Língua yatê

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Iatê
Falado em: Águas Belas, em Pernambuco, no Brasil
Total de falantes:
Família:
 Macro-jê
  línguas fulniôs
   Iatê
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: ---
Em laranja, a distribuição da língua iatê à época dos primeiros contatos dos fulni-ô com os não índios

A língua iatê[1], pertencente à família linguística fulni-ô do tronco linguístico macro-jê, é falada pelos fulni-ô, grupo indígena encontrado em Águas Belas, em Pernambuco, no Brasil. Os fulni-ô ainda conservam quase intacto o aspecto tribal e o mais possível pura sua língua, vivendo em aldeia própria, bem junto à cidade de Águas Belas (à qual dão o nome de Yati-lyá). Do ponto de vista glotológico, é muitíssimo interessante. Os fulni-ô a denominam ya:thê, isto é, "nossa fala", cuja forma aportuguesada é "iatê".

Estudo da língua[editar | editar código-fonte]

Trabalho pioneiro sobre a estrutura da língua foi desenvolvido pelo fonólogo Geraldo Lapenda, na década de 1950, havendo sido publicado pela Editora Universitária da Universidade Federal de Pernambuco, em 1968, e reeditado postumamente em 2005. O índio fulni-ô Aluízio Caetano de Sá publicou, recentemente, um dicionário iatê-português.[2]

Referências

  1. FERREIRA, A. B. H. Novo dicionário da língua portuguesa. 2ª edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 1986. p. 355.
  2. «Diário de Pernambuco». 26 de dezembro de 2010 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre linguística ou um linguista é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.