Sombefe

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Sombefe
Selo cilíndrico com o título real de Sombefe desenhado por Flinders Petrie.
Faraó do Egito
Reinado 1 800 - 1 796 a.C.
Antecessor(a) Sebecotepe I
Sucessor(a) Nericaré
 
Pai Possivelmente Amenemés IV[1]
Titularia
Nome Amenemhat [Sa] Sonbef
Jmn-m-ḥ3.t
Amenemés [filho de] Sombefe
G39N5<
imn
n
mHAt
t
sn
b
f
>
Título Hórus

Mehibtawy
Mḥ-jb-t3.wj
Favorito das duas terras

Aquele em quem as duas terras confiam
mH
ib
N16
N16

Nebty

Itisequemefe
Jṯj-sḫm=f
Aquele que toma o seu poder

G16V15Y8f

Meibitaui Sequencaré Sombefe ou Amenemés Sombefe foi o segundo faraó da XIII dinastia egípcia que reinou entre 1 800 até 1 796 a.C. durante o Segundo Período Intermediário. De acordo com Kim Ryholt, ele foi irmão de seu antecessor Sebecotepe I.[1] Detlef Franke identifica ele com o quarto faraó da dinastia Amenemés V.[2]

Atestados[editar | editar código-fonte]

Sombefe é atestado na coluna 7, linha 6 do cânone de Turim, onde aparece como "Sequemkare [Amenemate Sombefe]".[3] Embora, como um rei do início da XIII dinastia, Sombefe certamente tenha reinado em Ititaui no Faium, as únicas atestações contemporâneas dele são do sul de Tebas. Estes incluem um selo escaravelho de proveniência desconhecida, um selo cilíndrico da coleção Amherst e agora no Metropolitan Museum of Art, e dois blocos inscritos de El-Tod onde ele aparece sob o nome de Sequencaré. Dois registros do Nilo também são atribuídos a ele, um de Ascute e datado de seu terceiro ano, e o outro de Semnã na Núbia, datado em seu quarto ano. Um registro adicional, muito danificado de Semnã e datado do quinto ano também pode pertencer a ele.[4] A propriedade desses registros do Nilo ainda está em dúvida, no entanto, já que eles apenas carregam o prenome Sequencaré, que Amenemés V também carregava. O egiptólogo e arqueólogo Stuart Tyson Smith, que estudou os registros inicialmente os atribuiu a Sombefe,[5] mas depois mudou sua opinião e os atribuiu a Amenemés V.[6]

Referências

  1. a b Ryholt 1997, p. 297.
  2. Franke 1988, p. 57.
  3. Ryholt 1997, p. 204.
  4. Baker 2008, pp. 457-458.
  5. S. Smith: Askut and the Role of the Second Cataract Forts, in JARCE, vol XXVII
  6. S. Smith: Askut in Nubia: The Economic and Ideology of Egyptian Imperialism in the Second Millenium B.C., Kegan Paul International, Londres e Nova Iorque.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Ryholt, K. S. B. (1997). The Political Situation in Egypt During the Second Intermediate Period, C. 1800–1550 B.C. Copenhague: Museum Tusculanum Press. ISBN 87-7289-421-0 
  • Franke, Detlef (1988). Zur Chronologie des Mittleren Reiches (12.-18. Dynastie) Teil 1 : Die 12. Dynastie. Orientalia: GBPress- Gregorian Biblical Press 
  • Baker, Darrell D. (2008). The Encyclopedia of the Pharaohs: Volume I - Predynastic to the Twentieth Dynasty 3300–1069 BC. [S.l.]: Stacey Internacional