Hor I

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde Junho de 2013). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Hor foi um faraó da XIII dinastia egípcia, época geralmente considerada como pertencente ao Segundo Período Intermediário. Reinou provavelmente durante dois ou três anos, entre 1732 e 1731 a.C.

Sabe-se pouco sobre este faraó. O seu túmulo encontra-se em Dahchur, perto da pirâmide de Amenemés III, tendo sido descoberto em 1896 pelo arqueólogo francês Jacques de Morgan. Nele foi encontrada uma estátua de madeira com 1,70 metros de altura, que se encontra hoje em dia no Museu Egípcio do Cairo. Esta estátua representa o ka do rei (a sua força e energia vital), como se depreende pela presença do símbolo habitual deste elemento, uns braços erguidos para cima sobre a cabeça da estátua. O objectivo desta estátua era permitir que o rei se refugiasse nela, caso a sua múmia fosse destruída.

É possível que o faraó Khendjer tenha participado nos seus ritos funerários, dado que é mencionado no túmulo.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um Faraó é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.