Golpe de Estado na Argentina em 1976

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Golpe de 1976 foi um golpe de Estado de direita que derrubou Isabel Perón em 24 de março de 1976 na Argentina. Em seu lugar, uma junta militar foi instalada, que foi chefiada pelo general Jorge Rafael Videla, pelo almirante Emilio Eduardo Massera e pelo brigadeiro Orlando Ramón Agosti. A junta tomou o nome oficial de "Processo de Reorganização Nacional", e permaneceu no poder até 1983.

Embora a repressão política (a chamada "Guerra Suja") começou antes do golpe, assim como o Operativo Independencia, foi fortemente estendida após o golpe e resultou em "desaparecimentos" de entre 7000 a 30 000 pessoas, dependendo das fontes.

O Departamento de Estado dos Estados Unidos tomou conhecimento da preparação do golpe dois meses antes do mesmo ocorrer.[1]

Em junho de 1976, quando as violações de direitos humanos pela junta foram criticados nos EUA, Kissinger reiterou seu apoio à junta, dirigindo-se diretamente ao ministro das Relações Exteriores da Argentina, o Almirante César Augusto Guzzetti, durante uma reunião em Santiago do Chile.[2]

O dia 24 de março é atualmente designado como o "Dia da Memória pela Verdade e a Justiça".

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]