Superpopulação humana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Áreas de alta densidade populacional no mundo

Superpopulação humana é quando o número de pessoas excede a capacidade de carga de um território ou meio. A superpopulação pode ainda ser vista numa perspectiva ampla e de longo prazo, visto que a humanidade pode sofrer dado ao rápido esgotamento dos recursos não renováveis e a degradação da capacidade do ambiente de dar suporte ao crescimento demográfico.[1]

O termo "superpopulação" frequentemente refere-se à relação entre toda a população humana e seu ambiente: a Terra,[2] ou para áreas geográficas menores, como países. A superpopulação pode resultar do aumento de nascimentos, do declínio nas taxas de mortalidade, do aumento da imigração, ou de um bioma insustentável e o esgotamento de recursos naturais.

É possível que uma região pouco povoada possa ser superpovoado se a localidade tem uma capacidade escassa ou inexistente de sustentar a vida (como desertos, por exemplo). Os defensores da moderação da população citam questões como qualidade de vida, capacidade de carga e risco de fome generalizada como bases para argumentar contra o elevado crescimento demográfico e pelo declínio populacional da humanidade.

População mundial[editar | editar código-fonte]

População por região mostrando sua percentagem na população mundial (17502005)

A seguir são mostradas estimativas de quando a marca de cada mil milhões (bilhão) de pessoas foi atingida:

Crescimento da população mundial
População Ano Tempo para o próximo bilhão (em anos)
1 bilhão 1802 126
2 bilhões 1928 33
3 bilhões 1961 13
4 bilhões 1974 13
5 bilhões 1987 12
6 bilhões 1999 11
7 bilhões 2011 15
8 bilhões* 2026 24
9 bilhões* 2050 20
10 bilhões* 2070 26
11 bilhões* 2096 não calculado

(*) estimativa

Estimativa da população mundial: Cerca de 7386 milhões de pessoas (7.386 bilhões).[3]

Teoria Malthusiana[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Teoria Populacional Malthusiana

Thomas Malthus já havia observado em sua Teoria Populacional Malthusiana que:

"Considerando as condições médias da produção de alimentos nas terras agrícolas, onde os meios de subsistência, nas mais favoráveis das circunstâncias, só poderiam aumentar no máximo, em progressão aritmética enquanto que a população humana vai aumentando em progressão geométrica e desta forma concluiu que não vai dar para alimentar toda a superpopulação."[carece de fontes?]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Ehrlich, Paul R. Ehrlich & Anne H. (1990). The population explosion (London: Hutchinson). pp. 39–40. ISBN 0091745519. Consultado em 20 de julho de 2014. 
  2. "Global food crisis looms as climate change and population growth strip fertile land". Guardian.co.uk (2007-08-31).
  3. «World Population Clock - Worldometers». www.worldometers.info. Consultado em 2009-07-21. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]