Nicki Minaj

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Playtime Is Over)
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox grammar.svg
Esta página ou secção precisa de correção ortográfico-gramatical.
Pode conter incorreções textuais, podendo ainda necessitar de melhoria em termos de vocabulário ou coesão, para atingir um nível de qualidade superior conforme o livro de estilo da Wikipédia. Se tem conhecimentos linguísticos, sinta-se à vontade para ajudar.
Nicki Minaj
Minaj no lançamento de sua fragrância Pink Friday, Sydney, Austrália em novembro de 2012.
Informação geral
Nome completo Onika Tanya Maraj
Também conhecido(a) como Harajuku Barbie
Roman Zolanski
Nascimento 8 de dezembro de 1982 (31 anos)
Local de nascimento Porto de Espanha
Trinidad e Tobago
Origem Queens, Nova Iorque
País  Estados Unidos
Gênero(s)
Ocupação(ões)
Instrumento(s)
Período em atividade 2004-presente
Gravadora(s)
Afiliação(ões) Young Money
Página oficial MyPinkFriday.com

Onika Tanya Maraj (Porto de Espanha, 8 de dezembro de 1982), conhecida por seu nome artístico Nicki Minaj, é uma rapper, cantora, compositora e atriz norte-americana nascida em Trinidad e Tobago. Nasceu no país caribenho e mudou-se para o bairro nova-iorquino do Queens quando tinha cinco anos de idade, se formando em escolas artísticas mais tarde. Depois de lançar três mixtapes entre 2007 e 2009, assinou um contrato com a gravadora Young Money. Ela lançou seu álbum de estreia, Pink Friday (2010) e atingiu o topo da tabela estado-unidense de discos mais vendidos Billboard 200 e certificado de disco de platina pela Recording Industry Association of America (RIAA) após um mês da sua distribuição.[1] [2] A canção "Super Bass" foi certificada em platina quádrupla pela RIAA, e já vendeu mais de quatro milhões de cópias digitais, tornando-se um dos singles mais vendidos nos Estados Unidos.[3] Minaj se tornou a primeira artista a ter sete canções como singles na lista de músicas Billboard Hot 100 ao mesmo tempo.[4]

Seu segundo álbum de estúdio, Pink Friday: Roman Reloaded (2012) chegou a posições altas em paradas musicais e o tornou um dos álbuns mais vendidos de 2012 com um milhão de cópias espalhadas em todo o mundo.[2] "Starships" tornando-se um dos singles mais vendidos de 2012.[5] Ela embarcou na Pink Friday Tour e Pink Friday: Reloaded Tour, e relançou o álbum como Pink Friday: Roman Reloaded – The Re-Up. Minaj provisoriamente anunciou planos para um terceiro álbum de estúdio a ser lançado em 2013.[6] Até 2013, Minaj já vendeu 5 milhões de álbuns mundialmente.[7]

A arte de Minaj apresenta um estilo de rap acelerado,[8] uso de alter-egos[9] e sotaques notavelmente britânicos.[10] Seus trajes extravagantes e coloridos, roupas e perucas deram seu reconhecimento como um ícone da moda. Ela se caracterizou como uma dubladora em Ice Age 4: Continental Drift, serve como uma juíza no American Idol e comercializou com Adidas, MAC Cosmetics, e Pepsi. Seu trabalho ganhou seis BET Awards, quatro American Music Awards, dois MTV Video Music Award, um MTV Europe Music Awards e foi nomeada como "Estrela em Ascensão de 2011" pela revista Billboard em 2011.[11] [12] Foi a primeira mulher incluída na MTV's Annual Hottest MC List,[13] com o The New York Times considerando-a como "a rapper mais influente de todos os tempos."[14] The Source nomeou Minaj a Mulher do Ano de 2012[15] e se tornou a rapper com maior número de canções na parada musical Billboard Hot 100, totalizando quarenta e quatro.[16]

Vida e carreira[editar | editar código-fonte]

Início da vida e começo da carreira[editar | editar código-fonte]

Minaj nasceu em Trinidad e Tobago (à esquerda) e depois se mudou para Queens, Nova Iorque (à direita)

Onika Tanya Maraj nasceu em 1982[nota 1] em Saint James[19] [20] [21] (um subúrbio da cidade de Porto de Espanha, capital de Trindade e Tobago).

Filha de Carol Maraj, uma assistente de contabilidade de confissão evangélica, e de Robert Maraj, um empregado da American Express.[22] Seus pais são de ascendências mistas de indianos e afro-trinitinos[23] [24] e ela viveu em Saint James com sua avó até seus cinco anos de idade, pois seus pais estavam procurando na época por um lugar para morar no distrito do Queens na cidade de Nova Iorque. De vez em quando, sua mãe ia visitá-la, e um dia, foi buscá-la para ir para Queens.[25] De acordo com Minaj, seu pai bebia muito, usava drogas e uma vez tentou matar sua mãe após colocar fogo na casa onde moravam.[26]

Ela estudou na escola de música Elizabeth Blackwell Middle School 210, onde tocava clarinete, e formou-se na LaGuardia High School.[25] [27] [28] Na última instuição, especializada em música e nas Artes visuais e cênicas, Minaj participou do programa de teatro. Inicialmente, ela estava prevista para cantar em LaGuardia, mas perdeu a voz no dia de sua audição.[27] Tinha um desejo de se tornar uma atriz, mas falhou na tentativa de prosseguir a sua carreira devido à falta de papéis que recebeu. Em 2001 foi escalada para o espetáculo Off-Broadway "In Case You Forget".[29] Depois de sua falta de sucesso em se tornar uma atriz, Minaj trabalhou no Red Lobster, no Bronx, com 19 anos, como garçonete, comprando seu primeiro veículo próprio, uma BMW.[30] Foi demitida da Red Lobster por causa de sua indelicadeza com os outros clientes e já havia sido dispensada pelo menos 15 vezes pelo mesmo motivo.[31] Ela trabalhou também como assistente administrativa, atendente ao cliente e uma posição de gerente de escritório em um negócio desconhecido localizado em Wall Street.[32] [33]

Minaj brevemente assinou com o grupo do Brooklyn Full Force, onde fez rap em um quarteto chamado "Hoodstars", que consistia com os membros Lou$tar (filho de Bowlegged Lou), Scaff Beezy (o atual hype man de Minaj), e 7even Up.[34] [35] Em 2004, o grupo gravou a música de entrada para a lutadora do WWE Victoria intitulada "Don't Mess With", que foi destaque na coletânea ThemeAddict: WWE The Music, Vol. 6. Minaj deixou o grupo, insatisfeita com a falta de sucesso. A artista tinha carregado algumas canções em seu Myspace e enviou algumas delas para os profissionais da indústria da música, gerenciada por Debra Antney. Fendi, CEO da gravadora do Brooklyn Dirty Money Entertainment, que descobriu o rapper Gravy, escutou as músicas de Minaj e a contratou para seu rótulo. Ela usou primeiro o nome "Nicki Maraj", mudando depois para "Nicki Minaj" declarando: "Meu nome verdadeiro é Maraj. Fendi inverteu ele quando me conheceu porque eu tinha uma tal 'rima desagradável'! Eu como vadias!"[36] Sob a gravadora de Fendi, Minaj apareceu no popular DVD de rua "The Come Up Volume 11" que contou com rappers clandestinos de Nova Iorque.[37]

2007–09: Mixtapes e Young Money[editar | editar código-fonte]

Minaj lançou seu primeiro mixtape em 2007, depois de distribuir o Playtime Is Over com Dirty Money Records. Ela lançou um outro disco em 7 de julho de 2008, intitulado Sucka Free, através da gravadora Be. Em 18 de abril de 2009, a artista divulgou um terceiro mixtape e apareceu na revista XXL.[38] Ela venceu na categoria "Female Artist of the Year" em 2008 nos Underground Music Awards.[39] Minaj lançou Beam Me Up Scotty, outro mixtape, em abril de 2009 através da companhia Trapaholics Records, que recebeu cobertura positiva dos canais de televisão BET e MTV.[40] [41]

Em agosto de 2009, Minaj assinou um contrato com a gravadora Young Money, com distribuição da Universal Motown Records, depois que o rapper norte-americano Lil Wayne descobriu ela no DVD The Come Up.[38] [42] Minaj gerou uma grande atenção quando ela apareceu pela primeira vez no vídeo "5 Star Chick" de Yo Gotti, o que lhe rendeu sucesso com a comunidade urbana. A pedido do rapper Jay-Z, Minaj fez uma participação no single "Shakin' It 4 Daddy" do cantor Robin Thicke.[43] Ela então teve um verso de rap solo no single "BedRock", do grupo Young Money, que se tornou um sucesso comercial, atingindo a segunda posição da tabela musical dos Estados Unidos Billboard Hot 100.[44] Minaj também apareceu em "Roger That", que alcançou a posição de número 56 na mesma lista.[44] A canção, e em particular a intérprete, receberam análises positivas dos críticos. Ambas as faixas foram incluídas no álbum de estúdio We Are Young Money, distruido pela empresa de mesmo nome em dezembro de 2009. O trabalho entrou entre os dez mais vendidos da parada musical de álbuns estadounidense Billboard 200, alcançando sua nona colocação e depois sendo certificado como disco de ouro pela Recording Industry Association of America (RIAA).[45] [46] Ela foi depois escolhida por Mariah Carey para fazer uma participação em seu single e vídeo da canção "´Up Out My Face". Os críticos elogiaram a colaboração.[47]

2010–2011: Pink Friday e avanço comercial[editar | editar código-fonte]

Depois de uma grande guerra de propostas da gravadora, Young Money Entertainment anunciou em 31 de agosto de 2009 que lançariam Minaj com um contrato que ela possuiria todos os seus direitos – incluindo merchandising, patrocínios, verbas, turnês e publicidade.[48] Em entrevista à Capital FM 95,8, Rihanna afirmou que depois que as duas colaboraram em "Raining Men" de seu álbum Loud (2010), a dupla se reuniria novamente para uma possível colaboração no álbum Pink Friday, de Minaj.[49] O artista e produtor de hip-hop e rap Kanye West também foi confirmado no álbum.[50] Em 3 de agosto de 2010, Minaj revelou no canal online Ustream.tv que o nome do álbum seria Pink Friday, em referência a Black Friday.[51]

Minaj no salão Hammerstein Ballroom em 2010.

Pink Friday foi lançado em 19 de novembro de 2010 em versão padrão e deluxe.[52] [53] O single promocional, "Massive Attack", foi lançado em abril.[54] Em agosto, Minaj lançou "Your Love" como o primeiro single oficial do seu álbum de estreia. A canção chegou ao número 14 da parada musical dos Estados Unidos Billboard Hot 100,[55] na sétima posição do gráfico americano Hot R&B/Hip-Hop Songs[56] e o topo da parada Rap Songs, sendo a primeira artista feminina solo no topo da parada desde 2002.[57] [58] Ela tornou-se a primeira artista feminina a ser incluida no MTV's Annual Hottest MC List, que lista os dez principais artistas de hip-hop do ano.[13] Em outubro torno-se a primeira a ter sete canções na Billboard Hot 100 ao mesmo tempo.[4] Minaj lançou um single em conjunto com o líder do grupo Black Eyed Peas, will.i.am, intitulado "Check It Out",[59] seguido de "Right Thru Me", com o clipe de ambos lançado em outubro.[60] [61] "Moment 4 Life" foi lançada em 7 de dezembro de 2010 com participação do rapper canadense Drake, sendo um sucesso no Hot 100 e entre os cinco dos Rap Songs.[55] [57]

O álbum foi certificado disco de platina pela Recording Industry Association of America (RIAA) um mês após a distribuição.[2] Em 9 de fevereiro de 2011, foi anunciado que o Pink Friday tinha alcançado o número um na Billboard 200 em sua décima primeira semana em atividade na parada musical.[62] Mina recusou se tornar jurada do The X Factor, comentando sobre isso na canção "Roman Reloaded".[63] A partir de junho de 2011, Minaj em surporte ao Pink Friday, serviu como um ato de abertura junto com Jessie and the Toy Boys e Nervo na sexta turnê de Britney Spears, intitulada Femme Fatale Tour, em suporte do seu sétimo álbum de estúdio, Femme Fatale.[64] Ela também foi destaque no remix oficial da faixa '"Till The World Ends", juntamente com as cantoras Spears e Kesha, que alcançou o número 3 nos Estados Unidos em abril de 2011.[65]

"Super Bass" foi lançado em maio de 2011 e anexado a versão deluxe de Pink Friday , a recepção do single foi enorme após a canção atingir as décimas primeiras posições em paradas musicais de muitos países, incluindo, Reino Unido, Estados Unidos, Austrália, Canadá e outros países, recebendo mais tarde platina quádrupla pela RIAA[66] e ganhando críticas positivas.[67] [67] [68] Minaj passou a atribuir o sucesso do single, em parte, à Taylor Swift, dizendo em uma entrevista à estação de rádio americana 102.7 KIIS FM: "Taylor Swift fez uma pequena entrevista sobre 'Super Bass' e decolou nos Estados Unidos com o povo conhecendo... É realmente estranho como tudo isso aconteceu... Nós não planejamos isso.[69] Ela dublou uma personagem no filme de animação 3D Ice Age: Continental Drift, chamada Steffie, uma mamute-lanoso.[70] [71] Minaj também apareceu no álbum do disc jockey francês David Guetta, Nothing but the Beat (2011), nas faixas "Where Them Girls At" e "Turn Me On", ambas escolhidas como canções comerciais do álbum.[72] [73]

2011-13: Pink Friday: Roman Reloaded e American Idol[editar | editar código-fonte]

O segundo álbum de Minaj, Pink Friday: Roman Reloaded foi anunciado através do Twitter, em novembro de 2011 e foi lançado pela primeira vez em 2 de abril de 2012, dois meses mais tarde do que o inicialmente planejado.[74] O álbum conta com colaborações com produtores Hit-Boy, Dr. Luke, Rico Beats, Kenoe, RedOne e Oak. O A&R do Cash Money Josué Berkman disse que Minaj foi extremamente particular sobre as batidas e as músicas, ela costumava dizer: "Ela não queria fazer só rap ou cantar qualquer coisa - eu poderia mostrar mil faixas e ela poderia gostar só de uma ou dois".[75] Precedendo o lançamento do álbum, três singles promocionais foram lançados: Roman in Moscow (que não foi para a edição final do álbum), "Stupid Hoe" e "Roman Reloaded". O primeiro single do álbum, "Starships", foi lançado em 14 de fevereiro.[76] Tornou-se o single com melhor posição de Minaj no Reino Unido, atingindo o número 2. Ele também chegou ao número 5 na Billboard Hot 100 dos Estados Unidos, tornando-se sua segunda canção a chegar entre as dez canções mais vendidas da parada musical desde "Super Bass" em 2011. O vídeo da musical foi lançado em 26 de abril de 2012.[77]

Em 12 de fevereiro de 2012, Minaj estreou sua canção "Roman Holiday" no 54º Grammy Awards, tornando-se a primeira música apresentada no palco do Grammy por um rapper feminina solo.[78] O tema exorcístico da performance recebeu opiniões mistas.[79] [80] Ela colaborou na canção "Give Me All Your Luvin'" (com M.I.A.) que foi executada no Super Bowl XLVI em fevereiro e "I Don't Give A", ambas canções do álbum de Madonna MDNA (2012).[81] [82] O segundo single do álbum, "Right by My Side", com Chris Brown, foi lançado em 27 de março de 2012. Após o lançamento do álbum, chegou ao número 24 da Hot R&B/Hip-Hop Songs. Também atingiu posição baixa na parada de singles do Reino Unido, ficou em 101. O terceiro single, "Beez in the Trap", com 2 Chainz foi liberado nas rádios urbanas dos Estados Unidos em 24 de abril de 2012. Estreou no programa de rádio do DJ Flex na Hot 97 em 20 de março de 2012. Chegou ao número 24 na Billboard Rap Songs.[83] O vídeo estreou em 6 de abril de 2012.[84]

Minaj junto a Tyga na Pink Friday: Reloaded Tour em The O2 Arena, Londres, em 30 de outubro de 2012.

Minaj começou sua primeira turnê mundial, a Pink Friday Tour em 16 de maio de 2012, e foi seguida da Pink Friday: Reloaded Tour, que começou em outubro.[85] [86] Minaj cancelou sua aparição no V Festival de 2012 no Reino Unido e o último show da Pink Friday Tour em Dublin devido aos danos de suas cordas vocais.[87] Ela estava programada a ser uma manchete no Hot 97 Summer Jam em Nova Jersey em 3 de junho de 2012 no MetLife Stadium, mas desistiu de se apresentar dias depois que um dos DJ's da rádio (Peter Rosenberg) criticou "Starships" por não ser "hip-hop de verdade". Seu chefe Lil' Wayne ouviu comentarios e cancelou as apresentações dos funcionarios da Young Money.[88] Na turnê Minaj se apresentou com lendas do hip-hop como Nas, Lauryn Hill, Cam'ron, Foxy Brown, entre outros.[89] [90] Ela chamou a Hot 97 para falar sobre o incidente com Funkmaster Flex, que terminou com a briga da estação de rádio e do DJ Peter Rosenberg.[91]

Uma versão estendida do Pink Friday: Roman Reloaded foi subtitulado como The Re-Up em 19 de novembro de 2012.[92] [93] [94] O primeiro single do relançamento, "The Boys", com Cassie, foi lançado em 13 de setembro de 2012 e seu vídeo em 18 de outubro de 2012.[95] [96] "Va Va Voom" foi lançada como o quinto single do Pink Friday: Roman Reloaded, com o vídeo estreando em 26 de outubro;[92] e o segundo do Re-Up, "Freedom" foi lançada em 3 de novembro de 2012.[97] [98] Minaj ganhou o prêmio de Melhor Vídeo Musical Feminino no MTV Video Music Awards de 2012, e realizou "Girl on Fire" com Alicia Keys e participação da ginasta Gabby Douglas.[99] Em novembro estrelou um documentário especial no canal E! de três partes, intitulado Nicki Minaj: MY Truth.[92] A artista foi indicada para "Best Hip-Hop", "Best Female", "Best Look", ganhando a primeira indicação no MTV Europe Music Awards de 2012 e perdendo as duas outras para Taylor Swift.[100]

Em setembro de 2012, foi confirmado que Minaj iria participar como jurada na décima segunda temporada do American Idol com os novatos Mariah Carey, Keith Urban e o veterano Randy Jackson.[101] [102] Minaj e Carey receberam muita atenção da mídia por suas tensões nas gravações, com a divulgação de um vídeo das duas em meio a uma acalorada discussão durante audições em Charlotte, Carolina do Norte. No dia seguinte, Carey alegou que Minaj ameaçou "matá-la", durante uma discussão que ocorreu no início da semana, embora Minaj e o produtor Nigel Lythgoe tenham negado tais afirmações.[103] Em 12 de abril de 2013, Minaj tornou-se a rapper com mais entrada na história da Billboard Hot 100, com quarenta e quatro aparições, estando empatada com Mariah Carey como a sétima artista feminina em geral de maior entrada na parada musical.[104] Minaj ganhou o prêmio Best Female Hip-Hop Artist no BET Awards 2013, fazendo história como a primeira rapper feminina a ganhar o prêmio quatro vezes executivas.[105] Minaj foi processada pelo artista de Chicago Clive Tanaka por violação de direitos autoriais pelo single "Starships".[106]

2014-presente: The Other Woman e The Pink Print[editar | editar código-fonte]

Em novembro de 2012, Minaj anunciou planos para lançar sua própria gravadora, e já assinou com o cantor Parker Ighile, o rapper Brinx, e a cantora Keisha.[107] O título "Pink Friday Records" foi a intenção, mas foi descartado porque "não seria justo para os homens", Minaj revelou em um comunicado de imprensa, esclarecendo que ela iria lançar o novo nome "muito em breve".[107] Minaj anunciou planos para aparecer em seu primeiro filme no cinema, The Other Woman, que lançou em 14 de abril de 2014.[108] Minaj apareceu como a assistente da atriz Cameron Diaz no longa.[109]

Tem planos para lançar seu terceiro álbum de estúdio em 2014,[6] descrevendo seu conceito como "uma continuação do Re-Up [mas] com muito mais",[110] com objetivo de voltar as suas "raízes do hip hop".[111] [112] Durante uma entrevista à MTV, Minaj afirmou que o trabalho no seu terceiro álbum de Minaj será o "próximo nível" e que haverá "muito sobre o que falar", ela também exclamou: "Estou muito animada e as pessoas que têm trabalhado comigo agora, têm sido pessoas que eu não tenha trabalhado antes, por isso é que eles estão trazendo um novo som para o álbum que eu nunca tinha experimentado..."[113] Em 30 de dezembro de 2013, Minaj lançou um freestyle rap para a canção viral "Boss Ass Bitch" do grupo PTAF via SoundCloud. Mais tarde, foi removido de sua conta por causa de questões de direitos autorais. Em 12 de fevereiro de 2014 ela lançou um vídeo para a canção "Lookin Ass", dirigido por Nabil. Faz parte do álbum de compilação da Young Money, Young Money: Rise of an Empire (2014).[114] "Pills N Potions" foi liberada como primeiro single oficial do seu terceiro álbum de estúdio The Pink Print em 21 de maio de 2014.[115] Depois de "Pill N Potions", Nicki Minaj lançou o segundo single de The Pink Print intitulado de "Anaconda".

Arte[editar | editar código-fonte]

Imagem[editar | editar código-fonte]

Minaj na Semana de Moda de outono/inverno da Mercedes-Benz em Nova Iorque.

Minaj tem sido notada pelos meios de comunicação pela sua imagem extravagante.[116] [117] [118] [119] Em entrevista à revista Vibe, Minaj discutiu sobre sua imagem sexual, declarando: "quando eu cresci, vi mulheres fazendo coisas certas, e eu pensei que tinha que fazer exatamente isso. As rappers femininas hoje em dia falam muito sobre sexo... e eu pensei que para ter o sucesso que tenho, teria que fazer a mesma coisa. Quando na verdade eu não tinha que fazer",[120] mais tarde acrecentando: "fiz uma decisão consciente para tentar suavizar a sensualidade, eu quero que as pessoas — especialmente as meninas —, saibam que na vida, nada vai ser baseado em atração sexual. Você tem que ter algo mais do que isso."[121] Ela começou a "cantar sobre seios" como parte de seu movimento para fortalecer as mulheres.[122] Em uma entrevista ao The Guardian, Minaj diz que ela não está só competindo com as mulheres, mas também com os rappers masculinos na indústria: "É por isso que digo coisas como 'pau na sua cara', porque não quero mais me referir aos órgãos femininos, só sinto que tenho bolas maiores do que as dos meninos", referindo-se a música "Come On a Cone" do seu segundo álbum, Pink Friday: Roman Reloaded.[123] Na canção "Moment 4 Life" ela se refere como um rei ao invés do termo "rainha".[123]

Minaj é muitas vezes comparada a cantora pop Lady Gaga e as vezes chamada de "Lady Gaga negra", por usar roupas e perucas extravagantes, mas ela contesta as comparações.[124] Ela cita Alexander McQueen, Versace, e Christian Louboutin como seus estilistas favoritos.[125] The Huffington Post descreve a moda de Minaj como "cheia de riscos", "ousadas escolhas alfaiatarias" e "legal",[126] com o Yahoo! comentando que seus trajes são "coloridos", "loucos" e afirmou que "o mundo certamente seria muito quieto sem a senhora Minaj".[127] A artista já foi convidada para participar de vários eventos de estilistas, com Donatella Versace convidando-a para realizar o lançamento da colaboração da Versace para a H&M ao lado de Prince e também cantou seu single de sucesso "Super Bass" em um desfile de moda da Victoria Secret em novembro de 2011.[128] Minaj foi pessoalmente convidada para sentar-se ao lado da editora chefe da revista Vogue Anna Wintour durante a New York Fashion Week para ver estilistas como Oscar de la Renta e Carolina Herrera.[129]

Com 17 mil tweets e 15 milhões de seguidores, a Billboard classificou Minaj como a sexta usuária mais ativa do microblog Twitter, sendo também a rapper mais seguido no mundo.[130] [131] Em março de 2011, a Billboard nomeou-a como a quarta artista mais ativa nas redes sociais, através da parada Social 50, que acompanha o uso do Facebook, Twitter, Tumblr, YouTube e Instagram.[132] No Twitter e em aparições públicas e entrevistas, Minaj se refere a suas fãs como "Barbz", e ao seu público heterossexual e LGBT como "Boyz" e "Ken Barbz", respectivamente,[133] algo que deriva de seu alter-ego "Harajaku Barbie". Minaj excluiu sua conta na rede social por 8 dias em abril de 2012, depois de uma disputa entre ela e os fãs que queriam vazar trechos inéditos de seu álbum ainda não lançado.[134] Na época, ela possuía 11 milhões de seguidores e perdeu mais de um milhão de seguidores como um resultado da ação.[135]

Em 2012, o cartunista amador David Monger fez uma web série popular baseada em Nicki Minaj chamada The Nekci Menij Show. Com ícones pop como Madonna até Marina and the Diamonds, os personagens são ilustradas de uma forma que é intencionalmente bruta, espelhando o meme de "Pato Donald", acompanhado por uma linguagem com erros ortográficos.[136] [137] Desde setembro de 2012, o show atraiu mais de 600 mil visualizações no YouTube.[136] Basicamente criados usando o Microsoft Paint, a série usa paródia sobre a fama e os fãs fanáticos das pop stars.[136] [137] Minaj é a primeira e única rapper feminina a alcançar mais de um bilhão de visualizações de vídeos no YouTube.[138]

Alter egos[editar | editar código-fonte]

Enquanto cresceu, Maraj era cercada de problemas familiares e as contantes brigas entre seus pais.[139] Para fugir dos problemas da vida real, ela criou personagens em sua imaginação e viveu sua vida através deles, declarando: "Para ficar longe de toda aquela briga deles, eu imaginava ser uma nova pessoa. 'Cookie' foi a minha primeira identidade, que ficou comigo por um tempo. Passei para a "Harajuku Barbie", e depois "Nicki Minaj". A fantasia era a minha realidade."[139] Minaj também apresentou "Point Dexter" em uma paródia no SNL como um alter-ego.[140]

Em 18 de novembro de 2010, Minaj assumiu um outro alter-ego chamado "Nicki Teresa".[141] Teresa usa um lenço colorido na cabeça, é considerada uma "curandeira para seus fãs", visitou a fundação The Garden of Dreams Fundation no Fuse Studios em Nova York.[141] Em uma aparição no Lopez Tonight em 6 de dezembro de 2010, apresentou um outro alter-ego, de inspiração espanhola, com o nome "Rosa" (pronunciado Rrrrrosa).[142]

"Roman Holiday" (2012)
Minaj alterna entre sua persona Marta Zolanski para o seu agitado Roman, durante esta amostra de 30 segundos de "Roman Holiday".

Problemas para escutar este arquivo? Veja introdução à mídia.

Para o Pink Friday, Minaj criou outro alter-ego com o nome "Roman Zolanski", que a rapper afirma que nasceu de dentro dela, da raiva, e se torna ele quando ela está com raiva, como um demônio dentro dela.[143] Roman tem sido comparado a Slim Shady, alter ego de Eminem, em "Roman's Revenge", faixa do Pink Friday, Minaj e Eminem colaboraram juntos com seus alter-egos.[144] Sobre a colaboração, ela disse: "O novo álbum vai ter muitos Roman... E se você não tiver familiarizado com o Roman, então você estará familiarizado com ele muito em breve. Ele é o garoto que vive dentro de mim. Ele é um lunático e ele é gay e ele vai aparecer muito lá [no álbum]."[145] Roman têm uma "mãe" chamada "Martha Zolanski",[146] que aparece na canção Roman's Revenge, no final da música com um sotaque britânico,[147] e em "Roman Holiday" cantando o início.[148] Martha aparece no vídeo de "Moment 4 Life", onde é a madrinha mágica de Minaj. Na canção "All I Do Is Win (Remix), o rap é feito por Nicki Minaj.[143] Ela afirmou que em seu primeiro álbum, os fãs iriam ficar com Minaj, "Roman", "Martha" e "Onika".[143]

Técnica para fazer rap[editar | editar código-fonte]

"Quando comecei a fazer rap, as pessoas estavam tentando me transformar em uma típica rapper de Nova Iorque, mas eu não sou [...] Sem desrespeitar os rappers de Nova Iorque, mas eu quero que as pessoas me ouçam e saibam exatamente de onde eu sou."

—Minaj falando sobre sua técnica de fazer rap em uma entrevista à Billboard.[31]

Minaj é conhecida por seu estilo animado de fazer rap, especialmente seu flow. Ela frequentemente combina metáforas, piadas e trocadilhos em seu trabalho, que são comparadas com o estilo do seu mentor Lil Wayne. O New York Times descreveu Minaj como "uma rapper brilhante com um sotaque engraçado e reviravoltas inesperadas nas frases. Ela caminha ao exagero sem medida, na música, na personalidade e no visual. E ela se desenvolveu rápido, descartando métodos antigos da mesma facilidade que conseguiu os novos."[149] Muitos críticos descrevem sua técnica como "rap chiclete", mas Minaj explicou: "O que as pessoas não sabem é que antes de eu fazer essas loucuras, eu estava [recém] me formando, eu estava apenas fazendo rap normal que alguém poderia ouvir e identificar. Mas uma vez eu comecei a fazer toda essa merda estranha—eu não estou brava com isso porque tem a atenção de todos."[150] Amplamente reconhecido como uma artista de rap, Minaj fortemente se influencia por gêneros de música eletrônica,[151] especialmente electropop. Seu álbum de estréia, Pink Friday marcou sua exploração pelo gênero, gerando uma série de sucessos electros, incluindo "Super Bass".[152] Seguindo as mesmas convenções de combinar rap com sintetizadores eletrônicos, o segundo álbum de Minaj difusamente trabalhou no gênero electropop em várias músicas, incluindo "HOV Lane", "Whip It", "Automatic", "Come On a Cone", "Young Forever", "Fire Burns",[153] "Roman Holiday"[154] e "Beez in the Trap".[155] Nesta fase na carreira de Minaj, ela aventurou-se em colaborar com outros artistas, produzindo batidas eletrônicas nas canções "The Boys", com Cassie e "Beauty and a Beat" com o cantor pop canadense Justin Bieber.[156]

Seu verso em "Monster" de Kanye West foi bem recebido pela crítica, com muitos notando que ela teve o melhor verso na canção.[157] Seus alter-egos ganham vida em suas letras que variam em um sotaque britânico, como a "Barbie Harajuku" que tem uma voz suave. Ice-T subscreveu a habilidade de Minaj em fazer rap: "ela [Minaj] tem uma coisa, sabe? Ela tem sua própria maneira de fazer isso. Ela tem uma entrega vocal. Ela me lembra uma versão feminina do Busta Rhymes, pela forma que ela joga sua voz em direções diferentes.[158]

Influências[editar | editar código-fonte]

Os artistas Jay-Z, e Cyndi Lauper tem sido as maiores influências para Minaj.

Minaj afirmou que os artistas que influenciaram seu estilo musical são Lisa "Left Eye" Lopes, Lil Wayne, Lauryn Hill, Jadakiss, Natasha Bedingfield, Foxy Brown, Lil' Kim e Missy Elliott.[159] [160] Ela também foi inspirada por Madonna, Marilyn Monroe, Grace Jones[161] M.I.A e Cyndi Lauper.[162] [163] [164]

Minaj cita Foxy Brown e Jay-Z como influências dizendo: "Eu realmente amo ela [Foxy] como uma rapper feminina. Eu estava realmente interessada em sua mente e sua aura, eu estava realmente interligada ao Jay-Z. Eu e meus amigos na escola, ficávamos recitando todas as letras do Jay. Suas palavras eram nossas palavras em nossas conversas o tempo todo. Eu nunca disse à Foxy o quanto ela me influenciou e quanto ela mudou minha vida, e você tem que dizer às pessoas enquanto elas estão vivas para elas receberem o elogio, em vez de fazer um tributo quando elas não estiverem mais aqui."[165] Ela disse que Foxy Brown foi "a rapper feminina mais influente" e que seu álbum Broken Silence (2001) mudou sua vida.[166]

Jada Pinkett Smith é uma das influências de Minaj como atriz, e tem sido mencionado como um modelo na sua carreira de atriz.[167] Minaj foi inspirada também pela cantora de R&B Monica, e costumava cantar sua canção "Why I Love You So Much" em cada show de talento que participava. Minaj referenciou Monica como uma dos seus maiores influências musicais de todos os tempos, em um show em Atlanta na Pink Friday Tour.[168] Kanye West, Trina e Drake tem sido nomeados como influências para Minaj.[169] Betsey Johnson é outro ícone da moda para Minaj de acordo a uma entrevista concebida a MTV, onde a rapper expressa seu amor por Johnson: "Ela é um espírito livre. Quando eu a conheci outro dia, eu senti como se eu a conhecesse por toda a minha vida. Ela é tão calorosa, atenciosa e carinhosa. Incrivelmente talentosa e eu usaria as suas roupas para sempre, então conhecê-la foi tipo 'meu deus'. [Eu estava] me curvando para ela, ela é uma droga!"[170] Falando sobre Cyndi Lauper, Minaj expressou seu amor pelo estilo de Lauper e como seus vídeoclipes inspiram sua imagem quando ela era adolescente dizendo: "Quando eu pintei o meu cabelo de colorido, eu tinha uns 14 anos e eu queria destaques loiros. A esteticista disse: 'não, você tem que me dar o telefone da sua mãe' e eu estava chorando e implorando. Eu sempre quis experiencias [novas]. Os vídeos de Cyndi Lauper era o que me intrigava."[171]

Outros empreendimentos[editar | editar código-fonte]

Minaj assinou contratos com uma variedade de interesses corporativos e empresas de manufatura. Criou seu próprio aplicativo intitulado "MyPinkFriday" que contou com seu dicionário de gírias que ela criou chamado "Nictionary", disponível para usuários de Android e de iPhone em 2010. Em abril de 2011, ela ajudou no lançamento da câmera digital Casio TRYX no Times Square, junto com a banda The Roots.[172] Em abril de 2012, Minaj lançou o Nokia Lumia 900 no Times Square, seguido por uma performance de "Starships", "Super Bass" e "Right by My Side".[173] Contratou um acordo promocional com a fabricante de refrigerantes Pepsi em fevereiro de 2012, no qual ela aparece em um comercial gravado na Argentina para a campanha global LiveForNow, e em anúncios na internet. Seu single de sucesso "Moment 4 Life" foi remixado no comercial.[174] [175] A companhia de brinquedo Mattel produziu uma boneca Barbie com "temática Nicki Minaj" para ser leiloada na empresa virtual charitybuzz e foi avaliada em uma estimativa de quinze mil dólares.[176] [177]

MAC Cosmetics colaborou com Minaj em vários projetos empresariais, como em uma edição limitada de um batom chamado Pink 4 Friday que ficou durante quatro sextas-feiras consecutivos à venda, a partir de 26 de novembro de 2010 para promover o lançamento de seu álbum de estreia Pink Friday,[178] e também como parte da campanha Viva Glam com Ricky Martin na América Latina, lucraram cerca de duzentos e cinquenta milhões de dólares para a MAC AIDS Fund.[179] [180] Liderou a campanha Viva Glam 2013, lançando um novo tom de batom "Nicki 2" e um lip gloss combinando.[181] Lançou sua linha de roupas através das lojas Kmart em 9 de janeiro de 2013[182] e colaborou com a OPI Products em uma coleção de esmalte com seis cores diferentes com o nome de suas canções.[183]

Junto ao designer Jeremy Scott, Minaj assinou um contrato com a Adidas para a campanha de inverno 2012 para aparecer em anúncios na internet e comerciais para a Adidas Originals. O comercial foi filmado em um local não revelado no Brooklyn, com Big Sean, Derrick Rose, Sky Ferreira e 2NE1, em todo o mundo usando o vestuário da Adidas. O comercial usa a canção canção "Masquerade" da rapper como tema para o anúncio.[184] [185] Planeja lançar sua própria linha de roupas em 2013, e descreveu-a como "Barbie Harajuku", incluindo acessórios e utensílios domésticas, anunciou em janeiro de 2013, com Adam Levine no mesmo contrato, que seria vendido em lojas como Walmart e Target. A "The Nicki Minaj Collection" será vendida exclusivamente na K-Mart, anunciado em janeiro de 2013.[186] [187] [188] Minaj revelou via Twitter que está trabalhando em dois livros.[189] Em setembro de 2012, lançou sua primeira fragrância Pink Friday com a Give Back Brands, onde seu frasco lembra a capa do álbum Pink Friday,[190] [191] [192] sendo vendido sob licença exclusiva da Macy's nos Estados Unidos e Elizabeth Arden internacionalmente.[193] [194] Em abril de 2013, a versão limitada Pink Friday Special Edition foi lançado.[195] Em 14 de fevereiro de 2013 Bluewater Comics revelou que Minaj iria estrelar a série biográfia de quadrinhos "Fame", e iria fazer sua estréia nos quadrinhos intitulados Fame: Nicki Minaj, que foi lançado para as lojas em 13 de fevereiro de 2013.[196] Em abril de 2013, Minaj em parceria com a Beats Electronics, lançou o alto-falante "Pink Pill", vendido exclusivamente pela AT&T; e ela e o ator DeRay Davis apareceram no comercial do produto.[197] [198] Em 6 de junho de 2013, Minaj deu um comunicado à imprensa sobre a bebida moscato chamada "Myx", onde revelou que Minaj não só está à frente a campanha, mas também compartilha a propriedade da empresa.[199]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Em julho de 2011, o primo de Minaj, Nicholas Telemaque, foi assassinado perto de sua casa no Brooklyn, na Cidade de Nova Iorque. Ela postou em sua página do Twitter que estava arrasada.[200] Em homenagem a Telemaque, Minaj referencia-o na letra da canção "Champion": "Porque eles mataram meu priminho, Nicholas/Mas nas minhas memórias só tem imagens felizes."[201] [202]

Minaj é a única rapper feminina a ser inclusa na lista "Hip Hop Cash Kings" da Forbes, onde ocupa a oitava posição, tendo ganho 15,5 milhões de dólares americanos entre maio de 2011 a maio de 2012.[203] Como consequência da catastrófico furacão Sandy, Minaj doou 15 mil dólares para o "Food Bank For New York City".[204]

Minaj é cristã.[205] [206] Ela afirmou que depois que seu pai foi para a reabilitação e começou a frequentar a igreja "ele foi salvo e começou a mudar sua vida."[207]

Os críticos observaram o uso de de várias identidades sexuais dentro de sua música,[208] com alguns insinuando que ela é bissexual.[209] No entanto, ela disse que nunca fez sexo com mulheres,[27] mas disse em uma entrevista à revista Out: "Eu não saio tanto com homens".[210] Para uma entrevista com a revista Vibe, ela comentou, "eu só abraço todas as pessoas de todos os estilos de vida e eu não digo que elas são pessoas más. E eu digo, meninas são lindas e sexys, e elas precisam saber que, se não tiver ninguém para dizer isso, eu vou dizer-lhes isso. Mas eu sinto que as pessoas sempre querem me definir e eu não quero ser definida."[211]

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Lil' Kim[editar | editar código-fonte]

Minaj tem sido envolvida em uma briga com a rapper veterana Lil' Kim desde que ela foi descoberta com o sucesso Pink Friday. Por Kim e críticos, as semelhanças com ela começaram no mixtape Sucka Free,[212] com Kim acusando Minaj de copiar a sua imagem dizendo: "Se você vai roubar meu estilo, você vai ter que pagar. Algo tem que dar. Você me ajuda, eu te ajudo. É assim que vai ser para mim."[212] O single de Minaj "Roman's Revenge", com Eminem foi considerado por críticos como uma resposta aos comentários de Kim,[213] embora mais tarde ela tenha negado isso,[214] ela respondeu a situação em uma entrevista com Angie Martinez na rádio HOT 97 dizendo: "Ela brigou com a Foxy, daí ela começou uma briga com Eve, outra com Remy, depois com a Sra. Wallace, até que chegou a Nicki Minaj. Toda vez que falam de você, é porque está com alguém! Onde está a sua música? Coloque a sua música, e quando eu vejo o seu nome na Billboard, é quando eu te respondo. Fora isso, adeus. É Barbie, vadia."[215]

Lil' Kim reacendeu a briga após o lançamento de sua mixtape Black Friday, um álbum referenciado diretamente a Minaj, através do título e canções como "Did It On'em" (que se tornou "Pissin' On'em"), a capa também retratou Kim decapitando Minaj com uma espada.[212] Um fragmento de uma diss track chamada "Tragedy" foi lançada por Minaj como resposta em abril de 2011, a pista conta com as letras "Pink Friday, Eminem, 8 Mile/deve doer vender o seu álbum no PayPal" e "Olhe para você agora vadia, você só tragédia".[216] Após o lançamento do segundo álbum de Minaj, Pink Friday: Roman Reloaded, os críticos sugeriram que a faixa "Stupid Hoe"[217] pode conter ataques dirigidos a Kim. Lil' Kim mais tarde, sugeriu em uma entrevista a 105's Breakfast Club que a música "Automatic" do segundo álbum Minaj é semelhante ao seu material inédito, chamando-a de "detestável" e "maliciosa".[218]

A briga chamou a atenção de vários outros artistas e rappers. O rapper e colega de gravadora de Minaj, Drake disse que "[ele] não deu a mínima para o que Lil' Kim ou ninguém está falando."[219] 50 Cent comentou sobre a situação em uma entrevista online com o Power 98.3 FM: "É óbvio ... ela [Minaj] foi inspirada por alguns dos [estilos] de Kim. Mas isso não é ruim. Não há muitas artistas femininas que você pode fazer referência, as influências podem ser pequenas mas vendo assim se tornam fortes. Acho que ela é forte - Eu acho que ela tem uma coisa boa vindo agora, tanto quanto Nicki Minaj diz respeito."[220] Diddy falou de seu amor e respeito por Kim, atribuindo seu sucesso pessoal, em parte, para ele, no entanto defendeu Minaj afirmando que "Eu não ficaria do lado da Nicki se eu já tivesse ouvido-a dizer alguma coisa negativa sobre Kim. Eu nunca ouvi nada parecido."[221] Mary J. Blige comentou sobre a rivalidade, dizendo: "Kim é minha amiga e eu amo e respeito Nicki, a conheci e conheço essa jovem moça e ela é uma querida", acrescentando que a disputa surgiu por causa de "equipes" antigas.[222]

Mariah Carey[editar | editar código-fonte]

Em outubro de 2012, um vídeo vazou para o TMZ que mostra Minaj e a companheira de bancada no American Idol Mariah Carey em uma discussão durante audições em Charlotte, Carolina do Norte.[223] Minaj foi acusada de ter dito nos bastidores: "Se eu tivesse uma arma, eu atiraria nessa vadia",[224] o que ela negou.[225] O anfitrião do reality, Ryan Seacrest, comentou que a disputa "foi um pouco longe demais",[226] enquanto o colega de bancada Keith Urban disse brincando "eu era a ONU [na discussão]".[227] A rixa provocou um comentário do presidente Barack Obama, dizendo que Carey e Minaj irão "resolver o problema".[228]

Em janeiro de 2013, Carey afirmou em uma entrevista com Barbara Walters no programa The View que Minaj tinha criado um "ambiente de trabalho inseguro" e aumentou a sua segurança pessoal.[229] Mais tarde, ela comentou que tinha feito as pazes com Minaj. Marido de Carey, Nick Cannon, afirmou que a disputa foi feita pelos produtores para gerar mídia e audiência,[230] embora o produtor Nigel Lythgoe tenha negado a responsabilidade pelo vazamento do vídeo ou que era um golpe publicitário, acrescentando que não planejava usar o vídeo.[231] [232] O executivo da Fox, Mike Darnell, descreveu a notoriedade do vídeo devido à ótima disputa que estava tendo,[233] mas depois disse que "um membro desonesto da tripulação provavelmente tenha levado o vídeo para o TMZ, [então] nós não incentivamos mais [a briga]."[234] O episódio das audições em Charlotte foram ao ar e não mostrou a discussão; o conflito que foi mostrado não parecia ter nenhuma conexão com as imagens vazadas.[235]

Em abril de 2013, Carey observou durante um episódio de American Idol que Minaj ainda não tinha conseguido colocar nenhuma música no topo da Billboard Hot 100 dos Estados Unidos. Minaj depois respondeu através do Twitter, rotulando Carey como "inseguro" e "amarga". Ela também se referiu à especulação de que a ex-jurada Jennifer Lopez foi convidada para substituir Carey no meio da temporada, depois de um declínio significativo de audiência.[236] [237]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Filmografia[editar | editar código-fonte]