Barros Filho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Barros Filho
  Bairro do Brasil  
Localização
Barros Filho.svg
Distrito Zona Norte
História
Criado em 23 de julho de 1981
Características geográficas
Área total 172,39 ha (em 2003)
População total 14 049 (2 010)[1] hab.
 • IDH 0,750[2](em 2000)
Outras informações
Domicílios 4 841 (2010)
Limites Costa Barros, Guadalupe,
Honório Gurgel e Coelho Neto[3]
Subprefeitura Zona Norte
Fonte: Não disponível

Barros Filho é um bairro da Zona Norte do município do Rio de Janeiro. Seu nome homenageia o filho do fazendeiro que cedeu terras de sua fazenda Boa Esperança, onde hoje se situa os bairros de Barros Filho, Costa Barros e parte de Guadalupe e Honório Gurgel, Antônio da Costa Barros, para a construção da linha férrea, que foi inaugurada em 1908.

Seu Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), no ano 2000, era de 0,750 o 114º colocado[4] entre 126 regiões analisadas no município do Rio de Janeiro.[5]

Tem se mostrado bastante interessante para o sistema de habitação, pois a construtura MRV comprou terrenos na região fazendo três condomínios-parque, onde começa a chegar pessoas de outras regiões (principalmente da Zona Oeste) com bom nível sócio-cultural para o bairro. No ano de 2015, a prefeitura do Rio construirá uma Clínica da Família no terreno doado pela MRV.

Barros Filho é também o bairro aonde Bruno Zucatelo e Arthur Brazão foram criados, os 2 que juntos formam o Rap Com Vida, esse grupo ja tem sido reconhecidos nacionalmente e internacionalmente com suas rimas cheias de impacto e performance única nos shows que eles fazem.

História[editar | editar código-fonte]

Toda a região que pertencia à freguesia de Irajá, na zona norte da cidade, era ocupada por grandes fazendas, como a Botafogo e a do Engenho Boa Esperança (séc. XVIII). A família Costa Barros era proprietária desses latifúndios. O pai, Antônio Costa Barros, passou toda a área para seu herdeiro, Barros Filho. Com a construção da linha ferroviária auxiliar, entre 1892 e 1898, nela foi instalada, em 1908, a Estação Barros Filho, que deu nome ao bairro. Barros Filho é atravessado pela Avenida Brasil e abrange o Distrito Industrial da Fazenda Botafogo, além de diversas comunidades.

Localização[editar | editar código-fonte]

Situa-se na Zona Norte da cidade do Rio de Janeiro. Possui ótima localização situado no corredor da Avenida Brasil. Possui comércio de rua vasto e conta com uma unidade do SESI, do outro lado da linha férrea. Faz divisa com os bairros de Costa Barros, Guadalupe, Coelho Neto e Honório Gurgel[6], tendo como artéria principal a estrada João Paulo, que liga o bairro aos bairros de Madureira e Pavuna.

Educação[editar | editar código-fonte]

A Escola Municipal Sindicalista Chico Mendes, a Escola Municipal Juracy Silveira, o Centro de Educação Infantil Fonteducart e o colégio Cantinho do Saber. O SESI com inúmeros cursos na área industrial. Com a proximidade do Shopping Jardim Guadalupe, os moradores contam com a renomada Universidade Castelo Branco, que se localiza dentro do shopping.

Lazer[editar | editar código-fonte]

Em Barros Filho localiza-se uma unidade do SESI, onde possui ótima estrutura, tais como: piscina olímpica, academia e atividades voltada para o lazer e saúde dos moradores do bairro, a cinco minutos do shopping Jardim Guadalupe. No ano de 2013, a prefeitura anunciou um projeto ao qual expandirá o Parque Madureira até o bairro, proporcionando aos moradores desfrutarem de atividades de lazer e mais qualidade de vida.

Indústria[editar | editar código-fonte]

Abriga indústrias. Em 1958, a Armcostaco inaugurou, no bairro, uma fábrica de produtos de aço para saneamento, construção viária e mineração, e uma indústria de produtos químicos, a Panamericana.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • A famosa praça Othon Almeida, onde há pequenos comércios variados, o ponto final da linha 362 (Praça XV x Honório Gurgel) e o Busto de Honório Gurgel, na verdade faz parte de Barros Filho. Muitos moradores da região da praça e ruas adjacentes consideram-se moradores de Honório Gurgel, e não de Barros Filho.[7]
  • Muitos nem sabem o motivo de uma passagem entre a Rua João Pessoa e a Rua Joana D'Arc (esta última, Rua que dá nome a comunidade) se chamar Beco do Chiqueiro. Na verdade a passagem era um largo onde existia uma criação de porcos, herança do tempo em que toda a região era uma grande fazenda.


Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Categoria no Commons
Ícone de esboço Este artigo sobre geografia do Rio de Janeiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.