Cássia Kis Magro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Cássia Kiss)
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde Outubro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Cássia Kis Magro
Cássia Kis Magro
Nome completo Cássia Kis Magro[1]
Nascimento 6 de janeiro de 1958 (56 anos)
São Caetano do Sul, SP
Brasil
Ocupação atriz
Cônjuge João Baptista Magro Filho (2009 - atualmente)[2]
Outros prêmios
Troféu Imprensa - Melhor Atriz
2001: Porto dos Milagres
Melhores do Ano - Melhor Atriz Coadjuvante
2011: Morde e Assopra
IMDb: (inglês)

Cássia Kis Magro[nota 1] [3] (São Caetano do Sul, 6 de janeiro de 1958) é uma atriz brasileira, célebre por seus trabalhos em telenovelas.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filha de Josep Kiss, um mecânico, Cássia é neta paterna de húngaros.[4] Cássia é tia do modelo internacional Marcio Kiss, ex-jogador de basquete e modelo da Major Model Brasil em São Paulo.[5] [6]

Cássia teve uma infância muito pobre e um lar sem amor. Morava num cortiço na roça. Sua casa era um quarto-cozinha. Era a filha caçula de quatro irmãos. Era obrigada a fazer serviços domésticos desde muito pequena. Sua mãe era uma dona-de-casa revoltada, que sempre teve um relacionamento conturbado com a filha. Cássia declara que apanhava muito de seus pais, mais de sua mãe, que era impaciente demais. Aos 11 anos já lavava, passava e cozinhava, tendo que levar o almoço do pai na oficina, e se fizesse algum desses serviços errado, apanhava da mãe. Com 14 anos já trabalhava fora, em uma loja como vendedora. Nessa época bebia cachaça escondida, se reunindo com os amigos para se divertir, tendo que uma vez pular da janela de casa para a mãe não descobrir que ela bebia. Por conta de tantas desavenças, Cássia foi expulsa de casa aos 15 anos. Cássia diz que ao sair de casa só lhe foi permitido levar um colchão e um jogo de lençois e que ficou mais de 5 anos sem dar notícias a família.[7]

Ao sair de casa, foi morar com sua melhor amiga. Após meses foi viver com um casal de amigos, que eram músicos, ainda em São Caetano do Sul. Nesse tempo ela foi hippie, e se interessava por músicas agitadas e bares. Meses depois foi para a Cidade de São Paulo, alugou uma quitinete e ficou morando lá sozinha. Esse período de sua vida Cássia diz que foi muito depressivo, ela se sentia sozinha demais. Tendo que crescer cedo, arrumou outro emprego, dessa vez de secretária em um escritório, onde trabalhava o dia todo e a noite estudava o ensino médio, assim podendo pagar seu aluguel.[8]

Morando sozinha na capital paulista, teve seu primeiro namorado aos 16 anos, o que modificou sua vida radicalmente, ao descobrir uma gravidez não planejada, após alguns meses de namoro. O namorado, da mesma idade que Cássia, não quis o bebê, e Cássia não tinha nenhuma estrutura financeira e emocional para ter um filho, além de não querer ser mãe. Abandonada grávida pelo pai da criança, estava desesperada, sozinha e sem ninguém para lhe ajudar. Tomou uma decisão: Fez um aborto, ao completar 17 anos, por ainda ser muito jovem e inexperiente.[9]

Continuou sua vida, morando só e tentando ser feliz. Mesmo trabalhando o dia todo, sempre foi estudiosa, e nas horas vagas gostava de ler e escrever, além de rever os cadernos escolares antigos. Aos 18 anos conseguiu passar no vestibular da Universidade Federal para Matemática, apesar de ter pensado em cursar História, mas estava em dúvida entre a área de exatas, humanas e artística, até que se decidiu e viu que sempre gostou de artes e optou por cursar teatro, fazendo aulas semanalmente e chegando perto do sonho de ser atriz profissional.

Mudou-se para a cidade do Rio de Janeiro em 1981, aos 23 anos. Cássia estava disposta a mudar de vida, continuar a estudar teatro e trabalhar. Assim que chegou à cidade, passou a dormir nas ruas, em bancos de praça, pois não conhecia o Rio de Janeiro e não tinha dinheiro para nada. Foi ajudada por um poeta popular, que a colocou num quarto de empregada no apartamento dele, onde ela dividia espaço com três domésticas. Passou a tentar se entender e começou a fazer meditação. Começou a lavar banheiros na casa de ricos para se sustentar e pagar o templo onde fazia meditação.

Largou a meditação e lavagem de banheiros e começou a vender sanduíche natural na praia, por 1 ano, para pagar o cursos de teatro e se sustentar. Nessa época arranjou um novo namorado e em algumas semanas de namoro foram morar juntos em um apartamento alugado. Após 7 meses juntos ele se mostrou muito agressivo e ciumento e assim Cássia se separou dele.[10]

Durante toda a adolescência sempre gostou muito de astrologia. No período de 1 ano que morou sozinha, pôde curtir sua juventude sem problemas, passou a frequentas festas de rock, se tronou usuária de maconha e provou chá de cogumelo e diz que todos deveriam fazer isso ao menos uma vez na vida, porém ela percebeu que isso era um caminho sem volta e parou de usar maconha depois de 5 anos, aos 20 anos, ao perceber que aquilo não fazia bem a ninguém.[10]

Aos 24 anos, já fazendo peças teatrais pelo Rio, foi aprovada, e conseguiu se tornar aluna da Fundação das Artes, uma das melhores escolas de música e teatro da América Latina. Assim ela pôde ter uma formação profissional, desempenhando mais e mais seu talento. Começou a fazer escola de teatro com o diretor Silnei Siqueira para aprimorar suas técnicas.

Cássia é declaradamente espírita e vegetariana há mais de 30 anos.[11] Também declarou ter bulimia e sofrer de transtorno bipolar, além da depressão. Ficou 20 anos sofrendo com isso, pois negava a si mesma que tinha problemas emocionais. Começou a fazer terapia, e isso a ajudou superar muitos problemas.[12]

Conta que herdou problemas psicológicos de sua mãe e de sua avó, já que descobriu-se que sua mãe era muito nervosa pois sofre de problemas mentais, mas atualmente se trata. Cássia, ainda jovem, ligou para sua mãe após anos sem dar notícias e disse que a perdoava por tudo e se ela queria pedir perdão, mas a mãe nada disse. Apesar disso, alguns anos depois a mãe lhe pediu o perdão. A atriz diz que toma cuidado para detectar se algum de seus filhos terão algum problema psiquiátrico, para se tratarem cedo. Cássia hoje é mais amiga da mãe, que mora sozinha e é viúva.[13]

Cássia, já firmada como atriz, morava sozinha havia 15 anos, com seu gato, e tinha alguns namoros eventuais, mas nada sério, até que nos anos 80 conheceu um astrólogo. Após alguns meses de namoro, eles decidiram morar juntos, mas se separaram poucos anos depois.[14]

Após algum tempo, conheceu o engenheiro José Luís Tadeu, com quem foi morar junto, no meado dos anos 80. Em 1991 estava casada havia poucos anos com José, que não queria ter filhos, e Cássia tampouco desejava ser mãe, por ter sido infeliz com seus pais e achar que filhos davam muito trabalho.[12]

Por alguns meses se separou de José e confessou: nesse período gostou de dois homens que tinham aids. Se envolveu com um amigo de muitos anos, e eles começaram a namorar, mais uma amizade colorida que namoro. Ele queria algo sério com Cássia e até ter filhos com ela, mas Cássia não queria ter filhos e nem nada muito sério com ele. Isso ocorreu no início dos anos 90. Os dois se separaram quando ele confessou a Cássia ser bissexual e que recentemente descobriu ser portador do vírus HIV. Cássia ficou muito assustada e chocada, não querendo que seu amigo morresse, apesar disso, ele ficou bem de saúde e voltaram a ser bons amigos. Depois dele, Cássia se apaixonou por Carlos Augusto Strazzer, mas os dois nada tiveram, e ficaram amigos.

No mesmo ano, após uns meses, decidiu dar uma chance e reatou o casamento com José. Nessa época participou de uma campanha realizada pelo publicitário João Alberto Fonseca, 20 anos mais velho que a atriz. Cássia, mesmo casada, se interessou por ele, mas João tinha esposa e Cássia desistiu. Em 1992 Cássia se separou de vez do marido e descobriu que João também tinha terminado o casamento. Cássia, então, voltou a procurá-lo. Eles começaram a namorar e foram morar juntos no mesmo ano de 1992.

Cássia, após fazer duas novelas em que interpretava o papel de mãe, decidiu se abrir para a maternidade e junto com João tiveram dois filhos: Joaquim Maria, nascido em 1996 e Maria Cândida nascida em 1997. Cássia conta que sua vida mudou para melhor após ter filhos e que antes sua vida não tinha graça. Se separaram devido ao fato de o relacionamento não dar mais certo de jeito nenhum, por causa de brigas.

No início dos anos 2000 conheceu o jornalista Sérgio Brandão. Eles moraram juntos e tiveram dois filhos: Pedro Gabriel, que nasceu em 2003 e Pedro Miguel, nascido em 2004. Todos os filhos de Cássia nasceram de cesariana na cidade do Rio de Janeiro. Ela diz que ficou frustrada pois queria parto normal.[1]

Em 2009 casou-se, pela primeira vez oficialmente, com o psiquiatra João Baptista Magro Filho.[1]

Cássia é tia do modelo internacional Marcio Kiss, ex-jogador de basquete e modelo da Major Model Brasil em São Paulo.[15]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Iniciou sua carreira no teatro amador, integrando-se em um grupo que apresentava espetáculos na periferia e participava de festivais amadores. Durante dez anos, fez vários trabalhos em teatro, incluindo espetáculos infantis em escolas. Foi convidada pelo diretor Ulysses Cruz para integrar a sua companhia amadora, substituindo a atriz Haydée Figueiredo na peça Alice, O Que Uma Menina Bonitinha como Você Faz num País como Esse, de Paulo Afonso Grisolli. Depois, atuaria na peça Coronel dos Coronéis (1980), de autoria de Maurício Segall, muito elogiada na época.

Fez sua estreia na televisão em 1979, na novela Cara a Cara, da TV Bandeirantes. Na trama, interpretou a empregada doméstica da personagem de Fernanda Montenegro. Ainda em São Paulo, chegou a trabalhar em anúncios comerciais. Em 1981, mudou-se para o Rio de Janeiro.

Seu primeiro trabalho profissional no Rio foi no espetáculo Quem Governa o Rei?, de Paulo Afonso Grisolli. No início, para complementar seu orçamento doméstico, trabalhava na cozinha de um restaurante natural, em troca de alimentação e dinheiro para condução. Ainda no início dos anos 1980, por intermédio do ator Luiz Armando Queiroz, fez um teste e foi aprovada para trabalhar no elenco do programa As Aventuras do Tio Maneco, da TV Educativa.

Estreou na TV Globo em 1983, atuando em dois episódios do Caso Especial. No ano seguinte, fez o papel de uma freira na minissérie Padre Cícero, e, logo em seguida, foi convidada pelo diretor Wolf Maya para trabalhar na novela Livre para Voar, quando viveu uma solteirona sisuda. Seu primeiro personagem de maior repercussão veio em 1985, na novela Roque Santeiro, em que interpretou Lulu, mulher do negociante Zé das Medalhas. Em 1987 foi Silvana na novela Brega e Chique de Cassiano Gabus Mendes onde viveu um triângulo amoroso com Tato Gabus Mendes e Patricia Pillar.

Tornou-se ainda mais conhecida por sua atuação em Vale Tudo, de 1988, que mobilizou os telespectadores em torno do assassinato da vilã Odete Roitman. A surpresa veio no último capítulo da trama: a assassina era ninguém menos do que Leila, sua personagem. Leila matara Odete por engano, na verdade ela pretendia matar Maria de Fátima, personagem de Glória Pires. O assassino é descoberto quando Eunice (Íris Bruzzi) e Bartolomeu (Cláudio Corrêa e Castro) começam a pressionar Leila para que ela confesse que o assassino de Odete era Marco Aurélio, em defesa do marido, Leila conta a verdade. Na trama, Leila acreditava que Marco Aurélio, seu marido, interpretado por Reginaldo Faria, tinha um caso com Fátima. Em um determinado dia ela segue o marido e o encontra no apartamento de Odete Roitman, no entanto, Leila acredita que o apartamento é dele e foi comprado justamente para poder se encontrar com Fátima. Odete havia tido uma discussão forte com Marco Aurélio depois de descobrir que esse roubava sua empresa há anos. Dessa forma, Odete passa mal e vai para o interior do apartamento. Leila chega e começa a discutir com Marco Aurélio. Uma arma de Marco Aurélio está em cima de um balcão da cozinha, Leila pega o revólver e ameaça o marido, porém, quando vê a sombra de Odete atrás de uma porta de vidro, desesperada ela dá três tiros contra a porta, pensando que matava Fátima. Leila, ao descobrir quem realmente foi assassinada, fica desesperada e se inicia um jogo de mentiras, subornos e falsos testemunhos promovidos por Marco Aurélio para que sua esposa não seja descoberta. No final da novela, Leila não é presa, ela foge do país junto com Marco Aurélio.

Em 1990, transferiu-se para a TV Manchete, onde trabalhou na novela Pantanal, na qual interpretou Maria Marruá. No mesmo ano, voltou para a TV Globo, a tempo de protagonizar, ao lado de Victor Fasano e Cláudia Abreu, a novela Barriga de Aluguel. Na trama, a atriz viveu o drama de uma mãe que decide alugar a barriga de uma mulher mais jovem, para realizar o sonho de ter seu filho.

Entre seus papéis preferidos, aponta a personagem central de Mamãe Coragem, em 1992, um dos episódios do Você Decide. Na história, interpretou uma catadora de lixo, mãe de cinco filhos, cujo dilema é vender ou não uma das cinco crianças para salvar as demais.

Em 1993, despontou na telinha como Ilka Tibiriçá, a cômica solteirona cheia de trejeitos e com visual anos 1960, da novela Fera Ferida.

Em 2001, a vilã Adma da novela Porto dos Milagres, obteve grande repercussão na mídia, tanto por parte do público quanto da crítica, tendo recebido o Prêmio Contigo! e o Troféu Imprensa de Melhor Atriz.

Nos anos 2000, além do trabalho em novelas, voltou a participar de minisséries da TV Globo. Trabalhou em Um Só Coração, de 2004, em Mad Maria, de 2005, de e em JK, de 2006, quando viveu uma mulher reprimida pelo marido, em outro de seus grandes momentos na TV.

Em 2009, viveu a carola Mariana na segunda versão de Paraíso, em que sua personagem era mãe da protagonista Maria Rita "Santinha".

Em 2011 despontou como a bondosa e humilde Dulce em Morde e Assopra, uma senhora sofrida que nem imagina ainda ser enganada por seu filho Guilherme, que dizia ser médico. Com seu jeito inocente e sua atuação dramática, o papel lhe rendeu o Prêmio Melhores do Ano do Domingão do Faustão na categoria Melhor Atriz Coadjuvante.

Em 2012, interpretou a diabólica vilã Melissa, na trama das seis, Amor Eterno Amor. Em 2014, viveu a ex-prostituta Carolina, na minissérie Amores Roubados. [16] Também em 2014, integra o elenco do remake de O Rebu, como a advogada Gilda [17] , além de ser escalada para Felizes Para Sempre, remake da minissérie Quem Ama não Mata, prevista para estrear em 2015.[18] [19]

Sempre preocupada com as questões sociais, participou, em 1989, de uma campanha do Ministério da Saúde brasileiro, sobre a prevenção do câncer de mama. Em 2006, foi madrinha, no Brasil, da Semana Mundial do Aleitamento Materno, promovida pela Sociedade Brasileira de Pediatria e pelo Ministério da Saúde.

Foi[20] vegetariana estrita durante 22 anos,[21] e em 2007 declarou que teve problemas com bulimia.[22]

No cinema, esteve em mais de 15 filmes,[23] entre eles Bicho de Sete Cabeças (2001), de Laís Bodanzky, por ele ganhou o Troféu de Atriz Coadjuvante no Festival de Recife de 2001.[24]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Televisão
Ano Título Papel
1984 Livre para Voar Verona
1985 Roque Santeiro Lulu (Lugolina de Aragão)
1987 Brega & Chique Silvana
1988 Vale Tudo Leila Cantanhede
1990 Pantanal Maria Marruá
Barriga de Aluguel Ana Lúcia Paranhos de Alencar
1993 Fera Ferida Ilka Tibiriçá
1996 Quem É Você? Beatriz Maldonado
1997 Por Amor Isabel Lafayete
1998 Pecado Capital Eunice Freitas
2000 Esplendor Adelaide
2001 Porto dos Milagres Adma Guerrero
2002 Sabor da Paixão Cecília Coelho
2004 Um Só Coração Guiomar Penteado
2005 Mad Maria Amália
2006 JK Maria
Cobras & Lagartos Henriqueta / Teresa Pacheco
2007 Eterna Magia Zilda
2009 Paraíso Mariana Godói
2010 Escrito nas Estrelas Francisca Aguillar / Sólida Ramírez
2011 Morde & Assopra Dulce Maria Pereira Duarte de Lima
2012 Amor Eterno Amor Melissa Borges Sobral [25]
2014 Amores Roubados Carolina Dantas [26]
O Rebu Gilda Rezende [27]

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Ano Prêmio Categoria Trabalho Resultado Ref.
2002 Troféu Imprensa Melhor Atriz
Porto dos Milagres
Venceu [28]
Prêmio Contigo! de TV Melhor Atriz [29]
Melhor Vilã/Vilão [30]
Melhores do Ano Melhor Atriz
2011 Grande Prêmio do Cinema Brasileiro Melhor Atriz Coadjuvante
Chico Xavier
Prêmio Extra de Televisão Melhor Atriz
Morde & Assopra
Indicado [31]
Prêmio Quem de Televisão Melhor Atriz
Melhores do Ano Melhor Atriz Coadjuvante Venceu [32]
2013 Prêmio Contigo! de TV Melhor Atriz de Novela
Amor Eterno Amor
Indicado [33]

Notas

  1. Filha de Josep Kiss, Cássia foi registrada incorretamente em cartório como "Cássia Kis" (com apenas um "s"), mas não alterou seu registro de nascimento. Apesar disto, ela utilizava o nome artístico de Cássia Kiss. Atualmente ela usa, no nome artístico, o sobrenome conforme foi registrado no cartório mais o sobrenome do atual marido: Cássia Kis Magro.

Referências

  1. a b c Mariana Maziero (15 de abril de 2010). Atriz agora se chama Cássia Kiss Magro (em português). R7. Página visitada em 14 de março de 2013.
  2. Poliana Costa (15 de setembro de 2009). Cássia Kiss e João Baptista reúnem amigos em cerimônia de casamento (em português). Abril. Contigo!. Página visitada em 14 de março de 2013.
  3. Cássia Kis revela que seus filhos aprenderam com as lições de Dulce. Extra - TV e lazer. Página visitada em 2 de julho de 2011.
  4. Biografia (em português). UOL. Caras. Página visitada em 12 de outubro de 2013.
  5. Sobrinho de Cássia Kiss faz sucesso como modelo (em português). Globo.com. EGO. Página visitada em 12 de outubro de 2013.
  6. Marcio Kiss - Major Model Brasil - um modelo de sucesso nas passarelas (em português). Modelsbrasil.com. MODELSBRASIL. Página visitada em 06 de janeiro de 2014.
  7. Luara Calvi Anic (14 de dezembro de 2009). Cássia Kiss (em português). UOL. Revista TPM. Página visitada em 14 de março de 2013.
  8. Cássia Kis Magro revela a jornal que já fumou maconha e tomou chá de cogumelo (em português). Abril. Contigo! (18 de setembro de 2011). Página visitada em 14 de março de 2013.
  9. André Leal (13 de abril de 2007). As entrevistadas contam como fizeram o aborto (em português). Globo.com. Época. Página visitada em 14 de março de 2013.
  10. a b Cássia Kiss diz que já tomou chá de cogumelo e fumou maconha (em português). O Dia Online. Painel Notícias (18 de setembro de 2011). Página visitada em 12 de outubro de 2013.
  11. Renata Trindade. Cássia Kiss: 'O Espiritismo me faz feliz, me tranquiliza' (em português). Te Contei. Página visitada em 12 de outubro de 2013.
  12. a b Luara Calvi Anic (12 de dezembro de 2009). Cássia Kiss - A atriz atropela os tabus e fala de sexo, bipolaridade, drogas, e bulimia (em português). UOL. Revista TPM. Página visitada em 12 de outubro de 2013.
  13. Elena Corrêa. “Eu era totalmente fora do eixo” (em português). Quem. Página visitada em 12 de outubro de 2013.
  14. 6 de janeiro: Nascimentos
  15. Sobrinho de Cássia Kiss faz sucesso como modelo (em português). Globo.com. EGO. Página visitada em 12 de outubro de 2013.
  16. Matheus Vieira (04 de janeiro de 2014). ‘Amores roubados’: Cássia Kiss Magro volta à TV como uma prostituta abandonada pelo filho. Extra. Página visitada em 27 de julho de 2014.
  17. Louise Soares (15 de julho de 2014). Quis esquecer que já montaram 'O Rebu', afirma Cássia Kis Magro. F5 - televisão. Página visitada em 14 de agosto de 2014.
  18. Fernando Oliveira (14 de agosto de 2014). Remake de ‘Quem Ama Não Mata’ ganha mais nomes no elenco. R7. Mundo da TV. Página visitada em 14 de agosto de 2014.
  19. Patrícia Kogut (14 de agosto de 2014). Perfeito Fortuna vai estrear na Globo em série de Euclydes Marinho. O Globo. Página visitada em 14 de agosto de 2014.
  20. Revista Marie Claire, Rosane Queiroz (Maio de 2001). O avesso da vilã. Página visitada em 21/10/2008.
  21. Silvana Tavano (Abril de 2008). Menos radicais. Revista Marie Claire. Página visitada em 21/10/2008.
  22. Revista Quem, Elena Corrêa (1/08/2007). "Tenho bulimia e sou bipolar". Página visitada em 21/10/2008.
  23. Vivian Ortiz. Cássia Kiss Magro no auge (em português). Guia da Semana. Página visitada em 12 de outubro de 2013.
  24. Cinemateca Brasileira O Bicho de 7 Cabeças [em linha]
  25. Gshow (13 de fevereiro de 2012). Cassia Kis Magro muda visual para viver a vilã Melissa em Amor Eterno Amor. Fique por Dentro - Amor Eterno Amor. Página visitada em 27 de julho de 2014.
  26. Natalia Castro (07 de janeiro de 2014). Cauã Reymond conta que cortou relações com Cassia Kis Magro em gravações de ‘Amores roubados’. O Globo. Página visitada em 27 de julho de 2014.
  27. Cássia Kis Magro e Daniel de Oliveira serão amantes em nova novela das 23h. F5 - televisão (18 de junho de 2014). Página visitada em 27 de julho de 2014.
  28. Supla é a revelação do Troféu Imprensa. Estadão.com (8 de abril de 2002). Página visitada em 8 de abril de 2013.
  29. 4º Prêmio Contigo! - Vencedores. Contigo!. Página visitada em 8 de abril de 2013.
  30. 4º Prêmio Contigo! - Vencedores. Contigo!. Página visitada em 8 de abril de 2013.
  31. Redação Extra Online (29 de novembro de 2011). Prêmio Extra de TV: Andrea Beltrão é a melhor atriz. Extra. Página visitada em 29 de novembro de 2011.
  32. Cassia Kis Magro acha que ainda não é uma grande mulher. Globo.com (1º de abril e 2012). Página visitada em 8 de abril de 2013.
  33. Prêmio Contigo de TV! 2013 (20 de fevereiro de 2013).

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Cássia Kis Magro
Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Cássia Kis Magro