Limoeiro (Pernambuco)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Limoeiro-PE)
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Limoeiro
"Princesa do Capibaribe
Califórnia Agrestina"
Bandeira de Limoeiro
Brasão de Limoeiro
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 06-04-1893
Fundação 1751
Gentílico limoeirense
Prefeito(a) Ricardo Teobaldo (PSDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Limoeiro
Localização de Limoeiro em Pernambuco
Limoeiro está localizado em: Brasil
Limoeiro
Localização de Limoeiro no Brasil
07° 52' 30" S 35° 27' 00" O07° 52' 30" S 35° 27' 00" O
Unidade federativa  Pernambuco
Mesorregião Agreste Pernambucano IBGE/2008[1]
Microrregião Médio Capibaribe IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Feira Nova, Passira, Salgadinho, João Alfredo, Bom Jardim, Lagoa do Carro e Carpina
Distância até a capital 77 km
Características geográficas
Área 269,970 km² [2]
População 56 407 hab. IBGE/2013[3]
Densidade 208,94 hab./km²
Altitude 138 m
Clima Tropical As'
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,663 médio PNUD/2010 [4]
PIB R$ 360 979 mil IBGE/2011[5]
PIB per capita R$ 6 516 93 IBGE/2011[5]
Página oficial
Brasao limoeiro pe.PNG
Brasao limoeiro pe.PNG

Limoeiro é um município brasileiro situado no estado de Pernambuco. Localizado na Mesorregião do Agreste Pernambucano e na Microrregião do Médio Capibaribe.

Possui uma área de 277,54 km².

História[editar | editar código-fonte]

De acordo com a velha lenda, Limoeiro foi uma aldeia de índios Tupis, numa região com muitos limoeiros (pés de limão), o que justifica o nome da cidade. Na história da fundação de Limoeiro, a origem do seu nome foi graças a um padre com o nome de Ponciano Coelho, que teria chegado à região para catequizar os índios. Conta-se que um dia chegou para morar perto de Limoeiro, em Poço do Pau, um português que tinha por nome Alexandre Moura, trazendo consigo a imagem de Nossa Senhora da Apresentação, imagem essa que atraía os índios. Alexandre Moura construiu perto de sua residência uma igrejinha, onde colocou a imagem da referida santa, que tinha missas celebradas pelo padre Ponciano Coelho, e organizando festas, sendo isso atração para as famílias que começaram a morar na localidade, ficando mais perto do movimento religioso.

Presume-se que o padre Ponciano Coelho fizera desaparecer a imagem de Nossa Senhora da Apresentação da Capela de Poço do Pau para Limoeiro, aldeia indígena onde hoje se ergue a torre da igreja matriz, marco da fundação do povoado chamado Limoeiro de Nossa Senhora da Apresentação. Pode-se acreditar que a antiga aldeia de índios, hoje, Limoeiro, foi fundada pelos padres Manuel dos Santos e João Duarte do Sacramento, em 1711.

De acordo com o escritor limoeirense Antônio de Souza Vilaça:

Cquote1.svg “Poder-se-ia dar guarida à lenda do Pe. Ponciano anteriormente contada, contudo se sabe que antes disso, ao aldeamento já se dera o nome de Limoeiro. Talvez o Pe. João Duarte do sacramento ou o Pe. Manuel dos Santos, os primeiros que cuidaram da catequese, sejam os responsáveis pelo sugestivo nome. Entretanto, consta de velho documento que o conde Maurício de Nassau ao relacionar as aldeias de sua jurisdição, Limoeiro, encabeçava a lista”.[6] Cquote2.svg

Em 1752, o padre Ponciano Coelho recebeu a carta de Sesmaria, e Limoeiro cresceu deixando de ser aldeia de índios. A Sesmaria de Limoeiro se estendia desde o atual munícipio de Feira Nova até o munícipio Santa Cruz do Capibaribe e desde o munícipio de Macaparana até o atual munícipio de Passira. O extenso território foi perdido através de inumeras emancipações políticas, que deram origem a 16 munícipios.

Cquote1.svg “No dia 6 de abril de 1893, Limoeiro passou a cidade, e como cidade a mesma teve seu primeiro prefeito Antônio José Pestana, seu primeiro Vigário Pe. Bartolomeu da Rocha. Neste dia se comemora a Emancipação Política de Limoeiro”. [6] Cquote2.svg
Bonde de tração animal em 1951.

Geografia Física[editar | editar código-fonte]

Igreja matriz.

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima do município é o tropical[carece de fontes?].

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

O município está inserido na bacia do Rio Capibaribe.

Vegetação[editar | editar código-fonte]

A vegetação do município é do tipo mata atlântica.

Relevo[editar | editar código-fonte]

O município está localizado na unidade geoambiental do Planalto da Borborema.

Localização Geográfica[editar | editar código-fonte]

Localiza-se a uma latitude 07º52'29" sul e a uma longitude 35º27'01" oeste, estando a uma altitude de 138 metros.

Limites municipais

Política[editar | editar código-fonte]

Executivo

Seu atual prefeito é Ricardo Teobaldo (2013/2016).

Legislativo

O poder legislativo municipal é composto por 10 vereadores, que são eles:

Joãozinho - Zé Nilton - Thiago Cavalcanti - Beto de Washington - Manoel do Sindicato - Daniel do Mercadinho - Juarez de Convales - Agripino do Mendes - Zélia de Ribeiro do Mel - Dra. Sylvia Arruda.

Símbolos Municipais

Os símbolos da cidade de Limoeiro são a bandeira municipal, o brasão municipal, e o hino municipal.

O escritor paraibano Ariano Vilar Suassuna é o responsável pela criação da bandeira do município de Limoeiro.

Divisão Distrital

Distrito-sede e Urucuba.

Povoados

Gameleira, Mendes e Ribeiro do Mel.

Educação[editar | editar código-fonte]

No que diz respeito à educação básica, a cidade possui escolas e colégios municipais, estaduais e particulares e o GRE do Vale do Capibaribe.

Escolas Particulares

  • Colégio Santa Mônica
  • Colégio 3º Milênio
  • Colégio Regina Coeli
  • Escolinha do Mickey
  • Escola Cônego Fernando Passos
  • Escola Nossa Senhora de Fátima
  • Escola Luluzinha
  • Educandário Beatriz França
  • Colégio Pentágono
  • Escola Instituto Ariádnes
  • Escola Divina Sabedoria
  • Escola Maria Clara

Escolas Estaduais

  • Escola Profª Jandira de Andrade Lima
  • Escola Austro Costa
  • Escola São Francisco
  • Escola Dr. Sebastião de Vasconcelos Galvão
  • Escola Regina Coeli
  • Escola Morais e Silva
  • Escola Pe. Adauto Nicolau Pimentel
  • Escola Nossa Senhora dos Anjos
  • Escola Serafico Ricardo
  • Escola São José
  • Centro de Educação Infantil Profª Suzel Galiza

No âmbito do ensino superior conta com a Faculdade de Ciências Aplicadas do Limoeiro (FACAL), a Universidade Aberta do Brasil (UAB), [1] que engloba quatro renomadas instituições de ensino - Instituto Federal de Pernambuco (IFPE), Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)[2], Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), [3] e a Universidade Federal da Paraíba (UFPB), [4], além da Escola Técnica Estadual José Humberto de Moura Cavalcanti (ETE).

Saúde[editar | editar código-fonte]

O município possui - Hospital Regional José Fernandes Salsa, a Casa de Saúde e Maternidade de Limoeiro (Valimagem), Posto de Saúde Municipal, UPAE (Unidade de Pronto Atendimento de Emergencia), SAMU 24H, entre outros consultórios e postos particulares.

Notável também os PSF, Programa de Saúde da Família. O Município enquadra-se no Programa mais medico do Governo Federal.

Cultura[editar | editar código-fonte]

Gastronomia

Sua alimentação típica é caracterizada pela pamonha, canjica, munguzá, milho assado e cozido.

Música

No município há a Sociedade Musical 25 de setembro, que realiza aulas de músicas para jovens e adultos, educando musicalmente na cultura popular e inserindo no mercado de trabalho, da qual já saíram vários músicos. Também grandes maestros tiveram passagem, como Seminha, Adolfo, Levino Ferreira e o grande PEPÊ, que até hoje é maestro e mestre da entidade musical na qual mantém viva a cultura de limoeiro de revelar grandes talentos na arte da música no agreste de Pernambuco.

Na música local podemos destacar o cantor Toinho de Limoeiro, que cantava com suas músicas românticas num estilo seresteiro.

As tradições nordestinas de música e dança são fortíssimas na cidade, destacando o Coco de Roda, a Ciranda e o Forró. Diversos grupos de artistas dessa modalidade popular de festejo cultural fazem parte da história cultual de Limoeiro, entre eles Zé de Teté, Nikodemo, Nêgo da Caldeira (coco de roda); Belo Cirandeiro (ciranda) e muitos forrozeiros e forrozeiras a exemplo de Kàtia Rodrigues, Chicão, Plínio Rodrigues.

Representando o Rap, temos o Grupo Faculdade de Rua, fazendo um Rap responsável, diferenciado pela voz dos Mcs Wendel Silva e Willian Perterson.

Eventos

  • O segundo sábado do mês de fevereiro, desde 2006, tornou-se o dia do desfile do bloco lírico Flor do Limoeiro, bloco de pau e corda que se caracteriza pela beleza de suas fantasias e pela animação de seus integrantes.
  • No dia 10 de fevereiro de 2007, foi às ruas de Limoeiro o bloco Mais Um, da rua Otacilio Fernandes de Lima, e desde então vem se apresentando.
  • O Micaeiro (carnaval fora de época de Limoeiro), consolidado no calendário cultural de Pernambuco como o maior evento festivo do interior[carece de fontes?], traz à cidade todos os anos milhares de turistas, movimentando a economia municipal, desde hotéis e restaurantes, a bares e vendedores autônomos. O já tradicional evento sempre movimenta um fim de semana do último trimestre do ano, com infraestrutura montada na Av. Severino Pinheiro, no centro da cidade. A festa tem sido patrocinada por empresas públicas e privadas. O evento é organizado pela Prefeitura de Limoeiro.
  • Festa de São Sebastião realizada no mês de janeiro, no terceiro domingo encerra-se a com a procissão ao mártir da igreja católica, atraindo milhares de turistas e romeiros da região[carece de fontes?].

Esportes[editar | editar código-fonte]

Na recreação e desporto o município tem a AABB (Associação Atlética Banco do Brasil), o Colombo Sport Club, o Centro Limoeirense, o Clube de Campo, e o Clube dos Motoristas.

O único time de futebol profissional da cidade é o Centro Limoeirense, o 3º clube mais antigo do estado de Pernambuco, fundado no dia 15 de Setembro de 1913[carece de fontes?]. A equipe realiza os seus jogos no Estádio José Vareda, popularmente conhecido como Varedão, e atualmente disputa a Série A-2 do Campeonato Pernambucano[carece de fontes?].

Limoeirenses conhecidos[editar | editar código-fonte]

Referências bibliográficas[editar | editar código-fonte]

  1. João Batista Cavalcanti O coronelismo em Pernambuco: O exemplo de Chico Heráclio. Monografia apresentada no ano de 2002 ao Curso de Pós-Graduação em Ensino de História da Universidade Federal Rural de Pernambuco como requisito parcial para obtenção do grau de Especialização em História (licença GPL). Capítulo 3.1.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Estimativa Populacional 2013. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (outubro de 2013). Página visitada em 27 de outubro de 2013.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 09 de setembro de 2013.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2011. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 17 dez. 2013.
  6. a b (VILAÇA, 1972:11).

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Pernambuco é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.