Hilda Furacão (minissérie)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre a minissérie produzida pela Rede Globo. Para o livro de Roberto Drummond, veja Hilda Furacão (livro).
Hilda Furacão
Informação geral
Formato Telenovela
Duração Entre 40 e 45 minutos aprox.
Criador(es) Glória Perez
Baseado em Hilda Furacão de Roberto Drummond
País de origem Brasil Brasil
Idioma original (Português)
Produção
Diretor(es) Wolf Maya
Narrador(es) Wolf Maya
Elenco Ana Paula Arósio
Rodrigo Santoro
Danton Mello
Paulo Autran
Eva Todor
Rogério Cardoso
Tema de abertura "Resposta ao Tempo", Nana Caymmi
Exibição
Emissora de televisão original Brasil Rede Globo
Transmissão original 27 de maio de 1998 - 23 de julho de 1998
N.º de episódios 32 (original)
32 (Canal Viva - primeira reexibição)
32 (Canal Viva - segunda reexibição)
5 (Novelão - Vídeo Show)
Cronologia
Dona Flor e Seus Dois Maridos
Labirinto

Hilda Furacão é uma minissérie brasileira que foi produzida e exibida pela Rede Globo entre 27 de maio e 23 de julho de 1998, totalizando 32 capítulos, substituindo Dona Flor e Seus Dois Maridos e sendo substituída por Labirinto[1].

Foi escrita por Glória Perez, baseada no romance homônimo de Roberto Drummond, teve direção de Wolf Maya, Maurício Farias e Luciano Sabino, direção geral de Wolf Maya.

A novela foi baseada no livro, que por sua vez, foi baseado na história de juventude da prostituta Hilda Maia Valentim, conhecida na zona boêmia de Belo Horizonte, como Hilda Furacão[2][3][4].

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Nascidos e crescidos juntos, Malthus, Aramel e Roberto ficaram conhecidos em Santana dos Ferros como "os três mosqueteiros". Com o término do ensino médio, os três seguem juntos para Belo Horizonte. Malthus queria ser santo e ir para o Convento dos Dominicanos; Aramel queria ser artista de cinema em Hollywood e Roberto sonhava em fazer a revolução que mudaria o mundo.

Ao som de "Túnel do Amor", de Celly Campello, conhecemos Hilda Müller, que, pronta para se casar, desiste, após surpreendente revelação da cartomante Madame Janete, e vai parar num prostíbulo de Belo Horizonte. Cercada por prostitutas, vagabundos, travestis e cafetões, ela entra no Maravilhoso Hotel e passa a ocupar o quarto 304. Mas o que levou a rica Hilda Müller a transformar-se na prostituta Hilda Furacão? Dentro desse contexto, o frei Malthus sente que poderia realizar um milagre: exorcizar o demônio de Hilda Furacão.

Uma grande manifestação popular para acabar com os prostíbulos põe em confronto a sociedade defensora da moral e dos bons-costumes, liderados por Loló Ventura, e os habitantes do Maravilhoso Hotel, que se intensifica com as presenças de Maria Tomba-Homem e Cintura Fina. Aumenta o duelo entre Hilda e o frei Malthus. Um conflito que envolve até interesses políticos dos poderosos da região, como Tonico Mendes, o excêntrico dono do Hotel Financial, onde mora com sua onça de estimação, Tereza.

Na tentativa de recuperar a moral de Hilda, frei Malthus escuta de Padre Nelson, seu maior orientador religioso, que se quisesse realmente ser santo, deveria ficar longe do vinho e das mulheres. Padre Nelson revela o que todos já sabiam: havia amor entre Hilda e Malthus. Uma forte atração entre a virtude e a imoralidade. Mas, afinal, o amor também não pode ocorrer em todos?

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ana Paula Arósio interpretou a protagonista Hilda.
Rodrigo Santoro interpretou o Frei Malthus.
Thiago Lacerda interpretou o ator Aramel.
Tereza Seiblitz interpretou a ingênua Gabriela.
Maria Maya interpretou a comunista Zora.
Ator Personagem
Ana Paula Arósio Hilda Furacão (Hilda Gualtieri Müller)[5]
Rodrigo Santoro Frei Malthus
Danton Mello Roberto Drummond
Thiago Lacerda Aramel
Rosi Campos Maria Tomba-Homem
Débora Duarte Sãozinha (Conceição Drummond)
Eva Todor Loló Ventura
Carlos Vereza Lorca
Arlete Salles Madame Janete
Paulo Autran Padre Nelson
Mário Lago Olavo
Tarcísio Meira Coronel Pocidônio
Stênio Garcia Tonico Mendes
Tereza Seiblitz Gabriela M
Zezé Polessa Neném
Walderez de Barros Ciana (Emerenciana Drummond)
Paloma Duarte Leonor
Cláudia Alencar Divinéia
Matheus Nachtergaele Cintura Fina
Marcos Frota Padre Geraldo
Cláudio Corrêa e Castro Mauro Garber
Eloísa Mafalda Clotilde
Jackson Antunes Inspetor Eduardo
José Lewgoy Tenente Benedito
Otávio Müller Delegado Bernardo
Paulo Betti Delegado Renciso
Eliane Giardini Berta
Luís Mello Padre Ciro
Rogério Cardoso Ventura
Tatiana Issa Dorinha
Roberto Bonfim Coronel Filogônio Flores
Maria Maya Zora
Cininha de Paula Lucianara
Carolina Kasting Bela B
Sérgio Loroza M.C.
Chico Diaz Orlando Bonfim
Marcos Oliveira Zé Viana
Anselmo Vasconcellos Jabuti
Guilherme Karan João Dindim
Carlos Gregório Alencastro
Walther Verve Alves
Daniel Boaventura Zico
Ricardo Blat Cidinho
Henri Pagnocelli Müller
Mara Manzan Nevita
Ivan Cândido Delegado Procópio
Pedro Brício Juca
Suzana Gonçalves Yara Tupinambá
Caio Junqueira Demétrio
Dary Reis Nilson Sargento
Iara Jamra Beata Fininha
Marilena Cury Alição
Yachmin Gazal Alicinha
Elaine Mickely Rosa
Luís Cláudio Jr. Dudu
Pedro Salomão Perrini Sakhabuth Frei Malthus(criança)

Reexibições[editar | editar código-fonte]

Foi reexibida na íntegra pelo Canal Viva de 24 de agosto a 6 de outubro de 2010, substituindo Memorial de Maria Moura e sendo substituída por Engraçadinha: Seus Amores e Seus Pecados, às 23h45[6].

Foi reexibida novamente na íntegra pelo Canal Viva de 19 de novembro de 2013 a 2 de janeiro de 2014, substituindo O Primo Basílio e sendo substituída por O Quinto dos Infernos, às 23h10[7].

Foi reexibida no quadro Novelão, dentro do programa vespertino Vídeo Show, entre 16 e 20 de novembro de 2015, substituindo outra minissérie, Sex Appeal, num compacto de 5 capítulos, e sendo substituída pela também minissérie O Primo Basílio.

DVD[editar | editar código-fonte]

Em julho de 2002 foi lançada em DVD pela Globo Vídeos, compactada em 3 discos de 12 horas[8].

Exibição Internacional[editar | editar código-fonte]

Hilda Furacão foi vendida para países como:

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «A socialite que virou prostituta». Folha de São Paulo. 24 de maio de 1998. Consultado em 26 de agosto de 2017 
  2. Exclusivo: EM encontra Hilda Furacão vivendo em um asilo em Buenos Aires Jornal EM (Estado de Minas)
  3. Hilda Furacão vive sozinha em um asilo para pobres na argentina Jornal Folha (Folha de S.Paulo)
  4. Hilda Furacão lembra momentos de glória e decadência ao lado do marido Divirta-se Caderno Digital do Estado de Minas
  5. http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/787694-ana-paula-arosio-volta-como-a-desafiadora-hilda-furacao.shtml
  6. «Ana Paula Arósio volta como a desafiadora "Hilda Furacão"». Folha Ilustrada. 24 de agosto de 2010. Consultado em 10 de junho de 2016 
  7. «Sucesso em 1998, minissérie "Hilda Furacão" será reprisada». F5. 12 de outubro de 2013. Consultado em 10 de junho de 2016 
  8. «"Hilda Furacão" é lançada em DVD». Estadão. 8 de julho de 2002. Consultado em 26 de agosto de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]