Bruno Fernandes de Souza

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Bruno
Bruno
Informações pessoais
Nome completo Bruno Fernandes das Dores de Souza
Data de nasc. 23 de Dezembro de 1984 (29 anos)
Local de nasc. Ribeirão das Neves (MG), Brasil
Nacionalidade Brasil Brasileiro
Altura 1,90 m[1]
Destro
Apelido Paredão Rubro-Negro, Rottweiler
Informações profissionais
Posição Goleiro
Clubes de juventude
2001
2002
Brasil Tombense
Brasil Atlético Mineiro
Clubes profissionais1
Anos Clubes Jogos (golos/gols)
2002–2006
2006–2007
2006–2007
2008–2010
Brasil Atlético Mineiro
Brasil Corinthians
Brasil Flamengo (emp.)
Brasil Flamengo
0059 0000(0)
0000 0000(0)
0053 0000(0)
0081 0000(4)


1 Partidas e gols pelo clube profissional
contam apenas partidas das ligas nacionais,
atualizados até 7 de julho de 2010.


Bruno Fernandes das Dores de Souza (Ribeirão das Neves, 23 de dezembro de 1984) é um futebolista brasileiro que atuava como goleiro pelo Flamengo. Foi condenado a 22 anos e 3 meses de prisão por sua participação no sequestro e assassinato de Eliza Samudio[2] , modelo com quem se envolveu.[3]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Atlético Mineiro[editar | editar código-fonte]

Revelado pelo Atlético Mineiro, Bruno somente fez sua estreia, durante o Campeonato Brasileiro de 2005, graças a uma interessante associação de fatos: a suspensão de Danrlei, o goleiro titular, somada à ausência de Diego, o goleiro reserva imediato, que havia sido convocado para a Seleção Brasileira de Futebol Sub-20.[4] [5] [6] [7]

Corinthians[editar | editar código-fonte]

A partir daí, foi eleito o segundo melhor goleiro da Revista Placar. O destaque logo atraiu a atenção de outros clubes e, em 2006, deixou o Atlético para ir jogar no Corinthians. Todavia, acabou não se entendendo com a diretoria do novo clube e sequer chegou a vestir a camisa do time.[8] [9]

Flamengo[editar | editar código-fonte]

Bruno em treinamento no CT do Flamengo em 2008.

Então, após alguns meses de inatividade, seu passe, que pertencia a Media Sports Investment (MSI), foi oferecido ao Flamengo. À época, a sorte voltou a ajudar a sua carreira, uma vez que sua chegada havia coincidido com a contusão do goleiro Diego. Daí, em virtude de suas boas atuações, Bruno não mais deixou a vaga de titular pelo restante de 2006.[10]

Manteve a condição de goleiro titular do Flamengo no início ano seguinte, porém, mesmo com todo seu enaltecimento pela mídia, passou a oscilar entre bons e maus momentos. Todavia, na decisão do Campeonato Carioca de 2007, ao defender dois pênaltis (na disputa por pênaltis) que garantiram o título ao Flamengo, em cima do Botafogo, passou à condição de ídolo da torcida.[11]

Valorizado, a MSI tentou, a todo custo, negociá-lo com o mercado europeu, o que acabou gerando certa insatisfação, entre os dirigentes rubro-negros. Barrado do time titular, Bruno somente voltou a vestir a camisa 1 após ser acertada sua permanência no Flamengo. Em 2008, a fim de evitar os mesmos problemas ocorridos no ano anterior, o Flamengo decidiu investir em Bruno, comprando mais de 90% de seus direitos econômicos.[12]

No Campeonato Carioca de 2009, a história de dois anos antes se repetiu, e Bruno foi o grande responsável pela conquista do tri-campeonato pelo Flamengo, defendendo um pênalti no tempo normal e dois na disputa de pênaltis, na final contra o mesmo Botafogo.

Goleiro-artilheiro[editar | editar código-fonte]

Bruno começou a treinar cobranças de faltas e de pênaltis na Gávea, revelando-se também como um goleiro-artilheiro. Seu primeiro gol marcado aconteceu em uma partida da Libertadores da América de 2008, quando o Flamengo enfrentou, no Maracanã, o Coronel Bolognesi. A partida estava difícil para o Flamengo até que Bruno marcou um gol.[13]

Posteriormente, Bruno marcou mais três gols, tornando-se o goleiro que mais marcou gols na história do Flamengo, superando Ubirajara e Zé Carlos.

Caso Eliza Samudio[editar | editar código-fonte]

Em junho de 2010, a Polícia Civil de Minas Gerais declarou o goleiro Bruno suspeito do desaparecimento da modelo paranaense Eliza Samudio. O jogador inclusive chegou a ter a prisão preventiva decretada.[14] [15] [16] [17] Devido a repercussão do caso, a presidente do Flamengo Patrícia Amorim, chegou a anunciar que o jogador seria demitido do clube, mas após reunião em cúpula, a decisão não foi mantida.[18] [19] O inquérito do caso foi entregue em 30 de julho de 2010 e o julgamento será realizado em 19 de novembro de 2012 no Tribunal do Júri de Contagem, em Belo Horizonte.[20] [21] [22] Em 23 de novembro de 2012, os assistentes de acusação da Promotoria, José Arteiro e Cidney Mendes, acreditavam na hipótese de que Luiz Henrique Romão, o Macarrão, assumiria a morte de Eliza Samudio.[23] Seu caso foi adiado para março de 2013.[24] [25] [26] Em 6 de março de 2013, Bruno admitiu a morte de Eliza Samudio e culpou Macarrão pelo crime. O depoimento foi feito no fórum de Contagem, em Minas Gerais.[27] [28] Em 8 de março de 2013, Bruno foi condenado a 22 anos e três meses de prisão, dos quais 17 anos e 6 meses são em regime fechado, por homicídio triplamente qualificado (motivo torpe, meio cruel e uso de meio que dificultou a defesa da vítima), cárcere privado e sequestro de Eliza e dos filho deles Bruninho, e ocultação de cadáver. Por sua confissão, sua pena foi reduzida em três anos, mas aumentada em seis meses por ter sido "mandante".[2] [29]

Em 5 de maio de 2012, o vice-presidente jurídico do Flamengo, Rafael de Piro, externou que o clube estaria aberto ao retorno do goleiro, caso obtivesse um habeas corpus.[30] O pedido foi negado em 20 de outubro do mesmo ano pelo Superior Tribunal de Justiça.[31]

Seus advogados recorreram contra a sentença condenatória, mas o pleito foi negado pela segunda turma do Supremo Tribunal Federal em 11 de junho de 2013.[32]

Tentativa de retorno[editar | editar código-fonte]

Em 28 de fevereiro de 2014, mesmo sob detenção em regime fechado na Penitenciária Nelson Hungria, Bruno assinou contrato com o Montes Claros Futebol Clube, clube que disputa a segunda divisão do campeonato mineiro.[33] Para tanto, seria necessário sua transferência ao presídio da cidade de Montes Claros. Porém, o juiz Vara de Execuções Penais da cidade negou o pedido.[34]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Gols pelo Flamengo[editar | editar código-fonte]

Data Competição Estádio/Local Clube Placar Adversário Tipo
1 23 de abril de 2008 Copa Libertadores de 2008 Maracanã, Rio de Janeiro, RJ Flamengo 2–0 Coronel Bolognesi Falta (1º)
2 23 de outubro de 2008 Campeonato Brasileiro de 2008 Maracanã, Rio de Janeiro, RJ Flamengo 5–0 Coritiba Pênalti (1º)
3 4 de fevereiro de 2009 Campeonato Carioca de 2009 Maracanã, Rio de Janeiro, RJ Flamengo 4–1 Mesquita Falta (2º)
4 26 de maio de 2010 Campeonato Brasileiro de 2010 Maracanã, Rio de Janeiro, RJ Flamengo 1–2 Fluminense Falta (3º)

Dados atualizados até 26 de maio de 2010

Títulos[editar | editar código-fonte]

Flamengo

Prêmios Individuais[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Perfil de Bruno Fernandes das Dores de Souza. Visitado em 24 de novembro de 2012.
  2. a b G1, Caso Eliza Samudio, página visitada em 03 de março de 2013.
  3. Folha.com. Após reunião, Flamengo decide manter Bruno afastado. Visitado em 18 de julho de 2010.
  4. Atlético-MG confirma venda de Bruno ao Corinthians. Visitado em 7 de agosto de 2006.
  5. Corinthians empresta Bruno ao Flamengo. Visitado em 9 de agosto de 2006.
  6. Fla confirma acerto com Bruno. Visitado em 14 de agosto de 2008.
  7. Copa Libertadores: Flamengo beats Coronel Bolognesi 2-0 to win Group 4. Visitado em 17 de agosto de 2007.
  8. Bruno e Zé Roberto marcam e Flamengo vence Mesquita. Visitado em 4 de Fevereiro de 2007.
  9. Flamengo Site Oficial. Visitado em 26 de maio de 2010.
  10. MOGLOBO.com. Visitado em 18 de julho de 2010.
  11. The former Flamengo goalkeeper Bruno Fernandes de Souza and his friend Luiz Henrique Romao (Macarrão). Visitado em 19 de julho de 2009.
  12. Soccer star charged in brutal murder. Visitado em 24 de agosto de 2010.
  13. Bruno Fernandes faz e é goleiro artilheiro. Visitado em 14 de outubro de 2011.
  14. Folha.com. Justiça do Rio decreta prisão do goleiro Bruno; mulher do jogador é presa. Visitado em 18 de julho de 2010.
  15. Brazil soccer star arrested over missing girlfriend. Visitado em 14 de setembro de 2009.
  16. Polícia quer ouvir goleiro Bruno por desaparecimento de ex-namorada. Visitado em 5 de agosto de 2010.
  17. Goleiro Bruno é investigado por desaparecimento de ex-namorada. Visitado em 10 de agosto de 2010.
  18. Presidente do Flamengo quer demitir Bruno por justa causa
  19. Flamengo não vai mais demitir goleiro Bruno
  20. iG. Bruno e mais quatro réus do caso Eliza Samudio vão a júri em 19 de novembro. Visitado em 11 de novembro de 2012.
  21. iG. Macarrão: 73 ligações para Eliza no dia do sequestro. Visitado em 16 de novembro de 2012.
  22. Bruno's wife claims to have seen Eliza alive on June 10th. Visitado em 2 de setembro de 2010.
  23. Assistentes de acusação do caso Bruno acreditam que Macarrão vai confessar crime. Visitado em 23 de Novembro de 2012.
  24. Julgamento do goleiro Bruno é adiado para março de 2013
  25. Brazilian goalkeeper charged with murdering ex-girlfriend
  26. Brazil footballer surrenders in missing woman case
  27. Brazilian goalkeeper tipped to play in World Cup admits he knew ex-girlfriend was murdered, dismembered and fed to his pet rottweilers. Visitado em 6 de Março de 2013.
  28. Bruno admite pela primeira vez a morte de Eliza Samudio e culpa Macarrão pelo crime. Visitado em 7 de Março de 2013.
  29. Ex-goleiro Bruno é condenado a mais de 22 anos de prisão por morte de Eliza. Visitado em 9 de Março de 2013.
  30. Flamengo ‘abre as portas’ para possível retorno de Bruno R7 (8 de maio de 2012).
  31. STJ nega pedido de habeas corpus do goleiro Bruno Diário de Pernambuco (20 de outubro de 2012).
  32. Supremo nega liberdade a goleiro Bruno G1 (11 de junho de 2013).
  33. Goleiro Bruno assina com Montes Claros FC e pode voltar aos campos. Visitado em 28 de fevereiro de 2014.
  34. Justiça nega transferência de goleiro Bruno Band (15 de março de 2014).

Ligações externas[editar | editar código-fonte]