Transversal de Chacim

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Transversal de Chacim
Estação de Macedo de Cavaleiros, em 1923.
Bitola: Bitola estreita
Unknown route-map component "exnSTR+l" Unknown route-map component "exnKSTReq"
L.ª TuaBragança (dem.)
Unknown route-map component "exnSTR" + Unknown route-map component "exlBHF"
Macedo de Cavaleiros
Unknown route-map component "exnKSTRaq" Unknown route-map component "exnABZgr"
L.ª TuaTua
Unknown route-map component "exnSTR" + Unknown route-map component "exlBHF"
Chacim
Unknown route-map component "exnABZg+l" Unknown route-map component "exnKSTReq"
L.ª SaborDuas Igrejas - Miranda (dem.)
Unknown route-map component "exnSTR" + Unknown route-map component "exlBHF"
Mogadouro
Unknown route-map component "exnKSTRaq" Unknown route-map component "exnSTRr"
L.ª SaborPocinho (dem.)

A Transversal de Chacim foi um projecto abandonado para ligar Macedo de Cavaleiros, na Linha do Tua, a Mogadouro, na Linha do Sabor, em Portugal.

Mapa do Plano de 1930, incluindo o projecto da Transversal de Chacim.

História[editar | editar código-fonte]

O Decreto n.º 18:190, de 28 de Março de 1930, veio reorganizar a rede ferroviária, e estabeleceu novas bases para os projectos de novas linhas; um dos caminhos de ferro classificados foi a Transversal de Chacim, de Macedo de Cavaleiros ao Mogadouro, passando por Chacim.[1] Esta linha seria uma das várias do planeado sistema transversal de Trás-os-Montes, que ligaria as 4 linhas transmontanas (Tâmega, Corgo, Tua e Sabor) entre si e com o Porto de Leixões.[1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b PORTUGAL. Decreto n.º 18:190, de 28 de Março de 1930. Ministério do Comércio e Comunicações - Direcção Geral de Caminhos de Ferro - Divisão Central e de Estudos - Secção de Expediente, Publicado na Série I do Diário do Governo n.º 83, de 10 de Abril de 1930.



Ícone de esboço Este artigo sobre transporte ferroviário é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.