Menquerés

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Menquerés
Nascimento século XXV a.C.
Morte 2420 a.C.
Sepultamento Headless Pyramid
Cidadania Antigo Egito
Progenitores
Cônjuge Meresankh IV
Filho(s) Raemka
Ocupação soberano
Título faraó
Double crown.svg

Menquerés (em grego clássico: Mencheres) ou Mencauor (Menkauhor) foi um faraó da V dinastia egípcia, geralmente colocado na sétima posição. Menquerés é o nome de coroação deste rei e significa "Eternos são as almas de Ré"; o seu nome de nascimento era Kalu.

De acordo com o Papiro Real de Turim terá reinado oito anos. O historiador Manetão atribui-lhe nove anos de reinado. O nome do rei está igualmente presente na lista real de Abido e na lista real de Sacará.

As relações familiares de Menquerés com outros monarcas da V dinastia são obscuras. Pensa-se que seria irmão ou filho de Niuserré, o seu antecessor. É também por alguns autores apontado como pai de Tanquerés; outros consideram que ambos seriam filhos de Niuserré ou que Menquerés seria apenas filho de Niuserré e Djedecaré filho de Neferefré. Desconhece-se o nome da consorte ou consortes de Menquerés.

Sabe-se que o rei enviou expedições às minas de cobre e turquesas do Sinai (Uadi Magara), como o tinham feito reis anteriores.

A nível de representações artísticas conhece-se uma pequena estátua de alabastro, que se encontra no Museu Egípcio no Cairo.

Segundo inscrições de túmulos privados o rei mandou construir um templo solar, denominado Akhet-Ré ("O Horizonte de Ré"). Este templo não foi até hoje identificado, sendo provável que se localizasse em Abusir ou em Sacará. Foi o último templo solar construído por um rei da V dinastia, já que os seus dois sucessores abandonaram a prática (julga-se que por motivos económicos e não religiosos).

A pirâmide deste rei não foi até hoje identificada, sabendo-se que se chamava "Divinos são os locais de Ré". Alguns consideraram que seria a pirâmide número 50 de Lepsius em Dachur; a ser correcta esta identificação, representaria o abandono de Abusir como necrópole real. Para outros autores, a sua pirâmide seria a chamada "Pirâmide sem cabeça" situada em Sacará norte, a este do complexo funerário de Teti. Em Sacará norte alguns indícios sugerem que na época do Império Novo desenvolveu-se um culto religioso em torno do rei, que teria sido divinizado.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • GRIMAL, Nicholas - History of Ancient Egypt. Blackwell Publishing, 1994. ISBN 0631193960.

Precedido por
Niuserré
Faraó
V dinastia egípcia
Sucedido por
Tanquerés