Centro Universitário Estadual da Zona Oeste

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Centro Universitário Estadual da Zona Oeste
Logo vertical letra azul.jpg
UEZO
Fundação 2005
Tipo de instituição Fundação, Pública, Estadual
Localização Rio de Janeiro (RJ) - Brasao.svg Rio de Janeiro, RJ
Reitor(a) Luanda Silva de Moraes
Vice-reitor(a) Dario Nepomuceno da Silva Neto
Total de estudantes 2.700
Afiliações CEDERJ, UAB
Página oficial uezo.rj.gov.br

Centro Universitário Estadual da Zona Oeste (UEZO) [1][2] é uma universidade pública do estado do Rio de Janeiro,[2]concebida no ano de 2002 e inaugurada no ano de 2005. A instituição foi criada com o objetivo de atender a demanda de estudantes da Zona Oeste do Rio de Janeiro, e de municípios como Itaguaí e Nova Iguaçu, além de ampliar o desenvolvimento tecnológico e econômico de tais regiões. Foi oficialmente inaugurada em 2005 e definitivamente emancipada a partir de 2009, em fundação de direito público vinculada à Secretaria Estadual de Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro. Possui sua sede em Campo Grande, um dos mais populosos bairros da capital fluminense. É considerada a melhor universidade sediada na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Estrutura acadêmica[editar | editar código-fonte]

A UEZO surgiu em 2005 com os cursos superiores tecnológicos de análise e desenvolvimento de sistemas, biotecnologia, gestão da construção naval, polímeros e processos metalúrgicos a fim de trazer desenvolvimento a região visando principalmente ao porto de Itaguaí. Em 2008, foram abertos mais quatro cursos que passaram a somar reforços para a região. Os cursos plenos criados foram de farmácia, engenharia de produção, ciências biológicas e ciência da computação.

Até janeiro de 2009 a UEZO era ligada a Faculdade de Tecnologia do Estado do Rio de Janeiro (FAETERJ), não gozando de autonomia administrativa e financeira, operando na prática como mais uma das unidades da rede FAETEC. A partir dessa emancipação seu vestibular passa a ser pelo mesmo departamento de seleção acadêmica da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), aprimorando o grau de formação média dos seus novos estudantes, e finalmente adotando o sistema de cotas na porcentagem de 30% das vagas.

Desde que foi inaugurada, em 2005, funcionara de maneira improvisada no colégio estadual Instituto de Educação Sarah Kubitschek, em Campo Grande.

A reitoria da UEZO, junto com seus docentes e discentes, tem cobrado veemente do Governo do Estado que seja providenciado um novo campus.

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

Ministra atualmente o ensino de graduação superior, educação tecnológica e pós-graduação.

Cursos de Graduação[editar | editar código-fonte]

Mestrados[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Carmem Praxedes (2006). «O Ensino da Língua Portuguesa Instrumental - Leitura e Escrita para Tecnológicas - O caso da UEZO» (PDF). Revista Philologus; Ano 12, n° 36; do Círculo Fluminense de Estudos Filologicos e Lingüísticos. Consultado em 21 de abril de 2017. Cópia arquivada em 21 de abril de 2017 
  2. a b Leonardo da Silva Sant ́Anna e Maria Simone de Menezes Alencar (2014). «Perfil de Patenteamento das Universidades Públicas do Estado do Rio de Janeiro (Especialmente páginas 517 e 519)». Cadernos de Prospecção; v. 7, n.4, p.516-524; da Universidade Federal da Bahia. doi:10.9771/S.CPROSP.2014.007.052. Consultado em 21 de abril de 2017. Cópia arquivada em 21 de abril de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

(inclusive respectivo archiving, no Wayback Machine)