As Pupilas do Senhor Reitor (1994)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde julho de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
As Pupilas do Senhor Reitor
Informação geral
Formato Telenovela
Duração 50 minutos Aproximado
Criador(es) Lauro César Muniz
Baseado em As Pupilas do Senhor Reitor de Júlio Dinis
País de origem  Brasil
Idioma original (Português)
Produção
Diretor(es) Nilton Travesso
Elenco Juca de Oliveira
Débora Bloch
Luciana Braga
Eduardo Moscovis
Tuca Andrada
Elias Gleizer
Eduardo Galvão
Ana Lúcia Torre
Elisângela
ver mais
Tema de abertura "Canção do Mar", Dulce Pontes
Exibição
Emissora de televisão original Brasil SBT
Formato de exibição 480i (SD)
Transmissão original 6 de dezembro de 1994 - 8 de julho de 1995
N.º de episódios 186 (Original)

4 (primeira reprise)
65 (segunda reprise)

Cronologia
Éramos Seis
Sangue do Meu Sangue

As Pupilas do Senhor Reitor é uma telenovela brasileira produzida pelo SBT e exibida de 6 de dezembro de 1994 a 8 de julho de 1995, em 185 capítulos e originalmente às 19h45. Foi exibida a partir de 3 de novembro de 1997 em Portugal pela TVI, alcançando bastante sucesso e sendo promocionada como 'a mais portuguesa das novelas brasileiras'[1].

Escrita por Lauro César Muniz, é uma adaptação romance homônimo de Júlio Dinis, é com colaboração de Ismael Fernandes e Bosco Brasil, com direção de Nilton Travesso.

Foi reexibida pelo SBT entre 11 a 15 de dezembro de 2006, com uma baixa audiência, a primeira reprise foi cancelada e foi dada uma explicação de problemas com direitos autorais das músicas.[2]

Um tempo depois, o SBT alegou conseguir reexibir a trama e foi exibida uma segunda reprise, desde o início, entre 7 de maio a 3 de agosto de 2007, compactada em 65 capítulos, substituindo O Diario de Daniela, às 15h15 da Tarde.

Trama[editar | editar código-fonte]

Na então aldeia de Póvoa de Varzim, região de Entre-o-Douro-e-Minho, em Portugal, o enredo trata dos conflitos dos moradores locais. Após a morte de seu pai, Margarida (Guida) vai viver com sua meia-irmã Clara, filha de sua madrasta. A madrasta morre e confere a educação das meninas ao Padre Antônio, o Senhor Reitor. A partir daí o Reitor começa a cuidar das duas mocinhas. Pedro, um homem simples que trabalha no campo como seu pai, o Sr. José Das Dornas, dono da fazenda mais importante da aldeia, é noivo da ambiciosa Clara. Guida, por sua vez, é a prometida de Daniel, que voltou à aldeia graduado como médico, destituindo o posto do Dr. João Semana. Mas o rapaz não se lembra de Guida, nem da promessa de casamento feita anos antes à jovem, assim como não se acostuma com a vida humilde da pequena aldeia.

O Reitor se inspirará na natureza para proteger e cuidar de suas flores (Guida e Clara), utilizando sua sabedoria para controlar as incríveis confusões que surgirão.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Eduardo Galvão interpretou Fernão de Ribeira.
Tuca Andrada viveu um dos protagonistas, Pedro.
Ator[3] Personagem[3]
Juca de Oliveira Padre Antônio (Senhor Reitor)
Débora Bloch Margarida (Guida)
Luciana Braga Clara
Eduardo Moscovis Daniel das Dornas
Tuca Andrada Pedro das Dornas
Elias Gleizer Sr. José das Dornas
Joana Fomm Eugênia Carlota
Cláudio Fontana Manoel do Alpendre
Daniela Camargo Amália
Luiz Carlos Arutim Dr. João Semana
Elizângela Tereza
Luiz Guilherme General Afonso d'Alencastro
Denise Del Vecchio Joana
Valéria Alencar Francisquinha
Roberto Bomtempo Padre José
Jofre Soares Mestre Álvaro
Ana Lúcia Torre Zefa das Graças
Rogério Márcico Pereirinha
Miriam Mehler Rosa
Cláudia Mello Brásia
Oscar Magrini Augusto
Lucinha Lins Magali do Porto
Eduardo Galvão Fernão da Ribeira
Lu Grimaldi Elvira
Olair Coan Padre Emílio
Bri Fiocca Liduína
Philipe Levy Cardeal Joaquim
Sônia Guedes Alice
Ariela Goldman Maria do Porto
Marcos Breda Gama
Lavínia Pannunzio Antonieta
Cláudio Curi Rogério
Lourdes de Moraes Dona Vitória
Renato Borghi João da Esquina
Lulu Pavarin Donana
Roney Facchini Malaquias
Eliete Cigarini Gisela
Fernando Neves Jorge
Fernanda Muniz Marianinha
Caio Blat Henrique
Lúcia Romano Isabel
Paulo de Almeida Antônio
Élida Marques Leonor

Primeira Fase[editar | editar código-fonte]

Ator[3] Personagem[3]
Paulo Goulart Dom Arlindo
Rosamaria Murtinho Ressureição
Cristina Bessa Margarida (Guida) (jovem)
Paula Klein Clara (jovem)
Jiddu Pinheiro Daniel (jovem)
Oberdan Júnior Pedro (jovem)
Bruno Gomes Manoel do Alpendre (jovem)
Cristina Padiglione Ana Carolina
Sabrina Beráguas Adelaide
Riba Carlovich Inácio
Alexandre Reinecke Capitão

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Se(c)ções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios (desde dezembro de 2009).
  • O SBT exibia a novela em dois horários: às 19h45 e às 21h40.
  • Um dos últimos trabalhos do ator Luís Carlos Arutin, que interpretava o médico João Semana.
  • O tema de abertura era a bela "Canção do mar", na voz de Dulce Pontes.
  • Foi a única novela fora da Globo de Débora Bloch e Eduardo Moscovis.
  • Como era comum na época em novelas do SBT, a primeira semana de As Pupilas do Senhor Reitor foi reapresentada na tarde do primeiro sábado seguinte à estreia. Seus últimos capítulos já vinham sendo apresentados no horário das 20h30, abrindo espaço para sua sucessora no novo horário, Sangue do Meu Sangue. O horário em que o SBT tradicionalmente apresentava novelas só foi reativado com a infantil "Chiquititas".
  • O destaque ficou por conta das três beatas fofoqueiras interpretadas por Ana Lúcia Torre, Cláudia Mello e Míriam Mehler. Valéria Alencar como a fogosa Francisquinha que tomava banhos no rio para aliviar seus calores obteve grande sucesso da crítica e crescimento do seu papel sendo notícia no Jornal O DIA. Daniela Camargo mesmo fazendo, a antagonista, Amália, conquistou o coração do telespectadores quando seu personagem contraiu Tuberculose, tendo sua morte trágica, no final da novela, emocionado o público visto que salvou da morte seu grande amor Daniel (Du Moscovis) das garras do seu pai que intentava matá-lo. O sucesso de Daniela Camargo causou ciúmes em Débora Bloch (Guida) grande estrela da Globo que foi em algum momento apontada como responsável pela baixa audiência inicial de As Pupilas do Senhor Reitor. Até hoje Deborah Bloch não faz boas colocações sobre a referida personagem.
  • E também Cláudio Fontana, ótimo vivendo Manoel do Alpendre, que lhe rendeu inclusive, a última cena, a que finalizou a novela.
  • O personagem Daniel foi afastado por um tempo da novela bem como Guida passou a ter um comportamento mais agressivo o que permitiu maior identificação do público com o casal principal. Joana Fomm com sua melhor vilã, Eugênia Carlota, trouxe vida, a novela, no meio de sua exibição, fazendo com que seus índices de audiência aumentassem.
  • Reapresentada às 19h00 a partir de 11 de dezembro de 2006. As Pupilas foi reexibida durante quatro dias, sem apresentar resultado satisfatório, ficando em terceiro lugar, atrás da Rede Record. Assim, em 15 de dezembro, o SBT resolveu cancelar a reapresentação da novela, a explicação dada foi a de que houve problemas nos direitos autorais da trilha sonora da trama. No lugar, aumentaram a duração do capítulo de A Feia Mais Bela, que passou a ocupar o horário de As Pupilas, tanto que alguns telespectadores que assistiam a novela revoltaram-se com o cancelamento da exibição.[1]
  • A novela voltou a ser reprisada entre 7 de maio e 3 de agosto de 2007, às 15h15(e depois às 16h), numa versão compacta de 65 capítulos.

Referências

  1. «Cronologia 1995-1999» (PDF) 
  2. «As Pupilas do Senhor Reitor (1994)». Teledramaturgia. Consultado em 28 de dezembro de 2015 
  3. a b c d «A Pupilas do Senhor Reitor (1994) - Elenco». Teledramaturgia. Consultado em 7 de fevereiro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]