Banco do Estado de Sergipe

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Banese)
Ir para: navegação, pesquisa
BANESE
Razão social Banco do Estado de Sergipe S.A.
Tipo Empresa de capital aberto
Slogan BANESE, do seu jeito!.
Cotação BM&F Bovespa: BGIP3, BGIP4
Indústria Serviços financeiros
Gênero Sociedade de economia mista
Fundação 13 de novembro de 1961 (56 anos)
Fundador(es) Luiz Garcia
Sede Aracaju, Sergipe,  Brasil
Área(s) servida(s) Sergipe
Proprietário(s) Governo do estado de Sergipe
Presidente Fernando Mota
Empregados 1.108
Produtos Banco, banco de varejo, cartão de crédito e seguros
Lucro Aumento R$ 43,6 milhões (1º semestre 2011)[1]
Significado da sigla Banco do Estado de Sergipe
Website oficial www.banese.com.br

O Banco do Estado de Sergipe - BANESE é um banco estatal, controlado pelo Governo do Estado de Sergipe e associado à Federação Brasileira de Bancos (FEBRABAN). Seu código de compensação é o 047.[2]

História[editar | editar código-fonte]

Em 1961, o Banese é criado com a denominação de Banco de Fomento Econômico (BANFESE), no Governo de Luiz Garcia.

Em 2 de janeiro de 1964, o Banco inicia as suas atividades, durante o Governo de Seixas Dória. Seu primeiro presidente foi o jornalista Orlando Dantas, que, no dia da inauguração, pronunciou discurso salientando o importante papel que deveria ser desempenhado pelo Banco de Fomento no desenvolvimento econômico de Sergipe, acrescentando que o Banco iria crescer e se tornar um dos mais importantes do Estado.

A adoção do nome Banese (Banco do Estado de Sergipe S/A), em 1967, acompanhou o processo de interiorização, com a inauguração das primeiras agências no interior do Estado, paralelamente às mudanças na estrutura organizacional do Banco. Na presidência de Manoel Conde Sobral (1964/1975), o Banco abriu agências em Itabaiana, Boquim, Lagarto, Estância, Nossa Senhora das Dores e Aquidabã. Nessa época, foi criada também a Caixa de Assistência dos Funcionários e a Associação Atlética Banese. A partir de então, o Banese foi expandindo a sua rede de atendimento por diversos bairros da capital e municípios do interior.

O ano de 1978 representou um marco na história do Banese, quando uma reestruturação administrativa elegeu como prioritário o desenvolvimento da área de Recursos Humanos, enfatizando a importância do treinamento e aperfeiçoamento do quadro de funcionários. Na mesma época, foram implementados os setores Financeiro, de Planejamento e de Sistemas e Métodos. Neste contexto, teve início o processo de informatização do Banco, com a instalação de seu Centro de Processamento de Dados (CPD).

Como produto natural de sua expansão, foram criados, nos anos oitenta, a BACISA (Banese Crédito Imobiliário/Poupança Banese), a Banese Corretora de Seguros, o SERGUS (Instituto Banese de Seguridade Social), a Carteira de Open Market e o Sistema de Conta Única do Governo Estadual.

Em 1991, o Banese tornou-se Banco Múltiplo, automatizou totalmente sua rede de Agências e, através da Rede Verde-Amarela, interligou-se a mais de 4.700 agências de bancos estaduais espalhados por todo território nacional.

Após 1994, quando a moeda do país foi estabilizada, o Banese, tal como aconteceu com outras instituições bancárias, perdeu importante fonte de renda e passou a enfrentar difícil fase financeira, tendo que racionalizar as suas despesas, reduzindo, inclusive, o seu quadro funcional.

Referências

  1. [1] Lucro do Banese avança 94% no primeiro semestre
  2. Segundo lista publicada no site da Federação Brasileira de Bancos (FEBRABAN).

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Imagens e media no Commons
Ícone de esboço Este artigo sobre um banco ou instituição financeira é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.