Universidade Federal do Maranhão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de UFMA)
Ir para: navegação, pesquisa
UFMA
Universidade Federal do Maranhão
Ufma.jpg
Lema "A vida é combate"
Fundação 21 de outubro, 1966
Tipo de instituição Pública, federal
Orçamento anual R$ 480.885.661,00
Total de estudantes 26 546
Graduação 19 634
Pós-graduação 6 912
Reitor(a) Prof. Dr. Natalino Salgado Filho
Sede São Luís
Campi oito municípios
Estado Maranhão
Afiliações CRUB, RENEX
Página oficial www.ufma.br
Instituições de ensino superior do Brasil Brasil

A Universidade Federal do Maranhão (UFMA) é uma instituição de ensino superior pública brasileira, mantida pelo Governo Federal do Brasil. A universidade é considerada a maior e mais influente universidade do estado do Maranhão. Ela possui diversos campi em todo o estado, sendo o principal a Cidade Universitária, que está localizada no bairro do Bacanga, na cidade de São Luís.

A universidade abriga os melhores cursos de Medicina e Direito do Maranhão, que figuram também entre os melhores do país, segundo o ranking do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes. A UFMA mostra uma liderança em pesquisa, com 76% dos projetos de pesquisa aprovados pelo CNPq.

Histórico[editar | editar código-fonte]

A Universidade Federal do Maranhão tem sua origem na antiga Faculdade de Filosofia de São Luís, fundada em 1953, por iniciativa da Academia Maranhense de Letras, da Fundação Paulo Ramos e da Arquidiocese de São Luís. Embora inicialmente sua mantenedora fosse aquela Fundação, por força da Lei Estadual n.º 1.976 de 31 de dezembro de 1959 dela se desligou e, posteriormente, passou a integrar a Sociedade Maranhense de Cultura Superior- SOMACS, que fora criada em 29 de janeiro de 1956 com a finalidade de promover o desenvolvimento da cultura do Estado, inclusive criar uma universidade católica.

A Universidade então criada, fundada pela SOMACS em 18 de janeiro de 1958 e reconhecida como Universidade livre pela União em 22 de maio de 1961, através do Decreto n.º 50.832, denominou-se Universidade do Maranhão, sem a especificação de católica no seu nome, congregando a Faculdade de Filosofia, a Escola de Enfermagem "São Francisco de Assis" (1948), a Escola de Serviço Social (1953) e a Faculdade de Ciências Médicas (1958).

Posteriormente, o então Arcebispo de São Luís e Chanceler da Universidade, acolhendo sugestão do Ministério da Educação, propõe ao Governo Federal a criação de uma Fundação oficial que passasse a manter a Universidade do Maranhão, agregando ainda a Faculdade de Direito (a mais antiga faculdade do Estado, criada em 1918), a Escola de Farmácia e Odontologia (1945) - instituições isoladas federais e a Faculdade de Ciências Econômicas (1965) - instituição isolada particular.

Assim foi instituída, pelo Governo Federal, nos termos da Lei n.º 5.152, de 21 de outubro de 1966 (alterada pelo Decreto Lei n.º 921, de 10 de outubro de 1969 e pela Lei n.º 5.928, de 29 de outubro de 1973), a Fundação Universidade do Maranhão – FUM, com a finalidade de implantar progressivamente a Universidade do Maranhão.

A administração da Fundação Universidade do Maranhão ficou a cargo de um Conselho Diretor, composto de seis membros titulares e dois suplentes, nomeados pelo Presidente da República, que entre si elegeram seu primeiro Presidente e Vice-Presidente.

O Decreto n.º 59.941, de 6 de janeiro de 1967, aprovou o Estatuto da Fundação, cuja criação se formalizou com a escritura pública de 27 de janeiro de 1967, registrada no cartório de notas do 1º Ofício de São Luís. Por fim, em lista tríplice votada pelo Conselho Universitário, foram eleitos, pelo Conselho Diretor, os primeiros dirigentes da nova Universidade, cuja posse se realizou no dia 1 de maio de 1967. Foram eles o Prof. Pedro Neiva de Santana, Reitor; o Prof. Mário Martins Meireles, Vice-Reitor Administrativo e o Cônego José de Ribamar Carvalho, Vice-Reitor Pedagógico, isso de conformidade com o projeto do Estatuto da Universidade, já aprovado pelo Conselho Diretor e posto em execução, como norma provisória, até sua homologação e aprovação pelas autoridades competentes, o que só ocorreu em 13 de agosto de 1970 pelo Decreto Lei n.º 67.047 e Decreto n.º 67.048.

Em 14 de novembro de 1972, na gestão do Reitor Cônego José de Ribamar Carvalho, foi inaugurada a primeira unidade do Campus do Bacanga, o prédio "Presidente Humberto de Alencar Castelo Branco"; a partir daí, a mudança da Universidade para o seu campus tornou-se irreversível.

A história da Universidade Federal do Maranhão, suas relíquias e seus tesouros patrimoniais e arquitetônicos, estão devidamente catalogados e em exposição permanente no Memorial Cristo Rei, térreo da Reitoria, na Praça Gonçalves Dias.

O Palácio Cristo Rei, sede da Reitoria da UFMA, um marco da arquitetura colonial de São Luís, foi construído em 1877. Seus primeiros proprietários pertenciam a uma tradicional família maranhense que, mais tarde, o doaram para o clero, transformando-se na primeira sede da Diocese da capital maranhense, abrigando mais tarde a antiga Faculdade de Filosofia. Apesar de ter parte de sua estrutura destruída por um incêndio, em 1991, o Palácio Cristo Rei foi totalmente recuperado, sendo hoje um símbolo da antiga arquitetura maranhense.

Com mais de três décadas de existência, a UFMA tem contribuído, de forma significativa, para o desenvolvimento do Estado do Maranhão, formando profissionais nas diferentes áreas de conhecimento em nível de graduação e pós-graduação, empreendendo pesquisas voltadas aos principais problemas do Estado e da Região, desenvolvendo atividades de extensão abrangendo ações de organização social, de produção e inovações tecnológicas, de capacitação de recursos humanos e de valorização da cultura. Os cursos de Mestrado e Doutorado em Políticas Públicas estão entre os melhores do país, reconhecidos pela Capes e MEC por sua qualidade.

Vestibular[editar | editar código-fonte]

O ingresso à graduação aberto a qualquer pessoa que tenha concluído o ensino médio, se dá por do Exame Nacional do Ensino Médio. O exame é realizado anualmente e tem duração de dois dias, contém 180 questões objetivas (divididas em quatro grandes áreas) e uma questão de redação. A UFMA possui uma concorrência de 130 mil candidatos por ano. O curso mais concorrido é o de Medicina, 11.427 candidatos disputaram 50 vagas, uma concorrência de 228,54 no SISU 2013/1.

Sistema de cotas[editar | editar código-fonte]

Na reunião das universidades federais de 9 de outubro de 2012 foi aprovado políticas de ações afirmativas que reserva 50% das vagas para alunos oriundos de escolas públicas, negros, índios e de baixa renda.

HUUFMA[editar | editar código-fonte]

O HUUFMA é formado por duas grandes unidades hospitalares, o Hospital Universitário Presidente Dutra, Hospital Universitário Materno Infantil além de contar com um centro ambulatorial na Cidade Universitária. O HU já recebeu diversos prêmios entre eles o de 10º na América Latina com o melhor conteúdo acadêmico na web através do Webometric Ranking Web of World Hopitals. Atualmente o diretor do hospital é o cirurgião cardiovascular Prof. Dr. Vinicius Nina.

O Hospital é referência para os procedimentos de alta complexidade nas áreas cardiovascular, traumato-ortopedia, neurocirurgia, vídeo-laparoscopia, nefrologia, transplantes, facoemulsificação, gestante de alto risco,cirurgia bariátrica, litotripsia, hemodinâmica, audiometria, ressonância magnética, banco de olhos e núcleo de fígado, desenvolve, também procedimentos de média complexidade e alguns programas estratégicos de atenção básica integradas à rede do Sistema Único de Saúde - SUS.

Indicadores do HUUFMA - Assistência
2010
Consultas 473,942
Emergência 225,233
Internações 15,633
Transplantes 190

Graduação[editar | editar código-fonte]

Cidade Universitária

Ciências Agrárias e Ambiental



Ciências Biológicas e da Saúde



Ciências Exatas e Tecnológicas



Ciências Humanas



Ciências Sociais



[1] ==Lista de pessoas==

Ex-alunos notáveis[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências