Sleeping Giants Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

O Sleeping Giants Brasil é um movimento que se define no Twitter como "uma luta coletiva de cidadãos contra o financiamento do discurso de ódio e das fake news". Surgiu no Brasil em maio de 2020.

Sua forma de atuar é marcar o nome de empresas nas redes sociais cujos nomes aparecem em sites que propagam as notícias falsas e a propagação do ódio. [1]

O movimento nasceu nos Estados Unidos, onde o Sleeping Giants original foi criado pelos publicitários Matt Rivitz e Nandini Jammi. [1] [2]

Polêmicas

"Briga" com bolsonaristas

A "briga" com os bolsonaristas começou logo após ser criado. [3] "Com quatro dias de vida, o perfil Sleeping Giants Brasil, do Twitter, conseguiu atingir em cheio um dos principais sites de fake news do Brasil, o "Jornal da Cidade Online". A tática dele não é checar o que é mentira nas publicações, mas atingir onde dói: o bolso. "Vai continuar a financiar a propagação de notícias falsas?", pergunta. Ao expor publicamente as empresas que anunciaram em páginas assim, fez mais de 20 pularem fora", reportou o UOL na seção Tilt em maio passado. [1]

Após comunicarem que desmonetizariam as vendas de cursos[4] e o canal do YouTube de Olavo de Carvalho, passaram a sofrer severas críticas de parte da imprensa[5] e do próprio ideólogo.[6]

Investigação policial e ordem judicial

Em 20 de agosto de 2020, o movimento postou nas redes sociais que estava sendo investigado por um delegado da Polícia Federal em Londrina sem qualquer motivo. "Percebemos então que é hora de nos posicionarmos sobre quem somos, para que a narrativa não fique nas mãos de radicais". Neste dia, o movimento postou nove pontos para se definir. Dias depois, no dia 25 de agosto, o próprio Sleeping anunciou em seu feed que a justiça havia determinado que o Twitter revelasse os dados de criadores da página Sleeping Giants.[7][8]

Após solicitação do Ministério Público e determinação judicial, a procedimento foi encerrado.[9]

Dias depois foi publicada uma outra matéria mostrando que este mesmo delegado era cunhado do editor de um site bolsonarista e que ele escrevera artigos que criticavam os ativistas antes de abrir o inquérito.[10]

Ao Tilt, meses antes, o autor havia revelado que temia receber ameaças de morte caso sua identidade se tornasse pública, o que havia acontecido com o fundador do Sleeping Giants estadunidense. [1]

Referências

  1. a b c d «"Cansei de ver fake news vencer a batalha", diz autor do Sleeping Giants BR». www.uol.com.br. Consultado em 25 de agosto de 2020. Cópia arquivada em 9 de setembro de 2020 
  2. Jammi, Nandini (9 de junho de 2020). «I'm leaving Sleeping Giants, but not because I want to». Nandini Jammi no Medium (em inglês). 2020-06-09. Consultado em 3 de setembro de 2020. Cópia arquivada em 28 de agosto de 2020 
  3. Pires, Breiller (23 de maio de 2020). «Com crescimento acelerado, Sleeping Giants irrita tropa de choque bolsonarista e Governo». EL PAÍS. Consultado em 16 de setembro de 2020. Cópia arquivada em 22 de agosto de 2020 
  4. Fogel, Benjamin (7 de agosto de 2020). «PayPal blocks Olavo de Carvalho in the latest blow for the far-right ideologue.» (em inglês). 07/08/2020. Consultado em 16 de setembro de 2020. Cópia arquivada em 16 de setembro de 2020 
  5. UOL, Redação (6 de agosto de 2020). «Debate: exclusão de Olavo de Carvalho do Paypal foi discriminatória?». UOL Notícias. Consultado em 16 de setembro de 2020. Cópia arquivada em 14 de setembro de 2020 
  6. Mendes, Guilherme (8 de setembro de 2020). «Olavo critica governo e cobra que Bolsonaro o defenda contra Sleeping Giants». Congresso em Foco. Consultado em 16 de setembro de 2020. Cópia arquivada em 16 de setembro de 2020 
  7. «Bianca Santana - De que crime são acusados os Sleeping Giants?». www.uol.com.br. Consultado em 25 de agosto de 2020. Cópia arquivada em 3 de setembro de 2020 
  8. «Delegado que investigou Sleeping Giants é cunhado de influenciador bolsonarista, diz site». br.noticias.yahoo.com. Consultado em 25 de agosto de 2020. Cópia arquivada em 23 de agosto de 2020 
  9. Audi, Amanda; Martins, Rafael Moro (18 de agosto de 2020). «Com argumentação psicodélica, Polícia Federal investigou Sleeping Giants Brasil». The Intercept. Consultado em 20 de agosto de 2020. Cópia arquivada em 19 de agosto de 2020 
  10. Audi, Amanda; Martins, Rafael Moro; Demori, Leandro (22 de agosto de 2020). «Delegado que investigou Sleeping Giants é cunhado de editor de site bolsonarista». The Intercept. Consultado em 25 de agosto de 2020. Cópia arquivada em 15 de setembro de 2020 

Ligações externas

Ícone de esboço Este artigo sobre Internet é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.