Linha F (Metro do Porto)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Metro do Porto linha F.svg Linha F
Mapa
Inauguração 2 de Janeiro de 2011.[[1]]
Estações 24
Extensão 7.140 m
Estado em serviço
Urban head station
Senhora da Hora(interface: Linhas B, C e E)
Urban stop on track
Sete Bicas
Urban stop on track
Viso
Urban stop on track
Ramalde
Urban stop on track
Francos
Urban stop on track
Casa da Música
Urban stop on track
Carolina Michaëlis
Urban stop on track
Lapa
Unknown route-map component "uTHSTo"
Trindade(interface: Linha D)
Urban stop on track
Bolhão
Urban stop on track
Campo 24 de Agosto
Urban stop on track
Heroísmo
Urban stop on track
Logo CP 2.svg BSicon lDAMPF.svg Campanhã(interface: Linhas C)
Urban stop on track
Estádio do Dragão(interface: Linhas A, B e E)
Urban stop on track
Logo CP 2.svg BSicon lDAMPF.svg Contumil
Urban stop on track
Nasoni
Urban stop on track
Nau Vitória
Urban stop on track
Levada
Urban stop on track
Logo CP 2.svg BSicon lDAMPF.svg Rio Tinto
Urban stop on track
Campainha
Urban stop on track
Baguim
Urban stop on track
Carreira
Urban stop on track
Venda Nova
Urban End station
Fânzeres

Porto Metro logo.svg Metro do Porto linha F.svg Senhora da Hora - Fânzeres

Nome popular: Linha de Rio Tinto
Tempo de viagem: 39 minutos
Melhor frequência: 10 minutos

A Linha F, ou Linha Laranja conhecida por linha de Rio Tinto, é desde janeiro de 2011, a sexta linha a operar pela Metro do Porto, em Portugal, que liga Fânzeres (Gondomar) a Campanhã e que efetua serviço no tronco comum até à Senhora da Hora. A abertura da linha acrescentou 10 novas estações à rede existente.

História[editar | editar código-fonte]

Com a consignação da empreitada de construção da Linha de Rio Tinto ao consórcio Somague / Soares da Costa / Mota Engil / Monte Adriano / Efacec, arrancou a Segunda Fase do sistema do Metro do Porto. O troço Estádio do Dragão – Fânzeres da Linha de Rio Tinto é o primeiro de um conjunto de investimentos programado para os próximos anos e que virão praticamente duplicar a actual extensão da rede do Metro do Porto.

A construção da Linha de Rio Tinto, adjudicada àquele consórcio pelo valor de 97,5 milhões de euros, tem um prazo de execução de 560 dias. O valor total deste investimento, incluindo projecto e expropriações, ascende a 135 milhões de euros. Esta nova linha de Metro, servindo a zona Este da Área Metropolitana do Porto, tem um comprimento de 7,1 quilómetros e integra 10 novas estações de superfície.

O traçado definido entre a Estação Estádio do Dragão e a Estação de Fânzeres, serve zonas de elevada densidade populacional. Entre aquelas duas estações, a linha descreve um «V» invertido: partindo da freguesia de Campanhã, ainda no Porto, segue para Norte até Rio Tinto e Baguim do Monte, descendo depois até Cabanas. Cerca de um quilómetro do trajecto faz-se em túnel – cruzando a fronteira entre o Porto e Gondomar e evitando conflitos com as linhas da CP e com a Estrada da Circunvalação.

Todas as estações do Metro construídas no concelho de Gondomar vão ser servidas por parques de estacionamento. Cada qual terá uma capacidade média de cem lugares, promovendo a intermodalidade e facilitando a entrada no sistema.

Metro do Porto a chegar à estação de Baguim.

Caraterização[editar | editar código-fonte]

Com a consignação da empreitada de construção da Linha de Rio Tinto ao consórcio Somague / Soares da Costa / Mota Engil / Monte Adriano / Efacec, arrancou a Segunda Fase do sistema do Metro do Porto. O troço Estádio do Dragão – Fânzeres da Linha de Rio Tinto é o primeiro de um conjunto de investimentos programado para os próximos anos e que virão praticamente duplicar a actual extensão da rede do Metro do Porto.

A construção da Linha F, adjudicada àquele consórcio pelo valor de 97,5 milhões de euros, tem um prazo de execução de 560 dias. O valor total deste investimento, incluindo projecto e expropriações, ascende a 135 milhões de euros. Esta nova linha de Metro, servindo a zona Este da Área Metropolitana do Porto, tem um comprimento aproximado de 7 quilómetros e integra 10 novas estações de superfície.

O traçado definido entre a Estação Estádio do Dragão e a Estação de Fânzeres, serve zonas de elevada densidade populacional. Entre aquelas duas estações, a linha descreve um «V» invertido: partindo da freguesia de Campanhã, ainda no Porto, segue para Norte até Rio Tinto e Baguim do Monte, descendo depois até Cabanas. Cerca de um quilómetro do trajecto faz-se em túnel – cruzando a fronteira entre o Porto e Gondomar e evitando conflitos com as linhas da CP e com a Estrada da Circunvalação.

À superfície, a integração do Metro na paisagem é feita de um modo ambientalmente harmonioso e seguro. O relatório de conformidade ambiental, aprovado pela Agência Portuguesa do Ambiente, valida todas as opções do projectista em matéria de inserção urbana.

Esta passagem carece de fontes

Todas as estações do Metro construídas no concelho de Gondomar vão ser servidas por parques de estacionamento. Cada qual terá uma capacidade média de cem lugares, promovendo a intermodalidade e facilitando a entrada no sistema.

Veículos[editar | editar código-fonte]

Esta Linha é servida pelos Flexity Outlook Eurotram da série 001-072 da Metro do Porto.

Entrada ao serviço[editar | editar código-fonte]

A abertura comercial da linha laranja até Fânzeres foi a 2 de janeiro de 2011.[2]

Durante 2 dias, a Metro do Porto ofereceu viagens entre Contumil e a estação terminal, Fânzeres, para que a população pudesse conhecer a nova linha. [3]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Linha F (Metro do Porto)