Eduardo (rapper)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Carlos Eduardo Taddeo)
Ir para: navegação, pesquisa
Eduardo (rapper)
Informação geral
Nome completo Carlos Eduardo Taddeo
Também conhecido(a) como O Locutor do Inferno, Eduardo[1]
Nascimento 24 de agosto de 1975 (39 anos)
Origem São Paulo
País  Brasil
Gênero(s) Rap, Gangsta Rap, Political rap, Horrorcore
Instrumento(s) Vocal
Período em atividade 1989 - presente
Outras ocupações Escritor
PalestranteFundação CASA
Gravadora(s) Só Monstro
Afiliação(ões) Dum-Dum
Facção Central
Influenciado(s) Thaíde
Página oficial Site oficial

Carlos Eduardo Taddeo[2] [3] (São Paulo, 24 de agosto de 1975), mais conhecido por Eduardo, é um cantor, escritor e compositor de rap brasileiro.

Considerado um dos melhores rappers do Brasil, foi um dos fundadores e líderes do grupo Facção Central, que era vocalista e compositor de todas as letras. Ele deixou o grupo em 2013 para trabalhar em uma carreira solo.[4]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Carlos Eduardo Taddeo[5] [6] é filho de uma faxineira que teve quatro filhos em dois casamentos. Moravam no Glicério, bairro antigo e popular do centro de São Paulo, conhecido pelos cortiços e pela pobreza. Seu pai biológico era descendente de italianos e empresário da noite, mas casado com outra mulher oficial, embora desse inicialmente assistência a mãe de Eduardo.[7]

No entanto, as dificuldades se agravaram com o afastamento gradativo do pai, que fizeram com que a mãe e os quatro filhos fossem morar em pensões, com banheiros coletivos.[7] Aposentada por invalidez, com o mal de Chagas, “às vezes ela pedia esmola ou cesta básica na igreja”.[7] Segundo depoimento pessoal, “às vezes, só tinha arroz e o feijão era aquela água”, o que o obrigava a ajudar a mãe pegando frutas e legumes nos fins de feira.[7]

Estudou em escola pública até a quinta série do ensino fundamental, tendo abandonado os estudos logo depois.[8] Míope, tinha vergonha de usar óculos. Suas roupas eram surradas e os tênis, velhos. Ganhava alguns trocados tomando conta de carro na rua.

Convivendo com o cotidiano do crime, a violência despertava nele um desejo de ser bandido. “Eu via os caras com tênis novos e queria ser criminoso”[7] Aos sete anos, "Carlos Eduardo Taddeo" furtou um toca-fitas e roubou dólares de um japonês[7] Noutra situação, foi parar na delegacia para averiguação de furto em um supermercado, mas saiu sem maiores consequências.[9] Aos nove anos, começou a se envolver com outros criminosos, levando e trazendo armas. Odiava álcool, mas não benzina, maconha e cocaína e Experimentou até Crack com 16 anos, fez Assaltos à mão Armada.

Eduardo atribui sua salvação do mundo do crime a um sujeito cujo apelido era Equipado, que era namorado de sua irmã e um pouco mais velho. Tinha esse apelido porque ia para a escola cheio das tralhas que roubava. Uma vez, Equipado mostrou um gravador com uma fita cassete da música "Corpo Fechado", de Thaíde & DJ Hum, que Eduardo escutou. “Aquilo me pegou”, ele conta. “Era uma coisa de falar rimando, que eu achei que podia fazer. Escrevi uma letra, mostrei para o Equipado, e ele disse que eu mandava bem. Daí não parei mais.”[7]

Dessa brincadeira, Eduardo perseguiu o sonho de ser rapper e, no fim da década de 1980, formou um grupo integrado por garotos de rua - entre os quais Washington Roberto Santana, mais conhecido como Dum-Dum - chamado "Esquadrão Menor". Sem conseguir engrenar, o grupo se desfez e Eduardo aceitou um convite do sogro, então maître do Hotel Hilton, para trabalhar como ajudante de cozinha.[7] [8] [9] Passou dois anos nessa função.

Ainda em 1989, ele funda o Facção Central com a formação de Nego (atualmente conhecido como Rapper Mag) e Jurandir - os dois últimos deixaram o grupo, enquanto Garga e Dum-Dum se juntaram a Eduardo e iniciaram as atividades do grupo. Manteve-se como líder e principal letrista do Facção Central até 18 de Março de 2013, quando comunicou oficialmente um vídeo no Youtube ao qual anunciava sua saída do grupo, devido a algumas desavenças pessoais e divergências ideológicas.

Outras atividades[editar | editar código-fonte]

Eduardo faz palestras por todo Brasil e periodicamente visita a Fundação Casa. Apesar de não ter concluído seu ensino fundamental ele incentiva em entrevistas, shows e palestras, os jovens da periferia a estudarem alegando que ter um diploma e estar bem informado é mais audacioso que portar metralhadoras.[10]

Em 2012, ele lançou A Guerra Não Declarada na Visão de um Favelado, seu primeiro livro.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Carreira solo

Com a Facção Central

Referências

  1. Carlos Eduardo Taddeo fala tudo o que o nosso país - Brasil sofre www.linha42.com.br-eventos. Visitado em 07 de agosto de 2009.
  2. Carlos Eduardo Taddeo entrevista no canal do Rap Nacional www.irdeb.ba.gov.br. Visitado em 07 de agosto de 2009.
  3. Carlos Eduardo Taddeo é um dos destaque do rap nacional no Brasil e um dos melhores rappers no país www.rapnacional.com.br. Visitado em 07 de agosto de 2009.
  4. Redação, Redação. Eduardo anuncia os 2 primeiros clipes do disco “A Fantástica Fábrica de Cadáver” www.rapnacionaldownload.com.br. Visitado em 07 de agosto de 2009.
  5. Rapper lança livro chamado A Guerra não declarada www.irdeb.ba.gov.br. Visitado em 07 de agosto de 2009.
  6. Carlos Eduardo Taddeo, vulgo Eduardo EX Facção Central é sinônimo de rap com alto teor de denúncia e protesto, Em recente entrevista exclusiva para o portal Rap Nacional revela maturidade e reflete sobre sua trajetória e o movimento hip-hop www.vermelho.org.br. Visitado em 2015-03-31.
  7. a b c d e f g h Rodolfo Tiengo Fernandes (28 de Novembro de 2012). Novos Rumos da Narrativa de Não-Ficção | O jornalismo literário na Revista Piauí Prof. Maria do Socorro Furtado Veloso, Rodolfo Tiengo Fernandes, Prof. Nilton Queiroz e Prof. Francisco de Assis Carvalho Arten. Visitado em 01 de Novembro de 2014.
  8. a b [www.irdeb.ba.gov.br Eduardo fala sobre infância e mostra fotos de seu pai ao jornalista Mauklouf - Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino - FAE por Rodolfo Tiengo Fernandes] www.irdeb.ba.gov.br. Visitado em 07 de agosto de 2009.
  9. a b Entrevista completa com Carlos Eduardo Taddeo a pedido do Roney Brown no fazbarulho.com.br
  10. EPIDEMIA RAP com Ferréz entrevista Eduardo Facção Central, Março de 2011
Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Eduardo