Vila Kennedy

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade (desde maio de 2012).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Vila Kennedy.

Vila Kennedy é um bairro de classe média baixa da Zona Oeste da Cidade do Rio de Janeiro. É constituído por um grande conjunto habitacional, e localiza-se às margens da Avenida Brasil. As suas ruas têm nomes de países africanos, japoneses e de músicos. Antes de ser um bairro oficial, era um sub-bairro pertencente a Bangu. Em julho de 2017 foi sancionada a lei que o oficializa como bairro.[1]

História[editar | editar código-fonte]

A área onde foi construída a Vila Kennedy era rural, à margem da Avenida Brasil, no trecho antigamente denominado avenida das Bandeiras. Era uma localidade muito distante do Centro da cidade, o que dificultou muito a vida das pessoas que vieram morar no bairro. A verba usada para erguer as casas populares da Vila Kennedy veio da Aliança para o Progresso, programa criado pelo então presidente americano John Kennedy. Daí o nome da vila, que, a princípio, se chamaria Vila Progresso e que acabou por receber seu nome atual como forma de homenagear o presidente Kennedy, falecido em 1963, menos de dois meses antes da inauguração da vila. No dia 20 de janeiro de 1964, dia de são Sebastião, foi inaugurada a Vila Kennedy pelo governador do estado Carlos Lacerda. Foram construídas 5 054 unidades habitacionais.

Inicialmente, a Vila Kennedy recebeu os moradores que foram desalojados da favela do Morro do Pasmado, no bairro de Botafogo, além dos moradores que foram desalojados da favela da praia do Pinto, na Lagoa, e da favela Maria Angu, na Penha/Ramos. E, por conta de reintegração de posse de terreno, também foram removidos para a Vila Kennedy, a partir de julho de 1965, os moradores que foram desalojados da extinta Favela do Esqueleto, onde, posteriormente, viria a ser erguida a Universidade do Estado da Guanabara, atual Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), no bairro do Maracanã.[2]

No fim da década de 1960, um embaixador estadunidense doou, ao bairro, uma réplica da Estátua da Liberdade, produzida com zinco pelo criador da estátua original em Nova Iorque, o escultor alsaciano Frédéric Auguste Bartholdi.[3]

Foi transformado oficialmente em bairro por lei municipal publicada em 14 de julho de 2017, passando a integrar a 17ª região administrativa do município.[1]

Cultura[editar | editar código-fonte]

No que tange à cultura, na Vila Kennedy estão localizados o Teatro Mário Lago (na rua Jayme Redondo) e a Escola de Samba Unidos da Vila Kennedy.

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Vila Kennedy

Referências

  1. a b «Após 53 anos, Vila Kennedy vira oficialmente um bairro do Rio». G1 
  2. Raimundo Ferreira, para Vila Kennedy On-Line. «História do bairro». Consultado em 31 de janeiro de 2009 
  3. «Estátua da Liberdade de volta à Vila Kennedy - Rio - O Dia». O Dia 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia do Rio de Janeiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.