Luís Carlos Winck

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Luiz Carlos Winck)
Luís Carlos Winck
Informações pessoais
Nome completo Luís Carlos Coelho Winck
Data de nasc. 5 de janeiro de 1963 (58 anos)
Local de nasc. Portão (RS), Brasil
Nacionalidade brasileiro
Informações profissionais
Equipa atual Esportivo
Posição ex-Lateral-direito, Treinador
Seleção nacional
1985–1993 Brasil
Times/Equipas que treinou
1998–2002
2004
2005
2007
2007
2008
2008
2008
2009–2010
2010
2011
2011
2012–2013
2013
2014–2015
2016
2016
2016–2017
2017
2017–2018
2018–2019
2020
2020–
São José-RS
Pelotas
Grêmio Coariense
Sampaio Corrêa
Bacabal-MA
River-PI
Bacabal
São Raimundo
Cianorte
São José-RS
Inter de Santa Maria
Nacional-AM
Esportivo
Passo Fundo
Lajeadense
Veranópolis
Pelotas
Caxias
Criciúma
Caxias
Juventude
Pelotas
Esportivo
Medalhas
Jogos Olímpicos
Prata Seul 1988 Futebol
Prata Los Angeles 1984 Futebol

Luís Carlos Coelho Winck (Portão, 5 de janeiro de 1963) é um treinador e ex-futebolista brasileiro que atuava como lateral-direito. Atualmente comanda o Esportivo.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Como jogador[editar | editar código-fonte]

Luís Carlos Winck foi revelado pelo Internacional de Porto Alegre em 1981, aos 17 anos de idade, atuando inicialmente no meio-campo. Permaneceu no clube até 1989, quando foi contratado pelo Vasco da Gama. No time carioca, Luís Carlos Winck sofreu uma fratura que o tirou da Copa do Mundo, na Itália. Pela Seleção Brasileira olímpica, conquistou duas medalhas de prata: em 1984 (Los Angeles, quando o Inter e alguns outros jogadores representaram a seleção brasileira) e 1988 (Seul).[1]

Em 1991, retornou ao Internacional, voltando para o Vasco da Gama no ano seguinte. Luís Carlos Winck ainda passou por diversos clubes, antes de encerrar a carreira de jogador em 1996, no São José de Porto Alegre.

Como treinador[editar | editar código-fonte]

Iniciou a carreira de treinador no próprio São José, em 1998, dirigindo o clube por quatro temporadas. Em 2005 Treinou o Grêmio Coariense - AM e no Campeonato Brasileiro da Série B treinou o São Raimundo Esporte Clube. Em 2007 treinou o Sampaio Corrêa e Bacabal Esporte Clube do estado do Maranhão. Em 2008 transferiu-se para o River-PI, onde disputou o Campeonato Piauiense e a Copa do Brasil, eliminando o Jaguaré-ES na priemira fase (3 a 2 para o Jaguaré no Espírito Santo e 2 a 0 para o River no jogo da volta, em Floriano-PI). Na segunda fase derrotou a equipe do Botafogo pelo placar de 2 a 1 em Bacabal-MA, sendo eliminado no Rio de Janeiro pelo placar de 2 a 0. No mesmo ano reassumiu o Bacabal-MA.[2]

Em agosto de 2009, Winck assinou contrato com o São Raimundo Esporte Clube (Amazonas), visando um projeto a longo prazo para preparar o clube para o ano de 2009.

No fim de 2009, trocou o time amazonense pelo Cianorte-PR, e comandou o time paranaense no Campeonato Estadual de 2010.

Em 11 de junho, foi anunciado como novo técnico do São José para a disputa da Série D de 2010. Já no dia 27 de outubro, acertou com o Inter de Santa Maria. E, no dia 27 de janeiro, foi demitido do cargo.

No início de 2012, assumiu o cargo de técnico do Esportivo, de Bento Gonçalves, onde conquistou o acesso para a elite do Campeonato Gaúcho de Futebol. Winck conduziu o alviazul ao primeiro lugar nas três fases e para o título, além da equipe acumular o melhor ataque e a melhor defesa da competição.

Depois teve passagens por Passo Fundo, Lajeadense, Veranópolis, Pelotas e Caxias.[3]

Em 30 de maio de 2017 foi contratado pelo Criciúma para a disputa da Série B.[3]

Em outubro de 2017, retornou para o Caxias.

Legado[editar | editar código-fonte]

O irmão de Luís Carlos Winck, Sérgio Winck, também foi futebolista, atuando como meio-campo. Os filhos de Sérgio viriam a seguir os passos do pai e do tio. Cláudio Winck segue os passos do tio foi lateral-direito do Chapecoense, tendo retornado ao Internacional, clube que defendeu no Campeonato Gaúcho da temporada passada, atua em 2017 na equipe sub-23 do Colorado, que disputa a terceira divisão gaúcha, sendo o goleador da competição. Já o outro filho, Lucas Winck, é volante e joga pelo Passo Fundo, sendo treinado pelo tio.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Como Jogador[editar | editar código-fonte]

Internacional
Vasco da Gama
Grêmio
Honrarias

Como Treinador[editar | editar código-fonte]

Esportivo
Passo Fundo
Lajeadense
Caxias

Referências

  1. Evans, Hilary; Gjerde, Arild; Heijmans, Jeroen; Mallon, Bill; et al. «Perfil na Sports Reference». Sports Reference LLC (em inglês). Olympics em Sports-Reference.com. Consultado em 13 de fevereiro de 2016. Cópia arquivada em 4 de dezembro de 2016 
  2. «Que fim Levou?». Consultado em 13 de fevereiro de 2016 
  3. a b «Criciúma confirma acerto com Luís Carlos Winck para comandar time na Série B». Globoesporte 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Bandeira de BrasilSoccer icon Este artigo sobre um futebolista brasileiro é um esboço relacionado ao projeto desporto. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.