Apriés

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Apriés
Escultura al Museu del Louvre
Nascimento século VII a.C.
Morte 567 a.C.
Sepultamento Saís
Cidadania Antigo Egito
Progenitores
Filho(s) Nitetis
Ocupação estadista
Título faraó
Double crown.svg

Apriés foi um faraó da XXVI dinastia egípcia que governou na Época Baixa, entre 589 a.C. e 570 a.C. Apriés é a versão grega do nome egípcio, Uahibré, sendo este faraó mencionado na Bíblia com o nome de Hofra, em Jeremias 44:30.

Era filho do faraó Psamético II, ao qual sucedeu.

Foi um soberano guerreiro, que apoiou os povos da região da Síria-Palestina na luta contra os Babilónios. Contudo, a seu apoio não foi suficiente para impedir a tomada de Jerusalém por Nabucodonosor II em 586 a.C. e o cativeiro dos judeus para a Babilónia. No entanto, muitos judeus conseguiram fugir para o Egito, onde se fixaram, entre outros sítios, na ilha de Elefantina, onde formaram uma comunidade próspera.

Em 570 a.C. Apriés declarou o seu apoio ao líder de Cirene (na costa líbia) na sua luta contra os Gregos, tendo o faraó enviado um exército para o local. Após a derrota deste exército, estalou uma rebelião entre os soldados, tendo Apriés enviado o seu general Amásis para tentar controlar a situação. O exército acabaria por elegê-lo como novo rei do Egito.

Tendo tomado conhecimento da eleição de Amásis como rei, Apriés reuniu um exército de mercenários e as duas forças acabaram por se encontrar numa batalha na região noroeste do Delta do Nilo, tendo Apriés sido obrigado a recuar. Amásis ocupou a cidade de Saís, capital do Egito, embora não tivesse sido reconhecido como rei no sul do país. Em Outubro de 570 a.C. Apriés lançou uma nova tentativa militar para recuperar o poder, mas tendo sido novamente derrotado acabou por abandonar o Egito.

Apoiado pelo exército babilónio, Apriés regressou ao país em 567 a.C., mas foi feito prisioneiro. Segundo Heródoto, Amásis entregou-o ao povo como traidor, e este o teria estrangulado. Apriés foi contudo sepultado em Sais por Amásis com todas as honras de um rei egípcio.

Apesar da capital da dinastia ter sido Saís no Delta, Apriés ordenou a construção de um grande palácio em Mênfis. A título de curiosidade refera-se que na praça Minerva de Roma encontra-se um obelisco do seu tempo.

Segundo Polieno, Nitetis, filha de Apriés, foi enviada por Amósis II a Ciro, o Grande, como se fosse filha de Amósis; mas quando ela se tornou a esposa preferida de Ciro, disse a ele a verdade, e pediu vingança para o pai. Após a morte de Ciro, Cambises II, filho de Ciro e Nitetis, conquistou o Egito de Psamético III, filho de Amósis II.[1]

Titulatura[editar | editar código-fonte]

Nome de Nesut-bity
Hieroglifo
nswt&bity
<
N5V28D36
D36
F34
>
Transliteração ˁˁ-jb-Rˁ
Transliteração (ASCII) aaib-ra
Transcrição Aaib-rá
Tradução "O coração de Rá está feliz"
Nome de Sa-Rá
Hieroglifo
G39N5
 
<
N5V29F34
>
Transliteração Wȝḥ-jb-Rˁ
Transliteração (ASCII) Wah-ib-ra
Transcrição Wah-ib-rá
Tradução "Duradouro é o coração de rá"

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Apriés
  • DODSON, Aidan - Monarchs of the Nile. The American University in Cairo Press, 2000. ISBN 9774246004
  • RICE, Michael - Who´s Who in Ancient Egypt. Routledge, 1999. ISBN 0415154480.

Referências

  1. Polieno, Estratagemas, Livro VIII, Capítulo XXIX, Nitetis [fr] [en]

Precedido por
Psamético II
Faraó
XXVI dinastia
Sucedido por
Amósis II


Ícone de esboço Este artigo sobre um Faraó é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.