Dríade

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde Dezembro de 2010).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Dryad11.jpg
Ninfas

Dríades ou Dríadas, na mitologia grega, eram ninfas associadas aos carvalhos. De acordo com uma antiga lenda, cada dríade nascia junto com uma determinada árvore, da qual ela exalava. A dríade vivia na árvore ou próxima a ela. Quando a sua árvore era cortada ou morta, a divindade também morria. Os deuses frequentemente puniam quem destruía uma árvore.

A palavra dríade era também usada num sentido geral para as ninfas que viviam na floresta.

As ninfas de outras árvores são chamadas de hamadríade.

Cultura Popular[editar | editar código-fonte]

Elas são mencionadas em Charmed e Fablehaven

No balé Dom Quixote o personagem tem uma visão de dríades com Dulcineia.

Nos livros de Harry Potter o ser (Tronquilho) que protege as árvores onde mora é semelhante à driade.

Aparecem nos livros As Crônicas de Nárnia, de C.S. Lewis e na série de livros Percy Jackson, de Rick Riordan.

O Signo de Flora no pseudo-anime Winx Club, é o Dríade que se refere por ela ser uma fada da natureza.

No mangá Saint Seiya: The Lost Canvas há um espectro de Hades chamado Luco de Dríade, a estrela celeste da ascensão.

Na série de TV Xena: A Princesa Guerreira, a heroína vai em busca de ossos de dríade, única arma capaz de derrotar as bacantes (espécie de servas do deus Baco).

Ícone de esboço Este artigo sobre mitologia grega é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.