Cid Benjamin

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Under construction icon-yellow.svg
Este artigo carece de caixa informativa. Foi sugerido que adicione esta.
Cid Benjamin em 2016

Cid de Queiroz Benjamin (Recife, 26 de outubro de 1948) é um jornalista e político brasileiro.

Filho de um coronel, estudou no Colégio Aplicação no Rio de Janeiro.[1] Nos anos 1960 e 1970, militou na luta armada, na frente da guerrilha urbana, dentro do MR-8. Junto com os também jornalistas Franklin Martins e Fernando Gabeira, entre outros, participou do seqüestro do embaixador estadunidense Charles Burke Elbrick, em 1969.[1] A operação teria sido motivada pelo desejo de libertar Vladimir Palmeira e teria sido idealizada por Cid junto com Franklin Martins.[1]

Depois preso, foi exilado e morou na Argélia e na Suécia. Ao retornar, trabalhou nos mais importantes jornais do país, como O Globo e Jornal do Brasil e recebeu o Prêmio Esso de Jornalismo, com mais quatro colegas, por uma série de reportagens sobre a Guerrilha do Araguaia. Também foi assessor da deputada federal Jandira Feghali.

Em 2006, concorreu ao cargo de deputado estadual pelo PSOL do Rio de Janeiro, sem conseguir se eleger.

Atualmente é professor de "Realidade Sócio-Econômica e Política" nas Faculdades Integradas Helio Alonso - no Rio de Janeiro.

É irmão de César Benjamin, também ex-militante da luta armada.

Referências

  1. a b c Gaspari, Elio (2014). A Ditadura Escancarada 2 ed. Rio de Janeiro: Editora Intrínseca. 526 páginas. ISBN 978-85-8057-408-1 
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.