Fabio Faria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta biografia de uma pessoa viva não cita as suas fontes ou referências, o que compromete sua credibilidade. (desde maio de 2016)
Ajude a melhorar este artigo providenciando fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Nota: Se procura o futebolista português, consulte: Fábio Faria.
Fábio Faria
Deputado federal do  Rio Grande do Norte
Período 1 de fevereiro de 2007
até a atualidade
Dados pessoais
Nascimento 1 de setembro de 1977 (39 anos)
Brasão de Natal.svgNatal
Partido PMN (2005-2011)
PSD (2011-atualidade)
Religião Judaismo
Profissão Administrador de empresas
Website fabiofaria.com.br
linkWP:PPO#Brasil

Fábio Salustino Mesquita de Faria (Natal, 1 de setembro de 1977) é um administrador e político brasileiro. É um dos deputados federais mais jovens da Câmara dos Deputados.

Atuação na política[editar | editar código-fonte]

Com base política no seu estado de origem, chegou ao Congresso Nacional brasileiro antes de completar 30 anos de idade. Foi eleito em 2006 para o primeiro mandato de deputado federal, com 195.148 votos, o que representou 12,02% dos votos válidos para o cargo, assumindo o primeiro lugar entre os oito representantes do Estado.

Coordenou, desde 2008, a bancada federal do Rio Grande do Norte, que incluía ainda três senadores. Em dois anos de legislatura, defendeu enfaticamente as bandeiras do turismo e do esporte, e participou de comissões dessas duas áreas, além de ter atuado nas de finanças e tributação, tributação e desporto, e ser titular da comissão especial que altera a Lei Pelé.

Fábio Faria liderou o seu partido no período de fevereiro a setembro de 2008, quando também foi vice-líder do bloco integrado por Partido Socialista Brasileiro (PSB), Partido Democrático Trabalhista (PDT), Partido Comunista do Brasil (PCdoB), Partido da Mobilização Nacional (PMN) e Partido Republicano Brasileiro (PRB).

Em 2009 teve seu nome citado no escândalo da Farra das Passagens, onde deputados teriam usado a cota de passagens aéreas bancadas pelo dinheiro público para fins pessoais. Fábio teria usado a cota para enviar passagens para os atores Kayky Brito, Sthefany Brito e Samara Felippo participarem do carnaval fora de época em Natal, do qual ele possui um camarote muito frequentado pelas celebridades. Também utilizou a cota parlamentar para pagar sete viagens para a ex-namorada, a apresentadora de televisão Adriane Galisteu, e a mãe dela, Emma Galisteu, entre 2007 e 2008.

Presidiu a Frente Parlamentar Mista de Combate ao Crack, com integrantes da Câmara e do Senado Federal.

No dia 3 de outubro de 2010 foi reeleito o quarto mais votado do estado com 156.688 votos.

Saiu do PMN e atualmente integra da bancada do Partido Social Democrático (PSD), partido fundado por Gilberto Kassab.

Em 2013 foi eleito segundo vice-presidente da Câmara dos Deputados, cargo do PSD, o qual disputou com o deputado Júlio César em plenário, e venceu a disputa. Passou a integrar a prestigiada mesa diretora da casa. O cargo tem 2 anos de mandato, terminando em 4 de fevereiro de 2015. Nesse período, Fábio Faria chegou a ocupar a presidência da Câmara por 13 dias.

Em 2014 disputou a reeleição para deputado federal pelo PSD, tendo sido eleito com 166.427 votos - terceiro mais votado do Rio Grande do Norte.

Neste mandato, foi o único deputado potiguar e um dos 36 deputados da Casa a terem um projeto de lei aprovado, o PL 7409/2010, que obriga concessionárias a informarem ao comprador a situação de regularidade dos carros e motos, novos e usados, para que o veículo possa circular livremente. Em 2015, apenas 7% dos parlamentares conseguiram emplacar leis no Congresso Nacional. Até hoje, é o único representante do RN a ter uma legislação de sua autoria em vigor.

Em abril de 2016 Fábio Faria votou pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff, justificando que a decisão foi fruto de um amplo diálogo dentro do partido PSD, e em sintonia com a iniciativa da bancada do RN, com o desejo das forças políticas e sociais do Estado, com a expectativa dos eleitores e, principalmente, com a própria consciência.

No final do ano e início de 2017, diante da crise penitenciária nacional (que também eclodiu no Rio Grande do Norte), o deputado reforçou parte da atenção de seu mandato para a área da Segurança, destinando emendas parlamentares para a equipar a polícia e a Segurança Pública em geral, e sugerindo projetos de lei como a obrigação da instalação de bloqueadores de sinal de celular nas penitenciárias do país.

Recentemente, Fábio Faria integrou a Comissão Especial da PEC 304/2017, conhecida como a PEC da Vaquejada, e foi um dos parlamentares nordestinos a defender a tradição votando, em primeiro e segundo turnos, pela aprovação do projeto. A Casa aprovou o texto por 373 votos a 50.

Atualmente, é titular da Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática da Câmara.

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Fábio Faria é graduado em administração de empresas, formado pela Universidade Potiguar (UnP). É filho de Robinson Faria, atual governador do Rio Grande do Norte e Maria Nina Salustino.

Fábio é casado com a apresentadora Patrícia Abravanel com quem tem um filho, Pedro. Antes da apresentadora, namorou com a atriz Priscila Fantin, a apresentadora Adriane Galisteu e com a modelo, ex-BBB e também apresentadora Sabrina Sato. Fábio também já revelou a Revista Status que acaba sendo indiretamente mais cobrado por ser um jovem deputado.[carece de fontes?]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]