Tutmés I

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Tutmés I

Tutmés I ou Tutmósis I (reinou de 1494 a 1482 a.C.) é o nome dado por historiadores modernos para um faraó da décima oitava dinastia do Egito Antigo. Seu antecessor foi Amenófis I Djeserkara e seu sucessor foi Aakheperenra Tutmés II.[1]

Dinastia[editar | editar código-fonte]

Sendo o terceiro governante da 18ª dinastia, existem teorias sobre esse rei porque Amenófis I não deixou herdeiros. Ele deve ter sido um homem comum pelo nascimento mas um importante militar, certamente um comandante durante o governo de Amenófis I.

Nome[editar | editar código-fonte]

Desde cerca de 2000 a.C., os faraós tinham cinco nomes, quatro destes ele recebia quando se tornava rei, e o quinto que ele recebia ao nascer. Os nomes de Tutmés I eram:[1]

  • Hórus amado touro, amante da verdade (o nome de Hórus, manifestação do falcão celeste)
  • Aquele das duas damas, erguido com a serpente de fogo, grande em força (porque o Egito era dividido em dois, representado pela deusa-cobra Wadjet e a deusa-abutre Nekhbet)
  • Hórus de ouro, perfeito em anos, aquele que faz os corações viverem (o nome do Hórus dourado, representando a eternidade)
  • Aquele do papiro e da abelha Aakheperkara (papiro e abelha representam, respectivamente, o Alto e Baixo Egito)
  • Filho de Tutmés que vive para sempre (o nome pessoal, como filho do deus-Sol Rá)

Reinado[editar | editar código-fonte]

As datas variam conforme a documentação. Tutmés I deve ter sido coroado em 1526 a.C. Mâneton registra que o reinado de Tutmés I durou 12 anos e 9 meses (13 ou anos). Essa data coincide com duas inscrições dos anos 8 e 9 de seu reinado num cartucho encontrado num bloco de pedra em Karnak. Temos que seu reinado foi de 1526 a.C. até 1513 a.C.

Família[editar | editar código-fonte]

De fato se sabe que sua mãe era Senseneb, que pode ter sido uma esposa menor ou concubina. Não se sabe sobre seu pai.

Ele casou com Ahmose que provavelmente era irmã de Amenófis I e filha de Amósis com a rainha Amósis-Nefertari (que ainda mantinha o título de Esposa do Deus Amon durante o reinado de seu neto). É possível que Tutmés já fosse co-governante no reinado de Amenófis I porque foi encontrada uma barca de alabastro onde o nome de Tutmés está associado ao de Amenófis I muito antes da morte desse último.

O primeiro filho de Tutmés com Ahmose, de nome Amenmose nasceu muito antes da coroação do pai. Ele pode ser visto numa estela do quarto ano do reinado de Tutmés e se tornou o “grande comandante do exército de seu pai” antes de sua morte, ele morreu antes de seu pai (que faleceu no 12º ano de governo). Tutmés teve outro filho, Wadjmose e duas filhas Hatshepsut e Neferubity com Ahmose. Wadjmose morreu antes de seu pai e Neferubity morreu ainda criança.

Tutmés teve um filho com outra esposa menor, Mutnofret, esse filho será Tutmés II. Pesquisas de DNA conduzidas pelo Dr. Scott Woodward indicam que Tutmés I era filho natural de Amenófis *[Ihttp://www.egyptstudy.org/ostracon/archives/Greenf_WoodwDNA_June2001.pdf] portanto sua mãe poderia ser uma esposa menor.

Governo[editar | editar código-fonte]

O governo de Tutmés I foi um tempo de estabilidade para o Egito. Suas campanhas militares foram brilhantes e é possível que ele já tivesse tudo preparado desde os últimos anos de seu antecessor. Ele penetrou na Núbia além da terceira catarata do Nilo. No delta, lutou contra os sírios e alcançou o rio Eufrates. Todas essas campanhas abriram novos horizontes para o Egito no comércio e na diplomacia.

estela de Tutmés I

Obras[editar | editar código-fonte]

Na estela de Abidos estão mencionadas obras em Tebas. Seu arquiteto Ineni fez aumentos no templo de Amon em Karnak, estátuas e um dos maiores obeliscos do Egito. Construiu uma sala hipostila, com colunas inteiramente em cedro, também contribuiu com obras no templo de Osíris com objetos de culto e estátuas. Há obras suas em Elefantina, Armant, Ombos, el-Hiba, Menfis e Edfu. Além disso há monumentos na Núbia e no Sinai.

Túmulo[editar | editar código-fonte]

Aparentemente Tutmés I foi sepultado em duas tumbas diferentes no Vale dos Reis, na margem oeste em Luxor. Parece que primeiro ele foi sepultado na KV 20 que deve ter sido a tumba feita para ele e sua filha Hatshepsut. Nessa tumba foram encontrados dois sarcófagos de quartzito amarelo, um com inscrições para o rei e outro para sua filha. No entanto quando Victor Loret investigou a KV 38, em 1899, encontrou o sarcófago de Tutmés I. É possível que seu neto Tutmés III tenha removido o corpo de seu avô mas o fato é que seus restos mortais foram encontrados num cache, junto com outros em Deir el-Bahri.

Sucessor[editar | editar código-fonte]

Seu filho Tutmés II.

Referências

  1. a b Jona Lendering, Egyptian Pharaos [em linha]

Referências

Precedido por
Amenófis I
Faraó
XVIII Dinastia
Sucedido por
Tutmés II