NEO

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde dezembro de 2013)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.

NEO é o acrónimo para a expressão inglesa Near-Earth Object cuja tradução para português significa Objectos Próximos da Terra. Esta definição inclui os corpos celestes (asteróides, cometas e grandes meteoróides) cuja órbita intersecta a órbita da Terra, o que introduz o risco de colisão. Devido à sua proximidade os NEOs são também os corpos mais facilmente acessíveis para as naves espaciais da Terra, e muito importantes para a investigação científica e desenvolvimento comercial.

Devido ao risco potencial que estes corpos representam, o Congresso dos Estados Unidos incumbiu a NASA de catalogar todos os NEO's com pelos menos 1 km de envergadura; foi estimado que colisões de corpos a partir deste tamanho podem ser catastróficas com consequências a nível global diversas. Existe um total de aproximadamente 500 corpos destes já catalogados.

Actualmente os Estados Unidos e a União Europeia, entre outras nações, esforçam-se em conjunto para rastrear NEOs num projecto conhecido como Spaceguard.

Detecções[editar | editar código-fonte]

O asteróide 2004 FH em trânsito perto da Terra. O flash móvel que surge por momentos deve-se a um satélite artificial .

A 18 de Março de 2004 ocorreu a aproximação de um NEO mais próxima de que há registo. O asteróide 2004 FH, de 30 metros de diâmetro, passou a cerca de um décimo da distância da Lua, a cerca de 43 000 km acima da superfície da Terra. A detecção deu-se apenas com três dias de antecedência; embora este prazo pareça curto demais, justifica-se pelas reduzidas dimensões do asteróide. Presume-se que um corpo de maiores dimensões possa ser detectado com maior antecedência.

Apenas duas semanas depois, a 31 de Março do mesmo ano, o asteróide 2004 FU162 registava um novo recorde de aproximação, passando a apenas 6 500 km de distância da Terra (aproximadamente sessenta vezes mais próximo que a Lua). A detecção ocorreu apenas a escassas horas da ocorrência, embora o seu tamanho fosse desprezível — menos de 10 metros — já que provavelmente seria desintegrado durante a entrada na atmosfera terrestre.

Objectos com as proporções destes dois são tipicamente classificados de meteoróides em detrimento da designação de asteróide.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]