suas principais influências. Segundo ela, a canção "O Canto da Cidade" de Daniela foi executada por Joelma em um teste para a Banda Fazendo Arte no início de sua carreira.

Outras referências citadas pela cantora também incluem as cantoras Madonna, Cyndi Lauper, Elba Ramalho, Mariah Carey e a cantora peruana Rossy War.

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Joelma durante posse de entrega à artista o Título de Cidadã Pernambucana na Assembleia Legislativa de Pernambuco, 2009.

Em 1997, Joelma conheceu o músico Cledivan Almeida Farias, conhecido como Ximbinha na casa de um amigo em comum. No mesmo ano que começaram a namorar, foram viver juntos. Cinco anos depois, casaram-se oficialmente. No dia 26 de outubro de 2009, Joelma e Ximbinha receberam o Título de Cidadão Pernambucano. A comenda foi proposta pelo deputado Nelson Pereira (PCdoB). O 2º vice-presidente da Mesa Diretora, deputado Antônio Moraes (PSDB), coordenou a solenidade e destacou a importância do Estado para o início da carreira artística. "Há vários anos com residência no Recife e com diversos empreendimentos ligados a área musical, Joelma e Ximbinha têm contribuído para a rica cultura pernambucana", enfatizou Pereira.[22]

Em 19 de agosto de 2015, depois de 18 anos de união, eles anunciaram a separação.[23][24] Em 09 de novembro de 2015 foi assinado o divórcio.[25][26]

Em março de 2017, matérias especulavam Joelma estava em relacionamento com um empresário carioca, chamado Alessandro Cavalcante, mas foi em junho do mesmo ano que ela assume o namoro. No dia 7 de dezembro a uma entrevista ao Programa do Porchat, a cantora fala que mantém relacionamento com o empresário a nove meses, e que conheceu-o no consultório de um dentista em Goiânia. A cantora ainda contou que chegou a alertar ao namorado que ele ficaria no centro das atenções depois que os dois assumissem o romance.

"Eu alertei: 'Presta atenção, sua vida vai virar de cabeça pra baixo. Então, ainda está em tempo de desistir porque na hora que você pegar o remo já era'. E ele disse: 'eu pego!'."

Maternidade[editar | editar código-fonte]

Do casamento com Ximbinha, Joelma tem uma filha chamada Yasmin Mendes Farias (nascida em 11 de julho de 2004). Além dela, tem outros dois filhos, frutos de seus dois casamentos anteriores: Yago Mendes Matos (filho do Advogado e Vereador da Câmera de Breves[27][28] Robson Cristiano Leão Matos, nascido em 8 de dezembro de 1995) e Natália Mendes Sarraff (filha de Roberto Luís Sarraff,[29] nascida em 25 de dezembro de 1989).

Em fevereiro de 2009, Joelma sofreu um aborto espontâneo depois do anúncio de sua quarta gravidez, e acabou tendo algumas complicações, e ficou alguns dias internada para fazer curetagem.[30][31][32]

Complicações no parto[editar | editar código-fonte]

Em 2004, Joelma seguiu a agenda lotada de shows da banda Calypso durante o período em que esteve grávida de Yasmim, fez shows até sete dias antes do parto.

A única mudança vísivel nos shows era o figurino da cantora, que teve que ser adaptado pra acomodar a barriga que crescia a cada dia. Mesmo assim, Joelma dançava normalmente, executando as mais elaboradas coreografias em cima de um salto de 15 cm, deixando o público surpreso, mas preocupados com a gestação da artista.[33]

Joelma ficou entre a vida e a morte no parto de Yasmim. A cantora gostaria de ter a filha com parto normal, inclusive já vinha lendo e estudando as melhores formas de ter a filha sozinha, na estrada, caso precisasse. Isso foi necessário devido a agenda de shows da Banda Calypso no ano de 2004 estar a todo vapor.

Na hora do parto, a criança estava sentada, com o cordão umbilical dando duas voltas ao redor do pescoço, sendo impossível se realizar o parto normal, por mais que tudo tivesse sido tentado. Os médicos optaram pela cirurgia cesariana pois mãe e filha corriam risco de vida e Joelma estava em sofrimento junto da criança. No fim, tudo ocorreu de forma segura e a filha nasceu saudável, e dois meses depois Joelma já estava de volta aos palcos.[carece de fontes?]

Cirurgias plásticas[editar | editar código-fonte]

Joelma admite que fez diversas cirurgias plásticas após atingir o estrelato.[34] Um ano depois do nascimento de sua terceira filha Yasmin, a cantora decidiu, no segundo semestre de 2005, fazer uma cirurgia de lipoaspiração em uma clínica em São Paulo, na qual o médico a questionou se ela não queria fazer novas plásticas, e a cantora permitiu a ele fazer o que ele achasse necessário. Durante dez dias ela permaneceu na clínica se recuperando das cirurgias, além da lipo, ela diminuiu o culote, redesenhou o queixo, colocou silicone, fez rinoplastia, remodelou o joelho, e, por fim, diminuiu a pálpebra. Em menos de duas semanas após as cirurgias, Joelma já se encontrava em cima dos palcos novamente cantando na Calypso e dançando limitadamente devido às cirurgias muito recentes, em alguns shows ela se apresentava com uma cinta ortopédica por debaixo dos figurinos.[carece de fontes?] No início de 2007, por se sentir incomodada, a cantora retirou o silicone dos seios, fazendo nova cirurgia plástica para redefini-lo.[carece de fontes?]

Polêmica[editar | editar código-fonte]

Em 2013 a revista Época publicou uma matéria da qual relatava que Joelma declarava possíveis comparações de homossexuais com dependentes químicos. Na entrevista a cantora supostamente havia declarado, que se caso tivesse um filho homossexual lutaria até a morte para fazer a sua conversão, além de comparar a homossexualidade ao estado de dependência química[35] as declarações da cantora logo surtiram efeitos negativos contra si e contra os projetos da Banda Calypso como o filme Isso é Calypso. Dias depois a assessoria da banda negou o cancelamento do longa-metragem e negou possíveis declarações sobre as comparações envolvendo homossexuais.[36] “Em momento algum a cantora comparou homossexualidade à dependência química. O que foi relatado foram depoimentos, feitos a ela, de amigos e fãs sobre a dificuldade que sentem, quando assim o desejam, de mudar sua opção sexual e que, eles mesmos, compararam tal dificuldade à dificuldade do dependente químico. Embora a religião seguida por Joelma não apoie o casamento entre pessoas do mesmo sexo, a cantora respeita e aceita a opção sexual de todas as pessoas, fãs e amigos, não tendo por ninguém preconceito de religião, sexo e cor”, comunicou a assessoria da banda. ,[37] oficialmente a revisa Época foi obrigada judicialmente a publicar uma retratação desmentindo a noticia, além de pagar uma quantia indenizatória no valor de 10 milhões de reais a Joelma, a cantora doou todo o valor recebido para instituições de caridade em Belém do Pará.

Em meados de 2012, foi vazado um vídeo em que Joelma estaria cometendo homofobia com um fã homossexual, na qual a cantora manda-o "virar homem" e fazer um filho. Em 3 de agosto de 2014 durante sua participação no Programa Eliana, Joelma resolve falar sobre o assunto: “Toda vez que eu chegava no aeroporto, ele de longe começava a fazer um escândalo dizendo tudo que fazia com o namorado dele, isso pra mim. E as pessoas do aeroporto todas me olhando e eu ficava 'vermelha', era uma brincadeira que ele fazia comigo, ele sabendo que eu ia ficar 'vermelha', ele fazia todas as vezes. Aí eu disse: 'deixa que eu vou te pegar! Agora eu te pego!' (risos). Aí quando ele terminou de falar, eu abracei ele e comecei a aconselhar, falar um monte de coisa que eu sei que ele não ia gostar. Ele ficou calado, me olhando, aí eu disse: 'Te peguei! Agora me vinguei'. Foi uma brincadeira! Tá tudo na internet. Ele me pediu perdão e falei que não era necessário perdoar, pois era uma brincadeira nossa e que ninguém tinha o que se meter.”

No início de junho de 2016, Joelma tem seu nome voltado à polêmica mais uma vez após sua falsa opinião sobre o Massacre de Orlando, na qual 50 pessoas morreram durante o ataque na boate LGBT Pulse. Na matéria, cantora aconselha que os homossexuais deveriam procurar igrejas, e não boates. Dias depois da polêmica se repercutir, a mesma postou as suas redes sociais esclarecendo que não deu nenhuma entrevista ou opinião sobre o assunto e que está orando pela as vítimas do atentado. “Recebi com muita tristeza a notícia do atentado a boate Pulse, em Orlando, nos Estados Unidos, que vitimou 49 vidas inocentes. Entretanto, atribuíram a mim alguns conteúdos infelizes e difamatórios sobre o fatídico incidente, a partir de blogs e sites de origem duvidosa e claramente tendenciosa. Esclareço que não concedi qualquer entrevista sobre a tragédia que ocorreu, e que me solidarizo com as famílias das pessoas que faleceram, orando a Deus pelo conforto e a realização da justiça. Ratifico que o objetivo da minha banda é proporcionar ao público alegria e diversão, independentemente de cor, raça, gênero ou orientação sexual.”

Publicidade[editar | editar código-fonte]

Em 2008, Joelma criou uma grife de roupas chamada Calypso Vest em sua cidade natal, Almeirim, no Pará. Maria Nazaré Mendes, mãe de Joelma que era uma costureira foi a principal inspiração para a criação dessa linha de roupas.

As roupas da grife eram incrementadas por elementos originários e retirados da floresta, das águas e com a responsabilidade ecológica necessária. Para criar a coleção ela convocou o renomado estilista Jander Cabral que além de criar os modelitos também é especialista em fabricar biojóias com sementes naturais da Amazônia, como jarina (marfim vegetal), cascas e caroços vegetais, entre outras matérias-primas rústicas da floresta.

Em 2010, a grife chegou ao fim, com o motivo de funcionários da empresa não cumprirem seus trabalhos.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Turnês[editar | editar código-fonte]

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Famosos nascidos em 1974». Purepeople. Consultado em 22 de janeiro de 2018 
  2. «60 curiosidades que você não sabia sobre Joelma». Diário Online. Consultado em 27 de fevereiro de 2018 
  3. «60 artistas brasileiros que mais venderam discos na historia». Bilesky Discos. Consultado em 27 de fevereiro de 2018 
  4. «Joelma Mendes é eleita uma das mulheres mais sexy do mundo». RedeTV!. Consultado em 27 de fevereiro de 2018 
  5. «Joelma lembra o pai violento, diz que está pronta pra amar e resume sua relação com Ximbinha hoje: 'Nenhuma'.». Extra. Consultado em 28 de fevereiro de 2018 
  6. «Banda Calypso, você precisa reconhecer que eles sabem fazer negócios». Administradores.com. Consultado em 11 de junho de 2014 
  7. «Transfomadores Indicados». Revista Trip. Consultado em 12 de janeiro de 2012 
  8. Ramiro Costa (18 de agosto de 2013). «Joelma, da Calypso, sobre polêmica gay: 'Não sou de fugir da raia, gosto de uma briga'». O Globo. Consultado em 21 de setembro de 2013 
  9. «Transfomadores Indicados». Revista Trip. Consultado em 12 de janeiro de 2012 
  10. «Como na Banda Calypso, desavenças pessoais marcam rompimentos na música». Diário de Pernambuco. Consultado em 15 de abril de 2016 
  11. «Joelma anuncia em show que deixará o Calypso: "vou servir a Deus" Porém em março de 2016 a cantora estreou a carreira solo fazendo um show em Goiânia para mais de 10 mil pessoas. Com agenda lotada, Joelma segue fazendo sucesso com sua carreira solo.». Divirta-se!. Consultado em 15 de abril de 2016 
  12. «Transfomadores Indicados». Revista Trip. Consultado em 12 de janeiro de 2012 
  13. «Joelma lançará primeiro álbum solo pela Universal». Portal Sucesso. Consultado em 8 de março de 2016 
  14. «Transfomadores Indicados». Revista Trip. Consultado em 12 de janeiro de 2012 
  15. «Joelma estreia carreira solo em Goiânia». O Popular. Consultado em 17 de janeiro de 2018 
  16. «Joelma não descarta casar de novo, mas diz: 'Não estou atrás de um amor'». EGO. Consultado em 4 de março de 2018 
  17. «Joelma aparece na lista dos discos mais vendidos, segundo a ABPD». Pop Brasil. Consultado em 4 de março de 2018 
  18. «Novo clipe de Joelma vira sucesso na internet». Bahia no Ar. Consultado em 4 de março de 2018 
  19. «Joelma grava primeiro DVD da carreira solo em clima de volta por cima». Correio Braziliense. Consultado em 4 de março de 2018 
  20. «Joelma lança 1º DVD em carreira solo e fala de nova fase: 'Escolhi perdoar e seguir em frente'». G1. Consultado em 4 de março de 2018 
  21. «Cantora Joelma lança livro e faz exposição de looks em shopping de Goiânia». Curta Mais. Consultado em 4 de março de 2018 
  22. «Título de Cidadão Pernambucano». Assembleia Legislativa do Estado de Pernambucol. Consultado em 15 de abril de 2016 
  23. «Colunista anuncia o fim do casamento de Joelma e Chimbinha». Diário de Pernambuco. Consultado em 15 de abril de 2016 
  24. «Joelma e Chimbinha estão separados». Blog da Fabíola Reipert - R7. Consultado em 15 de abril de 2016 
  25. «Joelma e Chimbinha assinam divórcio em Vara da Família no Recife». G1 Globo. Consultado em 15 de abril de 2016 
  26. «Transfomadores Indicados». Revista Trip. Consultado em 12 de janeiro de 2012 
  27. «Dr. Robson Matos». Eleições Brasil. Consultado em 23 de dezembro de 2015 
  28. Ramiro Costa (18 de agosto de 2013). «Joelma, da Calypso, sobre polêmica gay: 'Não sou de fugir da raia, gosto de uma briga'». O Globo. Consultado em 21 de setembro de 2013 
  29. «Após relato de assédio, pai de filha de Joelma se revolta: "Acabo com Chimbinha"». Extra.com. Consultado em 23 de dezembro de 2015 
  30. «Cantora Joelma sofre aborto espontâneo». G1 Globo. Consultado em 15 de abril de 2016 
  31. «Transfomadores Indicados». Revista Trip. Consultado em 12 de janeiro de 2012 
  32. Ramiro Costa (18 de agosto de 2013). «Joelma, da Calypso, sobre polêmica gay: 'Não sou de fugir da raia, gosto de uma briga'». O Globo. Consultado em 21 de setembro de 2013 
  33. «Transfomadores Indicados». Revista Trip. Consultado em 12 de janeiro de 2012 
  34. Ramiro Costa (18 de agosto de 2013). «Joelma, da Calypso, sobre polêmica gay: 'Não sou de fugir da raia, gosto de uma briga'». O Globo. Consultado em 21 de setembro de 2013 
  35. «Joelma compara gays a drogados e diz ser contra casamento homossexual». Revista Época. Consultado em 3 de abril de 2013 
  36. «Diretor desmente cancelamento de filme sobre banda Calypso». Folha de S. Paulo. Consultado em 3 de abril de 2013 
  37. «Após polêmica Joelma desmente declaração sobre homossexuais». Entretenimento R7. Consultado em 3 de abril de 2013 
  38. UOL. «Joelma Calypso estreia show solo em Goiânia». Consultado em 12 de março de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]