Laranjeiras (bairro do Rio de Janeiro)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Laranjeiras
—  Bairro do Brasil  —
Rua das Laranjeiras.
Rua das Laranjeiras.
Laranjeiras.svg
Criado em 23 de julho de 1981
Área
 - Total 249,35 ha (em 2003)
População
 - Total 45 554 (em 2 010)[1]
 - IDH 0,957[2] (em 2000)
Domicílios 20 268 (em 2010)
Limites Flamengo, Cosme Velho, Catete,
Botafogo, Santa Tereza,Rio Comprido, Catumbi[3]
Fonte: Não disponível

Laranjeiras é um bairro nobre de classe média alta e classe alta da Zona Sul da cidade do Rio de Janeiro, no Brasil.

História e características[editar | editar código-fonte]

É um bairro da Zona Sul da cidade do Rio de Janeiro, sendo um dos bairros mais antigos da cidade, com ocupação iniciada no século XVII, com a construção de chácaras no vale ao redor do Rio Carioca, que desce do Corcovado, no Alto da Boa Vista. Por isso, o bairro também foi anteriormente chamado de Vale do Carioca.

Estão situados em Laranjeiras o Palácio Guanabara, sede do governo do Estado do RJ, o Palácio Laranjeiras, residência oficial do Governador do Estado do RJ, o Parque Guinle, o Fluminense Football Club ,a sede da IV Regiao Administrativa da Prefeitura do Rio, a sede do Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, o BOPE, e a Sede Administrativa na cidade da Força Nacional de Segurança.

Bairro tipicamente residencial, de classe média alta e classe alta,[4] relativamente extenso e diverso no ponto de vista geográfico, tem a Rua das Laranjeiras como a sua principal via, a qual começa no Largo do Machado e termina nas imediações do Túnel Rebouças, já com outro nome: Rua Cosme Velho.

No século XIX, foram surgindo, na região, chácaras rústicas e luxuosas ocupadas por fidalgos, homens ricos e movidas a trabalho escravo. A presença da Princesa Isabel no palacete da Rua Guanabara, atual Rua Pinheiro Machado, contribuiu para o seu crescimento haja visto que o principal caminho de acesso ao palacete imperial, atual Palácio Guanabara, era a Rua Paissandu, que foi ornamentada pela princesa com palmeiras-imperiais existentes até os dias de hoje. O bairro de Laranjeiras abrigou durante muito tempo, construções muito importantes para a história da cidade do Rio de Janeiro e também para o Brasil. Exemplos notáveis são: o Palácio Guanabara e o Palácio Laranjeiras. Além deles,Laranjeiras abrigou inúmeras embaixadas, no período em que foi capital federal do Brasil. As embaixadas da Itália e da Alemanha,por exemplo, estavam localizadas ali.

Em 1880, a região sofreu grande transformação com a implantação da Companhia de Fiações e Tecidos Aliança, instalada na Rua General Glicério, fazendo surgir os primeiros comerciantes.

A fábrica funcionou até 1938, trazendo ao bairro as primeiras vilas operárias. Os bondes elétricos, criados pela Companhia Jardim Botânico, iam até ao local conhecido como a Bica da Rainha, no Cosme Velho.

Na parte mais baixa do vale do Rio Carioca, havia grandes números de laranjeiras, o que originou o atual nome do bairro.

Laranjeiras ainda guarda o charme dos bairros marcados pelo passado e foi o endereço de nobres, escritores, compositores e pessoas ilustres, como Villa-Lobos, Cecília Meirelles, Portinari, Oscar Niemeyer e Roberto Marinho.

Palácio da Guanabara em Laranjeiras.

Localização[editar | editar código-fonte]

O bairro fica em uma localização estratégica e faz limite com os seguintes bairros:

Transportes[editar | editar código-fonte]

As principais ruas e praças do bairro são:

Moradores célebres[editar | editar código-fonte]

Uso incorreto de artigo[editar | editar código-fonte]

Os moradores do bairro e da cidade do Rio de Janeiro se referem a Laranjeiras sem o uso do artigo definido feminino plural, ou seja, não utilizam "as", "das", "nas", "às", nem "pelas". No entanto, muitos habitantes externos ao Rio pensam equivocadamente que o uso do artigo seja correto, até porque a via principal do bairro é denominada "Rua das Laranjeiras". O correto, porém, são as formas "de Laranjeiras", "em Laranjeiras", "a Laranjeiras", "por Laranjeiras", e não "das Laranjeiras", "nas Laranjeiras", "às Laranjeiras" nem "pelas Laranjeiras".

Uso correto:

  • "de Laranjeiras"
  • "em Laranjeiras"
  • "a Laranjeiras",
  • "por Laranjeiras"

Uso incorreto:

  • "das Laranjeiras"
  • "nas Laranjeiras"
  • "às Laranjeiras"
  • "pelas Laranjeiras"

O uso com artigo é reservado apenas para o jornalismo esportivo, que se refere ao Estádio do Fluminense Football Club como "Estádio das Laranjeiras", incorretamente, pois este não é o nome do estádio, sendo uma referência ao bairro onde ele se localiza.

Ao contrário do que imaginam pessoas que não conhecem o local, não há abundância de laranjeiras no bairro. As árvores mais comuns na vizinhança são as mangueiras.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Categoria no Commons