Ramal da Siderurgia Nacional

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo ou secção necessita de referências de fontes secundárias fiáveis publicadas por terceiros (desde abril de 2012).
Por favor, melhore-o, incluindo referências mais apropriadas vindas de fontes fiáveis e independentes.
Fontes primárias, ou que possuem conflito de interesse geralmente não são suficientes para se escrever um artigo em uma enciclopédia.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ramal da Siderurgia Nacional
Bitola: Bitola larga
Non-passenger head station
3,788 Siderurgia Nacional
Unknown route-map component "SKRZ-G2u"
EN10
Unknown route-map component "SKRZ-G2o"
Unknown route-map component "CONTgq" Unknown route-map component "ABZg+r"
L.ª SulCampolide A
Unknown route-map component "LSTR"
(troço comum)
Station on track
0,000 Coina
Continuation forward
L.ª SulTunes

O Ramal da Siderurgia Nacional é uma recente via ferroviária em bitola ibérica que liga a Estação Ferroviária de Coina à Siderurgia Nacional, no município do Seixal, na Grande Lisboa, em Portugal, concluída a construção em Março de 2008, para transporte de mercadorias.

Caracterização e serviços[editar | editar código-fonte]

O Ramal da Siderurgia Nacional apenas opera ao transporte de mercadorias entre o Parque Industrial do Seixal e a restante rede ferroviária nacional. Possui uma extensão de 3788 m, derivando da Linha V da Estação de Coina com 795 m. No extremo sul deste ramal, a via entronca com a Linha do Sul, dando acesso à Rede Ferroviária Nacional. O troço encontra-se electrificado, sinalizado e com sistemas de Controlo Automático de Velocidade em todo o seu percurso.

As obras de engenharia são apenas duas: uma passagem superior e outra inferior, sendo que a inferior intercepta a EN10.

Orçamentação e construção[editar | editar código-fonte]

Esta obra teve um custo total de 15 milhões de euros, e foi projectada pela empresa Ferbritas. A construção civil foi feita pelo consórcio Somague / Neopul por 5 075 000,00 €, a fiscalização pela Atkins, e os sistemas de sinalização/telecomunicações, CONVEL e Rádio Solo-Comboio pelas empresas Thales, Bombardier e NEC, no valor de 2 046 000,00 €.

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

REFER. «Ramal da Siderurgia Nacional» 

Ícone de esboço Este artigo sobre transporte ferroviário é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.