Língua yatê

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Iatê
Falado em: Águas Belas, em Pernambuco, no Brasil
Total de falantes:
Família:
 Macro-jê
  línguas fulniôs
   Iatê
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: ---
Em laranja, a distribuição da língua iatê à época dos primeiros contatos dos fulni-ô com os não índios

A língua iatê[1] , pertencente à família linguística fulni-ô do tronco linguístico macro-jê, é falada pelos fulni-ô, grupo indígena encontrado em Águas Belas, em Pernambuco, no Brasil. Os fulni-ô ainda conservam quase intacto o aspecto tribal e o mais possível pura sua língua, vivendo em aldeia própria, bem junto à cidade de Águas Belas (à qual dão o nome de Yati-lyá). Do ponto de vista glotológico, é muitíssimo interessante. Os fulni-ô a denominam ya:thê, isto é, "nossa fala", cuja forma aportuguesada é "iatê".

Estudo da língua[editar | editar código-fonte]

Trabalho pioneiro sobre a estrutura da língua foi desenvolvido pelo fonólogo Geraldo Lapenda, na década de 1950, havendo sido publicado pela Editora Universitária da Universidade Federal de Pernambuco, em 1968, e reeditado postumamente em 2005. O índio fulni-ô Aluízio Caetano de Sá publicou, recentemente, um dicionário iatê-português.[2]

Referências

  1. FERREIRA, A. B. H. Novo dicionário da língua portuguesa. 2ª edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 1986. p. 355.
  2. Diário de Pernambuco (26.12.2010).

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre linguística ou um linguista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.