Sesóstris II

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Sesóstris II
Parte superior da estátua de Sesóstris II na Gliptoteca Ny Carlsberg.
Faraó do Egito
Reinado 1 895 - 1 878 a.C.
Antecessor(a) Amenemés II
Sucessor(a) Sesóstris III
 
Cônjuge Quenemeteneferediete I
Nofrete II
Dinastia XII dinastia
Nome completo Ḫˁ-ḫpr-Rˁ S(j)-n-Wsrt'
Filho(s) Sesóstris III
Sesóstrissonbe
Itacaite
Neferete
Sitatoriunete
Pai Amenemés II

Caqueperré Sesóstris II ou Senusrete II (em egípcio: Ḫˁ-ḫpr-Rˁ S(j)-n-Wsrt) foi o quarto faraó da XII dinastia egípcia, tendo governado entre 1 895 e 1 878 a.C.. Ele era filho de seu antecessor Amenemés II. É significativo que Sesóstris II estava no poder na época em que o nomarca de Beni Haçane deu as boas-vindas ao chefe semita Abisa em sua cidade, um evento que foi celebrado nos murais de Beni-Haçane.[1]

Reinado[editar | editar código-fonte]

Pirâmide de Sesóstris II em el-Laum.
Planta da Pirâmide de Sesóstris II.
Peitoral de Sesóstris por John Campana.

Seguindo a prática estabelecida de sua dinastia, Sesostris passou três anos como co-regente de seu pai Amenemés II. No primeiro ano deste período, uma expedição comercial a Punte (na costa leste da África) registrou sua viagem nas rochas do porto egípcio do Mar Vermelho.[2]

No início do reinado único de Sesóstris, as fortalezas da Baixa Núbia, construídas pelo avô do rei, foram inspecionadas e, no ano 6, o forte de Aniba, perto da região de mineração de ouro da Núbia, foi reconstruído. Conforme atestado por estelas e inscrições comemorativas, diorito, cobre e possivelmente ametistas foram extraídos em vários locais na Núbia. As inscrições no Sinai indicam que os mineiros do rei também atuavam lá.[2]

Os contatos com a Palestina e a Síria também foram mantidos, como mostra a cena de comerciantes asiáticos em uma tumba provincial em Beni Haçane, no Oriente Médio. Durante este reinado, a família nobre neste local aumentou sua influência por meio de casamentos mistos com potentados vizinhos.[2]

A maior conquista de Sesóstris foi o início do desenvolvimento de Al-Faium, a área rica perto da residência real. Lá, onde o lago em Al-Faium recebia seu afluxo de um riacho do Nilo, o rei construiu um sistema hidráulico projetado para regular o nível do lago e recuperar parcialmente o solo pantanoso ao redor de suas margens. O projeto foi posteriormente ampliado amplamente por Amenemés III.[2]

Perto de Al-Laum, Sesóstris II construiu sua própria pirâmide, que exibe grande habilidade; parte da aldeia dos trabalhadores sobreviveu, produzindo evidências de planejamento urbano e documentos que revelam algo sobre as condições sociais do Egito.[2]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Merrill 2008, p. 67.
  2. a b c d e Editores 1998.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Merrill, Eugene H. (2008). Kingdom of Priests: A History of Old Testament Israel. Ada, Michigan: Baker Books. ISBN 978-0801031991 
  • Editores (1998). «Sesostris III». Britânica Online. Consultado em 17 de novembro de 2020 
Ícone de esboço Este artigo sobre um Faraó é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.