Osocor II

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Osorkon II)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Osocor II
Pingente com cartucho de Osocor sentado e flanqueado por Hórus e Ísis
Faraó do Egito
Reinado 874–850 a.C.
Antecessor(a) Taquelote I
Sucessor(a) Taquelote II
 
Cônjuge Caromama I
Dinastia XXII dinastia
Morte 850 a.C.
Filho(s) Taquelote II
Pai Taquelote I
Religião Politeísmo egípcio
Titularia
Nome
G39N5<
imn
n
N36
V4Aa18M17D21
N29
N35
>
(Wsrkn-mrj-Jmn = "Osocor, Amado de Amom")
Trono
M23
t
L2
t
<
rawsrmAatra stp
n
>
(wsr.M3ˁt-Rˁ-stp-n-Jmn = "Poderosa é a Justiça de , Escolhido de Amom")
Hórus
G5E2
D40
C10U6S29N28
D36
Y1
M23G43
D21
M23N17
N17
N21N21
(k3-nḫt-mrj-M3ˁt-sḫˁ(j)-sw-r-nsw-t3wj)

Osocor II (em grego clássico: Οσοχωρ Β; transl.: Osochor II; em egípcio: Osorkon II), nascido Osocor Meriamom ("Amado de Amom") e cujo nome real era Usermaateré Setepenamom ("Poderosa é a Justiça de , Escolhido de Amom"),[1][2] foi o quinto faraó da XXII dinastia, reinando de 874 a.C., em sucessão de seu pai Taquelote I (r. 889–874 a.C.), até sua morte em 837 a.C., quando foi sucedido por seu filho Taquelote II (r. 850–825 a.C.).

Vida[editar | editar código-fonte]

Osocor era filho de Taquelote I (r. 889–874 a.C.), a quem sucedeu no trono em 874 a.C.. Problemas surgem no quarto ano de seu reinado, quando seu primo Harsiese, então sumo sacerdote de Amom de Carnaque, declarou-se rei no sul. A ameaça foi efêmera, e logo que Harsiese morreu, o faraó nomeou seu filho Ninlote a sumo sacerdote em Carnaque e outro filho Sisaque como sumo sacerdote de Ptá em Mênfis. Em seu reinado também fez construções, mormente Bubástis no templo de Bastete, onde construiu um salão monumental de granito vermelho decorado com relevos dele e sua esposa Caromama I celebrando seu jubileu no ano 22. Há também edificações suas em Mênfis, Tânis, Tebas e Leontópolis.[3]

Paralelamente, o rei da Assíria Salmanaser III (r. 858–828 a.C.) continuava as campanhas expansionistas de Assurnasirpal II em direção a Síria/Palestina com interesse em atacar o Egito. Diante da ameaça, em 853 a.C., Osocor foi forçado a confrontar a ameaça ao se aliar com Israel e Estados vizinhos, inclusive a antiga aliada egípcia Biblos, e juntos derrotaram-o na Batalha de Carcar no rio Orontes. Osocor faleceu em 850 a.C. e foi sucedido por seu filho Taquelote II (r. 850–825 a.C.).[4]

Referências

  1. Shaw 1995, p. 215.
  2. Clayton 1994, p. 185.
  3. Clayton 1994, p. 186-187.
  4. Clayton 1994, p. 187.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Clayton, Peter A. (1994). «Dynasty 22». Chronicle of the Pharaohs (em inglês). Londres: Thames and Hudson. ISBN 0-500-05074-0 
  • Shaw, Ian; Nicholson, Paul (1995). «Serekh». In: Harry N. Abrams. The Dictionary of Ancient Egypt (em inglês). Nova Iorque: Princeton University Press. ISBN 0810932253