Google Play

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Play Store)
Google Play
Nomes anteriores Android Market
Proprietário(s) Google
Requer pagamento? Para certos conteúdos, sim
Gênero Compra on-line
Cadastro Requerido
País de origem Estados Unidos
Idioma(s) Multilíngue
Lançamento 28 de agosto de 2008 (12 anos)(como Android Market)
Desenvolvedor Google
Endereço eletrônico play.google.com

Google Play (também conhecido como Google Play Store, e antigamente conhecido como Android Market) é um serviço de distribuição digital de aplicativos, jogos, filmes, programas de televisão, músicas e livros, desenvolvido e operado pela Google. Ela é a loja oficial de aplicativos para o sistema operacional Android, além de fornecer conteúdo digital.[1]

As aplicações do Google Play estão disponíveis de graça ou a um custo. O conteúdo pode ser baixado diretamente de um dispositivo com o sistema Android ou em um computador pessoal através do site do Google Play. Estas aplicações podem ser direcionadas para usuários com base em um atributo particular de hardware de seu dispositivo, como um sensor de movimento (para os movimentos dependentes de jogos) ou uma câmera frontal (para chamadas de vídeo online).

O Google Play foi lançado em 6 de março de 2012, unificando as marcas Android Market, Google Music e a Google eBookstore sob uma única marca, modificando a estratégia da Google em relação a distribuição de conteúdo digital.

História[editar | editar código-fonte]

O Google Play é originário de três produtos diferentes: Android Market, uma loja de aplicativos móveis para o sistema operacional Android existente desde 28 de agosto de 2008,[2] Google Music, o serviço de distribuição digital de músicas do Google, e o Google eBookstore, a loja de e-books da empresa.

Em 6 de março de 2012, a Google anunciou a unificação desses três produtos, sob a marca Google Play.[3][4] Além disso, em março de 2012 foi aumentado o tamanho máximo permitido de um aplicativo, dando aos desenvolvedores de aplicativos um total de 4 gigabytes.[5]

Em março de 2013, o Google começou a retirar aplicativos que bloqueiam anúncios da Play Store.[6]

Em maio de 2014 foram aceitos pagamentos via PayPal.[7]

Em março de 2016 o Google Play Games permitiu testar jogos de graça. Qualquer usuário pode iniciar o aplicativo e jogar por 10 minutos através do navegador. Não é necessário baixar e instalar a versão de avaliação.[8]

Em maio de 2016, foi anunciado que a loja, incluindo todos os aplicativos para Android, estariam disponíveis para o Chrome OS.[9][10]

Em julho de 2017, foi lançado o antivírus Google Play Protect.[11]

Em julho de 2018, o Google Play proibiu aplicativos de mineração de criptomoedas. Ao mesmo tempo, carteiras de criptomoedas permanecem permitidas.[12]

Em abril de 2020, o Google Play lançou uma nova seção infantil, «Teacher Approved». O que inclui aplicativos que atendem a padrões mais elevados e são aprovados por professores.[13]

Google Play no Android[editar | editar código-fonte]

Google Play
Desenvolvedor Google
Lançamento 22 de outubro de 2008 (12 anos)
Sistema operacional Android

A Google Play vem pré-instalada apenas em aparelhos certificados, permitindo o acesso ao conteúdo digital, incluindo aplicativos, jogos, filmes, músicas e livros.[1]

A loja filtra o conteúdo disponível de acordo com o país[14] e o aparelho Android do usuário. Desenvolvedores podem utilizar tecnologias específicas, como o GPS, ou apenas versões específicas do sistema operacional Android (como o Android Nougat).[15]

Segurança[editar | editar código-fonte]

Google relata que em 2015 começou a digitalizar 6 bilhões de pedidos todos os dias para elementos (aplicativos) potencialmente prejudiciais. Há a detecção de 0,15% de aplicações nesta categoria, que foram alienadas na App Store. O percentual aumenta para 0,5%, quando há aplicativos instalados estão incluídas no Google Play. Estas percentagens são relativamente estáveis ​​ao longo dos anos. Entre as suas políticas para promover a segurança, o Google adicionou criptografia de disco e oferecer recompensas a quem encontrar a falha com a distribuição de aplicações.[16]

Em julho de 2018, a Google começou a proibir aplicativos de mineração de criptomoedas.[17][18]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Localizar a aplicação Google Play Store». Google Play Ajuda. Google. Consultado em 20 de Agosto de 2017 
  2. Stephen Shankland (28 de Agosto de 2008). «Google announces Android Market for phone apps» (em inglês). CNET. Consultado em 20 de Agosto de 2017 
  3. Rafael Silva (6 de Março de 2012). «Google lança Google Play para centralizar download de apps, livros, música e mais». Tecnoblog. Consultado em 20 de Agosto de 2017 
  4. Joshua Topolsky (6 de Março de 2012). «Hello, Google Play: Google launches sweeping revamp of app, book, music, and video stores» (em inglês). The Verge. Consultado em 20 de Agosto de 2017 
  5. Chloe Albanesius (6 de Março de 2012). «Google Ups Android App Size Limit to 4GB» (em inglês). PCMag. Consultado em 27 de Novembro de 2020 
  6. Whitson Gordon (13 de Março de 2013). «Google Has Started Removing Ad Blockers from the Play Store» (em inglês). Lifehacker. Consultado em 27 de Novembro de 2020 
  7. Ibrahim Elbouchikhi (15 de Maio de 2014). «Helping You Go Global with More Seamless Google Play Payments» (em inglês). Android Developers. Consultado em 27 de Novembro de 2020 
  8. Andrew Webster (14 de Março de 2016). «Google Play will soon let you try out games directly from search» (em inglês). The Verge. Consultado em 27 de Novembro de 2020 
  9. Francisco Dornelles (20 de Maio de 2016). «A Google Play Store foi para o Chrome OS: você já pode ter um PC com Android». Androidpit. Consultado em 20 de Agosto de 2017 
  10. Ron Amadeo (19 de Maio de 2016). «The Play Store comes to Chrome OS, but not the way we were expecting» (em inglês). Ars Technica. Consultado em 20 de Agosto de 2017 
  11. Rui Silva. «Google Play Protect: a nova ferramenta de segurança em Android». i-Técnico. Consultado em 27 de Novembro de 2020 
  12. Sarah Perez (27 de Julho de 2018). «Google follows in Apple's footsteps by cleaning up its Play Store» (em inglês). Tech Crunch. Consultado em 27 de Novembro de 2020 
  13. Silvana (15 de Abril de 2020). «Google Play lança nova seção 'Aprovada por professores'». AndroidLista. Consultado em 27 de Novembro de 2020 
  14. «Disponibilidade de países relativamente a aplicações e a conteúdos digitais». Google Play Ajuda. Google. Consultado em 20 de Agosto de 2017 
  15. «Device Compatibility» (em inglês). Google. Consultado em 20 de Agosto de 2017 
  16. Jon Martindale (18 de abril de 2016). «Malware Watchdog: Here's what Google does to keep Android devices uninfected». Digital Trends (em inglês). Consultado em 20 de abril de 2016 
  17. «Google proíbe aplicativos de mineração de criptomoedas na Play Store do Android». G1 
  18. Quero Download