Queco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Queco
Nebré
Estela de Queco no Museu Metropolitano de Arte
Estela de Queco no Museu Metropolitano de Arte
Faraó do Egito
Reinado 39 anos,  2ª Dinastia
Predecessor Boco
Sucessor Binótris

Queco (em grego clássico: Chechous, Kaichoos, Kaiechos; em egípcio: Kakaw), Nebré, Hórus-Renebe ou Hórus-Nebré, foi um faraó da II dinastia egípcia da Época Tinita ou Arcaica. De acordo com Manetão, teria governado cerca de quarenta anos. Os autores modernos situam o seu reinado entre 2800-2785 a.C. (Jürgen von Beckerath) ou 2765-2750 a.C. (Jaromir Malek). Foi o sucessor de Hetepsekhemui, primeiro rei da II dinastia, mas não se sabe se seria filho ou irmão deste rei.

O seu nome pode ser traduzido como "Ré é o meu senhor" ou "Ré é o senhor". É a primeira vez que o nome do deus solar , que alcançaria grande relevância no Império Antigo, surge num nome real.

A sua mastaba foi construída em Sacará, onde se encontraram alguns cilindros-selos com o seu nome. Foi também encontrada em Abidos uma estela em granito com o seu nome no sereque, que se encontra actualmente no Museu Metropolitano de Arte. O seu nome também surge inscrito numa rocha no deserto líbico perto de Hermontis.

Ainda segundo Manetão este rei teria sido responsável pela introdução do culto de Mnévis em Heliópolis e de Ápis em Mênfis.

O sucessor deste rei foi Binótris, mas não se sabe que relação existiria entre ambos.

Precedido por
Boco
Faraó
2887 a.C. - 2848 a.C.
Sucedido por
Binótris
Ícone de esboço Este artigo sobre um Faraó é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.