Boco (faraó)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde fevereiro de 2011)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.
Boco
Nascimento Século XXIX a.C.
Morte Século XXIX a.C.
Sepultamento Saqqara
Cidadania Antigo Egito
Filho(s) Nebré
Ocupação soberano
Título Faraó

Boco (em latim: Bochus; em grego clássico: Bochos), Beto (em grego clássico: Betos), também conhecido por seu nome de Hórus Hotepsequemui (Hotepsekhemwi) ou Hetepsequemui (Hetepsekhemwi, lit. "os dois poderes estão em paz"), foi o primeiro faraó da II dinastia egípcia.

Manetão atribui-lhe um reinado de trinta e oito anos, o que não pode ser comprovado dada à falta de informações sobre este rei. A maior parte dos investigadores modernos considera mais provável um reinado de quinze ou de vinte e cinco anos. Jürgen von Beckerath situa o seu reinado entre 2828-2800 a.C., enquanto que para Jaromir Malek ele teria governado entre 2793-2765 a.C.

Não se sabe que relação este monarca tinha como Bienequés, o último soberano da I dinastia. Pode ter sido o seu filho ou ter casado com uma filha sua de modo a assegurar a legitimidade real. O que se sabe é que Boco conclui o túmulo do seu antecessor em Abidos devido à descoberto de selos com o seu nome no túmulo de Bienequés.

O nome de Hórus deste rei (o mais importante dos nomes da titulatura real egípcia nesta época) pode aludir a uma tentativa de pacificação entre o Alto e o Baixo Egito, regiões que se tinham estado envolvidas em conflitos. Os "dois poderes" referidos seriam o deuses Seti e Hórus, deuses padroeiros de cada uma das regiões.

Segundo Manetão, durante o reinado de Boco verificou-se um sismo na cidade de Bubástis, que abriu uma fenda na terra. Boco abandonou Abidos como necrópole real, optando por Sacará, a necrópole real da cidade de Mênfis. Do seu túmulo, descoberto em 1902 por Barsanti, conhece-se apenas a parte subterrânea, composta por uma série de galerias escavadas na rocha (desconhece-se se existiu uma estrutura superior).

Precedido por
Bienequés
Faraó
2926 a.C. - 2888 a.C.
Sucedido por
Nebré

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • SHAW, Ian - The Oxford History of Ancient Egypt. Oxford University Press, 2002. ISBN 0192802933.