Give Me All Your Luvin'

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
"Give Me All Your Luvin'"
Single de Madonna com a participação de Nicki Minaj e M.I.A.
do álbum MDNA
Lançamento 3 de fevereiro de 2012 (2012-02-03)
Formato(s) CD single, download digital
Gravação 2011;
Sarm West Studios
(Notting Hill, Londres)
MSR Studios
(Nova Iorque)
Gênero(s) Dance-pop
Duração 3:22
Gravadora(s) Interscope, Live Nation
Composição Madonna Ciccone, Martin Solveig, Michael Andre Tordjman, Onika Tanya Maraj, Mathangi Aruplpragassam
Produção Madonna, Martin Solveig
Cronologia de singles de Madonna
"Revolver"
(2009)
"Girl Gone Wild"
(2012)
Cronologia de singles de Nicki Minaj
"Turn Me On"
(2011)
"Starships"
(2012)
Cronologia de singles de M.I.A.
"Bad Girls"
(2012)
"Bring the Noize"
(2013)
Lista de faixas de MDNA
"Turn Up the Radio"
(4)
"Some Girls"
(6)

"Give Me All Your Luvin'" é uma canção da artista musical estadunidense Madonna, contida em seu décimo segundo álbum de estúdio MDNA (2012). Conta com a participação das rappers Nicki Minaj e M.I.A., e foi composta pelas três musicistas em conjunto com Michael Tordjman e Martin Solveig, sendo produzida pelo último juntamente com Madonna. Depois de divulgar uma mensagem em seu Facebook declarando que queria voltar à fazer música, Madonna começou a desenvolver o projeto; para este, ela convidou Solveig, tendo em mente produzir apenas uma canção com ele, uma ideia que acabou sendo expandida em três faixas. A intérprete tinha bastante tempo para desenvolver o disco, então após trabalhar com o produtor em uma obra, ela continuou a gravar outras, incluindo "Give Me All Your Luvin'". A estadunidense escolheu trabalhar com M.I.A. e Minaj na faixa, pois sentiu que ambas eram mulheres fortes com uma voz única, e gostava de suas músicas e o que elas representavam.

Uma versão demo da faixa foi ilegalmente divulgada na Internet em 8 de novembro de 2011 sob o título de "Give Me All Your Love"; após grande procura, a polícia prendeu um homem de 31 anos da Espanha, acusado de ter divulgado a composição ilegalmente. O produto final foi lançado digitalmente em 3 de fevereiro de 2012 através da Interscope Records, servindo como o primeiro single de MDNA, sendo enviado para estações radiofônicas estadunidenses mainstream três dias depois e comercializado em formato físico. Uma versão intitulada "Party Rock Remix", que apresenta vocais do duo eletrônico LMFAO, também foi lançada comercialmente. O número serviu como a primeira faixa de trabalho da intérprete em seu contrato 360 com a Live Nation Entertainment, assinado em 2007. Apoiada por sintetizadores, bateria e gritos de torcida, "Give Me All Your Luvin'" é uma canção derivada do dance-pop, apresentando elementos de gêneros como new wave e disco, além de um breakdown que incorpora o dubstep. Madonna canta o refrão em vocais estridentes, Minaj canta seu verso como sua personalidade alternativa Roman Zolanski, com M.I.A. interpretando suas linhas em seguida.

"Give Me All Your Luvin'" foi recebida de forma mista por críticos musicais, os quais destacaram seu refrão e o descreveram como "grudento", embora tenham sentido que sua composição musical era inferior aos singles anteriores de Madonna. Profissionais também notaram semelhanças com canções de artistas como Nicola Roberts, Gwen Stefani e Toni Basil, especialmente nos versos parecidos com frases de líderes de torcida. Comercialmente, a obra obteve um desempenho positivo, atingindo a primeira colocação das tabelas do Canadá, da Finlândia, da Hungria, de Israel e da Venezuela, ao passo em que qualificou-se nas dez primeiras posições em diversos países, como Alemanha, Bélgica, Itália, Japão e Suíça. Nos Estados Unidos, atingiu o décimo posto como melhor na Billboard Hot 100, tornando-se a 38ª música da cantora a listar-se nas dez primeiras ocupações da tabela e estendendo seu recorde como a artista com maior número de canções a entrar nas dez primeiras posições da lista. Além disso, converteu na 41ª obra da intérprete a liderar a genérica Hot Dance Club Songs, aumentando seu recorde de artista com maior quantidade de números um no periódico.

O vídeo musical correspondente foi filmado em dezembro de 2011, sob direção da equipe Megaforce. Lançado em 3 de fevereiro de 2012, coincidindo com a distribuição digital da faixa, o trabalho apresenta Madonna, Minaj e M.I.A. em uma vizinhança suburbana, andando ao longo do local acompanhadas por líderes de torcida usando máscaras de rostos de animes e jogadores de futebol americano carregando a primeira. O projeto foi bem recebido por críticos musicais, que prezaram sua natureza esportiva e divertida. Para a divulgação de "Give Me All Your Luvin'", Madonna apresentou a faixa pela primeira vez ao vivo durante o show do intervalo do Super Bowl XLVI juntamente com Minaj e M.I.A.. Durante a performance, a última mostrou seu dedo do meio para a câmera enquanto interpretava seu verso. Como resultado, M.I.A. foi criticada pela mídia, com desculpas sendo emitidas pela National Football League (NFL), organizadora do evento, e pela National Broadcasting Company (NBC), transmissora do jogo; além disso, a rapper recebeu uma multa de US$ 16.6 milhões, que foi resolvida dois anos depois. Madonna veio a incluir o número no repertório de sua turnê The MDNA Tour (2012), apresentando-a em um figurino de líder de paradas.

Antecedentes e lançamento[editar | editar código-fonte]

Em dezembro de 2010, Madonna divulgou a seguinte mensagem em seu Facebook: "É oficial! Preciso me mexer. Preciso suar. Preciso fazer músicas novas! Músicas com que dançar. Eu estou procurando as pessoas mais loucas, doentes e rudes para trabalhar. Só estou dizendo".[1] Após concluir seus trabalhos em W.E., filme roteirizado e dirigido pela própria, a cantora voltou ao estúdio para desenvolver seu décimo segundo trabalho de estúdio.[2] Um dos colaboradores do projeto foi o DJ e produtor francês Martin Solveig, que havia sido convidado pela artista para uma sessão de composição em Londres no mês de julho de 2011. Originalmente, Madonna queria colaborar com Solveig em apenas uma canção, mas tal ideia se transformou em três faixas — "Give Me All Your Luvin'", "I Don't Give A" e "Turn Up the Radio". Em entrevista com a Billboard, o produtor explicou que a musicista tinha bastante tempo para desenvolver o álbum, então após trabalharem em uma música, eles continuavam gravando. Ele descreveu as sessões de gravação como "divertidas" e uma "época privilegiada".[3] Madonna queria trabalhar com M.I.A. e Nicki Minaj em uma canção, sentido que elas são "mulheres fortes com uma voz única".[4] Ela elogiou-as, dizendo: "Elas não são estrelas pop convencionais, e eu realmente admiro ambas. Eu amo as duas".[5] A primeira confirmou a colaboração do trio através de seu Twitter, dizendo que havia sido convocada para uma sessão de gravação em Nova Iorque no dia 29 de novembro de 2011.[6][7] A rapper sentiu que a colaboração era uma conquista que faria sua mãe se orgulhar, "muito mais do que fazer 'Galang' tocar em uma boate".[8][9]

A versão demo da faixa divulgada ilegalmente em 8 de novembro de 2011 e intitulada "Give Me All Your Love" não apresentava os vocais de Nicki Minaj (direita) e M.I.A. (esquerda), que fazem parte da edição oficial.

Em 8 de novembro de 2011, uma versão demo da canção, intitulada "Give Me All Your Love", foi ilegalmente divulgada na Internet.[10] De acordo com Keith Caulfield, jornalista da Billboard, "dentro de algumas horas, [a canção e sua divulgação ilegal] estava[m] entre os dez assuntos mais comentados no Twitter ao redor do mundo".[11] Guy Oseary, empresário de Madonna, falou sobre a divulgação em seu Twitter, adicionando a declaração da cantora sobre a situação: "Meus fãs verdadeiros não fariam isso". Oseary também esclareceu que um de seus planos iniciais era lançar música nova apenas em 2012. Ele ficou feliz com a reação positiva da demo, mas pediu que fãs ajudassem a polícia a deter as divulgações: "O plano era uma música nova no ano novo. Estou muito feliz com as reações positivas da demo, mas estamos muito chateados com quem vazou a canção! Pedimos aos fãs para ajudarem a polícia a deter as divulgações ilegais. Temos muito material para vocês. Mas, por favor, respeitem o processo".[12][13] A demo divulgada não possuía vocais de Minaj e M.I.A., o que a intérprete mais tarde refletiu: "É realmente decepcionante, porque você não quer que as coisas saiam até que você tenham feito-as, e até você estar pronto. É como se todos estivessem olhando sua pintura inacabada. É tipo: 'Espere um pouco. Eu não finalizei isso. Não é justo'".[4][14] Após grande procura, em 22 de dezembro de 2011, a polícia prendeu um homem de 31 anos de idade da Espanha que seria o responsável pela divulgação ilegal da demo. Os policiais confirmaram as iniciais do suspeito como J.M.R., e o descreveram como "um grande fã de Madonna"; eles também descobriram gravações da canção que estavam sob propriedade do rapaz. Ele foi preso em Zaragoza, prestou depoimento e foi posteriormente liberado, na pendência de um julgamento.[15][16] Foi confirmado pelo The Huffington Post que a pessoa não queria atingir um lucro com o lançamento.[17] Dois anos após o ocorrido, diversas demos do álbum seguinte de Madonna, Rebel Heart (2015), também foram divulgadas de forma ilegal na Internet. O invasor israelense Adi Lederman foi preso, acusado de ter sido o responsável pela divulgação; nos documentos da acusação, foi constatado ele também havia lançado "Give Me All Your Luvin'" na Internet antes do lançamento.[18]

Em janeiro de 2012, a Interscope Records confirmou que o número seria lançado em 3 do mês seguinte, dois dias antes de Madonna se apresentar no show do intervalo do Super Bowl XLVI.[19] A faixa serviu como o single de estreia da cantora em seu contrato 360 com a Live Nation Entertainment, que foi assinado em 2007. Através desse contrato, a estadunidense e a empresa fecharam um acordo de três álbuns com a Interscope, que iria lançar e divulgar a obra e o álbum de estúdio.[20] Juntamente com o anúncio, a cantora revelou a capa do single. A imagem retrata três imagens em preto-e-branco da musicista posicionadas lado-a-lado, fazendo caretas e posando, vestindo camisetas estampadas com o título da canção.[21] "Give Me All Your Luvin'" foi lançada digitalmente em 3 de fevereiro de 2012 na loja virtual iTunes Store,[19] e enviada para estações radiofônicas estadunidenses mainstream três dias depois.[22] Para a divulgação do tema nas rádios, Madonna fez uma pareceria com a Clear Channel Communications, e a partir de 3 de fevereiro, a composição foi tocada em 95 rádios mainstream e rhythmic da empresa. O número também foi tocado no Reino Unido através da parceria da Clear Channel com estações pertencentes à Capital FM. As rádios tocaram a música a cada hora entre 3 e 5 de fevereiro, juntamente com uma mistura de canções de MDNA. "Give Me All Your Luvin'" também foi lançada para streaming em portais da iHeartRadio com concursos online e anúncios para comprá-la na iTunes Store.[23] Um remix intitulado "Party Rock Remix", que apresenta vocais do duo eletrônico LMFAO, foi lançado digitalmente em 7 de fevereiro.[24] Um CD single, composto por ambas as versões, foi comercializado na Alemanha, na Polônia, no Reino Unido e na Tailândia.[25][26][27][28] Adicionalmente, um extended play (EP) digital formado por seis remixes da faixa foi distribuído em 6 de março.[29]

Gravação e composição[editar | editar código-fonte]

Composta pelas três musicistas em conjunto com Michael Andre Tordjman e Martin Solveig,[30][19][31] e produzida por Madonna e Solveig, "Give Me All Your Luvin'" foi gravada em 2011 nos MSR Studios em Nova Iorque e Sarm West Studios em Notting Hill, Londres. Demacio "Demo" Castellon responsabilizou-se pela gravação e mixagem da faixa, com a ajuda de Philippe Weiss e Graham Archer no primeiro processo e de Angie Teo no segundo. Jason "Metal" Donkersgoed fez edições adicionais na faixa, enquanto Chris Gehringer encarregou-se pela masterização e Jean Baptiste Gaudray tocou guitarras. Além de ter servido como produtor da faixa, Solveig também tocou bateria e forneceu sintetizadores.[30] Solveig lembrou que a música foi gravada num período de dois dias, com ele e Madonna discutindo continuamente sobre a progressão harmônica e a melodia. A versão inicial do breakdown da composição apresentou "muito" dubstep, o qual a cantora pediu-lhe para mudar, adicionando as rimas de Minaj e M.I.A. por cima.[32]

Amostra de 20 segundos de "Give Me All Your Luvin'", no qual o refrão pode ser ouvido.

Problemas para escutar este arquivo? Veja a ajuda.

"Give Me All Your Luvin" é uma canção dance-pop que incorpora elementos dos gêneros new wave, disco, bubblegum pop e synthpop.[33][34][35] Inicia-se com as palavras "A-M-O-R, Madonna! / V-O-C-Ê, você quer?"[nota 1] sendo proferidas com um tom vocal reminiscente às faixas "Hollaback Girl", de Gwen Stefani, e "Mickey", de Toni Basil.[12][36] Um "balanço lustrado dos anos 1960" sucede o canto, que é apoiado por sintetizadores predominantes e fortes baterias.[34] Priya Elan, da NME, comparou a composição com outras obras da artista, como "Beautiful Stranger" e "Amazing", bem como com as de seus álbuns Ray of Light (1998) e Hard Candy (2008).[34] Segue-se o refrão da música, o qual é interpretado por Madonna em uma voz estridente: "Não se faça de estúpido / Porque eu sou tipo diferente de garota / Todo disco é igual / Você tem que entrar no meu mundo / Me dê todo o seu amor, me dê o seu amor / Me dê todo o seu amor hoje".[nota 2][37] Elan considerou esta parte "não digna de uma grande dama da discoteca".[34] Após o breakdown influenciado pelo dubstep, Minaj é ouvida rimando seus versos sob sua personalidade alternativa Roman Zolanski, com M.I.A. interpretando suas linhas em seguida.[38]

Lanford Beard, da Entertainment Weekly, observou que o tema "combina cantos de Katy Perry e Gwen Stefani, ecos da incursão lamentável de Ashlee Simpson em sons de guitarras sintetizadas [do estilo] new wave, e um breakdown reduzido de 'Hold It Against Me'".[37] John Mitchell, da MTV News, comentou que a instrumentação da canção consiste em "sintetizadores brilhantes, bateristas de marchas, palmas e um refrão incrivelmente grudento".[12] Lewis Corner, do portal Digital Spy, notou que a faixa apresenta uma "batida eletrônica dos anos 1980 completada com um canto de líder de torcida de 'L-U-V Madonna!'".[39] De acordo com a partitura publicada no Musicnotes.com pela Universal Music Publishing Group, "Give Me All Your Luvin'" é escrita na chave de ré bemol maior, com um metrônomo de 144 batidas por minuto. Ela possui duas sequências básicas de acordes que servem como suas progressões harmônicas, além de uma ponte intermediada. A primeira, contida no refrão, é formada pelas notas ré bemol, sol bemol e lá bemol nos versos, enquanto a segunda é composta por ré bemol, mi bemol, dó bemol e sol bemol e está no refrão. Os vocais da cantora abrangem-se entre as notas de dó bemol4 e lá bemol4.[40]

Após a divulgação ilegal da canção em novembro de 2011, a mídia notou semelhanças entre a obra e "Beat of My Drum", de Nicola Roberts, devido aos versos "em estilo de líder de torcida" contido em ambas. "Give Me All Your Luvin'" apresenta as letras "L-U-V, Madonna" ("A-M-O-R, Madonna"), enquanto a faixa de Roberts possui as linhas "A-M-O-R / Dance com a batida do meu tambor".[nota 3][41] Logo depois, ela chamou Madonna de "copiadora" devido à suposta semelhança entre as músicas. Entretanto, Roberts insistiu que as pessoas foram "rápidas para falar o que queriam" e declarou não ter ouvido a faixa de Madonna.[42] O produtor musical brasileiro João Brasil alegou que o refrão de "Give Me All Your Luvin'" havia sido plagiado de sua canção "L.O.V.E Banana", lançada um ano antes. Ambas começam com gritos de líderes de torcida, os quais dizem "A-M-O-R Banana" ("L.O.V.E. Banana") na canção de Brasil, enquanto que na da artista a frase proferida é "L-U-V, Madonna" ("A-M-O-R, Madonna").[43]

Crítica profissional[editar | editar código-fonte]

Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
About.com 3 de 5 estrelas.[35]
Billboard 3 de 5 estrelas.[44]
Digital Spy 4 de 5 estrelas.[45]
PopCrush 3.5 de 5 estrelas.[38]
Rolling Stone 2 de 5 estrelas.[36]
Virgin Media 3 de 5 estrelas.[46]

Em uma análise da demo para a NME, Priya Elan escreveu que a faixa "parece planar sem esforço" e "o que Madonna está fazendo nessa canção é muito mais impossivelmente divertido do que poderíamos imaginar", considerando-a progressivamente sonora em comparação com Hard Candy, álbum anterior da artista.[34] Jim Farber, do periódico New York Daily News, descreveu-a como "uma pura mordida de chiclete, mais aproximada de um single inicial como 'Burning Up' do que qualquer um de seus recentes sucessos de boate. Apenas as participações rap de Nicki Minaj e da [colaboração] menor ainda de M.I.A., nos dizem em que década nós estamos".[47] Ao resenhar sobre MDNA, Farber a definiu como "a melhor canção grudenta da carreira" de Madonna.[48] Para Michael Cragg, do The Guardian, "Give Me All Your Luvin'" não é ruim. Ele escreveu que "musicalmente, é [uma canção de] quatro minutos bastante alegre, apresentando batidas constantes, acordes acústicos e cantos de líderes de torcida estilísticos de Gwen Stefani, mas há algo um pouco plano na entrega [vocal] de Madonna. Dado todo o amor que ela pediu, você poderia achar que ela deveria estar mais animada"; discutindo as participações especiais, o profissional avaliou: "Minaj certamente faz de sua melhor rima tipicamente frenética um exercício de apertar o máximo de palavras possíveis em um espaço de 10 segundos, enquanto o sotaque mais lacônico de M.I.A. perde dinamismo".[49] Em uma crítica para o álbum resultante, seu colega Alex Petridis descreveu-a como a "mais fraca" do disco, adicionando que "sua posição como o primeiro single do álbum parece ter sido mais a ver com mostrar a presença de Nicki Minaj e M.I.A. do que sua melodia plumosa".[50] Escrevendo para a Reuters, Chris Willman considerou o número "risível" e "infeccioso": "Tudo aqui é tão idiota como a ortografia titular, mas a artificialidade tem seu charme, pelo menos se você gosta dos velhos musicais para os quais algumas das linhas aqui estão prestando homenagem".[51] Bradley Stern, da MTV Buzzworthy, escreveu sobre as comparações com "Hey Mickey", prezando as participações de Minaj e M.I.A. e sentindo que este era "um dos momentos menos atraentes do álbum".[52] Analisando MDNA, o editor do The Daily Telegraph, Neil McCormick, sentiu que o objetivo principal da "faixa mais leve e espumosa" do projeto era representar a próxima geração das estrelas pop.[53] Emily Mackay, do The Quietus, definiu os cantos de líderes de torcida e o ritmo da obra como "meio torturantes, mas pelo menos cativantes", criticando Minaj e M.I.A por terem sido "incrivelmente sem esforços como puderam, quando ambas são limitadas a apenas algumas palavras".[54]

Críticos comparam "Give Me All Your Luvin'" com trabalhos de Gwen Stefani (imagem), como "Hollaback Girl".

Resenhando para a Billboard, Andrew Hampp deu uma nota de três estrelas, de um máximo de cinco, negativando o canto de Minaj e M.I.A como artistas convidas e acrescentando: "É um trabalho abaixo da média de todas as partes, principalmente da de Madonna, que não soava tão robótica desse jeito desde os momentos mais otimizados de Hard Candy".[44] Em análise sobre MDNA, seu colega Keith Caulfield considerou a canção como um comercial para a participação da cantora no Super Bowl em vez de uma ferramenta promocional para o disco, criticando-a por enganar o ouvinte sobre o estilo do material.[55] Sentimentos semelhantes foram expressados por Gareth Grundy, do The Guardian, que a descreveu como uma canção "rave-pop desajeitada".[56] Jody Rosen, da Rolling Stone, avaliou o tema com duas estrelas de cinco totais, descrevendo suas letras e sua composição como "despachadas" e "em crise", desagradando-se com a "energia agressiva" da faixa.[36] Para Joe Levy, da mesma revista, o número é uma "fantasia de líder de torcida".[57] Bill Lamb, do portal About.com, deu três de cinco estrelas para a canção, expressando desapontamento com a obra. Ele listou seu "refrão para cantar junto" como um ponto positivo, e sua "produção grudenta e fraca", "falta de fogo" e "questões padrão de participações rap" como pontos negativos.[35] Para Lamb, "infelizmente, 'Give Me All Your Luvin'' não tem mais humor do que 'Mickey' de Toni Basil ou a adrenalina do sucesso de Avril Lavigne 'Girlfriend'" e que "em vez disso, nós temos uma peça leve e espumosa de dance-pop grudento que falha em excitar verdadeiramente".[35] O resenhista opinou que a música "empalidece" em comparação com "Hung Up" e "4 Minutes", singles iniciais dos álbuns anteriores de Madonna, notando "pouca substância musical por trás disso".[35] Em uma resenha mista, Sal Cinquemani, da Slant Magazine, descreveu a faixa como "decididamente insípida" e "grudenta", declarando que "seus poucos charmes — guitarras surf-pop dos anos 60, efeitos vintage de videogame e referências às canções antigas de Madonna — são fugazes na melhor das hipóteses". Ele sentiu que Minaj e M.I.A. foram "anexadas para comercialização adicional", observando falta de "autenticidade" na canção.[58] Em uma análise de MDNA, Cinquemani a definiu como "lamentável".[59] Escrevendo para o The New York Times, Jon Pareles considerou-a "uma das faixas mais fracas do álbum".[60] Joey Guerra, do Houston Chronicle, avaliou que o som "reluzente e feliz" da composição era "nem de longe representativo de todo o disco".[61]

Caryn Ganz, da revista Spin, em análise para o álbum, descreveu "Give Me All Your Luvin'" como "saltitante" e "giradora de quadris".[62] Matthew Perpetua, da Pitchfork Media, negativou a obra, dizendo que a produção de Solveig foi emparelhada com letras igualmente "sem graça".[63] Um editor da Virgin Media deu três de cinco estrelas para o tema e escreveu: "Assim como muitos dos singles de Madonna, [este] pula junto a um ritmo furioso com um brilho em seu olho, mas as auto-referências se tornam um tanto cansativas e, em última análise, ela [a cantora] está tentando demais".[46] Brad O'Mancey, da página Popjustice, declarou que a canção era "prova de que às vezes você pode ouvir alguma coisa muitas e muitas vezes, e ainda assim não ter nenhuma ideia se isso é bom ou não".[64] Escrevendo para o PopCrush, Cristin Maher atribuiu três estrela e meia de cinco para o tema e opinou: "Madonna certamente agradará seus milhões de fãs com essa canção rápida", acrescentando que, com ele, a artista "provou que pode se transformar e mudar com o tempo, evidenciado por suas colaborações com Nicki e M.I.A., bem como todo o som da faixa efervescente e indutora de dança e palmas".[38] Para Nick Levine, do The National, o número é um "pedaço de pop mais leve".[65] Em uma análise mista, Dean Piper, do Daily Mirror, escreveu que "notavelmente, a canção soa muito melhor em autofalantes que fazem sua pele estremecer", porém "parece um pop muito mais esquecível em comparação com muito do álbum".[66] Michael Roffman, da Time, questionou o motivo de Madonna ter selecionado as participações "aleatórias" de Minaj e M.I.A., considerando a canção como "turbulenta".[67] Greg Kot, periodista do Chicago Tribune, desapontou-se com a obra e suas letras, as quais ele achou serem "sem significado",[68] enquanto que para Bernard Zuel, do The Sydney Morning Herald, o tema era "banal e descartável".[69] Escrevendo para a Entertainment Weekly, Melissa Maerz definiu a música como "balanceadora de pom-pom",[70] ao passo em que Alex Macpherson, da Fact, a achou "puramente e horrivelmente mal concebida".[71] Em uma crítica sobre MDNA, Edward Daily, do Examiner, achou o tema "uma das piores canções de todos os tempos" da cantora e observou que as colaborações de Minaj e M.I.A. "retratou a insegurança de Madonna com sua própria música, e — ouvindo o álbum — não razão para ela se sentir insegura".[72] Atribuindo quatro estrelas de um máximo de cinco, Robert Copsey, do Digital Spy, notou a pouca mudança da faixa desde sua divulgação ilegal em novembro de 2011, como sua "produção energética" e um "refrão repetitivo", concluindo que "o resultado não é de maneira alguma o melhor dela [da artista]".[45] Stephen Thomas Erlewine, do portal Allmusic, listou a composição como um dos destaques do disco.[73]

Vídeo musical[editar | editar código-fonte]

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

Em 8 de dezembro de 2011, Minaj divulgou através de seu Twitter que estava filmando o vídeo musical de "Give Me All Your Luvin'" com Madonna.[74] Ela também disse que a cantora havia lhe beijado, como um presente de aniversário. Logo depois, M.I.A. falou sobre as filmagens do projeto com a artista em seu Twitter: "Madonna arrasou! Uma lenda!".[75] Dirigido pela equipe Megaforce — formada pelos diretores Léo Berne, Charles Brisgand, Raphaël Rodriguez e Clément Gallet —, o vídeo possui temas de futebol e líderes de torcida, inspirado pela futura apresentação de Madonna no show do intervalo do Super Bowl XLVI.[19] Rodriguez explicou para a MTV News que ele e seus parceiros discutiram sobre a canção com Solveig e entenderam que a gravação deveria ser "sobre felicidade e algo realmente ensolarado". Todo o figurino também foi discutido, uma vez que os diretores não havia trabalhado com nenhuma das artistas, sentindo que isso era um "universo diferente" para eles.[76] Descrevendo o processo como "trabalhar com a CIA", a equipe disse para o jornal sueco 20 minutes que o cenário foi cercado por patrulheiros da polícia e seguranças, e que celulares foram proibidos durante as filmagens. Um orçamento total de US$ 1.5 milhão foi gasto com o vídeo. Algumas das sequências do trabalho foram ideias de Madonna, como uma das cenas em que ela estava dançando na frente de uma parede, a qual os diretores sentiram que não se encaixaria com a narrativa principal. Entretanto, a cantora insistiu em mantê-la, e no segundo dia de filmagens, ela chegou cedo para gravar esta tomada.[77]

Retoques foram aplicados durante a pré-produção, quando Minaj queria que seu corpo se parecesse como o de uma boneca.[77] A produção do vídeo ficou a cargo das empresas Bureau, Riff Raff Films e El Niño, que são respectivamente dos Estados Unidos, do Reino Unido e da França.[78] O estúdio parisiense Matehmatic, que trabalha com design de movimento, efeitos visuais e animações, encarregou-se de adicionar os gráficos do vídeo. Uma equipe de 14 artistas trabalhou por duas semanas em Paris para finalizar a tarefa, acompanhada pelos diretores. Diferentes métodos usados incluíram rotoscopia e chroma key para a criação de fogos de artifícios e chuva espumante, fundos em 3D e 2D, extensões de palco e construções, além do céu que foi concebido utilizando Autodesk Maya.[79] Entre os figurinos usados na gravação estavam uniformes da Adidas para Minaj e M.I.A. e roupas retrô para uma sequência, utilizando vestidos de renda branca que resultaram na criação de peças semelhantes às usadas por Marilyn Monroe e por Madonna no vídeo musical de "Like a Virgin".[80] Outro conjunto vestido por Madonna incluiu um top, um sutiã com estampa de onça e uma enorme cruz em seu pescoço.[80] Arianne Phillips serviu como a estilista do vídeo, e criou os figurinos com peças de marcas como Burberry, Dolce & Gabbana e Norma Kamali, além de joalheria das empresas Swarovski, Yves Saint Laurent, Prada e Eddie Borgo.[81][82]

Lançamento e sinopse[editar | editar código-fonte]

Madonna, Minaj e M.I.A. retratando o visual de Marilyn Monroe em uma sala cheia de líderes de torcida e jogadores de futebol americano.[83]

Uma prévia do vídeo musical foi revelada por Madonna em 2 de fevereiro de 2012 no programa American Idol; o produto final acabou sendo lançado no dia seguinte através de sua conta no YouTube.[19] O vídeo começa com as palavras "Fãs fazem você ficar famoso, um contrato faz você ficar rico, a imprensa faz de você uma superestrela, mas apenas o amor faz de você um jogador"[nota 4] aparecendo uma parede de tijolos.[80] Caracterizadas como líderes de torcida, M.I.A. e Minaj cantam as linhas de abertura em uma vizinhança suburbana, acompanhadas por outras líderes de torcida com rostos mascarados. Madonna canta seu primeiro verso saindo de uma casa com um carrinho de bebê, vestindo um casaco e usando óculos de sol, todos os quais logo são jogados fora. Jogadores de futebol americano surgem para protegê-la de obstáculos e de gotas de chuva dourada, destruindo um carro que aparece em seu caminhos. Eles a seguram perpendicularmente até uma parede, e a artista caminha nela horizontalmente.[80] Ao longo da gravação, a intérprete é vista dançando e cantando na frente de uma parede de tijolos; em uma das tomadas, ela segura uma boneca.[84]

Durante a segunda estrofe, Madonna anda pela cidade com M.I.A. e Minaj, sendo seguida pelas líderes de torcida e pelos jogadores de futebol. Em uma das ruas, aparece um carro preto e começa a atirar na artista, mas ela é protegida pelos jogadores. Madonna escala uma pirâmide de jogadores e chega eventualmente a uma boate com Minaj e M.I.A., que cantam suas partes em uma sala cheia de líderes de torcida e jogadores.[84] Nesta sequência, elas estão caracterizadas com vestidos semelhantes a um usado por Marilyn Monroe.[83] Em seguida, a cantora cai da construção e é segurada por dois jogadores. Ela anda até a praça da cidade e começa a dançar com suas líderes de torcida, que batem na cabeça dos jogadores com tacos de beisebol, revelando um espetáculo pirotécnico climático.[84] Madonna agarra uma das cabeça e a exibe orgulhosamente para um público torcedor. O vídeo termina com a estadunidense sendo vista na frente de uma parede de tijolos rindo e jogando a boneca fora, com a palavra "Touchdown!" aparecendo na frente de um fundo rosa.[84]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Caryn Ganz, da Spin, recebeu o vídeo de forma positiva, escrevendo que "a tentativa [de Madonna] em achar uma ponte entre esportes, amor e fama falha um pouco... mas no final, os jogadores de futebol e as líderes de torcida no vídeo são, literalmente, pedestres sem rosto. Eles, [assim] como as duas MCs de alto perfil [M.I.A. e Minaj], estão todos a serviço [da cantora]".[85] Escrevendo para o portal Idolator, a editora Becky Bain encontrou diversos tópicos para serem discutidos sobre o vídeo, incluindo truques de fotografia, chuvas douradas e a participação das musicistas como "Marilyn ou Madonna triplicadas". Apesar de não achá-lo o melhor vídeo de Madonna, Bain escreveu que ele havia sido bem sucedido como um lançamento.[86] Christopher Farley, do The Washington Post, fez uma análise positiva, declarando que a intérprete "parece estar em melhor forma do que muitas estudantes, o que é louco" e a elogiando por selecionar "M.I.A. e Nicki Minaj e fazê-las servirem, literalmente, como líderes de torcida para a marca de Madonna".[87] Jocelyn Vena, da MTV News, considerou a gravação "descolada, divertida e surreal (quase em forma de desenho animado)" e "alegre", escrevendo: "Madonna parece estar se divertindo incrivelmente ao longo dos visuais [do projeto], sorrindo e dançando em seu caminho nesse mundo ficcional e hiper-fantasiado. Assistindo o vídeo, [você] pode se perguntar o que não acontece nele".[84] Nicole James, da MTV Buzzworthy, opinou que o trabalho deu outra impressão da cantora apesar de "Madonna nunca ter sido a rainha do baile fofa e inocente, mas aqueles jogadores de futebol americano saudáveis ainda querem ser protagonistas [do vídeo musical] com ela".[88]

Michael Cragg, do The Guardian, definiu a gravação como uma "piada" com as "líderes de torcida assustadoras e Madonna amamentando uma boneca".[49] Escrevendo para o MuuMuse, Bradley Stern comparou o vídeo com os respectivos de "It's Oh So Quiet" de Björk e "Come Into My World" de Kylie Minogue devido à sua formula de "falar caminhando e caminhar rastejando".[89] Ele acrescentou que o trabalho era "autoconsciente, completamente moderno, insolente, sarcástico, glamoroso e inteiramente exagerado ao mesmo tempo".[89] Chris Wilman, da Reuters, notou semelhanças com o vídeo musical de "Material Girl" da própria Madonna, devido às cenas em que ela é carregada pelos jogadores.[51] Um resenhista da Rolling Stone avaliou o projeto de forma mista, escrevendo que ele "é um vídeo pateta e divertido, apesar das líderes de torcida sem rosto no fundo serem mais assustadoras que divertidas".[90] Em uma audição de pré-lançamento do álbum resultante, Matthew Todd, da revista Attitude, acreditou que a última sequência, na qual Madonna joga fora uma boneca, retratava-a se afastando de sua vida doméstica e aderindo uma atitude festeira.[91] Amanda Dobbins, da publicação New York, encontrou algumas "tentativas de estranheza" no vídeo, nomeadamente nas tomadas em que Madonna, Minaj e M.I.A. estão vestidas como Marilyn Monroe e a primeira segura um bebê em seu colo, mas adicionou que ela "ainda parece louca, maluca e bonita".[92]

Apresentações ao vivo[editar | editar código-fonte]

Madonna (na frente) apresentando "Give Me All Your Luvin'" no show do intervalo do Super Bowl XLVI.

Em 5 de fevereiro de 2012, Madonna cantou "Give Me All Your Luvin'" com M.I.A. e Minaj no show do intervalo do Super Bowl XLVI, que ocorreu no Lucas Oil Stadium, situado em Indianápolis, Indiana.[93] Para a produção do concerto, a artista colaborou com o Cirque du Soleil.[94][95] 36 projetores de imagem foram utilizados para criar um espetáculo de luzes. Todo o show consistiu em um total de 500 figurinos, incluindo roupas customizadas para as rappers e os outros artistas convidados (o cantor Cee Lo Green e o duo eletrônico LMFAO), bem como trajes para os cem tocadores de bumbo, 150 gladiadores — que vestiram cuecas pretas da Calvin Klein — e 200 coristas.[96][97] Conforme a apresentação de "Music" terminava, um grupo de dançarinas vestidas com uniformes de líderes de torcida entraram no palco com Madonna para a performance de "Give Me All Your Luvin'". Minaj e M.I.A. entraram no palco em seguida, ambas usando peças egípcias.[98] Juntas, as musicistas dançaram, enquanto as líderes de torcida seguravam pompons. Durante a seção intermediada, elas ficaram em plataformas elevadas e separadas, onde Minaj e M.I.A. interpretaram suas respectivas linhas.[99]

A performance ganhou grande atenção da mídia após M.I.A. mostrar seu dedo do meio para a câmera perto do fim de seu verso em vez de cantar a palavra "merda" ("shit").[93][100] A mídia criticou-a pelo gesto e comparou incidente com o escândalo do Super Bowl XXXVIII. Um editor da revista People escreveu: "Chamaria isso de 'mal funcionamento do dedo'? Madonna deveria ser o centro das atenções durante o show do intervalo do Super Bowl no domingo, mas a Rainha do Pop foi ofuscada por sua colaboradora M.I.A, que chegou perto da câmera em certo ponto durante a apresentação, o que levou a rápidas desculpas da NFL e da NBC".[101] Madonna expressou desapontamento em entrevista ao programa radiofônico On Air with Ryan Seacrest, onde disse que M.I.A. fez uma "coisa adolescente e irrelevante", já que estava "fora do lugar".[102] Brian McCarthy, porta-voz da NFL, disse: "Houve uma falha no sistema de atraso da NBC. O gesto obsceno na apresentação foi completamente inapropriado, muito decepcionante, e pedimos desculpas aos nossos fãs. A NFL contratou os talentos e produziu o show do intervalo. Nosso sistema se atrasou para obscurecer o gesto impróprio e pedimos desculpas aos nossos telespectadores". McCarthy também esclareceu que o gesto foi improvisado pela rapper no palco, não tendo sido revelado durante os ensaios.[103][104] A liga veio a multá-la em US$ 16.6 milhões como penalidade, o que foi resolvido através de um acordo confidencial em 2014.[105]

Madonna veio a incluir "Give Me All Your Luvin'" na turnê mundial The MDNA Tour, feita no mesmo ano. Após terminar de cantar "Express Yourself", ela começou a interpretar a música vestida como uma líder de paradas, em um uniforme de cor branca e vermelha com botas brancas altas. Arianne Phillips explicou que o figurino foi inspirado por um figurino de líder de de paradas dos anos 1940, e acrescentou cristais Swarovski para a peça.[106] A artista cantou a faixa no palco com uma linha de bateristas suspensas no ar, e M.I.A. e Minaj apareceram no telão de vídeo. Caryn Ganz, da revista Spin, adjetivou a performance de "o momento mais inovador da noite",[107] enquanto Brian McManus, da Rolling Stone, impressionou-se com a levitação dos bateristas ao topo do palco.[108] Niv Elis, do The Jerusalem Post, declarou que este foi um dos momentos mais "incríveis" do show.[109] As apresentações feitas nos dias 19 e 20 de novembro de 2012 na American Airlines Arena em Miami foi gravada e lançada em MDNA World Tour (2013), quarto álbum ao vivo da musicista disponibilizado nos formatos de CD, DVD e blu-ray.[110][111]

Faixas e formatos[editar | editar código-fonte]

Download digital[112]
N.º Título Duração
1. "Give Me All Your Luvin'" (com Nicki Minaj e M.I.A.) 3:22

Créditos[editar | editar código-fonte]

Todo o processo de elaboração de "Give Me All Your Luvin'" atribui os seguintes créditos:[30][78]

Canção[editar | editar código-fonte]

Gravação e publicação
Equipe

Vídeo musical[editar | editar código-fonte]

Desempenho nas tabelas musicais[editar | editar código-fonte]

A estreia de "Give Me All Your Luvin'" na Billboard Hot 100 resultou na 56ª entrada de Madonna na tabela, empatando-a com Dionne Warwick (esquerda) e a deixando apenas atrás de Aretha Franklin (direita) como a artista com mais entradas no periódico.

Nos Estados Unidos, "Give Me All Your Luvin'" debutou na 24ª posição da Pop Songs, acumulando 2 mil e 776 reproduções em rádios contemporary hit radio — 79% das quais eram pertencentes à Clear Channel Communications. Esta foi a sétima canção de Madonna a entrar nas 25 primeiras colocações da parada, o maior número já conquistado por qualquer artista desde a estreia do gráfico em 1992.[113] Estreou também no sétimo posto da Digital Songs com 115 mil cópias digitais registradas, as quais foram vendidas em três dias.[114] Consequentemente, a faixa debutou no 13º emprego da Billboard Hot 100, registrando uma audiência radiofônica de 44 milhões de pessoas e tornando-se a 56ª entrada da cantora na tabela, empatando-a com Dionne Warwick como a segunda intérprete com maior número de entradas no periódico, apenas atrás de Aretha Franklin com 73.[115][116] Na semana seguinte, com a apresentação da música no show do intervalo do Super Bowl XLVI, foram constatados 165 mil downloads digitais — um crescimento de 44% em relação à semana anterior —, levando a canção a atingir a décima posição da Billboard Hot 100. Converteu-se na primeira obra de Madonna a atingir as dez primeiras colocações da tabela desde "4 Minutes" em 2008, bem como sua 38ª música a listar-se nos dez primeiros postos, assim estendendo seu recorde de artista com maior quantidade de faixas a conquistar tal feito.[117] Caiu para o número 39 na atualização seguinte, como resultado do término dos efeitos promocionais gerados pelo Super Bowl,[118] e esteve presente na parada durante um total de seis edições.[119] Com a ascensão de "Give Me All Your Luvin'" ao topo da genérica Hot Dance Club Songs, a vocalista também aumentou seu recorde de pessoa com mais canções a culminar no gráfico, com um total de 41 registros;[120] neste, finalizou o ano como a 41ª faixa mais bem sucedida do período.[121] Em junho de 2012, o tema recebeu uma certificação de ouro da Recording Industry Association of America (RIAA), pelas vendas superiores a 500 mil unidades.[122]

Em território canadense, debutou no 11º emprego da edição da Canadian Hot 100 referente a 11 de fevereiro de 2012.[123] Na semana seguinte, pulou para o topo, registrando o maior ganho nas vendas digitais e nas reproduções nas rádios. Também atingiu o ápice da Digital Songs do país graças às 24 mil cópias digitais — um crescimento de 76% em comparação à atualização anterior —, e a décima colocação da Hot 100 Airplay com uma audiência de 14 milhões de espectadores, um aumento de 143% em relação à semana anterior. Com a sua ascensão ao topo da Canadian Hot 100, tornou-se a 25ª faixa de Madonna a culminar nas paradas canadenses, e a segunda após o lançamento da Hot 100, depois de "4 Minutes".[124] Finalizou 2012 como a 76ª com melhores resultados no gráfico.[125] Na América Latina, registrou resultados diversificados; no Brasil, por exemplo, conquistou o 26º posto da Brasil Hot 100 Airplay como melhor em abril de 2012, culminando na Brasil Hot Pop Songs no mesmo período,[126] enquanto que na Colômbia atingiu a 14ª posição na National Report e no México obteve a 26ª colocação como melhor na Mexico Airplay.[127][128] Na Venezuela, conquistou o ápice da Record Report.[129] Na Oceania, também obteve resultados diferentes; na Austrália, constatou na 25ª colocação da tabela de singles dos ARIA Charts durante a semana de 19 de fevereiro de 2012, caindo para o número 44 e vindo a sair da parada.[130] Na Nova Zelândia, debutou no 26º emprego do periódico de canções publicado pela Recording Industry Association of New Zealand (RIANZ), obtendo esta colocação como melhor e permanecendo nele por apenas uma semana.[131] Na Ásia, obteve um desempenho positivo; em território japonês, estreou no número 42 da Japan Hot 100, movendo-se para a terceira posição dentro de duas semanas — seu melhor resultado na tabela.[132][133] Veio a encerrar o ano como a 22ª mais bem sucedida no gráfico.[134] Na Coreia do Sul, obteve a terceira posição como melhor na Gaon Music Chart,[135] encerrando 2012 como a 33ª mais vendida no país com 339 mil e 983 unidades comercializadas.[136] No Líbano, conquistou a vice-liderança da The Official Lebanese Top 20.[137]

No Reino Unido, "Give Me All Your Luvin" debutou na 37ª posição da UK Singles Chart com 8 mil e 577 cópias registradas, tornando-se a 67ª entrada de Madonna na tabela.[138][139] Uma parcela significativa dos downloads digitais foi descontada pela The Official Charts Company (OCC) como resultado de uma promoção que permitiu a canção de ser baixada gratuitamente caso um cliente adquirisse MDNA na pré-venda. Isso resultou no pior resultado de um single inicial de um álbum da cantora em trinta anos, desde sua primeira música "Everybody".[140][141] Caiu para o número 51 na atualização posterior com 7 mil e 70 unidades registradas, mas subiu para o pico de número 12 na UK Airplay Chart.[142][143] Com o lançamento do CD single, outras mil e 460 réplicas da música foram comercializadas, levando-a a atingir a vice-liderança da UK Physical Singles Chart.[144] Na Finlândia, estreou no topo da tabela de singles publicada pela IFPI do país, mas saiu dela dentro de três edições.[145] Na Itália, obteve o segundo posto como melhor e recebeu um certificado de platina da Federazione Industria Musicale Italiana (FIMI), denotando vendas de 30 mil cópias.[146][147] Em território francês, entrou na quarta posição da parada de canções publicada pela Syndicat National de l'Édition Phonographique (SNEP) e moveu-se para o pico de número três uma semana depois.[148] Esteve presente nela por um total de 21 edições, finalizando 2012 como a 58ª com melhores resultados.[148][149] Na Hungria, obteve o ápice da tabela divulgada pela Magyar Hanglemezkiadók Szövetsége (MAHASZ), encerrando o ano como a 39ª mais bem sucedida.[150][151] Ao redor da Europa, atingiu nas dez primeiras posições das compilações alemãs, belgas, espanholas, holandesas, luxemburguesas e suíças,[152][153][154][155][156][157] bem como na Greece Digital Songs e Portugal Digital Songs,[158][159] conquistando a sétima posição como melhor na Euro Digital Songs, parada publicada pela Billboard que lista as faixas mais vendidas no continente.[160]

Histórico de lançamento[editar | editar código-fonte]

País Data Formato Gravadora
Mundo[19] 3 de fevereiro de 2012 Download digital Live Nation, Interscope
 Estados Unidos 6 de fevereiro de 2012 Rádios mainstream[22]
7 de fevereiro de 2012 Download digital (Party Rock Remix)[24]
 Alemanha 2 de março de 2012 CD single[25] Interscope, Universal
 Polônia[26] 6 de março de 2012
 Reino Unido[27] 19 de março de 2012 Polydor
 Tailândia[28] 23 de março de 2012 Universal

Notas

  1. No original: "L-U-V, Madonna! / Y-O-U, you wanna?"
  2. No original: "Don't play the stupid game / Cause I’m a different kind of girl / Every record sounds the same / You’ve got to step into my world / Give me all your luvin', give me your love / Give me all your love today".
  3. No original: "L-O-V-E / Dance to the beat of my drum".
  4. No original: "Fans can make you famous, a contract can make you rich, the press can make you a superstar, but only luv can make you a player".

Referências

  1. James Dinh (17 de dezembro de 2010). «Madonna Tells Fans: 'I Need To Make New Music!'» (em inglês). MTV News. Viacom. Consultado em 29 de setembro de 2015 
  2. «Madonna: I like to work with people who talk about philosophy or quantum physics». The Sun (em inglês). News International. 23 de março de 2012. Consultado em 529 de setembro de 2015  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  3. Keri Mason (23 de março de 2011). «Q&A: Martin Solveig Talks Madonna's Movie Taste & Co-Producing 'MDNA'». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 29 de setembro de 2015 
  4. a b Rachel Dodes (27 de janeiro de 2012). «Madonna Watches The Throne». The Wall Street Journal (em inglês). Dow Jones & Company. Consultado em 29 de setembro de 2015 
  5. «Madonna: 'I admire MIA and Nicki Minaj because they're not conventional pop stars'». NME (em inglês). IPC Media. 1º de fevereiro de 2012. Consultado em 29 de setembro de 2015 
  6. Natalege Whaley (29 de novembro de 2011). «M.I.A. Confirms Collabo With Nicki MInaj and Madonna». Vibe (em inglês). SpinMedia. Consultado em 29 de setembro de 2015 
  7. Jason Lipshutz (28 de novembro de 2011). «M.I.A. Confirms Collaboration with Madonna and Nicki Minaj». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 29 de setembro de 2015 
  8. «M.I.A. Talks Madonna, Super Bowl, and New Album». Rap-Up (em inglês). Devine Lazerine. 30 de janeiro de 2012. Consultado em 29 de setembro de 2015 
  9. Zane Lowe (30 de janeiro de 2012). «Hottest Records – Jack White – Love Interruption & M.I.A – Bad Girls» (em inglês). BBC Radio 1. British Broadcasting Corporation. Consultado em 29 de setembro de 2015 
  10. Keith Caulfield (9 de novembro de 2011). «Madonna, Manager Respond to 'Give Me All Your Love' Single Leak». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 29 de setembro de 2015 
  11. Keith Caulfield (8 de novembro de 2011). «Madonna's 'Give Me All Your Love' Single». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 29 de setembro de 2015 
  12. a b c John Mitchell (8 de novembro de 2011). «Madonna's 'Give Me All Your Love' Leaks And It's ... So Much Freakin' Fun» (em inglês). MTV News. Viacom. Consultado em 29 de setembro de 2015 
  13. Jocelyn Vena (28 de novembro de 2011). «Madonna, Nicki Minaj, M.I.A. Collabo Confirmed» (em inglês). MTV News. Viacom. Consultado em 29 de setembro de 2015 
  14. John Mitchell (9 de novembro de 2011). «Madonna Is Pretty Pissed About The 'Give Me All Your Love' Leak» (em inglês). MTV News. Viacom. Consultado em 29 de setembro de 2015 
  15. Andrea Duncan-Mao (22 de dezembro de 2011). «Madonna Fan Arrested For 'Gimme All Your Luvin' Leak» (em inglês). MTV News. Viacom. Consultado em 29 de setembro de 2015 
  16. James C. McKinley, Jr. (22 de dezembro de 2011). «Spanish Man Arrested in Leak of Madonna Single». The New York Times (em inglês). The New York Times Company. Consultado em 29 de setembro de 2015 
  17. «Madonna Fully Expects M.D.N.A. Album Leak, She Tells Graham Norton Show». The Huffington Post (em inglês). The Huffington Post Company. 12 de janeiro de 2012. Consultado em 29 de setembro de 2015 
  18. David Caspi (27 de fevereiro de 2015). «Madonna Hacker Indicted in Israel». The Hollywood Reporter (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 9 de fevereiro de 2016 
  19. a b c d e f «The Material Girl is Back on the Dance Floor» (em inglês). PR Newswire. 29 de janeiro de 2012. Consultado em 29 de setembro de 2015 
  20. «Madonna And Live Nation Confirm 3 Album Deal With Interscope Records» (em inglês). Madonna.com. 15 de dezembro de 2011. Consultado em 29 de setembro de 2015 
  21. Erin Carlson (30 de janeiro de 2012). «Madonna Unveils Cover Art For 'Give Me All Your Luvin'». The Hollywood Reporter (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 29 de setembro de 2015 
  22. a b «Top 40/M Future Releases» (em inglês). All Access. Consultado em 9 de fevereiro de 2016 
  23. «Clear Channel and Madonna Partner to Launch Worldwide Multi-Platform Premiere of Her Latest Single "Give Me All Your Luvin'"» (em inglês). Clear Channel Communications. 1º de fevereiro de 2012. Consultado em 29 de setembro de 2015 
  24. a b c «Give Me All Your Luvin' (Party Rock Remix feat. LMFAO & Nicki Minaj)» (em inglês). Amazon. Consultado em 9 de fevereiro de 2016 
  25. a b «Give Me All Your Luvin (2-Track)» (em alemão). Amazon. Consultado em 11 de fevereiro de 2012 
  26. a b «Give Me All Your Luvin'» (em polonês). Empik. Consultado em 9 de fevereiro de 2016 
  27. a b c «Give Me All Your Luvin' [CD Single]» (em inglês). Amazon. Consultado em 9 de fevereiro de 2016 
  28. a b «Give Me All Your Luvin'» (em inglês). Boomerang Online. Consultado em 9 de fevereiro de 2016. Cópia arquivada em 17 de março de 2013 
  29. a b «Give Me All Your Luvin: Remix Single» (em inglês). Amazon. Consultado em 9 de fevereiro de 2016 
  30. a b c Créditos do álbum MDNA por Madonna, pg. 17 [CD]. Interscope Records (001665900).
  31. «Give Me All Your Luvin (Legal Title)» (em inglês). Broadcast Music Incorporated. Consultado em 6 de outubro de 2015 
  32. Madonna, William Orbit, Martin Solveig, Benny Benassi. Madonna - MDNA Electronic Press Kit Featuring William Orbit, Martin Solveig, Benny Benassi (Streaming). Interscope Records 
  33. Jocelyn Vena (3 de fevereiro de 2012). «Madonna Releases 'Give Me,' Unveils MDNA Track List» (em inglês). MTV News. Viacom. Consultado em 29 de setembro de 2015 
  34. a b c d e Priya Elan (9 de novembro de 2011). «Madonna, 'Give Me All Your Love' – Review». NME (em inglês). IPC Media. Consultado em 29 de setembro de 2015 
  35. a b c d e Bill Lamb. «Madonna – "Give Me All Your Luvin'"». About.com (em inglês). The New York Times. Consultado em 2 de outubro de 2015 
  36. a b c Jody Rosen (3 de fevereiro de 2012). «Madonna featuring Nicki Minaj and M.I.A., "Give Me All Your Luvin'" Song Review». Rolling Stone (em inglês). Jann Wenner. Consultado em 2 de outubro de 2015 
  37. a b Lanford Beard (9 de novembro de 2011). «Madonna's 'Give Me All Your Love' leaks, is unlikely to get what it demands». Entertainment Weekly (em inglês). Time Inc. Consultado em 29 de setembro de 2015 
  38. a b c Cristin Maher (3 de fevereiro de 2015). «Madonna, 'Give Me All Your Luvin' feat. Nicki Minaj + M.I.A. - Song Review» (em inglês). PopCrush. Consultado em 29 de setembro de 2015 
  39. Lewis Corner; Robert Copsey (14 de novembro de 2011). «Playlist: 10 tracks you need to hear» (em inglês). Digital Spy. Hachette Filipacchi Médias. Consultado em 29 de setembro de 2015 
  40. «Madonna 'Give Me All Your Luvin' Sheet Music» (em inglês). Musicnotes.com. Consultado em 29 de setembro de 2015 
  41. Ann Lee (9 de novembro de 2011). «Nicola Roberts accuses Madonna of copying her in Give Me All Your Love». Metro (em inglês). DMG Media. Consultado em 29 de setembro de 2015 
  42. Adam Bychawski (10 de novembro de 2011). «Girls Aloud's Nicola Roberts downplays Twitter spat with 'copycat' Madonna». NME (em inglês). IPC Media. Consultado em 29 de setembro de 2015 
  43. Marus Preto (10 de fevereiro de 2012). «Madonna é acusada de plagiar João Brasil em nova música». Folha de S. Paulo. Grupo Folha. Consultado em 29 de setembro de 2015 
  44. a b Andrew Hampp (3 de fevereiro de 2012). «Track Review: Madonna, 'Give Me All Your Luvin'''». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 2 de outubro de 2015 
  45. a b Robert Copsey (6 de fevereiro de 2012). «Madonna: 'Give Me All Your Luvin''» (em inglês). Digital Spy. Hachette Filipacchi Médias. Consultado em 4 de outubro de 2015 
  46. a b «Madonna: MDNA - Track-by-Track Review: Give Me All Your Luvin'» (em inglês). Virgin Media. 26 de março de 2012. Consultado em 4 de outubro de 2015 
  47. Jim Farber (3 de fevereiro de 2012). «Madonna's 'Give Me All Your Luvin'' single and video score a touchdown days before Super Bowl». New York Daily News (em inglês). Mortimer Zuckermann. Consultado em 2 de outubro de 2015 
  48. Jim Farber (25 de março de 2012). «'MDNA', Madonna's great new CD, is an exhilarating return to her pop-dance past». New York Daily News (em inglês). Mortimer Zuckermann. Consultado em 2 de outubro de 2015 
  49. a b Michael Cragg (3 de fevereiro de 2012). «New music: Madonna – Give Me All Your Luvin' feat MIA and Nicki Minaj». The Guardian (em inglês). Guardian Media Group. Consultado em 2 de outubro de 2015 
  50. Alexis Petridis (22 de março de 2012). «Madonna: MDNA – review». The Guardian (em inglês). Guardian Media Group. Consultado em 2 de outubro de 2015 
  51. a b Chris Willman (3 de fevereiro de 2012). «Madonna Pre-Super Bowl Video Gets Some Cred From NFL, Nicki Minaj, M.I.A.» (em inglês). Reuters. Consultado em 2 de outubro de 2015 
  52. Bradley Stern (26 de março de 2012). «'MDNA' Track-By-Track Review: A Cheat Sheet To Madonna's New Album» (em inglês). MTV Buzzworthy. Viacom. Consultado em 2 de outubro de 2015 
  53. Neil McCormick (7 de março de 2012). «Madonna's new album MDNA: track-by-track review». The Daily Telegraph (em inglês). Telegraph Media Group. Consultado em 2 de outubro de 2015 
  54. Emily Mackay (26 de março de 2012). «Reviews: MDNA» (em inglês). The Quietus. Consultado em 2 de outubro de 2015 
  55. Keith Caulfield (9 de março de 2012). «Madonna, 'MDNA': Track-By-Track Review». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 2 de outubro de 2015. Cópia arquivada em 12 de março de 2012 
  56. Gareth Grundy (25 de março de 2012). «Madonna: MDNA – review». The Guardian (em inglês). Guardian Media Group. Consultado em 2 de outubro de 2015 
  57. Joe Levy (26 de março de 2012). «Madonna - MDNA Review». Rolling Stone (em inglês). Jann Wenner. Consultado em 2 de outubro de 2015 
  58. Sal Cinquemani (3 de fevereiro de 2012). «Single Review: Madonna featuring Nicki Minaj and M.I.A., 'Give Me All Your Luvin'» (em inglês). Slant Magazine. Consultado em 2 de outubro de 2015 
  59. Sal Cinquemani (23 de março de 2012). «Madonna: MDNA» (em inglês). Slant Magazine. Consultado em 2 de outubro de 2015 
  60. Jon Pareles (26 de março de 2012). «Introspection for a Pop Star: Just Remember Her Name». The New York Times (em inglês). The New York Times Company. Consultado em 2 de outubro de 2015 
  61. Joey Guerra (23 de março de 2012). «The queen of pop isn't dead». Houston Chronicle (em inglês). Hearst Corporation. Consultado em 2 de outubro de 2015 
  62. Caryn Ganz (24 de março de 2012). «Madonna, 'MDNA' (Interscope)». Spin (em inglês). Spin Media LLC. Consultado em 4 de outubro de 2015 
  63. Matthew Perpetua (26 de março de 2012). «Madonna: MDNA» (em inglês). Pitchfork Media. Consultado em 4 de outubro de 2015 
  64. Brad O'Mancey (7 de março de 2012). «We Went To Listen To Madonna's 'MDNA' And Here Is What We Discovered (In A Nutshell It's Pretty Listenable)» (em inglês). Popjustice. Consultado em 4 de outubro de 2015 
  65. Nick Levine (14 de março de 2012). «Track-by-track review of Madonna's MDNA». The National (em inglês). Mubadala Development Company. Consultado em 4 de outubro de 2015 
  66. Dean Piper (8 de março de 2012). «MDNA review: Madonna's new album shows the Young pretenders she is still a force to be rockened with». Daily Mirror (em inglês). Trinity Mirror. Consultado em 4 de outubro de 2015 
  67. Michael Roffman (26 de março de 2012). «Madonna's MDNA: The Queen of Pop Wants You to Dance, Not Think». Time (em inglês). Time Inc. Consultado em 4 de outubro de 2015 
  68. Greg Kot (24 de março de 2012). «Album review: Madonna, 'MDNA'». Chicago Tribune (em inglês). Tribune Company. Consultado em 4 de outubro de 2015 
  69. Bernard Zuel (31 de março de 2012). «Over the borderline». The Sydney Morning Herald (em inglês). Fairfax Media. Consultado em 4 de outubro de 2015 
  70. Melissa Maerz (28 de março de 2012). «MDNA». Entertainment Weekly (em inglês). Time Inc. Consultado em 4 de outubro de 2015 
  71. Alex Macpherson (26 de março de 2012). «Madonna: MDNA». Fact (em inglês). The Vinyl Factory. Consultado em 4 de outubro de 2015 
  72. Edward Daily (21 de março de 2012). «Review: Madonna's 'MDNA' is as close to art as pop music gets». Examiner (em inglês). AXS Network. Consultado em 4 de outubro de 2015 
  73. Stephen Thomas Erlewine (23 de março de 2012). «Madonna – MDNA» (em inglês). Allmusic. Rovi Corporation. Consultado em 4 de outubro de 2015 
  74. Jocelyn Vena (8 de dezembro de 2011). «Nicki Minaj Gushes Over Kiss From Madonna» (em inglês). MTV News. Viacom. Consultado em 29 de setembro de 2015 
  75. Erika Ramirez (8 de dezembro de 2011). «Madonna & Nicki Minaj Share a 'Romantic' Kiss On Video Set». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 29 de setembro de 2015 
  76. Jocelyn Vena (2 de fevereiro de 2012). «Exclusive: Madonna's 'Give Me' Directors Talk 'Sunny' Video» (em inglês). MTV News. Viacom. Consultado em 29 de setembro de 2015 
  77. a b «Megaforce Interview: 'Working with Madonna'». 20 minutes: 3. 15 de fevereiro de 2012. OCLC 427962538 
  78. a b «Give Me All Your Luvin' (2012) by Madonna feat. M.I.A., Nicki Minaj» (em inglês). Internet Music Video Database. Consultado em 29 de setembro de 2015 
  79. «Project: Madonna Give Me All Your Luvin» (em inglês). Mathematic. Consultado em 29 de setembro de 2015 
  80. a b c d Hayley Phelan (3 de fevereiro de 2012). «Watch: Madonna, M.I.A., Nicki Minaj Channel Cheerleaders And Vintage Madonna In 'Give Me All Your Luvin'» (em inglês). Fashionista. Consultado em 29 de setembro de 2015 
  81. Brit Aboutaleb (3 de fevereiro de 2012). «Watch Madonna's Give Me All Your Luvin' Video». Elle (em inglês). Hachette Filipacchi Médias. Consultado em 29 de setembro de 2015 
  82. Merle Ginsberg (3 de fevereiro de 2012). «Madonna's Stylist Reveals Wardrobe Choices For 'Give Me All Your Luvin' Video». The Hollywood Reporter (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 29 de setembro de 2015 
  83. a b Rebecca Twomey (3 de fevereiro de 2012). «Madonna is still obsessed with Marilyn Monroe in Give Me All Your Luvin video» (em inglês). Yahoo! Celebrity. Yahoo!. Consultado em 5 de outubro de 2015 
  84. a b c d e Jocelyn Vena (3 de fevereiro de 2012). «Madonna Goes Old-School In 'Give Me All Your Luvin' Video» (em inglês). MTV News. Viacom. Consultado em 6 de outubro de 2015 
  85. Caryn Ganz (3 de fevereiro de 2012). «Good Sport: Madonna, M.I.A., and Minaj Play Ball in 'Give Me All Your Luvin' Video». Spin (em inglês). Spin Media LLC. Consultado em 6 de outubro de 2015 
  86. Becky Bain (3 de fevereiro de 2012). «Madonna's 'Give Me All Your Luvin Video: Review Revue» (em inglês). Idolator. SpinMedia. Consultado em 6 de outubro de 2015 
  87. Christopher Farley (3 de fevereiro de 2012). «Madonna Unveils Super Bowl Themed Video 'Give Me All Your Luvin'». The Washington Post (em inglês). The Washington Post Company. Consultado em 6 de outubro de 2015 
  88. Nicole James (3 de fevereiro de 2012). «New Video: Madonna Featuring Nicki Minaj And M.I.A., 'Give Me All Your Luvin'» (em inglês). MTV Buzzworthy. Viacom. Consultado em 6 de outubro de 2015 
  89. a b Bradley Stern (3 de fevereiro de 2012). «A Frame-by-Frame Commentary on Madonna's Video for 'Give Me All Your Luvin' (feat. M.I.A. and Nicki Minaj)» (em inglês). MuuMuse. Consultado em 6 de outubro de 2015 
  90. «Madonna 'Give Me All Your Luvin'». Rolling Stone (em inglês). Jann Wenner. 3 de fevereiro de 2012. Consultado em 6 de outubro de 2015 
  91. Matthew Todd. «The Very First Ever MDNA Review». Attitude (em inglês). Attitude Media Ltd. Consultado em 6 de outubro de 2015. Cópia arquivada em 4 de março de 2012 
  92. Amanda Dobbins (3 de fevereiro de 2012). «'Give Me All Your Luvin' Video: Madonna, Nicki Minaj, and M.I.A. Have Team Spirit, Kind Of». New York (em inglês). New York Media, LLC. Consultado em 6 de outubro de 2015 
  93. a b Nate Jackson (31 de janeiro de 2012). «M.I.A. dishes on Super Bowl appearance with Madonna». Los Angeles Times (em inglês). Tribune Company. Consultado em 9 de fevereiro de 2016 
  94. Keith Caulfield (3 de setembro de 2011). «Madonna Fans Rejoice: New Album Due in Spring 2012». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 9 de fevereiro de 2016 
  95. «Super Bowl XLVI Halftime show will feature Madonna» (em inglês). National Football League. 4 de dezembro de 2011. Consultado em 9 de fevereiro de 2016 
  96. «Celebrity Stylist B. Åkerlund Tells All on the Cinematic and Jaw Dropping Fashions of the Madonna Super Bowl XLVI Half Time Show» (em inglês). PR Newswire. 6 de fevereiro de 2012. Consultado em 9 de fevereiro de 2016 
  97. Gil Kaufman (10 de fevereiro de 2012). «Madonna's 'Give Me All Your Luvin' Crashes The Charts» (em inglês). MTV News. Viacom. Consultado em 9 de fevereiro de 2016 
  98. Merle Ginsberg (6 de fevereiro de 2012). «Madonna Super Bowl Fashion: From Cleopatra to Choir Leader (Video)». The Hollywood Reporter (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 9 de fevereiro de 2016 
  99. Ellen Lampert-Gréaux (6 de março de 2012). «Halftime Lighting» (em inglês). Studio Live Design. Consultado em 9 de fevereiro de 2016 
  100. Tim Gardner (5 de fevereiro de 2012). «M.I.A. flips middle finger during Super Bowl halftime show». USA Today (em inglês). Gannett Company. Consultado em 9 de fevereiro de 2016 
  101. «M.I.A. Flips Off Cameras During Super Bowl Halftime Show». People (em inglês). Time Inc. 5 de fevereiro de 2012. Consultado em 9 de fevereiro de 2016 
  102. Erin Carlson (11 de fevereiro de 2012). «Madonna Says M.I.A.'s Digit Malfunction Was 'A Teenager ... Irrelevant Thing To Do'». On Air with Ryan Seacrest (em inglês). RyanSeacrest.com. Consultado em 9 de fevereiro de 2016. Cópia arquivada em 12 de fevereiro de 2012 
  103. Todd Cunningham (5 de fevereiro de 2012). «NBC Apologizes for M.I.A. Giving the Finger at Halftime (Updated)» (em inglês). TheWrap. Consultado em 9 de fevereiro de 2016 
  104. Ed Payne (6 de fevereiro de 2012). «M.I.A. has middle finger 'malfunction' at Super Bowl halftime show» (em inglês). CNN. Consultado em 9 de fevereiro de 2016 
  105. Darren Rovell (22 de agosto de 2014). «NFL settles with singer M.I.A.» (em inglês). ESPN. Consultado em 9 de fevereiro de 2016 
  106. David Lipke (31 de maio de 2012). «Exclusive First Look at Madonna's Costumes». Women's Wear Daily (em inglês). Penske Media Corporation. Consultado em 9 de fevereiro de 2016 
  107. Caryn Ganz (29 de agosto de 2012). «Act of God: Madonna's MDNA Tour Comes to Yankee Stadium». Spin (em inglês). Spin Media LLC. Consultado em 9 de fevereiro de 2016 
  108. Brian McManus (29 de agosto de 2012). «Madonna Aims for Perfection at U.S. Tour Kickoff in Philadelphia». Rolling Stone (em inglês). Jann Wenner. Consultado em 9 de fevereiro de 2016 
  109. Niv Elis (1º de junho de 2012). «MDNA Tour Review: Introducing Jihad Madonna». The Jerusalem Post (em inglês). The Jerusalem Post Group. Consultado em 9 de fevereiro de 2016 
  110. (2013) Créditos do álbum MDNA World Tour por Madonna [CD, DVD, blu-ray]. Interscope Records/Live Nation Entertainment/Boy Toy Inc..
  111. Stephen Thomas Erlewine. «MDNA World Tour - Madonna | Allmusic» (em inglês). Allmusic. Rovi Corporation. Consultado em 9 de fevereiro de 2016 
  112. «Give Me All Your Luvin' (feat. Nicki Minaj & M.I.A.) - Single by Madonna» (em inglês). iTunes Store. Apple Inc. Consultado em 4 de fevereiro de 2012 
  113. Gary Trust (6 de fevereiro de 2012). «Madonna's 'Give Me All Your Luvin' Has a Super Start at Radio». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  114. Keith Caulfield (8 de fevereiro de 2012). «Lana Del Rey Debuts at No. 2 on Billboard 200 Albums Chart». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  115. Gary Trust (8 de fevereiro de 2012). «Kelly Clarkson Drives 'Stronger' to Hot 100 Summit». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  116. Paul Grein (8 de fevereiro de 2012). «Week Ending Feb. 5, 2012. Songs: Madonna & MJ» (em inglês). Yahoo! Music. Yahoo!. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  117. a b Gary Trust (15 de fevereiro de 2012). «Madonna Scores Record-Extending 38th Hot 100 Top 10». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  118. Gary Trust (22 de fevereiro de 2012). «Katy Perry's 'Part of Me' Debuts Atop Hot 100». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  119. «Madonna Album & Song Chart History » The Hot 100» (em inglês). Billboard Hot 100. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  120. a b Keith Caulfield (16 de março de 2012). «Madonna Scores 41st No. 1 on Dance/Club Play Songs». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  121. a b «Dance/Club Songs: 2012 Year End» (em inglês). Hot Dance Club Songs. Consultado em 11 de fevereiro de 2016 
  122. a b «RIAA – Gold & Platinum – Madonna» (em inglês). Recording Industry Association of America. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  123. «Canadian Hot 100: The Week of February 11, 2012» (em inglês). Canadian Hot 100. Consultado em 11 de fevereiro de 2016 
  124. a b Paul Tuch (17 de fevereiro de 2012). «Madonna Scores Second Canadian Hot 100 No. 1». Nielsen Company. Billboard: 1 
  125. a b «Canadian Hot 100: 2012 Year End» (em inglês). Canadian Hot 100. Consultado em 11 de fevereiro de 2016 
  126. a b c «Billboard Brasil Hot 100 Airplay». BPP. Billboard Brasil: 84-89. Abril de 2012. ISSN 977-217605400-2 Verifique |issn= (ajuda) 
  127. a b «Madonna, Nicki Minaj & M.I.A. – Give Me All Your Luvin' (National Report)» (em inglês). National Report. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  128. a b «Madonna, Nicki Minaj e M.I.A. – Give Me All Your Luvin' (Mexico Airplay)» (em inglês). Mexico Airplay. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  129. a b «Madonna, Nicki Minaj e M.I.A. – Give Me All Your Luvin' (Record Report)» (em espanhol). Record Report. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  130. a b «Madonna, Nicki Minaj e M.I.A. – Give Me All Your Luvin' (ARIA Charts)» (em inglês). ARIA Charts. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  131. a b «Madonna, Nicki Minaj e M.I.A. – Give Me All Your Luvin' (Recording Industry Association of New Zealand)» (em inglês). Recording Industry Association of New Zealand. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  132. «Japan Hot 100: The Week of February 18, 2012» (em inglês). Japan Hot 100. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  133. a b «Madonna, Nicki Minaj e M.I.A. – Give Me All Your Luvin' (Japan Hot 100)» (em inglês). Japan Hot 100. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  134. a b «Japan Hot 100: 2012 Year End» (em inglês). Japan Hot 100. Consultado em 11 de fevereiro de 2016 
  135. a b «Madonna, Nicki Minaj e M.I.A. – Give Me All Your Luvin' (Gaon Music Chart)» (em inglês). Gaon Music Chart. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  136. a b «Online download – 2012 Year End Chart» (em inglês). Gaon Music Chart. Consultado em 11 de fevereiro de 2016 
  137. a b «Madonna, Nicki Minaj e M.I.A. – Give Me All Your Luvin' (The Official Lebanese Top 20)» (em inglês). The Official Lebanese Top 20. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  138. a b «Madonna, Nicki Minaj e M.I.A. – Give Me All Your Luvin' (UK Singles Chart)» (em inglês). UK Singles Chart. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  139. Alan Jones (13 de fevereiro de 2012). «Official Chart Analysis: Lana Del Rey scores biggest-selling album of 2012, Gotye shifts another 83k». Music Week (em inglês). Intent Media. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  140. «Madonna's new single to drop out of Top 40 charts already». The Daily Telegraph (em inglês). Telegraph Media Group. 17 de fevereiro de 2012. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  141. Lewis Corner (9 de fevereiro de 2012). «Madonna 'Give Me All Your Luvin' single sales discounted from chart» (em inglês). Digital Spy. Hachette Filipacchi Médias. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  142. Alan Jones (20 de fevereiro de 2012). «Official Chart Analysis: Emeli Sande album sells 113k, DJ Fresh single shifts 128k». Music Week (em inglês). Intent Media. Consultado em 11 de fevereiro de 2016 
  143. Alan Jones (13 de fevereiro de 2012). «Nielsen UK Airplay Chart: Alyssa Reid takes TV top spot». Music Week (em inglês). Intent Media. Consultado em 11 de fevereiro de 2016 
  144. Alan Jones (26 de março de 2012). «Official Chart Analysis: Paul Weller LP sells 30k, Katy Perry single shifts 79k». Music Week (em inglês). Intent Media. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  145. a b «Madonna, Nicki Minaj e M.I.A. – Give Me All Your Luvin' (IFPI Finlândia)» (em inglês). IFPI Finlândia. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  146. a b «Madonna, Nicki Minaj e M.I.A. – Give Me All Your Luvin' (Federazione Industria Musicale Italiana)» (em inglês). Federazione Industria Musicale Italiana. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  147. a b «Certificazione Singolli Digitalli dalla settimana 1 del 2009 alla settimana 39 del 2012» (PDF) (em italiano). Federazione Industria Musicale Italiana. Consultado em 11 de fevereiro de 2016. Cópia arquivada (PDF) em 21 de outubro de 2012 
  148. a b c «Madonna, Nicki Minaj e M.I.A. – Give Me All Your Luvin' (Syndicat National de l'Édition Phonographique)» (em inglês). Syndicat National de l'Édition Phonographique. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  149. a b «Classement des 200 premiers Singles Fusionnés par GfK année 2012» (PDF) (em francês). Syndicat National de l'Édition Phonographique. Consultado em 11 de fevereiro de 2016 
  150. a b «Madonna, Nicki Minaj e M.I.A. – Give Me All Your Luvin' (Magyar Hanglemezkiadók Szövetsége)» (em inglês). Magyar Hanglemezkiadók Szövetsége. Consultado em 10 de fevereiro de 20166  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  151. a b «MAHASZ Rádiós TOP 100 - 2012» (em inglês). Magyar Hanglemezkiadók Szövetsége. Consultado em 11 de fevereiro de 2016 
  152. a b «Madonna, Nicki Minaj e M.I.A. – Give Me All Your Luvin' (Media Control Charts)» (em inglês). Media Control Charts. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  153. a b «Madonna, Nicki Minaj e M.I.A. – Give Me All Your Luvin' (Ultratop 50)» (em inglês). Ultratop 50. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  154. a b «Madonna, Nicki Minaj e M.I.A. – Give Me All Your Luvin' (Ultratop 40)» (em inglês). Ultratop 40. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  155. a b «Madonna, Nicki Minaj e M.I.A. – Give Me All Your Luvin' (MegaCharts)» (em inglês). MegaCharts. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  156. a b «Madonna, Nicki Minaj e M.I.A. – Give Me All Your Luvin' (Luxembourg Digital Songs)» (em inglês). Luxembourg Digital Songs. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  157. a b «Madonna, Nicki Minaj e M.I.A. – Give Me All Your Luvin' (Schweizer Hitparade)» (em inglês). Schweizer Hitparade. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  158. a b «Madonna, Nicki Minaj e M.I.A. – Give Me All Your Luvin' (Greece Digital Songs)» (em inglês). Greece Digital Songs. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  159. a b «Madonna, Nicki Minaj e M.I.A. – Give Me All Your Luvin' (Portugal Digital Songs)» (em inglês). Portugal Digital Songs. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  160. a b «Madonna, Nicki Minaj e M.I.A. – Give Me All Your Luvin' (Euro Digital Songs)» (em inglês). Euro Digital Songs. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  161. «Madonna, Nicki Minaj e M.I.A. – Give Me All Your Luvin' (Ö3 Austria Top 40)» (em inglês). Ö3 Austria Top 40. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  162. «Madonna, Nicki Minaj e M.I.A. – Give Me All Your Luvin' (Tracklisten)» (em inglês). Tracklisten. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  163. «Madonna, Nicki Minaj e M.I.A. – Give Me All Your Luvin' (The Official Charts Company)» (em inglês). The Official Charts Company. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  164. «Madonna, Nicki Minaj e M.I.A. – Give Me All Your Luvin' (IFPI Slovenská Republika)» (em inglês). IFPI Slovenská Republika. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  165. «Madonna, Nicki Minaj e M.I.A. (Productores de Música de España)» (em inglês). Productores de Música de España. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  166. «Madonna, Nicki Minaj e M.I.A. – Give Me All Your Luvin' (Pop Songs)» (em inglês). Pop Songs. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  167. «Madonna, Nicki Minaj e M.I.A. – Give Me All Your Luvin' (Irish Recorded Music Association)» (em inglês). Irish Recorded Music Association. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  168. «Madonna, Nicki Minaj e M.I.A. – Give Me All Your Luvin' (Media Forest)» (em inglês). Media Forest. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  169. «Madonna, Nicki Minaj e M.I.A. – Give Me All Your Luvin' (IFPI Česká Republika)» (em inglês). IFPI Česká Republika. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  170. «Все ясно» (em russo). Russian Music Charts. Consultado em 20 de fevereiro de 2016 
  171. «Madonna, Nicki Minaj e M.I.A. – Give Me All Your Luvin' (Sverigetopplistan)» (em inglês). Sverigetopplistan. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  172. «Jaaroverzichten 2012» (em inglês). Ultratop 50. Consultado em 11 de fevereiro de 2016 
  173. «Rapports annuels 2012» (em inglês). Ultratop 40. Consultado em 11 de fevereiro de 2016 
  174. «Top 50 Canciones Anual 2012» (em espanhol). Productores de Música de España. Consultado em 11 de fevereiro de 2016