Campeonato Brasileiro de Futebol de 1968 (Taça Brasil)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
XII Campeonato Brasileiro de Futebol
Taça Brasil de 1968
Dados
Participantes 23
Organização CBD
Local de disputa Brasil
Período 4 de agosto de 19684 de outubro de 1969
Gol(o)s 134
Partidas 54
Média 2,48 gol(o)s por partida
Campeão Botafogo (1º título)
Vice-campeão Fortaleza
Melhor marcador Ferretti (Botafogo) – 7 gols
◄◄ 1968 (RGP) Soccerball.svg 1969 ►►

O Campeonato Brasileiro de Futebol de 1968, originalmente denominado Taça Brasil pela CBD, foi a décima segunda edição do Campeonato Brasileiro e foi vencido pelo Botafogo, que conquistou o seu primeiro título de campeão brasileiro de futebol.[1] Título este que é compartilhado oficialmente pela CBF com o Santos, vencedor da Taça de Prata de 1968.

Inicialmente, a CBD pretendia indicar o campeão e o vice desse certame como os dois representantes brasileiros na Taça Libertadores da América de 1969. No entanto, a competição foi prolongada até outubro do ano seguinte, devido a problemas de calendário e principalmente ao impasse ocorrido no confronto das quartas de final entre o Botafogo e o Metropol, clube de Santa Catarina, que acabou atrasando a competição em quatro meses.[2] Por conta do longo atraso e da impossibilidade da Taça Brasil de 1968 acabar antes do início da Libertadores da América de 1969, em dezembro de 1968 a entidade máxima do futebol nacional decidiu em caráter especial indicar os melhores colocados do Torneio Roberto Gomes Pedrosa de 1968 como os representantes brasileiros na competição continental, em substituição aos vencedores da Taça Brasil. No entanto, por desentendimentos entre as confederações brasileira (CBD) e sul-americana (CONMEBOL), o Brasil terminou não participando da Libertadores em 1969 e 1970.[carece de fontes?]

Esta edição contou com a participação de vinte e três clubes. Devido ao atraso e a perda da vaga na Libertadores, Santos e Palmeiras acabaram abandonando a competição, sem que esses clubes (classificados diretamente à fase final) disputassem qualquer jogo, deixando o Estado de São Paulo como a única unidade federativa do Brasil fora desta edição.[carece de fontes?] O torneio finalmente chegou ao fim em outubro de 1969, com o Botafogo sagrando-se campeão, batendo na final o Fortaleza.[2]

Apesar de sua importância, e de seu vencedor ser considerado o campeão brasileiro já na época de sua disputa,[3][4][5] somente em 2010 que este torneio foi reconhecido oficialmente pela CBF como um dos dois Campeonatos Brasileiros de Futebol de 1968.[6]

Com a conquista, o Botafogo se tornou o primeiro clube carioca a conquistar o campeonato nacional de futebol.

Regulamento[editar | editar código-fonte]

A Taça Brasil de 1968 foi dividida em duas fases. Os atuais campeão e vice (Palmeiras e Náutico) e os representantes dos estados da Guanabara e São Paulo (Botafogo e Santos) já estavam garantidos na fase final. Os demais representantes estaduais deveriam passar pela primeira fase, dividida em três zonas (Zona Norte, Centro e Sul), cada qual com um regulamento próprio, classificando o campeão de cada zona para a fase final.

Participantes[editar | editar código-fonte]

Equipe Cidade Classificação Participações Título(s)
Paraná Água Verde Curitiba Campeão paranaense de 1967 0 0 (não possui)
Rio Grande do Norte América de Natal Natal Campeão potiguar de 1967 0 0 (não possui)
Goiás Atlético Goianiense Goiânia Vice-Campeão goiano de 1967 1 (1965) 0 (não possui)
Bahia Bahia Salvador Campeão baiano de 1967 6 (1959 - 1963, 1968[RGP]) 1 (1959)
Guanabara Botafogo Rio de Janeiro Campeão carioca de 1967 5 (1962, 1963, 1967, 1967[RGP], 1968[RGP]) 0 (não possui)
Paraíba Campinense Campina Grande Campeão paraibano de 1967 6 (1961 - 1966) 0 (não possui)
Mato Grosso Operário VG Várzea Grande Campeão mato-grossense de 1967 0 0 (não possui)
Minas Gerais Cruzeiro Belo Horizonte Campeão mineiro de 1967 7 (1960 - 1962, 1966, 1967, 1967[RGP], 1968[RGP]) 1 (1966)
Alagoas CSA Maceió Campeão alagoano de 1967 5 (1959, 1961, 1964, 1966, 1967) 0 (não possui)
Espírito Santo (estado) Desportiva Ferroviária Cariacica Campeão capixaba de 1967 2 (1965, 1966) 0 (não possui)
Ceará Fortaleza Fortaleza Campeão cearense de 1967 4 (1960, 1961, 1965, 1966) 0 (não possui)
Rio de Janeiro Goytacaz Campos dos Goytacazes Campeão fluminense de 1967 2 (1964, 1967) 0 (não possui)
Rio Grande do Sul Grêmio Porto Alegre Campeão gaúcho de 1967 10 (1959 - 1961, 1963 - 1967, 1967[RGP], 1968[RGP]) 0 (não possui)
Santa Catarina Metropol Criciúma Campeão catarinense de 1967 4 (1961 - 1964) 0 (não possui)
Maranhão Moto Club São Luís Campeão maranhense de 1967 3 (1960, 1961, 1967) 0 (não possui)
Pernambuco Náutico Recife Campeão pernambucano de 1967 6 (1961, 1964 - 1968[RGP]) 0 (não possui)
Amazonas Olímpico Manaus Campeão amazonense de 1967 0 0 (não possui)
São Paulo Palmeiras São Paulo Campeão brasileiro de 1967 8 (1960, 1961, 1964 - 1967[TB], 1967[RGP], 1968[RGP]) 3 (1960, 1967[RGP], 1967[TB])
Pará Paysandu Belém Campeão paraense de 1967 6 (1960, 1962 - 1964, 1966, 1967) 0 (não possui)
Piauí Piauí Teresina Campeão piauiense de 1967 1 (1967) 0 (não possui)
Distrito Federal (Brasil) Rabello Brasília Campeão brasiliense de 1967 2 (1966, 1967) 0 (não possui)
São Paulo Santos Santos Campeão paulista de 1967 9 (1959, 1961 - 1968[RGP]) 6 (1961, 1962, 1963, 1964, 1965, 1968 RGP)
Sergipe Sergipe Aracaju Campeão sergipano de 1967 2 (1962, 1965) 0 (não possui)
Notas
  • RGP. ^ Em 1967 e 1968, foram realizados dois Campeonatos Brasileiros. Esta colocação refere-se ao torneio denominado na época de Torneio Roberto Gomes Pedrosa.
  • TB. ^ Em 1967 e 1968, foram realizados dois Campeonatos Brasileiros. Esta colocação refere-se ao torneio denominado na época de Taça Brasil.

Primeira fase[editar | editar código-fonte]

Zona Norte[editar | editar código-fonte]

Grupo 1[editar | editar código-fonte]

Classificação da fase final
Time Pts J V E D GP GC SG
1 Maranhão Moto Club 6 4 3 0 1 7 3 +4
2 Pará Paysandu 3 4 1 1 2 8 6 +2
3 Amazonas Olímpico 3 4 1 1 2 3 9 -6
Pts – pontos; J – jogos disputados; V - vitórias; E - empates; D - derrotas;
GP – gols pró; GC – gols contra; SG – saldo de gols

Grupo 2[editar | editar código-fonte]

Classificação da fase final
Time Pts J V E D GP GC SG
1 Piauí Piauí 8 4 4 0 0 5 0 +5
2 Rio Grande do Norte América de Natal 3 4 1 1 2 2 4 -2
3 Paraíba Campinense 1 4 0 1 3 1 4 -3
Pts – pontos; J – jogos disputados; V - vitórias; E - empates; D - derrotas;
GP – gols pró; GC – gols contra; SG – saldo de gols

Grupo 3[editar | editar código-fonte]

Classificação da fase final
Time Pts J V E D GP GC SG
1 Bahia Bahia 7 4 3 1 0 9 3 +6
2 Alagoas CSA 3 4 1 1 2 5 7 -2
3 Sergipe Sergipe 2 4 0 2 2 3 7 -4
Pts – pontos; J – jogos disputados; V - vitórias; E - empates; D - derrotas;
GP – gols pró; GC – gols contra; SG – saldo de gols

Decisão[editar | editar código-fonte]

Em itálico, os times que possuem o mando de campo no primeiro jogo do confronto e em negrito os times classificados.

  Quartas de final Semifinais Final
                             
1         
8         
          
          
4       
5         
   Bahia Bahia 1 0  
   Ceará Fortaleza [2] 0 1  
3         
6         
   Bahia Bahia [1] 5 1
   Maranhão Moto Club-MA 0 0  
2  Maranhão Moto Club-MA 2 1
7  Piauí Piauí 1 1  

[1] O Bahia pagou ao Moto Club-MA para também jogar o segundo jogo em casa.

[2] O Fortaleza se classificou após vencer o Bahia por 2 a 1, em casa, em um jogo de desempate.

Zona Centro[editar | editar código-fonte]

Grupo 1[editar | editar código-fonte]

Classificação da fase final
Time Pts J V E D GP GC SG
1 Goiás Atlético Goianiense 5 4 2 1 1 8 3 +5
2 Mato Grosso Operário VG 4 4 2 0 2 5 9 -4
3 Distrito Federal (Brasil) Rabello 3 4 1 1 2 6 7 -1
Pts – pontos; J – jogos disputados; V - vitórias; E - empates; D - derrotas;
GP – gols pró; GC – gols contra; SG – saldo de gols

Grupo 2[editar | editar código-fonte]

Classificação da fase final
Time Pts J V E D GP GC SG
1 Rio de Janeiro Goytacaz 3 2 1 1 0 2 1 +1
2 Espírito Santo (estado) Desportiva 1 2 0 1 1 1 2 -1
Pts – pontos; J – jogos disputados; V - vitórias; E - empates; D - derrotas;
GP – gols pró; GC – gols contra; SG – saldo de gols

Decisão[editar | editar código-fonte]

Em itálico, os times que possuem o mando de campo no primeiro jogo do confronto e em negrito os times classificados.

  Quartas de final Semifinais Final
                             
1         
8         
   Rio de Janeiro Goytacaz [1] 2 1  
   Goiás Atlético Goianiense 0 2  
4       
5         
   Goiás Atlético Goianiense 1 1  
   Minas Gerais Cruzeiro 2 6  
3         
6         
        
          
2       
7         

[1] O Atlético Goianiense venceu Goytacaz por 2 a 0, em casa, no jogo de desempate.

Zona Sul[editar | editar código-fonte]

Classificação da fase final
Time Pts J V E D GP GC SG
1 Santa Catarina Metropol 5 4 1 3 0 5 1 +4
2 Rio Grande do Sul Grêmio 5 4 1 3 0 2 0 +2
3 Paraná Água Verde 2 4 0 2 2 1 7 -6
Pts – pontos; J – jogos disputados; V - vitórias; E - empates; D - derrotas;
GP – gols pró; GC – gols contra; SG – saldo de gols

Fase final[editar | editar código-fonte]

A tabela original da fase final previa os confrontos na ordem abaixo:

Em itálico, os times que possuem o mando de campo no primeiro jogo do confronto e em negrito os times classificados.

Oitavas de final Quartas de final Semifinais Final
           
                                       
1         
16         
   São Paulo Palmeiras  
   Ceará Fortaleza  
8       
9         
     
   São Paulo Santos  
5         
12         
        
          
4       
13         
        
        
2         
15         
   Minas Gerais Cruzeiro
     
7  Guanabara Botafogo
10  Santa Catarina Metropol  
   
   Pernambuco Náutico  
6         
11         
        
          
3       
14         

Devido ao atraso do torneio, por causa da confusão do jogo entre Botafogo e Metropol, a Taça Brasil perdeu a vaga para a Copa Libertadores, o que fortaleceu o antigo desejo da CBD de não mandar representantes para a competição sul-americana, para evitar a violência excessiva dos argentinos e uruguaios, motivado pelo Brasil estar perto de conquistar o inédito tricampeonato da Copa do Mundo, e por consequência a posse definitiva da Taça Jules Rimet, já que a Copa Libertadores também não era considerada atrativa aos clubes brasileiros, pelas viagens longas onerosas e premiações baixas.

Assim, a CBD deu fim a Taça Brasil, que foi inicialmente criada com o intuito de ser uma seletiva brasileira, para definir o representante do país na Copa Libertadores, depois de ainda Santos e Palmeiras aproveitarem para desistir do torneio em fevereiro de 1969, por não existir qualquer possibilidade de punição no âmbito esportivo do Brasil. Para evitar também que o Fortaleza fosse diretamente para a final nesta edição, a CBD alterou a tabela, mudando o Náutico de chave. A fase final prosseguiu da seguinte forma:

  Quartas de final Semifinais Final
                             
1         
8         
   Ceará Fortaleza [2] 2 1  
   Pernambuco Náutico 1 2  
4       
5         
   Ceará Fortaleza 2 0  
   Guanabara Botafogo 2 4  
3         
6         
   Minas Gerais Cruzeiro 0 1
   Guanabara Botafogo 1 1  
2  Guanabara Botafogo [1] 6 0
7  Santa Catarina Metropol 1 1  

[1] No jogo de desempate, o Botafogo empatou em 1 a 1 com o Metropol em casa, após uma interrupção no final da partida, devido a um forte temporal. O Botafogo brigava pelo empate, por causa do saldo de gols das duas primeiras partidas e aceitou jogar os minutos restantes no dia seguinte, mas o Metropol queria uma nova partida inteira em outra data, o que fez o clube catarinense desistir do torneio, depois de ter atrasado a competição em 1 ano, com o imbróglio.

[2] O Fortaleza venceu o Náutico fora de casa por 1 a 0 em um jogo de desempate.

A decisão[editar | editar código-fonte]

3 de Setembro de 1969 Fortaleza Ceará 2 – 2 Guanabara Botafogo Estádio Presidente Vargas, Fortaleza

Erandir Gol marcado
Joãozinho Gol marcado
Gol marcado Gol marcado Ferretti Público: 15,375
Árbitro: José Mário Vinhas

4 de Outubro de 1969 Botafogo Guanabara 4 – 0 Ceará Fortaleza Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro

Roberto Miranda Gol marcado aos 7 minutos de jogo 7'
Ferretti Gol marcado aos 53 minutos de jogo 53', Gol marcado aos 83 minutos de jogo 83'
Afonsinho Gol marcado aos 65 minutos de jogo 65'
Público: 13,588[carece de fontes?]
Renda: Cr$34.006,75[7][8]
Árbitro: Guálter Portela Filho

Premiação[editar | editar código-fonte]

Campeonato Brasileiro de Futebol de 1968 (Taça Brasil)
Rio de Janeiro
Botafogo de Futebol e Regatas

(1º título)

Classificação final[editar | editar código-fonte]

Classificação final
Pos. Times P J V E D GP GC SG %
Campeão
Guanabara Botafogo 9 7 3 3 1 15 6 +9 64,28%
Vice-campeão
Ceará Fortaleza 9 8 4 1 3 9 11 -2 56,25%
Semifinalistas
Minas Gerais Cruzeiro 5 4 2 1 1 9 4 +5 62,5%
Pernambuco Náutico 2 3 1 0 2 3 4 -1 33,33%
Quarto-finalista
Santa Catarina Metropol 8 7 2 4 1 8 8 0 57,14%
Finalistas de Zonas
Bahia Bahia 13 9 6 1 2 17 6 +11 72,22%
Goiás Atlético Goianiense 9 9 4 1 4 14 14 0 50%
Semifinalistas de zonas
Maranhão Moto Club 9 8 4 1 3 10 11 -1 56,25%
Rio de Janeiro Goytacaz 5 5 2 1 2 5 5 0 50%
Quarto-finalista de zona
10º Piauí Piauí 9 6 4 1 1 7 3 +4 75%
Eliminados da fase de grupos das zonas
11º Rio Grande do Sul Grêmio 5 4 1 3 0 2 0 +2 62,5%
12º Mato Grosso Operário VG 4 4 2 0 2 5 9 -4 50%
13º Pará Paysandu 3 4 1 1 2 8 6 +2 37,5%
14º Distrito Federal (Brasil) Rabello 3 4 1 1 2 6 7 -1 37,5%
15º Alagoas CSA 3 4 1 1 2 5 7 -2 37,5%
16º Rio Grande do Norte América de Natal 3 4 1 1 2 2 4 -2 37,5%
17º Amazonas Olímpico 3 4 1 1 2 3 9 -6 37,5%
18º Sergipe Sergipe 2 4 0 2 2 3 7 -4 25%
19º Paraná Água Verde 2 4 0 2 2 1 7 -6 25%
20º Espírito Santo (estado) Desportiva Ferroviária 1 2 0 1 1 1 2 -1 25%
21º Paraíba Campinense 1 4 0 1 3 1 4 -3 12,5%
Pts – pontos; J – jogos disputados; V - vitórias; E - empates; D - derrotas;
GP – gols pró; GC – gols contra
Para efeitos de classificação, eram contabilizados apenas os pontos conquistados
na fase em que o clube foi eliminado

OBS: Em fevereiro de 1969, Palmeiras e Santos desistiram da competição após o início da segunda fase, não chegando a jogar e tendo os seus jogos desconsiderados da classificação geral.[carece de fontes?]

Principais artilheiros[editar | editar código-fonte]

  1. Ferreti (Botafogo): 7 gols.[9]
  2. Sanfilippo (Bahia): 5 gols.
  3. Cajé (Bahia) e Dirceu Lopes (Cruzeiro): 4 gols.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Livro Passos do Campeão - o Botafogo Na Conquista da Taça Brasil de 1968, por Auriel de Almeida, Editora Ventura (2011)

Referências

  1. «Botafogo: De Paulo Cézar Caju a Túlio Maravilha, os títulos de 1968 e 1995». Consultado em 2 de novembro de 2016 
  2. a b «Confira detalhes do título do Botafogo na Taça Brasil de 1968». Portal Terra. Consultado em 2 de novembro de 2016 
  3. «Antes do Big Bang». Revista Trivela. Consultado em 2 de novembro de 2016 
  4. «A sabatina sobre Taça Brasil e Robertão continua». Odir Cunha. Consultado em 2 de novembro de 2016 
  5. «Europa também chamava o vencedor da Taça brasil de campeão brasileiro». Odir Cunha. Consultado em 2 de novembro de 2016 
  6. «CBF oficializa títulos nacionais de 1959 a 70 com homenagem a Pelé». Globo Esporte. Consultado em 2 de novembro de 2016 
  7. Revista Placar nº 793 de 2 de agosto de 1985, página 65
  8. Jornal O Globo de 6 de outubro de 1969 - Caderno de Esportes, página 2, edição matutina
  9. Almanaque do Brasileirão 1959-2015, Editora ALTO ASTRAL, página 17.