Celso Ferreira da Cunha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Celso Cunha)
Ir para: navegação, pesquisa
Celso Ferreira da Cunha Academia Brasileira de Letras
Nascimento 10 de maio de 1917
Teófilo Otoni,  Minas Gerais
Morte 14 de abril de 1989 (71 anos)
Rio de Janeiro,  Rio de Janeiro
Nacionalidade brasileiro
Ocupação Professor, gramático, filólogo e ensaísta
Magnum opus À margem da Poética Trovadoresca (1950)

Celso Ferreira da Cunha (Teófilo Otoni, 10 de maio de 1917Rio de Janeiro, 14 de abril de 1989) foi um professor, gramático, filólogo e ensaísta brasileiro. Era filho de Tristão Ferreira da Cunha e tio de Aécio Neves.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Língua, nação e alienação
  • Gramática da Língua Portuguesa (1972)
  • Nova Gramática do Português Contemporâneo (em colaboração com Luís Filipe Lindley Cintra)
  • Língua portuguesa e realidade brasileira
  • A questão da norma culta brasileira etc.
  • Língua e verso (1963)

Lorbeerkranz.pngAcademia Brasileira de Letras[editar | editar código-fonte]

Foi eleito para a Academia Brasileira de Letras em 13 de agosto de 1987, para a cadeira 35, na sucessão de José Honório Rodrigues, sendo recebido em 4 de dezembro de 1987 pelo acadêmico Abgar Renault.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
José Honório Rodrigues
Lorbeerkranz.png ABL - quarto acadêmico da cadeira 35
1987 — 1989
Sucedido por
Cândido Mendes de Almeida
Precedido por
Saul Borges Carneiro
ABRAFIL - cadeira 32
? — 1989
Sucedido por
Luiz Martins Monteiro de Barros


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.