Lista de recordes da Fórmula 1

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Lista dos recordes da Fórmula 1, desde 1950.

Recordes de construtores[editar | editar código-fonte]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Equipes Campeãs do Mundial de Pilotos[editar | editar código-fonte]

Equipes Campeãs do Mundial de Construtores[editar | editar código-fonte]

GPs disputados[editar | editar código-fonte]

Equipe Temporadas GPs Largadas
1 Itália Ferrari 1950-presente 960 958
2 Reino Unido McLaren 1966-presente 834 830
3 Reino Unido Williams 1978-presente 687 686
4 Reino Unido Lotus 1958-1994 491 489
5 Suíça/Alemanha Sauber[1] 1993-presente 453 450
6 Reino Unido Tyrrell 1970-1998 433 430
7 Reino Unido Brabham 1962-1987, 1989-1992 403 394
8 Reino Unido Arrows[2] 1978-2002 394 383
9 França Renault 1977-1985, 2002-2011, 2016-presente 353 350
10 Itália Minardi 1985-2005 346 340

Vitórias[editar | editar código-fonte]

Equipe Temporadas Largadas Vitórias Percentagem
1 Itália Ferrari 1950-presente 958 232 24,2%
2 Reino Unido McLaren 1966-presente 830 182 21,9%
3 Reino Unido Williams 1978-presente 686 114 16,6%
4 Reino Unido Lotus 1958-1994 489 79 16,2%
5 Alemanha Mercedes 1954-1955, 2010-presente 178 80 44,6%
6 Áustria Red Bull 2005-presente 253 58 22,9%
7 Reino Unido Brabham 1962-1987, 1989-1992 394 35 8,9%
8 França Renault 1977-1985, 2002-2011, 2016-presente 350 35 10,1%
9 Reino Unido/Itália[3] Benetton 1986-2001 260 27 10,4%
10 Reino Unido Tyrrell 1970-1998 430 23 5,3%

Pole positions[editar | editar código-fonte]

Equipes Temporadas Total de GPs Poles Percentagem
1 Itália Ferrari 1950-presente 955 216 22,6%
2 Reino Unido McLaren 1966-presente 791 155 18,7%
3 Reino Unido Williams 1978-presente 682 128 18,8%
4 Reino Unido Lotus 1958-1994 491 107 21,8%
5 Alemanha Mercedes 1954-1955, 2010-presente 172 90 52,32%
6 Áustria Red Bull 2005-presente 249 58 23,3%
7 França Renault 1977-1985, 2002-2011, 2016-presente 348 51 14,7%
8 Reino Unido Brabham 1962-1987, 1989-1992 403 39 9,7%
9 Reino Unido/Itália[4] Benetton 1986-2001 260 15 5,8%
10 Reino Unido Tyrrell 1970-1998 433 14 3,2%

Voltas mais rápidas[editar | editar código-fonte]

Equipe Temporadas Total de GPs Voltas mais rápidas Percentagem
1 Itália Ferrari 1950-presente 917 233 25,41%
2 Reino Unido McLaren 1966-presente 790 152 19,24%
3 Reino Unido Williams 1978-presente 645 133 20,62%
4 Reino Unido Lotus 1958-1994 491 71 14,46%
5 Áustria Red Bull 2005-presente 213 49 23,00%
6 Alemanha Mercedes 1954-1955, 2010-presente 160 53 33,13%
7 Reino Unido Brabham 1962-1987, 1989-1992 394 41 10,41%
8 Reino Unido/Itália[5] Benetton 1986-2001 260 36 13,85%
9 França Renault 1977-1985, 2002-2011, 2016-presente 313 31 9,90%
10 Reino Unido Tyrrell 1970-1998 430 20 4,65%

Pódios[editar | editar código-fonte]

Quantidade de vezes que algum piloto da equipe subiu ao pódio, podendo contar mais de um por corrida.
Equipes Temporadas Total de GPs Pódios
totais*
Pódios
corridas
Percentagem
1 Itália Ferrari 1950-presente 917 705 529 57,69%
2 Reino Unido McLaren 1966-presente 790 485 391 49,49%
3 Reino Unido Williams 1978-presente 645 311 242 37,52%
4 Reino Unido Lotus 1958-1994 491 172 157 31,98%
5 Reino Unido Brabham 1962-1987, 1989-1992 394 124 106 26,90%
6 Áustria Red Bull 2005-presente 213 124 90 42,25%
7 Alemanha Mercedes 1954-1955, 2010-presente 137 108 70 51,09%
8 Reino Unido/Itália[6] Benetton 1986-2001 260 102 94 36,15%
9 França Renault 1977-1985, 2002-2011, 2016-presente 313 100 88 28,12%
10 Reino Unido Tyrrell 1970-1998 430 77 66 15,35%

Pontos[editar | editar código-fonte]

Equipe Temporadas Campeonato de Construtores Campeonato de Pilotos
1 Itália Ferrari 1950-presente 7296,5 8198,27
2 Reino Unido McLaren 1966-presente 5182,5 5500,5
3 Reino Unido Williams 1978-presente 3424 3430
4 Áustria Red Bull 2005-presente 3943,5 3943,5
5 Alemanha Mercedes 1954-1955, 2010-presente 3828 3967,14
6 França Renault 1977-1985, 2002-2011, 2016-presente 1418 1418
7 Reino Unido Lotus 1958-1994 1368 1514
8 Índia Force India 2008-presente 1013 1013
9 Reino Unido Brabham 1962-1987, 1989-1992 864 983
10 Reino Unido/Itália[7] Benetton 1986-2001 851,5 861,5

*A contagem dos pontos varia de acordo com os regulamentos de cada época.

Recordes de pilotos[editar | editar código-fonte]

Atualizado em 25/11/2018

Títulos[editar | editar código-fonte]

Pilotos Campeões do Mundial de Pilotos[editar | editar código-fonte]

Pilotos Campeões do Mundial de Construtores[editar | editar código-fonte]

Número de GPs[editar | editar código-fonte]

O GP é contado se o piloto completa os treinos antes da prova com um lugar no grid. É considerado que o piloto começou um GP se ele fizer parte do grid de largada. Se a prova é paralisada e re-começada, só a segunda largada é considerada.

Total de GPs[editar | editar código-fonte]

Piloto Temporadas Total de GPs
1 Brasil Rubens Barrichello 19932011 323
2 Espanha Fernando Alonso 2001, 20032018 314
3 Inglaterra Jenson Button 20002017 309
4 Alemanha Michael Schumacher 19912006, 20102012 308
5 Finlândia Kimi Raikkonen 20012009, 2012–presente 294
6 Brasil Felipe Massa 2002, 20042017 272
7 Itália Riccardo Patrese 19771993 257
8 Itália Jarno Trulli 19972011 256
9 Escócia David Coulthard 19942008 247
10 Itália Giancarlo Fisichella 19962009 231

GPs iniciados[editar | editar código-fonte]

Piloto Temporadas GPs Iniciados
1 Brasil Rubens Barrichello 19932011 322
2 Espanha Fernando Alonso 2001, 20032018 312
3 Inglaterra Jenson Button 20002017 307
4 Alemanha Michael Schumacher 19912006, 20102012 306
5 Finlândia Kimi Raikkonen 20012009, 2012–presente 292
6 Brasil Felipe Massa 2002, 20042017 270
7 Itália Riccardo Patrese 19771993 256
8 Itália Jarno Trulli 19972011 252
9 Escócia David Coulthard 19942008 246
10 Itália Giancarlo Fisichella 19962009 229

Vitórias[editar | editar código-fonte]

Piloto Temporadas Total de GPs Vitórias
1 Alemanha Michael Schumacher 19912006, 20102012 308 91
2 Inglaterra Lewis Hamilton 2007–presente 229 73
3 Alemanha Sebastian Vettel 2007–presente 220 52
4 França Alain Prost 19801991, 1993 202 51
5 Brasil Ayrton Senna 19841994 162 41
6 Espanha Fernando Alonso 2001, 20032018 314 32
7 Inglaterra Nigel Mansell 19801992, 19941995 191 31
8 Escócia Jackie Stewart 19651973 100 27
9 Escócia Jim Clark 19601968 73 25
9 Áustria Niki Lauda 19711979, 19821985 177 25

Pole Position[editar | editar código-fonte]

Piloto Temporadas Total de GPs Poles
1 Inglaterra Lewis Hamilton 2007–presente 229 83
2 Alemanha Michael Schumacher 19912006, 20102012 308 68
3 Brasil Ayrton Senna 19841994 162 65
4 Alemanha Sebastian Vettel 2007-presente 220 55
5 Escócia Jim Clark 19601968 73 33
5 França Alain Prost 19801991, 1993 202 33
7 Inglaterra Nigel Mansell 19801992, 19941995 191 32
8 Alemanha Nico Rosberg 20062016 206 30
9 Argentina Juan Manuel Fangio 19501951, 19531958 52 29
10 Finlândia Mika Hakkinen 19912001 165 26

Voltas mais rápidas[editar | editar código-fonte]

Piloto Temporadas Total de GPs Voltas mais rápidas
1 Alemanha Michael Schumacher 19912006, 20102012 308 77
2 Finlândia Kimi Räikkönen 20012009, 2012–presente 294 46
3 França Alain Prost 19801991, 1993 202 41
3 Inglaterra Lewis Hamilton 2007–presente 229 41
5 Alemanha Sebastian Vettel 2007-presente 220 36
6 Inglaterra Nigel Mansell 19801992, 19941995 191 30
7 Escócia Jim Clark 19601968 73 28
8 Finlândia Mika Hakkinen 19912001 165 25
9 Áustria Niki Lauda 19711979, 19821985 177 24
10 Argentina Juan Manuel Fangio 19501951, 19531958 52 23
10 Brasil Nelson Piquet 19781991 208 23
10 Espanha Fernando Alonso 2001, 20032018 314 23

Recordes múltiplos[editar | editar código-fonte]

Poles convertidas em vitórias[editar | editar código-fonte]

Piloto Quantidade
1 Inglaterra Lewis Hamilton 48
2 Alemanha Michael Schumacher 40
3 Alemanha Sebastian Vettel 31
4 Brasil Ayrton Senna 29
5 França Alain Prost 18
6 Inglaterra Nigel Mansell 17
7 Argentina Juan Manuel Fangio 15
7 Escócia Jim Clark 15
7 Alemanha Nico Rosberg 15
10 Espanha Fernando Alonso 14

Maior número de hat-tricks (Pole-position, melhor volta e vitória numa mesma corrida)[editar | editar código-fonte]

Piloto Quantidade
1 Alemanha Michael Schumacher 22
2 Inglaterra Lewis Hamilton 14
3 Escócia Jim Clark 11
4 Argentina Juan Manuel Fangio 9
5 França Alain Prost 8
Alemanha Sebastian Vettel
7 Itália Alberto Ascari 7
Brasil Ayrton Senna
9 Inglaterra Nigel Mansell 5
Inglaterra Damon Hill
Finlândia Mika Häkkinen
Espanha Fernando Alonso
13 Inglaterra Stirling Moss 4
Bélgica Jacky Ickx
Escócia Jackie Stewart
Brasil Felipe Massa
17 Inglaterra John Surtees 3
Austrália Jack Brabham
Áustria Niki Lauda
Brasil Nelson Piquet
Alemanha Nico Rosberg
22 Inglaterra Graham Hill 2
Inglaterra James Hunt
Estados Unidos Mario Andretti
França Jacques Laffite
Austrália Alan Jones
Áustria Gerhard Berger
Canadá Jacques Villeneuve
Brasil Rubens Barrichello
Finlândia Kimi Raikkonen
29 Itália Giuseppe Farina 1
Estados Unidos Bill Vukovich
Inglaterra Mike Hawthorn
Inglaterra Tony Brooks
Estados Unidos Phil Hill
Áustria Jochen Rindt
Suíça Jo Siffert
Suíça Clay Regazzoni
Suécia Ronnie Peterson
Canadá Gilles Villeneuve
Argentina Carlos Reutemann
Escócia David Coulthard
Colômbia Juan Pablo Montoya
Inglaterra Jenson Button
Finlândia Valtteri Bottas

Maior número de grand-chelem (Hat-Trick com direito a vitória de ponta a ponta)[editar | editar código-fonte]

Piloto Quantidade
1 Escócia Jim Clark 8
2 Itália Alberto Ascari 5
Alemanha Michael Schumacher
Inglaterra Lewis Hamilton
5 Escócia Jackie Stewart 4
Brasil Ayrton Senna
Inglaterra Nigel Mansell
Alemanha Sebastian Vettel
9 Brasil Nelson Piquet 3
10 Argentina Juan Manuel Fangio 2
Austrália Jack Brabham
Finlândia Mika Häkkinen
Alemanha Nico Rosberg
14 Suíça Clay Regazzoni 1
Inglaterra Damon Hill
Áustria Gerhard Berger
Canadá Gilles Villeneuve
Bélgica Jacky Ickx
França Jacques Laffite
Suíça Jo Siffert
Inglaterra Mike Hawthorn
Áustria Niki Lauda
Inglaterra Stirling Moss
Espanha Fernando Alonso

Pódios[editar | editar código-fonte]

Piloto Temporadas Total de GPs Pódios
1 Alemanha Michael Schumacher 19912006, 20102012 308 155
2 Inglaterra Lewis Hamilton 2007 –presente 229 135
3 Alemanha Sebastian Vettel 2007–presente 220 111
4 França Alain Prost 19801991, 1993 202 106
5 Finlândia Kimi Raikkonen 20012009, 2012-presente 294 102
6 Espanha Fernando Alonso 2001, 20032018 314 97
7 Brasil Ayrton Senna 19841994 162 80
8 Brasil Rubens Barrichello 19932011 326 68
9 Escócia David Coulthard 19942008 247 62
10 Brasil Nelson Piquet 19781991 207 60

Pontos[editar | editar código-fonte]

Piloto Temporadas Pontos
1 Inglaterra Lewis Hamilton 2007–presente 3018
2 Alemanha Sebastian Vettel 2007–presente 2719
3 Espanha Fernando Alonso 2001, 20032018 1893
4 Finlândia Kimi Räikkönen 20012009, 2012-presente 1786
5 Alemanha Nico Rosberg 20062016 1594,5
6 Alemanha Michael Schumacher 19912006, 20102012 1566
7 Inglaterra Jenson Button 20002017 1235
8 Brasil Felipe Massa 2002, 20042017 1167
9 Austrália Mark Webber 2002-2013 1047,5
10 Austrália Daniel Ricciardo 2011-presente 974

Pontos (Se a pontuação atual fosse aplicada desde 1950)[8][editar | editar código-fonte]

Piloto Temporadas Pontos
1 Alemanha Michael Schumacher 19912006, 20102012 3890
2 Inglaterra Lewis Hamilton 2007–presente 3364
3 Alemanha Sebastian Vettel 2007–presente 2933
4 Espanha Fernando Alonso 2001, 20032018 2740
5 Finlândia Kimi Raikkonen 20012009, 2012-presente 2731
6 França Alain Prost 19801991, 1993 2483
7 Brasil Rubens Barrichello 19932011 1897
8 Brasil Ayrton Senna 19841994 1881
9 Inglaterra Jenson Button 20002017 1849
10 Alemanha Nico Rosberg 20062016 1739

Piloto do dia (concedido desde 2016)[editar | editar código-fonte]

Piloto Quantidade
1 Países Baixos Max Verstappen 17
2 Alemanha Sebastian Vettel 13
3 Inglaterra Lewis Hamilton 7
Austrália Daniel Ricciardo
5 Finlândia Valtteri Bottas 3
Finlândia Kimi Raikkonen
7 França Romain Grosjean 2
México Sergio Perez
Espanha Fernando Alonso
10 Rússia Daniil Kvyat 1
Dinamarca Kevin Magnussen
Alemanha Nico Rosberg
Canadá Lance Stroll
França Pierre Gasly
Mónaco Charles Leclerc

Recordes dos GPs[editar | editar código-fonte]

Detalhes Recorde Info
Prova com o maior número de abandonos 25 Estados Unidos Grande Prêmio dos Estados Unidos de 1951 (dos 33 pilotos que largaram, 25 não completaram a prova)
Prova com o maior número de abandonos (porcentagem) 85.7% Mónaco Grande Prêmio de Mônaco de 1996 (dos 21 classificados, 18 não receberam a bandeirada final)
Prova com o menor número de pilotos passando na linha de chegada 1 Mónaco Grande Prêmio de Mônaco de 1982
Prova com o maior número de pilotos passando na linha de chegada 24 Espanha Grande Prêmio da Europa de 2011 (dos 24 pilotos inscritos, não houve nenhum abandono)
Prova com o maior número de pit-stops 88 Hungria Grande Prêmio da Hungria de 2011
Prova com o menor número de pit-stops 0 Países Baixos Grande Prêmio da Holanda de 1961
Prova com o maior número de ultrapassagens (corrida sem chuva) 161 China Grande Prêmio da China de 2016
Prova com o maior número de ultrapassagens (corrida com chuva) 144 Brasil Grande Prêmio do Brasil de 2012
Prova com o menor número de ultrapassagens 0 Mónaco Grande Prêmio de Mônaco de 2003
Estados Unidos Grande Prêmio dos Estados Unidos de 2005
Espanha Grande Prêmio da Europa de 2009
Rússia Grande Prêmio da Rússia de 2017
Prova com mais pilotos largando 34 Alemanha Grande Prêmio da Alemanha de 1953
Prova com menos pilotos largando Apenas 6 pilotos, de 3 equipes Estados Unidos Grande Prêmio dos Estados Unidos de 2005 (para atender o regulamento, 20 pilotos fizeram a volta de apresentação, mas 14 pilotos desistiram de correr e nem foram para o grid de largada)
Menor margem de vitória (cronometragem com 3 casas decimais) 0.011 seg Estados Unidos Grande Prêmio dos Estados Unidos de 2002 (Rubens Barrichello para Michael Schumacher)
Menor margem de vitória (cronometragem com 2 casas decimais) 0.01 s Itália Grande Prêmio da Itália de 1971 (Peter Gethin para Ronnie Peterson)
Menor margem de vitória (1º para o 3º colocado) 0.09 s Itália Grande Prêmio da Itália de 1971
Menor margem de vitória (1º para o 4º colocado) 0.18 s Itália Grande Prêmio da Itália de 1971
Menor margem de vitória (1º para o 5º colocado) 0.61 s Itália Grande Prêmio da Itália de 1971
Maior margem de vitória 2 voltas de vantagem do 1º para o 2º colocado Espanha Grande Prêmio da Espanha de 1969 (Jackie Stewart para Bruce McLaren)
Austrália Grande Prêmio da Austrália de 1995 (Damon Hill para Olivier Panis)
Maior margem de vitória (pilotos na mesma volta) 5 min. 12.75 seg. de diferença do 1º colocado (Stirling Moss) para o segundo colocado (Mike Hawthorn) Portugal Grande Prêmio de Portugal de 1958
Maior média de velocidade (corrida) 247,585 km/h (153 842 mph) (Michael Schumacher) Itália Grande Prêmio da Itália de 2003
Maior média de velocidade (treinos livres) 262,242 km/h (162 950 mph) (Juan Pablo Montoya[9]) Itália Grande Prêmio da Itália de 2004
Maior média de velocidade (pole-position) 260,395 km/h (161 802 mph) (Rubens Barrichello[9]) Itália Grande Prêmio da Itália de 2004
Maior velocidade (corrida) 372,6 km/h (231 523 mph) (Juan Pablo Montoya) Itália Grande Prêmio da Itália de 2005 (Juan Pablo Montoya[10])
Maior velocidade (treino classificatório) Valtteri Bottas (378 km/h (234 878 mph)) Azerbaijão Grande Prêmio da Europa de 2016
Corrida mais curta disputada 16 voltas completadas e 14 válidas Grande Prêmio da Austrália de 1991 (com apenas 16 voltas completadas e 14 válidas, o GP da Austrália de 1991 entrou para a história como a corrida mais curta disputada até hoje na Fórmula 1[11].)
Corrida completa mais curta disputada (ou seja, sem interrupção da bandeira vermelha) 1 h 14 min 19.838 s Itália Grande Prêmio da Itália de 2003
Corrida com o menor número de voltas para ser completada 12 voltas Alemanha Grande Prêmio da Alemanha de 1971 (disputado no circuito de Nürburgring Nordschleife, a prova toda foi disputada em 12 voltas)
Corrida mais demorada da história (tempo) 70 voltas,
4 h 4 min 39.537 s
Canadá Grande Prêmio do Canadá de 2011 (Interrompido várias vezes por causa das chuvas que caíram sobre o circuito, a prova durou 4h 04 min 39 s para ser completada, superando um recorde de 60 anos que pertencia às 500 Milhas de Indianápolis de 1951, que na época fazia parte do calendário oficial da categoria.[12])
Prova com maior número de entradas do Safety Car 6 vezes[13] Canadá Grande Prêmio do Canadá de 2011
Prova com a menor velocidade média (média aritmética entre a distância percorrida e o tempo total de corrida) para o vencedor 74,864 km/h[13] Canadá Grande Prêmio do Canadá de 2011
Prova com maior número de pit-stops para um vencedor O vencedor fez 6 pit-stops[13] Canadá Grande Prêmio do Canadá de 2011
Prova com maior distância percorrida 200 voltas,
500 mi (804 672 km)
Estados Unidos 500 Milhas de Indianápolis de 1951, 1952, 1953, 1954, 1955, 1956, 1957, 1958, 1959 e 1960
Prova com maior distância percorrida sem ser as 500 Milhas de Indianapolis 77 voltas,
601,832 km (373 961 mi)
França Grande Prêmio da França de 1951
Prova com mais bandeiras vermelhas na classificação 4 Hungria Grande Prêmio da Hungria de 2016
Prova com o maior número de pilotos cravando o mesmo tempo no treino classificatório 3 pilotos Espanha Grande Prêmio da Europa de 1997 (No treino classificatório para este GP, Jacques Villeneuve (Williams-Renault), Michael Schumacher (Ferrari) e Heinz-Harald Frentzen (Williams-Renault) marcaram exatamente 1:21,072. O regulamento definia que, quem obtivesse o tempo primeiro, poderia largar da pole-position. Como Villeneuve foi o primeiro dos três a marcar o tempo, foi pole.[14])
Grande Prêmio com maior média de idade dos pilotos inscritos 46 anos e 27 dias por piloto Suíça Grande Prêmio da Suíça de 1950
Grande Prêmio com maior número de pilotos inscritos 34 concorrentes Alemanha Grande Prêmio da Alemanha de 1953
Grande Prêmio com o maior número de pilotos com o mesmo sobrenome inscritos 4 Reino Unido Grande Prêmio da Inglaterra de 1959 (4 pilotos com o sobrenome "Taylor" participaram desta prova, são eles: Trevor Taylor, Mike Taylor, Henry Taylor e Dennis Taylor[13])
Grande Prêmio com mais voltas lideradas pelo Safety Car (com o Safety Car entrando com a corrida já em andamento) 27 voltas Canadá Grande Prêmio do Canadá de 2011
Grande Prêmio com mais voltas lideradas pelo Safety Car (com o Safety Car entrando já na largada) 17 voltas Japão Grande Prêmio do Japão de 2007
Grande Prêmio com menos voltas lideradas pelo Safety Car (em que este precisou "interceder" na corrida) 1 volta Alemanha Grande Prêmio da Alemanha de 2000
Grande Prêmio com mais entradas do Safety Car 6 vezes Canadá Grande Prêmio do Canadá de 2011
Maior quantidade de Grandes Prêmios sediados em um circuito 3 Grandes Prêmios Nürburgring: GPs de Alemanha, Europa e Luxemburgo
Maior quantidade de corridas disputadas em um circuito 66 corridas Itália Autodromo Nazionale di Monza
Grande Prêmio disputado em mais circuitos Estados Unidos Grande Prêmio dos Estados Unidos e França Grande Prêmio da França: 7 EUA: Circuito das Américas, Fair Park, Indianápolis, Phoenix, Riverside, Sebring e Watkins Glen
França: Bugatti Circuit, Circuit Charade, Dijon-Prenois, Magny-Cours, Paul Ricard, Reims-Gueux e Rouen-Les-Essarts
País que mais sediou Grandes Prêmios em seu território Estados Unidos Estados Unidos: 5 GPs e 68 corridas Grande Prêmio dos Estados Unidos,EUA-Oeste, EUA-Leste, Las Vegas e 500 Milhas de Indianápolis
País com mais circuitos visitados pela F-1 em seu território Estados Unidos Estados Unidos Foram 7 circuitos com o nome "EUA": Circuito das Américas, Fair Park, Indianápolis, Phoenix, Riverside, Sebring e Watkins Glen; 2 com nome Leste e Oeste (Detroit (Leste) e Long Beach (Oeste)) e o GP de Las Vegas (Caesar's Palace)

Recordes das temporadas[editar | editar código-fonte]

Detalhes Recorde Info
Temporada que foi encerrada mais tarde no ano 1962 A temporada de 1962 foi encerrada no dia 29 de dezembro[13].
Temporada que foi iniciada mais cedo no ano 1965, 1966 e 1968 As temporada de 1965, 1966 e 1968 iniciaram-se em 1 de janeiro[13].
Temporada encerrada com mais antecedência 2002 Michael Schumacher conquistou o pentacampeonato no Grande Prêmio da França de 2002 (11ª entre 17 corridas).
Temporada com mais corridas disputadas 2016 21 corridas
Temporada com menos corridas disputadas 1950 e 1955 As temporadas de 1950 e 1955 tiveram apenas 7 etapas disputadas.
Temporada com menor média de ultrapassagens 2001 e 2005 9,9 por GP[15]
Temporada com a maior diferença entre o campeão e o vice 2013 155 (Sebastian Vettel, com 397 pontos) para o vice-campeão (Fernando Alonso, com 242)
Temporada com a menor diferença entre o campeão e o vice 1984 0,5 ponto (Niki Lauda, com 72 pontos) para o vice-campeão (Alain Prost, com 71,5)[16]
Temporada com a menor diferença entre o campeão e o terceiro colocado 2007 1 ponto (Kimi Räikkönen, com 110 pontos) para o terceiro colocado (Fernando Alonso, com 109 - empatado com Lewis Hamilton, perdendo no critério de segundos lugares)
Temporada com mais vencedores diferentes 1982 11 vencedores
Temporada com o maior número de vencedores diferentes 1982 11 pilotos diferentes venceram pelo menos uma corrida (Alain Prost, Niki Lauda, Didier Pironi, John Watson, Riccardo Patrese, Nelson Piquet, René Arnoux, Patrick Tambay, Elio De Angelis, Keke Rosberg e Michele Alboreto)
Temporada com o maior número de vencedores diferentes nas primeiras corridas 2012 7 pilotos diferentes venceram as primeiras 7 etapas da temporada (Jenson Button, Fernando Alonso, Nico Rosberg, Sebastian Vettel, Pastor Maldonado, Mark Webber e Lewis Hamilton)

Outros recordes[editar | editar código-fonte]

  • Gabriele Tarquini foi o piloto que mais vezes falhou a pré-qualificação para uma corrida de Fórmula 1: 24 vezes.
  • O Grande Premio da Itália e o Grande Prêmio da Inglaterra foram os mais disputados na Formula 1, participando de todas as temporadas
  • Vitória largando da posição mais distante do Grid de Largada: John Watson - Grande Prêmio do Oeste dos Estados Unidos de 1983 (Largada: 22º)
  • Pilotos que conquistaram o título com uma única vitória: Mike Hawthorn (1958) e Keke Rosberg (1982).
  • Piloto mais punido em uma temporada: Pastor Maldonado (10 punições em 2014).
  • Lewis Hamilton é o primeiro piloto negro da história da F1 e se tornou o primeiro piloto negro campeão da categoria, em 2008.
  • Piloto com a maior distância entre temporadas entre a primeira e a última vitória: Michael Schumacher (20 temporadas: 1992-2006).
  • Piloto com a maior distância entre temporadas entre o primeiro e o último pódio: Michael Schumacher (20 temporadas: 1992-2012) (obs.: Michael Schumacher ficou 3 anos fora da F-1).
  • Piloto com a maior sequência de temporadas entre o primeiro e o último título: Michael Schumacher, campeão pela primeira vez em 1994, ganhou seu último título em 2004.
  • Piloto com a maior sequência de temporadas entre um título e outro: Niki Lauda (bicampeão em 1975 e 1977, esperou mais sete anos para ser tricampeão). No caso, o austríaco precisou de 5 campeonatos para voltar a ser campeão.
  • Graham Hill, Jack Brabham e Lewis Hamilton precisaram de 6 campeonatos para voltarem a ser campeões.
  • O italiano Alberto Ascari venceu em 1953 pela Ferrari; depois disso, nunca mais a F1 voltou a ter um italiano campeão - Mario Andretti, campeão da temporada 1978 pela Lotus, embora italiano de nascença, naturalizou-se norte-americano; portanto, competiu representando os Estados Unidos.
  • O piloto que precisou de menos temporadas para ser campeão foi Giuseppe Farina, em 1950 (primeira temporada da história da F-1): 1
  • Pilotos que correram o menor número possível de temporadas pra ser campeão (exceto a temporada de 1950) foram Juan Manuel Fangio (1951), Jacques Villeneuve (1997) e Lewis Hamilton (2008): 2
  • O piloto que precisou participar de mais temporadas para ser campeão foi Nigel Mansell, em 1992: 13
  • Maior pontuação de um estreante: 109 (Lewis Hamilton, em 2007).
  • Sem contar o italiano Giuseppe Farina e o argentino Juan Manuel Fangio (respectivamente campeão e vice da primeira temporada), Hamilton, em 2007 e o canadense Jacques Villeneuve em 1996 são os únicos a serem vice-campeões nas suas temporadas de estreia. E sem contar Fangio (campeão da segunda temporada da categoria), Hamilton e Jacques Villeneuve são os únicos a vencerem as suas segundas temporadas na categoria. Até hoje, nenhum piloto estreante foi campeão da F-1.
  • A equipe Mercedes (com Juan Manuel Fangio) em 1954 e a Brawn GP (com Jenson Button) em 2009 são as únicas equipes na história a vencer o campeonato de pilotos nos seus anos de estreia. A equipe Alfa Romeo (com Giuseppe Farina) também conseguiu ganhar o campeonato mundial de pilotos na sua primeira temporada, mas foi a primeira temporada da F1.
  • A equipe Brawn GP é a única equipe na história a vencer o campeonato de construtores (com Jenson Button e Rubens Barrichello) no seu ano de estreia em 2009. A equipe Vanwall também venceu o primeiro campeonato de construtores em 1958, apesar de não ser uma equipe estreante (com Stirling Moss e Tony Brooks).
  • Emerson Fittipaldi (1970), David Coulthard (1994) e Jacques Villeneuve (1996) foram os únicos pilotos a serem campeões de construtores nas suas temporadas de estreia.
  • As melhores posições de estreantes em GPs foram as vitórias de Giuseppe Farina, na primeira corrida da história da F1 em 1950, Johnnie Parsons nas 500 milhas de Indianápolis em 1950 e Giancarlo Baghetti no GP da França de 1961. Baghetti foi o único que venceu um GP de estreia depois de 1950.
  • Apenas 7 pilotos se aposentaram conquistando 1 título no seu último ano de carreira. Mike Hawthorn, Jochen Rindt, Jackie Stewart e Nico Rosberg conquistaram 1 título no último ano das suas carreiras, sendo Rindt o único dos 4 que morreu. Os únicos pilotos que foram campeões no último ano das suas primeiras passagens foram Juan Manuel Fangio (disputou mais 6 temporadas e foi campeão em 4 delas) e Nigel Mansell (voltou a participar em duas temporadas na F1). Alain Prost não se aposentou se consagrando campeão no último da sua primeira passagem, mas voltou a pilotar em uma temporada e se tornou o único piloto a se tornar campeão no ano de sua segunda aposentadoria.
  • Jochen Rindt é o único piloto campeão póstumo. Ele morreu na curva Parabólica de Monza, no dia 5 de setembro de 1970, mas só foi campeão no dia 4 de outubro daquele ano, quando Emerson Fittipaldi lhe garantiu o título, com a sua primeira vitória na Fórmula 1, no GP dos Estados Unidos .
  • O alemão Wolfgang von Trips (1961) e o sueco Ronnie Peterson (1978) são os únicos vice-campeões póstumos. Ao contrário do que muitos pensam, Didier Pironi não morreu e sim ficou gravemente ferido nas duas pernas, perdendo o título daquele ano e o feito de ser o primeiro francês campeão na Fórmula 1.
  • O único piloto campeão de pilotos dentro de seu país é o italiano Giuseppe Farina (1950). O brasileiro Felipe Massa quase quebrou essa escrita em 2008, mas perdeu o título na penúltima curva do GP do Brasil.
  • Se for contar as equipes campeãs do mundial pilotos dentro de suas casas, podemos citar Giuseppe Farina pela escuderia italiana Alfa Romeo em 1950, Juan Manuel Fangio em 1956 pela italiana Maserati em 1956, Phil Hill pela italiana Ferrari em 1961, Niki Lauda, pela mesma Ferrari, em 1975 e Jody Scheckter (também pela Ferrari) em 1979. Se for contar o GP da Europa, Alain Prost foi campeão correndo na Inglaterra, pela equipe inglesa McLaren, além de ter sido o único campeão em uma corrida especial.
  • Piloto que ficou mais dias como campeão da F-1: Michael Schumacher (1.813 dias como heptacampeão).
  • Pódio mais comum: Lewis Hamilton, Sebastian Vettel e Nico Rosberg: 14 (independente de suas posições).
  • Piloto com a maior diferença entre temporadas de saída e retorno: Jan Lammers (10 anos: 1982-1992) e Luca Badoer (10 anos: 1999-2009).
  • O piloto com o maior número de não-classificações em uma temporada: Claudio Langes (14 não-largadas em 1990).
  • O piloto que mais vezes fracassou na tentativa de se qualificar para o treino de classificação foi Gabriele Tarquini: 24
  • O GP da Alemanha de 1953, em Nürburgring, teve o maior número de pilotos alinhando no grid de largada: 34. Um total de catorze convidados fez parte da prova. Nos dias de hoje, por regulamento, o grid da F-1 pode ter no máximo 26 carros.
  • Nicola Larini é o piloto que mais demorou para marcar pontos - Ele conseguiu pontuar pela primeira vez na Formula 1 no GP de San Marino de 1994, o 44º de sua carreira.[13]
  • Luca Badoer é o piloto com o maior número de corridas sem pontuar (58 corridas).[13]
  • Chris Amon detém o recorde de maior número de voltas lideradas em toda a carreira sem nunca ter tido uma vitória: 183[13]
  • Chris Amon detém o recorde de maior número de poles sem nunca ter vencido: 5 vezes[13]
  • Chris Amon detém o recorde de piloto que dirigiu pelo maior número de construtores diferentes na história da F1: 13 equipes diferentes[13]
  • Até a temporada de 2014, o piloto de Fórmula 1 com mais GPs disputados sem nenhum pódio havia sido o italiano Pierluigi Martini, que disputou 124 GPs e jamais conseguiu subir ao pódio na categoria. Foi superado pelo alemão Adrian Sutil, que não conseguiu chegar entre os 3 primeiros em 128 corridas disputadas por Spyker, Force India e Sauber, agora superado pelo seu compatriota Nico Hülkenberg no GP de Singapura em 17 de setembro de 2017, agora com 147 GPs.
  • O piloto de Fórmula 1 com mais GPs disputados sem nenhuma vitória foi o italiano Andrea de Cesaris. Ele disputou 213 GPs e jamais venceu na categoria.
  • Após a mudança na pontuação da F1, em 2010, o piloto a obter a maior pontuação numa única temporada (397 pontos) foi o alemão Sebastian Vettel. Em 2013, ele pontuou em 18 das 19 etapas.
  • Alain Prost e Stirling Moss são os únicos tetra-vice-campeões, sendo que o inglês é o único a conseguir o tetra-vice-campeonato de forma consecutiva.
  • Campeão mais velho: Juan Manuel Fangio (1957, aos 46 anos e 41 dias).
  • Piloto campeão por mais equipes: Juan Manuel Fangio (quatro equipes: Alfa Romeo, Ferrari, Maserati e Mercedes).
  • Michael Schumacher, Jacques Villeneuve e Heinz-Harald Frentzen empataram na pole position com um tempo de 1min21s072 no GP da Espanha de 1997. Como o que vale é quem marca o tempo primeiro, o canadense da Williams ficou com a pole, com o alemão da Ferrari em segundo e Frentzen em terceiro.
  • Michael Schumacher é o recordista de largadas na primeira fila com 116, sendo 68 no primeiro lugar.
  • O piloto italiano Teo Fabi é o único piloto que obteve a pole mas jamais liderou uma prova. Nas três ocasiões em que obteve a pole, pelas equipes Toleman e Benetton, ele perdeu a liderança ainda na primeira volta dessas corridas.
  • Michael Schumacher é o piloto com mais poles acompanhadas de vitórias: 40
  • Stirling Moss conseguiu pole em 5 equipes diferentes: Cooper, Lotus, Vanwall, Mercedes e Maserati. John Surtees conseguiu pole em 5 equipes diferentes: Cooper, Ferrari, Honda, Lola e Lotus. Os 2 foram os únicos a conseguirem esse feito.
  • Em 2010, Sebastian Vettel se tornou o primeiro campeão mundial que não liderou o campeonato.
  • País com mais campeonatos comemorados em seus GPs: Japão com 12, seguido da Itália com 11.
  • Carreira mais curta na F1 (tendo se classificado para uma corrida): Marco Apicella (800 metros).
  • A corrida mais curta foi o GP da Austrália de 1991, disputado no circuito de Adelaide, devido a uma chuva torrencial, e após dezenas de acidentes. O total de voltas válidas foi de apenas 14.
  • Michael Schumacher é o piloto com mais voltas completadas na história.
  • Michael Schumacher e Kimi Raikkonen foram os únicos pilotos a completar todas as voltas de uma temporada: 2002 e 2012, respectivamente.
  • Juan Manuel Fangio é o piloto com o melhor aproveitamento em em títulos mundiais de pilotos por temporada: 62,5%.
  • O único ano em que duas equipes dividiram o campeonato de pilotos foi em 1954 em que Juan Manuel Fangio correu por Mercedes e Maserati.
  • Giuseppe Farina (GP da Inglaterra de 1950), Walt Faulkner (500 Milhas de Indianápolis de 1950), Duke Nalon (500 Milhas de Indianápolis de 1951), Mario Andretti (GP dos Estados Unidos de 1968), Carlos Reutemann (GP da Argentina de 1972) e Jacques Villeneuve (GP da Austrália de 1996) foram os únicos que conseguiram uma pole position nas suas corridas de estreia na categoria. Ao contrário dos 3 últimos, Farina conseguiu esse feito na primeira corrida de F-1 na história. Lewis Hamilton e Nico Hülkenberg conseguiram fazer uma pole nos seus anos de estreia.
  • Apesar, de ser a primeira corrida na história da F1, Giuseppe Farina estreou na categoria fazendo um hat-trick.
  • Piloto com a maior sequência de corridas disputadas antes do título: Nico Rosberg (205, até 2016).
  • Maior número de corridas completadas em uma temporada: Kimi Raikkonen (20 corridas em 2012).
  • Maior número de abandonos em uma temporada: Andrea De Cesaris (31 abandonos - todas as corridas em 1986 e 15 em 1987), Piercarlo Ghinzani (16 abandonos em 1986), Ivan Capelli (16 abandonos em 1989) e Rubens Barrichello (17 abandonos em 1997).
  • Jarno Trulli é o piloto com mais abandonos na primeira volta: 14.
  • Corrida com o maior número de equipes pontuantes: GP da Malásia de 2012 com nove equipes pontuantes.
  • Menor tempo decorrido antes de ganhar uma penalidade: seis segundos (Sebastian Vettel, ainda estreante na F-1, foi penalizado por excesso de velocidade nos boxes).
  • Piloto com mais pódios sem terem vencido: Nick Heidfeld (13 pódios).
  • Michael Schumacher é o piloto que mais vezes chegou em segundo: 43.
  • Kimi Raikkonen é o piloto que mais vezes chegou em terceiro: 36.
  • Piloto com o maior número de provas consecutivas sem abandonar: Nick Heidfeld (41 corridas: do GP da França de 2007 até o GP da Itália de 2009).
  • Piloto com a maior sequência entre a primeira e a última corrida: Michael Schumacher (6.909 dias entre o GP da Bélgica de 1991 e 2012).
  • Maior número de corridas completadas por um estreante: 25 (Max Chilton, em 2013 e 2014).
  • Stirling Moss é o piloto não-campeão com mais vitórias: 16
  • O primeiro e o último campeão com motor turbo na Fórmula 1 foram brasileiros. Nelson Piquet em 1983, com motor BMW, e Ayrton Senna em 1988, com Honda.
  • Três pilotos foram campeões com outra nacionalidade. O austríaco Jochen Rindt (1970) nasceu na Alemanha, o americano Mario Andretti (1978) na Itália e o finlandês Keke Rosberg (1982) nasceu na Suécia. O alemão Nico Rosberg que é filho do finlandês Keke Rosberg nasceu na Alemanha, mas viveu em Mônaco, tendo inclusive disputado campeonatos de Kart com a nacionalidade da Finlândia e Mônaco.
  • Apenas 7 pilotos foram campeões de pilotos por equipes de seus países: Alberto Ascari em 1952 e 1953) pela Ferrari, Graham Hill em 1962 pela BRM e em 1968 pela Lotus, Nino Farina em 1950 pela Alfa Romeo, James Hunt em 1976 pela McLaren, Nigel Mansell em 1992 pela Williams, Damon Hill em 1996 pela Williams, Lewis Hamilton em 2008 pela McLaren, Jenson Button em 2009 pela Brawn GP e Nico Rosberg em 2016 pela Mercedes.
  • Apenas 14 pilotos foram campeões de construtores por equipes de seus países: Nigel Mansell em 1986, 1987, 1992 e em 1994 pela Williams, Damon Hill em 1993, 1994 e 1996 pela Williams, Nico Rosberg em 2014, 2015 e 2016 pela Mercedes, Graham Hill em 1962 pela BRM e 1968 e em 1970 pela Lotus, Stirling Moss em 1958 pela Vanwall e em 1959 pela Cooper, Bruce McLaren em 1959 e 1960 pela Cooper, Tony Brooks em 1958 pela Vanwall, Lorenzo Bandini em 1964 pela Ferrari, Jackie Oliver em 1968 pela Lotus, Jean-Pierre Beltoise em 1969 pela Matra, John Miles em 1970 pela Lotus, James Hunt em 1976 pela McLaren, Lewis Hamilton em 2008 pela McLaren e Jenson Button em 2009 pela Brawn.
  • A Ásia é o único continente sem campeão mundial de pilotos e de construtores. Na verdade, nenhum piloto asiático conseguiu vencer um Grande Prêmio e sequer fez uma pole até hoje na história.
  • A maior velocidade média alcançada num carro de F-1 foi alcançada pelo piloto brasileiro Rubens Barrichello, nos treinos do GP da Itália de 2004. A velocidade alcançada foi de 260,395 km/h.
  • A maior velocidade em treinos oficiais, que permaneceu mais tempo sem ser batida, foi de 258,983 km/h, com o finlandês Keke Rosberg (Williams-Honda turbo), em Silverstone, na pole position do GP da Inglaterra de 1985. Ela permaneceu até o ano de 2002.
  • A maior velocidade média em uma volta em Grande Prêmio foi de 249,835 km/h, conseguida pelo inglês Damon Hill (Williams-Renault) em Monza, no GP da Itália de 1993. Em treinos oficiais foi de 258,983 km/h, com o finlandês Keke Rosberg (Williams-Honda turbo), em Silverstone, na pole position do GP da Inglaterra de 1985.
  • O piloto que mais km percorreu em GPs na F-1 foi o italiano Riccardo Patrese. No total de seus 256 GPs disputados nas temporadas de 1977 a 1993, ele completou 52.129 km.
  • No GP da Alemanha de 1962, Jim Clark ultrapassou 17 concorrentes em uma só volta. Foi a primeira volta do GP.
  • Alain Prost e Ayrton Senna, em 4 temporadas, foram campeão e vice da Fórmula 1 (1988: Senna-Prost, 1989: Prost-Senna, 1990: Senna-Prost, 1993: Prost-Senna). Juan Manuel Fangio e Stirling Moss foram 3 vezes (1955, 1956 e 1957), sendo em todas Fangio campeão e Moss vice. Jim Clark e Graham Hill 3 vezes (1962: Hill-Clark, 1963: Clark-Hill, 1965: Clark-Hill. Sebastian Vettel e Fernando Alonso foram 3 vezes (2010, 2012 e 2013), sendo em todas Vettel campeão e Alonso vice. Lewis Hamilton e Nico Rosberg 3 vezes (2014: Hamilton-Rosberg, 2015: Hamilton-Rosberg, 2016: Rosberg-Hamilton).
  • Em todas as temporadas, só em apenas 4 delas o campeão e o vice foram do mesmo país. Em 1952, os italianos Alberto Ascari e Giuseppe Farina. Os argentinos Juan Manuel Fangio e Froilán González em 1954. Os ingleses Mike Hawthorn e Stirling Moss em 1958. E na última vez em que isso aconteceu, os ingleses John Surtees e Graham Hill em 1964.
  • Alberto Ascari e Sebastian Vettel são os únicos que vencerem 9 GPs de forma consecutiva. Ascari venceu 9 Grandes Prêmios consecutivos (os 6 últimos de 1952 e os 3 primeiros de 1953), equivalendo a 9 vitórias consecutivas na Fórmula 1. Vettel é o único piloto a vencer 9 corridas seguidas numa mesma temporada em 2013.
  • Michael Schumacher e Sebastian Vettel são os únicos pilotos a vencerem 13 GPs em uma temporada, respectivamente em 2004 e 2013.
  • Michael Schumacher já venceu atravessando a linha de chegada nos boxes. O piloto alemão havia recebido uma punição por ter ultrapassado sob bandeira amarela no GP da Grã-Bretanha de 1998. Como os comissários aplicaram a punição tarde demais, havia um limite de 25 minutos para que a punição fosse cumprida. E consequentemente a Ferrari só foi informada da obrigatoriedade de cumpri-la 6 minutos depois desse limite. Então, a FIA decidiu: ou Schumacher faria um stop & go de 10 segundos, ou seriam adicionados 10 segundos ao seu tempo de prova (uma punição que só pode ser aplicada para uma infração nas últimas 12 voltas. O alemão e a equipe italiana decidiram só passar nos boxes na última volta, porque a área de pit lane também é considerada pista de corrida, o que deixou Mika Hakkinen e a McLaren desconformados.
  • O pit stop mais rápido da F1 é da equipe Williams F1 em Felipe Massa no Grande Prêmio da Europa de 2016: 1.89s[17]
  • O recorde de maior vantagem para o segundo lugar é de Jim Clark. No GP da Bélgica de 1963, o escocês teve que esperar 4 minutos e 54 segundos para ver o segundo colocado terminar a prova.
  • O Brasil é o único país com dois tricampeões de Fórmula 1 e com três pilotos com mais de um título mundial: Nelson Piquet (3), Ayrton Senna (3) e Emerson Fittipaldi (2).
  • Michael Schumacher foi o único piloto a subir no pódio uma temporada inteira em 2002.
  • Dorino Serafini possui 100% de aproveitamento em pódios na F-1, pois participou apenas de um GP.
  • Kimi Raikkonen é o piloto com mais corridas consecutivas sem abandono: 38.
  • Lewis Hamilton é o piloto com mais corridas consecutivas na zona de pontuação: 29.
  • O piloto com a maior sequência de pódios é o alemão Michael Schumacher. Foram 21 pódios consecutivos iniciados no GP dos Estados Unidos de 2001 e que só terminou no GP do Japão de 2002.
  • Michael Schumacher em 2002 e Sebastian Vettel em 2011 foram os únicos pilotos a subirem no pódio 17 vezes em uma temporada.
  • O campeão com a melhor média de vitórias é Alberto Ascari em 1952: seis vitórias numa temporada de oito corridas (75%).
  • O campeão com a melhor média de pontos é Jim Clark em 1963 e 1965. Com seis resultados válidos, em 10 provas, Clark obteve a pontuação máxima pelo regulamento da época (6 vitórias, média de 9 pontos/GP). Em 1952, Alberto Ascari também registrou a pontuação máxima em 4 resultados válidos.
  • O piloto a ter a maior pontuação numa única temporada (148 pontos) foi o alemão Michael Schumacher, que na temporada de 2004 pontuou em todas as etapas (13 vitórias e 2 segundo lugares).
  • O campeão com a melhor média de pole positions é Nigel Mansell em 1992 - 14 poles em 16 corridas - 87,5%. O piloto com mais pole positions é Sebastian Vettel com quinze poles em 2011.
  • Nico Rosberg conquistou a pole do Grande Prêmio dos Estados Unidos de 2015, graças ao primeiro lugar no Q2, pois por motivos de segurana, o Q3 não foi realizado.
  • Apenas em 1964 e 1988 o vice fez mais pontos do que o campeão. Em 1964, Graham Hill fez 41 pontos, mas devido a regra de descarte dos piores resultados, ele teve que descartar um quinto lugar e com isso ficou com 39 pontos. John Surtees que foi campeão manteve os seus 40 pontos. Em 1988, Alain Prost fez 105 pontos, mas devido a regra de descarte dos piores resultados, o francês teve que descartar três segundos lugares e com isso ficou com 87 pontos. O campeão Ayrton Senna fez 94 pontos, mas teve que descartar um quarto e um sexto. E com isso o brasileiro ficou com noventa pontos, mas o suficiente pra conquistar o título da temporada.
  • Pra dar mais emoção a última corrida, a última etapa de 2014 (Abu Dhabi 2014) teve a sua pontuação dobrada que poderia definir o título. Muitos criticaram, pois acharam que devido a um azar, o piloto mais regular poderia perder o título. Outros acharam justo, pois a última é sempre especial, pois é a última chance de todos os candidatos ao título e é sempre um momento crucial ou difícil que deixa qualquer piloto nervoso, mas no final, o título ficou com o piloto mais regular da temporada que foi Lewis Hamilton.
  • O campeão com a melhor média de voltas na liderança é Jim Clark em 1963. 506 voltas na frente (71,47%), num total de 708 voltas disputadas naquele ano.
  • Denny Hulme em 1967 e Niki Lauda em 1984 foram campeões sem nenhuma pole position.
  • Os únicos campeões com apenas uma vitória foram Mike Hawthorn em 1958 e Keke Rosberg em 1982. A temporada de 1982 chegou a ter 11 vencedores diferentes em 16 corridas.
  • 1982 foi o ano mais trágico da Ferrari (os 2 pilotos que iniciaram a temporada não completaram a competição. Gilles Villeneuve morreu e Didier Pironi sofreu lesão nas duas pernas no fim do ano).
  • Em toda a história da Fórmula 1, 8 pilotos tiveram o privilégio de conquistar um dos 3 maiores recordes (campeonatos, vitórias e pole positions). O italiano Alberto Ascari (todos), o argentino Juan Manuel Fangio (todos), os escoceses Jim Clark (vitórias e poles) e Jackie Stewart (vitórias), o francês Alain Prost (vitórias), o brasileiro Ayrton Senna (poles), o alemão Michael Schumacher (todos) e o inglês Lewis Hamilton (poles).
  • Graham Hill é o único piloto a ter conquistado a chamada "Tríplice Coroa" do automobilismo: o Grande Prêmio de Mônaco, as 24 Horas de Le Mans e as 500 milhas de Indianápolis.
  • Emerson Fittipaldi é o único brasileiro campeão de F-1 e CART.
  • John Surtees é o único a ser campeão mundial em duas e quatro rodas.
  • Todos os campeões mundiais com motor turbo: Nelson Piquet, Niki Lauda, Alain Prost e Ayrton Senna (foram também campeões com motor aspirado).
  • A única pole-position conquistada com um tempo inferior a 1 minuto foi conseguida por Niki Lauda no GP da França de 1974, em Dijon-Prenois: 58 segundos e 79 centésimos.
  • 34 pilotos largaram no GP da Alemanha de 1953. Apenas 6 no do GP dos Estados Unidos de 2005.
  • O GP mais longo da F1 ocorreu em Montreal, no GP do Canadá de 2011. A prova vencida pelo inglês Jenson Button, marcada por uma forte tempestade, durou incríveis 4 horas, 4 minutos e 39.537 segundos.
  • Em 1982 foram realizados 3 Grandes Prêmios dos Estados Unidos: Long Beach, Detroit e Las Vegas.
  • Sem nenhuma volta na liderança, Luigi Fagioli (GP da França de 1951), Luigi Musso (GP da Argentina de 1956) e Tony Brooks (GP da Grã-Bretanha de 1957) venceram esses Grandes Prêmios, em dupla com Juan Manuel Fangio (1951 e 1956) e Stirling Moss (1957). É que até 1957 podia trocar de carro e dividir os pontos.
  • O recorde de menos pontos somados em um GP aconteceu no GP da Inglaterra de 1954. Nos primeiros dez anos da categoria, a volta mais rápida de uma corrida rendia um ponto no campeonato. Porém, a cronometragem rudimentar dos primeiros anos, assinalou 7 pilotos com o mesmo tempo de melhor volta nesse GP. Cada um recebeu 0,14 pontos.
  • Ayrton Senna em Ímola, onde morreu, ele conquistou 8 poles, 7 consecutivas, de 1985 a 1991. Em 1984 não conseguiu classificar-se para a largada, única vez na sua carreira em 162 treinos oficiais.
  • O italiano Alberto Ascari conseguiu liderar 305 voltas consecutivas, em 1952 as últimas 35 do GP da Bélgica e todas dos GPs da França (77), Grã-Bretanha (85), Alemanha (18) e Holanda (90). Isso corresponde à impressionante distância de 2.075,242 quilômetros consecutivos na liderança.
  • Jim Clark é o único piloto que conseguiu no mesmo ano (1965) vencer o maior campeonato - a Fórmula 1 - e a maior corrida - as 500 Milhas de Indianápolis - do automobilismo mundial.
  • Jack Brabham e Bruce McLaren foram os únicos campeões de construtores como pilotos e donos de equipe.
  • Antigamente, era permitido empurrar o carro para salvar a corrida. Jack Brabham, por exemplo, conquistou o seu primeiro título em 1959 empurrando o carro até a linha de chegada.
  • Graças ao regulamento vigente à época, a vitória no GP da Grã-Bretanha de 1957 foi compartilhada entre Tony Brooks e Stirling Moss, razão pela qual Inglaterra e Moss possuem uma vitória a mais que a soma real no ranking por país e piloto, pois não foi atribuída "meia vitória" a cada um dos pilotos em questão e sim uma vitória integral.
  • Os Grandes Prêmios da Inglaterra e da Itália são os únicos presentes em todas as temporadas da Fórmula 1, desde 1950.
  • Nelson Piquet, quando largou no GP do Brasil de 1988, tornou-se o primeiro piloto de Fórmula 1 a correr num autódromo com o seu nome. O primeiro piloto a ter essa homenagem na F-1 foi o canadense Gilles Villeneuve, mas só após a sua morte, o mesmo acontecendo com o brasileiro José Carlos Pace no autódromo de Interlagos e com os irmãos Rodríguez (Pedro e Ricardo), no autódromo da Cidade do México.
  • O piloto que venceu o maior número de pistas diferentes é Lewis Hamilton: 24.
  • O piloto que venceu o maior número de GPs diferentes é Michael Schumacher: 22.
  • O piloto que venceu no maior número de países diferentes é Lewis Hamilton: 21.
  • O piloto que mais venceu GPs na Europa válidos na F1 é Michael Schumacher com 57 vitórias.
  • O piloto que mais venceu GPs na América válidos na F1 é Michael Schumacher com 17 vitórias.
  • O piloto que mais venceu GPs na Oceania válidos na F1 é Michael Schumacher com 4 vitórias.
  • Os pilotos que mais venceram GPs na África válidos na F1 foram Niki Lauda e Jim Clark com 3 vitórias.
  • O piloto que mais venceu GPs na Ásia válidos na F1 é Sebastian Vettel com 24 vitórias.
  • O recorde de maior número de vencedores diferentes num início de campeonato é o da temporada 2012 da Fórmula 1, quando sete pilotos diferentes venceram as sete primeiras etapas: Jenson Button, Fernando Alonso, Nico Rosberg, Sebastian Vettel, Pastor Maldonado, Mark Webber e Lewis Hamilton.
  • Apenas Niki Lauda, Alain Prost, Nigel Mansell e Kimi Raikkonen venceram provas na Formula 1 após retornarem à correr na categoria, depois de um tempo afastados das pistas.
  • Rubens Barrichello foi o piloto a obter a 100ª vitória brasileira em provas da Fórmula 1, no Grande Prêmio de Valência, em 2009.
  • A última vez que houve um GP sem reabastecimento foi no GP da Austrália de 1993, no circuito de Adelaide. No século seguinte, em 2010 a FIA retomou essa regra.
  • Nico Rosberg foi o primeiro alemão a vencer uma corrida em uma equipe alemã.
  • Nico Rosberg foi o primeiro alemão a vencer um mundial em uma equipe alemã.
  • Apenas 6 campeões mundiais de piloto não foram campeões de construtores. Alberto Ascari e Nino Farina não disputaram nenhum campeonato de construtores (pré-1958). Juan Manuel Fangio e Mike Hawthorn disputaram apenas um campeonato de construtor (o primeiro campeonato de construtor foi em 1958 e esse foi o último ano deles na F1). Keke Rosberg e James Hunt são os únicos pilotos pós-1958 que não foram campeões de construtores pelas suas equipes.
  • Existem pilotos que não foram campeões mundiais de pilotos, mas que foram campeões de construtores pelas suas equipes. O maior exemplo nesse quesito é Rubens Barrichello, que é hexacampeão de construtores. Logo atrás, vêm Mark Webber com quatro e Carlos Reutemann com três títulos.
  • Os campeões mundiais sem ter o carro campeão de contrutores são Mike Hawthorn em 1958, Jackie Stewart em 1973, James Hunt em 1976, Keke Rosberg em 1982, Alain Prost em 1986, Mika Hakkinen em 1999 e Lewis Hamilton em 2008, além de Nelson Piquet, o único bicampeão sem ter tido o melhor carro da temporada em 1981 e 1983. A lista conta com apenas os campeões pós-1958, pois o campeonato de construtores começou neste ano. Portanto, essa seleta lista contempla os pilotos campeões cujas equipes onde estavam não ganharam o campeonato mundial no mesmo ano.
  • Somando os títulos de piloto e construtores. O piloto mais vitorioso é Michael Schumacher com quatorze títulos (7 títulos de piloto + 7 títulos de construtores), seguido de Alain Prost com nove títulos (4 títulos de piloto + 5 títulos de construtores).
  • Entre os brasileiros, o mais vitorioso é Ayrton Senna com oito títulos (3 títulos de pilotos + 5 títulos de construtores). Seguido por Emerson Fittipaldi (2 títulos de piloto + 4 títulos de construtores) e Rubens Barrichello (6 títulos de construtores). Logo após vem Nelson Piquet com cinco títulos (3 títulos de piloto + 2 títulos de construtores), Felipe Massa com dois títulos (2 títulos de construtores). Apenas estes 5 conseguiram títulos na categoria.
  • Dos 6 brasileiros vencedores de corrida, Rubens Barrichello foi o único que não venceu uma corrida no Brasil. José Carlos Pace, Emerson Fittipaldi, Nelson Piquet, Ayrton Senna e Felipe Massa venceram no Brasil.
  • Os brasileiros Nelson Piquet Jr., Roberto Pupo Moreno e Mauricio Gugelmin não venceram uma corrida, mas já subiram ao pódio uma vez na vida. Os 2 primeiros foram segundo lugar e o terceiro conseguiu foi uma terceira colocação.
  • Dos 9 brasileiros que conseguiram pódios, apenas Nelson Piquet Jr. e Roberto Pupo Moreno não conseguiram esse feito no Brasil.
  • Emerson Fittipaldi e Wilson Fittipaldi Júnior foram os únicos brasileiros a montar uma equipe brasileira na F1. A Escuderia Fittipaldi teve pilotos famosos como Keke Rosberg, campeão da F1 de 1982, nos anos 1980 e 1981.
  • O melhor desempenho em posição e pontos da Escuderia Fittipaldi foi em 1978 com a sétima posição no campeonato de construtores com dezessete pontos. Ironicamente, foi o único campeonato em que a equipe teve apenas um piloto (Emerson Fittipaldi). A equipe conseguiu 2 terceiros lugares em GPs em 1980 (uma com Emerson Fittipaldi e uma com Keke Rosberg).
  • Rubens Barrichello é o único piloto a ganhar os seus 5 primeiros títulos de construtores de forma consecutiva.
  • A Red Bull é a única equipe a ganhar os seus 4 primeiros títulos de construtores de forma consecutiva.
  • A Red Bull é a única equipe a ganhar os seus 4 primeiros títulos de piloto de forma consecutiva.
  • Sebastian Vettel é o único a ganhar os seus 4 primeiros títulos de piloto de forma consecutiva.
  • Sobrenome de maior sucesso - "Hill" - Sem necessariamente terem parentesco entre si, os "Hill" conquistaram o campeonato 4 vezes.[13]
  • O recorde de quantidade de carros da mesma equipe participando de um mesmo Grande Prêmio pertence à Maserati, (sete) no Grande Prêmio da Argentina de 1955,prova que abriu a temporada,vale lembrar que até a temporada de 1991 era possível uma equipe disputar a temporada com apenas um carro (consequentemente apenas um piloto),à partir da temporada de 1992 o regulamento passou a exigir que todas as equipes se inscrevessem obrigatoriamente com dois carros cada uma (consequentemente dois pilotos) para a disputa da temporada.Além disso até a temporada de 1963 não havia limite máximo de carros por equipe na disputa de cada etapa,à partir da temporada de 1964 esse número foi limitado a 2 carros por equipe a cada etapa,porém elas podiam disputar uma etapa com apenas um carro.
  • Em quatro oportunidades (1954/1955/1959 e 1960) todos os 33 carros do grid das 500 Milhas de Indianápolis (que entre 1950 e 1960 contavam para o Mundial de Fórmula 1) disputaram a prova com o mesmo motor,em todas essas ocasiões o motor foi o Offenhauser L4 4.5.
  • Nas 500 Milhas de Indianápolis (que entre 1950 e 1960 contavam para o Mundial de Fórmula 1) de 1956 23 carros de uma mesmo construtor (Kurtis Kraft) disputaram a prova.
  • Nas 500 Milhas de Indianápolis (que entre 1950 e 1960 contavam para o Mundial de Fórmula 1) de 1956 12 carros com o mesmo chassi (Kurtis Kraft 500 C) disputaram a prova.
  • Uma curiosidade foi que o construtor Moore responsável por fabricar chassis para equipes que disputavam as 500 Milhas de Indianápolis ao disputar a edição de 1950 com sua própria equipe utilizou além de seu próprio chassi um chassi da Deidt e um da Lesovsky.
  • Até o último GP da Temporada de 2018 (GP de Abu Dhabi) 22368 carros no total alinharam no grid nos 997 GP's,o que dá uma média de 22,44 carros por GP.Se considerarmos a participação dos carros de Fórmula 2 nos Grandes Prêmios da Alemanha de 1957 e 1958 e do Marrocos de 1958 esse número sobe para 22396 e a média de carros por GP para 22,46.
  • O Grande Prêmio com maior número de carros foi o Grande Prêmio da Alemanha de 1953 com 34 carros alinhando no grid,já o com menos carros foi o Grande Prêmio da Argentina de 1958 com 10 carros participantes.Obs: O Grande Prêmio dos Estados Unidos de 2005 teve apenas 6 carros alinhando no grid,porém devido à uma retirada voluntária por questão de segurança,já que os pneus da fabricante Michelin que equipava os demais 14 carros estava apresentando um desgaste excessivo que podia levar ao estouro numa das curvas de maior velocidade do circuito, o que acabou acontecendo durante o treino classificatório com Ralf Schumacher da equipe Toyota.
  • A porcentagem dos pilotos do grid que pontuam atualmente é de 50%,já que são 20 pilotos e até o décimo colocado marca ponto,a média de percentual histórico dos pilotos do grid que pontuam é de 30,53%,já se contarmos a participação dos carros de Fórmula 2 nos Grandes Prêmios da Alemanha de 1957 e 1958 e do Marrocos de 1958 essa média passa a ser de 30,47%.

Família[editar | editar código-fonte]

Idade[editar | editar código-fonte]

  • Pódio mais jovem: Sebastian Vettel, Heikki Kovalainen e Robert Kubica (GP da Itália de 2008 - média de idade: 23 anos e 350 dias).
  • Pódio mais velho: Giuseppe Farina, Luigi Fagioli e Louis Rosier (GP da Suíça de 1950 - média de idade: 46 anos e 263 dias).
  • Piloto com a maior diferença de anos entre a primeira e a última temporada: Rubens Barrichello (19 anos: 1993-2011).
  • Max Verstappen é o mais jovem a testar um carro de Fórmula 1 com dezessete anos e 2 dias. No caso, ele fez o teste com uma STR no primeiro treino do GP do Japão de 2014. Ele também é o piloto mais jovem da história da categoria, ao estrear com apenas 17 anos e 166 dias, e também é o piloto mais novo a subir ao pódio.
  • Louis Chiron é o mais velho a participar de um GP com 58 anos e 288 dias, apesar de não ter se classificado neste GP. Em corridas, o piloto mais velho a largar foi o francês Philippe Étancelin, que aos 55 anos e 191 dias, disputou o GP da França de 1952.
  • Max Verstappen é o mais jovem a pontuar em uma corrida com dezessete anos e 180 dias ao fazer pontos no GP da Malásia de 2015.
  • Max Verstappen foi o piloto mais jovem a conseguir um pódio com 18 anos e 228 dias.
  • Max Verstappen foi o piloto mais jovem a conseguir uma vitória, com 18 anos e 228 dias.[13]
  • Lance Stroll foi o piloto mais jovem a conseguir um pódio numa temporada de estreia, com 18 anos e 239 dias.
  • Luigi Fagioli foi o piloto mais velho a conseguir uma vitória, com 53 anos e 22 dias.[13]
  • Sebastian Vettel foi o mais jovem a conseguir uma pole position com 21 anos e 72 dias.
  • Giuseppe Farina foi o piloto mais velho a conseguir uma pole: 47 anos e 79 dias (GP da Argentina de 1954).
  • Max Verstappen foi o mais jovem a conseguir uma volta rápida com 19 anos e 44 dias.
  • Sebastian Vettel foi o piloto mais jovem a conseguir uma vitória e pole em uma mesmo GP com 21 anos e 73 dias.
  • Juan Manuel Fangio foi o piloto mais velho a conseguir uma vitória e pole na mesma corrida com 46 anos e 41 dias.
  • Sebastian Vettel foi o piloto mais jovem a conseguir um hat-trick com 21 anos e 353 dias.
  • Juan Manuel Fangio foi o piloto mais velho a conseguir um hat-trick com 46 anos e 41 dias.
  • Sebastian Vettel foi o piloto mais jovem a conseguir um grand-chelem com 24 anos e 119 dias.
  • Juan Manuel Fangio foi o piloto mais velho a conseguir um grand-chelem com 45 anos e 42 dias.
  • Sebastian Vettel se tornou o mais jovem vice-campeão em 2009 com 22 anos, 3 meses e 29 dias.
  • Sebastian Vettel é o mais jovem a levar uma multa da FIA ao levar ao passar do limite de velocidade dos boxes, enquanto acessava a pista pela primeira vez na carreira.
  • Líder de campeonato mais jovem: Lewis Hamilton (2007, aos 22 anos e 126 dias).

Mulheres[editar | editar código-fonte]

Notas

Referências

  1. A equipe Sauber competiu sob nacionalidade suíça entre 1993 e 2005. Entre 2006 e 2009, correu sob tutela da BMW, voltando a correr com o nome original a partir de 2010.
  2. A equipe Arrows competiu com o nome Footwork entre 1991 e 1996
  3. A Benetton possuía licença britânica de 1986 a 1996 e italiana de 1997 a 2001
  4. A Benetton possuía licença britânica de 1986 a 1996 e italiana de 1997 a 2001
  5. A Benetton possuía licença britânica de 1986 a 1996 e italiana de 1997 a 2001
  6. A Benetton possuía licença britânica de 1986 a 1996 e italiana de 1997 a 2001
  7. A Benetton possuía licença britânica de 1986 a 1996 e italiana de 1997 a 2001
  8. «Michael Schumacher seria o maior pontuador desde os tempos, se o modelo atual de pontuação fosse aplicado desde 1950». globoesporte. Consultado em 4 de julho de 2016 
  9. a b «All time Formula One records». F1Technical.net. Consultado em 14 de novembro de 2010 
  10. «A Monza le F1 toccheranno i 370 km/h?». autosprint.corrieredellosport.it (em italiano). Autosprint. 2 de setembro de 2014. Consultado em 1 de setembro de 2015. Arquivado do original em 4 de março de 2016 
  11. grandepremio.uol.com.br/ CAUSOS DA AUSTRÁLIA: A CORRIDA MAIS CURTA DA HISTÓRIA
  12. «GP do Canadá foi o mais longo da História na F-1». Lancenet. Consultado em 13 de junho de 2011 
  13. a b c d e f g h i j k l m n grandepremium.grandepremio.uol.com.br/ Os recordes mais inusitados da F1
  14. «GRAND PRIX RESULTS: EUROPEAN GP, 1997». GrandPrix.com. Consultado em 8 de setembro de 2015 
  15. esporte.uol.com.br/ Recorde de ultrapassagens na F-1 cria dilema e divide pilotos
  16. globoesporte.globo.com/ Separados por 0,5 ponto, Rubinho e Átila "revivem" duelo de 1984 da F-1
  17. Jonathan Noble (22 de junho de 2016). «Williams: dados mostram que pit stop de Massa é recorde». Mortsport.com. Consultado em 19 de dezembro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]