Laranjeiras (bairro do Rio de Janeiro)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Laranjeiras
  Bairro do Brasil  
Rua das Laranjeiras.
Rua das Laranjeiras.
Laranjeiras.svg
Distrito Zona Sul
Criado em 23 de julho de 1981
Área
 - Total 249,35 ha (em 2003)
População
 - Total 45 554 (em 2 010)[1]
 - IDH 0,957[2](em 2000)
Domicílios 20 268 (em 2010)
Limites Flamengo, Cosme Velho, Catete,
Botafogo, Santa Teresa, Rio Comprido e Catumbi[3]
Subprefeitura Zona Sul
Fonte: Não disponível

Laranjeiras é um bairro da Zona Sul do município do Rio de Janeiro, no Brasil.

História e características[editar | editar código-fonte]

É um bairro da Zona Sul da cidade do Rio de Janeiro, sendo um dos bairros mais antigos da cidade, com ocupação iniciada no século XVII, com a construção de chácaras no vale ao redor do Rio Carioca, que desce do Corcovado, no Alto da Boa Vista. Por isso, o bairro também foi anteriormente chamado de Vale do Carioca.

Estão situados em Laranjeiras o Palácio Guanabara, sede do Governo do Estado do Rio de Janeiro, o Palácio Laranjeiras, residência oficial do Governador do Estado do Rio de Janeiro, o Parque Guinle, o Fluminense Football Club, é sede do Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, o BOPE, e a Sede Administrativa na cidade da Força Nacional de Segurança.

Bairro tipicamente residencial, de classe média alta e classe alta,[4] relativamente extenso e diverso no ponto de vista geográfico, tem a Rua das Laranjeiras como a sua principal via, a qual começa no Largo do Machado e termina nas imediações do Túnel Rebouças, já com outro nome: Rua Cosme Velho.

No século XIX, foram surgindo, na região, chácaras rústicas e luxuosas ocupadas por fidalgos, homens ricos e movidas a trabalho escravo. A presença da Princesa Isabel no palacete da Rua Guanabara, atual Rua Pinheiro Machado, contribuiu para o seu crescimento, haja vista que o principal caminho de acesso ao palacete imperial, atual Palácio Guanabara, era a Rua Paissandu, que foi ornamentada pela princesa com palmeiras-imperiais existentes até os dias de hoje.

O bairro de Laranjeiras abrigou durante muito tempo, construções muito importantes para a história da cidade do Rio de Janeiro e também para o Brasil. Exemplos notáveis, são: o Palácio Guanabara e o Palácio Laranjeiras. Além deles, Laranjeiras abrigou inúmeras embaixadas, no período em que foi capital federal do Brasil. As embaixadas da Itália e da Alemanha,por exemplo, estavam localizadas ali.

Em 1880, a região sofreu grande transformação com a implantação da Companhia de Fiações e Tecidos Aliança, instalada na Rua General Glicério, fazendo surgir os primeiros comerciantes.

A fábrica funcionou até 1938, trazendo ao bairro as primeiras vilas operárias. Os bondes elétricos, criados pela Companhia Jardim Botânico, iam até ao local conhecido como a Bica da Rainha, no Cosme Velho.

Ao contrário do que se pensa, o nome do bairro não vem da existência de grandes laranjais na parte baixa do vale do Rio Carioca; coberto em toda sua extensão por extensas chácaras, a montanhosa região do atual bairro lembrava a também acidentada região de Laranjeiras na região mais alta de Lisboa, o que levou à nomeação do bairro carioca[5].

Laranjeiras ainda guarda o charme dos bairros marcados pelo passado e foi o endereço de nobres, escritores, compositores e pessoas ilustres, como Villa-Lobos, Cecília Meirelles, Portinari, Oscar Niemeyer e Roberto Marinho.

Palácio da Guanabara em Laranjeiras.

Uso incorreto de artigo[editar | editar código-fonte]

Os moradores do bairro e da cidade do Rio de Janeiro se referem a Laranjeiras sem o uso do artigo definido feminino plural, ou seja, não utilizam "as", "das", "nas", "às", nem "pelas". No entanto, muitos habitantes externos ao Rio pensam equivocadamente que o uso do artigo seja correto, até porque a via principal do bairro é denominada "Rua das Laranjeiras". O correto, porém, são as formas "de Laranjeiras", "em Laranjeiras", "a Laranjeiras", "por Laranjeiras", e não "das Laranjeiras", "nas Laranjeiras", "às Laranjeiras" nem "pelas Laranjeiras".

Uso correto:

  • "de Laranjeiras"
  • "em Laranjeiras"
  • "a Laranjeiras",
  • "por Laranjeiras"

Uso incorreto:

  • "das Laranjeiras"
  • "nas Laranjeiras"
  • "às Laranjeiras"
  • "pelas Laranjeiras"

O uso com artigo é reservado apenas para o jornalismo esportivo, que se refere ao Estádio do Fluminense Football Club como "Estádio das Laranjeiras", incorretamente, pois este não é o nome do estádio, sendo uma referência ao bairro onde ele se localiza.

Ao contrário do que imaginam pessoas que não conhecem o local, não há abundância de laranjeiras no bairro. As árvores mais comuns na vizinhança são as mangueiras.

Localização[editar | editar código-fonte]

O bairro fica em uma localização estratégica e faz limite com os seguintes bairros:

Transportes[editar | editar código-fonte]

As principais ruas e praças do bairro são:

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Dados». Consultado em 24 de março de 2012. Arquivado do original em 2 de setembro de 2013 
  2. Tabela 1172 - Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH), por ordem de IDH, segundo os bairros ou grupo de bairros - 2000
  3. Bairros do Rio
  4. «Bairros cariocas - dados do censo 2010 na página da Prefeitura do Rio de Janeiro, página disponível em 19 de junho de 2014». Consultado em 24 de março de 2012. Arquivado do original em 2 de setembro de 2013 
  5. «Bairro das Laranjeiras». www.bairrodaslaranjeiras.com.br. Consultado em 3 de julho de 2018 
  6. Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome Bairros do Rio

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Laranjeiras