Centro Universitário Estadual da Zona Oeste

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Centro Universitário Estadual da Zona Oeste
Logo vertical letra azul.jpg
UEZO
Fundação 2005
Tipo de instituição Fundação, Pública, Estadual
Localização Brasão da cidade do Rio de Janeiro.svg Rio de Janeiro, RJ
Reitor(a) Maria Cristina de Assis
Vice-reitor(a) Luanda Silva de Moraes
Total de estudantes 1.600
Afiliações CEDERJ, UAB
Página oficial uezo.rj.gov.br

Centro Universitário Estadual da Zona Oeste (acrônimo UEZO) [1] [2] é uma instituição pública brasileira de ensino superior do estado do Rio de Janeiro,[2] legislativamente criado e licitado em 2002, ao final do governo de Anthony Garotinho. A instituição foi criada com o objetivo de atender a demanda de estudantes da Zona Oeste do Rio de Janeiro, e de municípios como Itaguaí e Nova Iguaçu, e ampliar o desenvolvimento tecnológico e econômico de tais regiões. Foi inaugurado em 2005 no governo de Rosinha Garotinho, e definitivamente emancipada a partir de 2009 em fundação de direito público vinculada à Secretaria Estadual de Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro no governo de Sérgio Cabral Filho. Localiza-se em Campo Grande, bairro da capital carioca.


Estrutura acadêmica[editar | editar código-fonte]

A UEZO surgiu em 2005 com os cursos superiores de análise e desenvolvimento de sistemas, biotecnologia, gestão da construção naval, polímeros e processos metalúrgicos a fim de trazer desenvolvimento a região visando principalmente ao porto de Itaguaí. Em 2008, foram abertos mais quatro cursos que passaram a somar reforços para a região. Os cursos plenos criados foram de farmácia, engenharia de produção, ciências biológicas e ciência da computação.

Até janeiro de 2009 a UEZO era ligada a Faculdade de Tecnologia do Estado do Rio de Janeiro (FAETERJ), não gozando de autonomia administrativa e financeira, operando na prática como mais uma das unidades da rede FAETEC. A partir dessa emancipação seu vestibular passa a ser pelo mesmo departamento de seleção acadêmica da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), aprimorando o grau de formação média dos seus novos estudantes, e finalmente adotando o sistema de cotas na porcentagem de 30% das vagas..

Desde que foi inaugurada, em 2005, funcionara de maneira improvisada na Escola Estadual Sarah Kubitschek, em Campo Grande.

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

Ministra atualmente o ensino de graduação superior educação tecnológica, e pós-graduação.

Cursos de Graduação[editar | editar código-fonte]

Mestrados[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Carmem Praxedes (2006). «O Ensino da Língua Portuguesa Instrumental - Leitura e Escrita para Tecnológicas - O caso da UEZO» (PDF). Revista Philologus; Ano 12, n° 36; do Círculo Fluminense de Estudos Filologicos e Lingüísticos. Consultado em 21 de abril de 2017. Cópia arquivada em 21 de abril de 2017 
  2. a b Leonardo da Silva Sant ́Anna e Maria Simone de Menezes Alencar (2014). «Perfil de Patenteamento das Universidades Públicas do Estado do Rio de Janeiro (Especialmente páginas 517 e 519)». Cadernos de Prospecção; v. 7, n.4, p.516-524; da Universidade Federal da Bahia. doi:10.9771/S.CPROSP.2014.007.052. Consultado em 21 de abril de 2017. Cópia arquivada em 21 de abril de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

(inclusive respectivo archiving, no Wayback Machine)