Reacionário

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O termo reacionário atualmente é utilizado pelos militantes de esquerda para designar aquele que se opõe às mudanças por eles preconizadas, tais como aumento de gastos governamentais com programas de transferência de renda, concessão de tratamento privilegiado às minorias, relativização do direito de propriedade, controle sobre a imprensa e ampliação do tamanho da máquina pública.

Contudo, o sentido histórico do termo reacionário refere àquele que se contrapõe a mudanças revolucionárias, sociais e políticas, realizadas por intermédio de força ou coerção. Nesse sentido, entende-se como reação o conjunto de forças que atuam no sentido de retorno ao estado anterior.

O reacionário é o oposto do revolucionário. O termo foi empregado pela primeira vez no contexto da Revolução Francesa, no sentido de que reacionários eram os que reagiam contra as mudanças iniciadas pela Revolução e pretendiam um retorno ao Ancien Régime.

No Manifesto do Partido Comunista, Marx e Engels afirmam que as:

"classes médias - pequenos comerciantes, pequenos fabricantes, artesãos, camponeses - combatem a burguesia porque esta compromete sua existência como classes médias. Não são, pois, revolucionárias, mas conservadoras; mais ainda, reacionárias, pois pretendem fazer girar para trás a roda da história..".[1]

Nesse sentido, as religiões são às vezes qualificadas como reacionárias. Isto decorre, em parte, da oposição desses últimos a filósofos religiosos como Louis de Bonald, Joseph de Maistre e François-René de Chateaubriand, e em parte do que Karl Popper chamou de crença progressista (identificada como historicista) no caráter manifesto da verdade, que não conduz à construção do conhecimento mas à procura dos obstáculos à manifestação da verdade. Ao se identificar a religião como geradora de preconceitos, procura-se abolir a religião. "Analisar, afastar esse emaranhado de forças e tendências conflitantes e conseguir penetração em suas raízes, atingindo as forças de impulsão universal e as leis de transformação social – essa a tarefa das Ciências Sociais, tal como a vê o historicismo." [2]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre política, partidos políticos ou um político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.