Dríade

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde Dezembro de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ninfas

Dríades ou Dríadas, na mitologia grega, eram ninfas associadas aos carvalhos. De acordo com uma antiga lenda, cada dríade nascia junto com uma determinada árvore, da qual ela exalava. A dríade vivia na árvore ou próxima a ela. Quando a sua árvore era cortada ou morta, a divindade também morria. Os deuses frequentemente puniam quem destruía uma árvore.

A palavra dríade era também usada num sentido geral para as ninfas que viviam na floresta.

As ninfas de outras árvores são chamadas de hamadríade.

Cultura Popular[editar | editar código-fonte]

Elas são mencionadas em Charmed e Fablehaven

No balé Dom Quixote o personagem tem uma visão de dríades com Dulcineia.

Nos livros de Harry Potter o ser (Tronquilho) que protege as árvores onde mora é semelhante à driade.

Aparecem nos livros As Crônicas de Nárnia, de C.S. Lewis e na série de livros Percy Jackson, de Rick Riordan.

O Signo de Flora no pseudo-anime Winx Club, é o Dríade que se refere por ela ser uma fada da natureza.

No mangá Saint Seiya: The Lost Canvas há um espectro de Hades chamado Luco de Dríade, a estrela celeste da ascensão.

Na série de TV Xena: A Princesa Guerreira, a heroína vai em busca de ossos de dríade, única arma capaz de derrotar as bacantes (espécie de servas do deus Baco).

Na série de livros Percy Jackson e os Olimpianos.

Ícone de esboço Este artigo sobre mitologia grega é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.