Wagner Rosário

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Wagner de Campos Rosário)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Wagner de Campos Rosário
Ministro da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União
Período 31 de maio de 2017
até atualidade
Presidente Michel Temer (2017-2019)
Jair Bolsonaro (2019-atualidade)
Antecessor Torquato Jardim
Dados pessoais
Nascimento
Juiz de Fora, MG[1]
Nacionalidade brasileiro
Serviço militar
Lealdade Brasil
Serviço/ramo Exército Brasileiro
Graduação Capitão.png Capitão

Wagner de Campos Rosário (Juiz de Fora) é o atual Ministro da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União, tendo assumido interinamente o posto depois da saída de Torquato Jardim e da recusa de Osmar Serraglio, sendo efetivado logo em seguida[2] Desde 2009 é auditor Federal de Finanças e Controle.[3]

Em 20 de novembro de 2018, o Presidente eleito Jair Bolsonaro afirmou que Wagner Campos, seguirá no ministério[4]. Rosário foi servidor de carreira do Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União e, entre agosto de 2016 até março 2017, foi secretário-executivo da pasta. Também foi capitão do Exército.[5][6][7]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Tendo Mestrado em combate a Corrupção e Estado de Direito pela Universidade de Salamanca (2016) e em Educação Física pela Universidade Católica de Brasília (2003), Rosário é graduado e pós graduado em ciências militares, respectivamente, pela Academia Militar das Agulhas Negras (1996) e pela Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais do Exército (2004). Também possui pós graduação em Fisiologia do Exercício pela Universidade Gama Filho (2003), tendo ainda graduado-se em Educação Física pela Escola de Educação Física do Exército (2000). Experiência na área de Combate e prevenção à corrupção, com ênfase em investigação administrativa e investigações conjuntas com os demais órgãos de defesa do Estado, em casos de corrupção e fraudes.[8]

Assumiu interinamente o cargo de ministro da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União do Brasil em 31 de maio de 2017, com a exoneração do titular Torquato Jardim, que assumiu o ministério da Justiça.[9]

Referências

  1. Fausto Macedo, Julia Affonso e Luiz Vassallo (31 de maio de 2017). «Auditor federal assume comando interino do Ministério da Transparência». Estadão. Consultado em 5 de junho de 2017 
  2. «Wagner Rosário é efetivado no cargo de ministro da Transparência e CGU». CGU 
  3. «Conheça o perfil do ministro substituto da Transparência e Controladoria-Geral da União». CGU. Consultado em 24 de novembro de 2018 
  4. «Bolsonaro anuncia que vai manter Wagner Rosário como ministro da Controladoria-Geral da União». G1 
  5. Júnia Gama e Renata Mariz (30 de maio de 2017). «Auditor de carreira, novo ministro da Transparência já foi capitão do Exército». O Globo. Consultado em 6 de junho de 2017 
  6. Fábio Fabrini (4 de agosto de 2016). «Ministro da Transparência exonera secretário que conduzia acordos de leniência». Estadão. Consultado em 30 de maio de 2017 
  7. Paulo Victor Chagas (30 de maio de 2017). «Secretário executivo do Ministério da Transparência assume interinamente a pasta». EBC Agência Brasil. Consultado em 30 de maio de 2017 
  8. Escavador
  9. «Nomeação de Torquato para Ministério da Justiça é publicada no 'Diário Oficial'». G1. 31 de maio de 2017. Consultado em 31 de maio de 2017 
Precedido por
Torquato Jardim
Ministro da Transparência, Fiscalização e Controle do Brasil
2017–atual
Sucedido por
Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.