Linha do Sorraia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o projecto abandonado para ligar Ponte de Sor a Lisboa. Se procura o projecto abandonado com o mesmo nome para servir a vila de Avis, veja Ramal de Avis.
Linha do Sorraia
Estação de Quinta Grande
Bitola:Bitola larga
Unknown route-map component "STR+l" Unknown route-map component "CONTfq"
L.ª do LesteBadajoz
Unknown route-map component "eBHF"
Ponte de Sor
Unknown route-map component "CONTgq" Unknown route-map component "xABZgr"
L.ª do LesteAbrantes
Unknown route-map component "exBHF"
Couço
Unknown route-map component "CONTgq" Unknown route-map component "xABZg+r"
L.ª de V. NovasSetil
Unknown route-map component "eBHF"
Quinta Grande
Unknown route-map component "xABZgl" Unknown route-map component "CONTfq"
L.ª de V. NovasVendas Novas
Unknown route-map component "exBHF"
Alcochete
Unknown route-map component "exABZgl+l" Unknown route-map component "exCONTfq"
Ramal do MontijoPinhal Novo
Unknown route-map component "exWBRÜCKE"
Ponte de Montijo × R. Tejo
Unknown route-map component "exCONTgq" Unknown route-map component "exSTRr"
Lisboa

A Linha do Sorraia foi um troço ferroviário planeado mas nunca construído em Portugal, que tinha como objectivo ligar Lisboa a Ponte de Sor, utilizando uma ponte de grandes dimensões sobre o Rio Tejo, e passando por Alcochete, Quinta Grande e Couço.

História[editar | editar código-fonte]

Desde os inícios do Século XX que tinham surgido vários projectos com o nome de Linha do Sorraia ou Ramal de Aviz, com o objectivo de dotar a vila de Avis com transporte ferroviário.[1]

O Decreto n.º 18:190, de 28 de Março de 1930, reorganizou a rede ferroviária nacional, e estabeleceu novas bases para os troços ferroviários planeados; assim, foi reintroduzido o Ramal de Avis, entre Fronteira e a Estação de Cabeção, e a denominação de Linha do Sorraia foi atribuída a um projecto de via larga, de Ponte de Sor a Lisboa, passando por Couço, Quinta Grande, e Alcochete, com uma ligação ao Ramal do Montijo; a travessia do Rio Tejo seria feita pela Ponte de Montijo, de grandes dimensões.[2]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Linhas do Valle do Sorraia» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 16 (370). 164 páginas. 16 de Maio de 1903. Consultado em 15 de Março de 2015 
  2. PORTUGAL. Decreto n.º 18:190, de 28 de Março de 1930. Ministério do Comércio e Comunicações - Direcção Geral de Caminhos de Ferro - Divisão Central e de Estudos - Secção de Expediente, Publicado na Série I do Diário do Governo n.º 83, de 10 de Abril de 1930.



Ícone de esboço Este artigo sobre transporte ferroviário é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.