Eleições estaduais na Bahia em 2014

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
2010 Brasil 2018
Eleições estaduais na Bahia Bahia em 2014
5 de outubro de 2014
(Primeiro turno)
Posse de Rui Costa - Casa Civil.jpg Paulo Souto.jpg Foto oficial de Lídice da Mata.jpg
Candidato Rui Costa Paulo Souto Lídice da Mata
Partido PT DEM PSB
Natural de Salvador, BA Caetité, BA Cachoeira, BA
Vice João Leão Joaci Góes Eduardo Vasconcelos
Votos 3.558.975 2.440.409 432.379
Porcentagem 54,53% 37,39% 6,62%


Brasão do estado da Bahia.svg
Governador da Bahia

Titular
Jaques Wagner
PT

Eleito
Rui Costa
PT

As eleições estaduais na Bahia em 2014 ocorreram em 5 de outubro no estado da Bahia, como parte das eleições em 26 estados e no Distrito Federal. Serão eleitos o governador, o vice-governador, um senador, 39 deputados federais e 63 estaduais.[1] Caso nenhum dos candidatos a governador receba mais da metade do votos válidos, um segundo turno será realizado em 26 de outubro. Pela Constituição, o governador será eleito para um mandato de quatro anos a se iniciar em 1.º de janeiro de 2015.[2] Este ano a disputa pelo Palácio de Ondina acontecerá sob o contexto da sucessão do governador Jaques Wagner.

Na eleição para senador estava em jogo a cadeira de João Durval Carneiro.

Eleição para governador[editar | editar código-fonte]

Segundo dados da Justiça Eleitoral, a campanha dos seis candidatos a governador na Bahia tem a sexta maior estimativa de despesas, dentre as campanhas estaduais em 2014.[3]

Candidaturas do primeiro turno[editar | editar código-fonte]

Seis candidaturas ao governo do estado foram registradas junto à justiça eleitoral, listados pela ordem numérica crescente do números dos candidatos titulares.[4][5][6]

Dos 32 partidos políticos brasileiros em atividade,[7] o Partido da Causa Operária (PCO) e o Partido Comunista Brasileiro (PCB) não apresentaram candidatura própria ou apoio nessa eleição. O Partido Humanista da Solidariedade (PHS) teve todos os registros de candidaturas na Bahia negados, por interferência do diretório nacional na decisão da convenção da seção baiana do partido.[8]

N.º Candidato(a) a governador(a) Candidato(a) a vice-governador(a) Coligação Duração da propaganda eleitoral[9]
13 Posse de Rui Costa - Casa Civil.jpg Rui Costa (PT)
Rui Costa dos Santos
Secretário de Infraestrutura, João Leão toma posse.jpg João Leão (PP)
João Felipe de Souza Leão
"Pra Bahia Mudar Mais"
7min46s
16 Silver - replace this image female.svg Renata Mallet (PSTU)
Renata Mallet Guena
Silver - replace this image male.svg Carlos Nascimento (PSTU)
Carlos José Bispo do Nascimento
Partido não coligado
1min6s
25 Paulo Souto.jpg Paulo Souto (DEM)
Paulo Ganem Souto
Silver - replace this image male.svg Joaci Góes (PSDB)
Joaci Fonseca de Góes
"Unidos pela Bahia"
6min53s
28 DA LUZ.jpg Da Luz (PRTB)
Rogério Tadeu da Luz
Silver - replace this image male.svg Antônio Gomes de Andrade Neto (PRTB) "Por uma Bahia Livre e Justa"
1min9s
40 Lídice da Matta10nov2011.jpg Lídice da Mata (PSB)
Lídice da Mata e Souza
Silver - replace this image male.svg Eduardo Vasconcelos (PSB)
Eduardo Lima Vasconcelos
"Um Novo Caminho para a Bahia"
1min51s
50 Silver - replace this image male.svg Marcos Mendes (PSOL)
Marcos Antonio Guimarães Mendes
Silver - replace this image male.svg Ronaldo Santos (PSOL)
Ronaldo Santos Silva
Partido não coligado
1min11s

Rui Costa[editar | editar código-fonte]

Rui Costa é um dos fundadores do PT na Bahia, de origem sindical foi eleito vereador de Salvador em 2000, sendo reeleito em 2004.[10] Em 2006, participou da coordenação da campanha de Jaques Wagner a Governador, se tornando secretário de Relações Institucionais do governo do estado da Bahia em 2007. Em 2010 foi eleito deputado federal, depois assumiu o comando da secretaria estadual da Casa Civil. Nessa eleição, o candidato lança a coligação "Pra Bahia Mudar Mais", com apoio do PP, PT, PSD, PDT, PR, PCdoB, PTB e PMN.[9] A despeito da sua candidatura, houve um longo processo de escolha do nome que ia concorrer ao governo da Bahia. Quatro nomes foram especulados, além de Rui, estavam na disputa: Luiz Caetano (ex-prefeito de Camaçari), Sérgio Gabrielli (ex-presidente da Petrobras) e Walter Pinheiro, atual senador pela Bahia. O partido aprovou o nome de Rui como pré-candidato em 29 de novembro de 2013 e oficializou em 26 de junho de 2014.[11][12][13][14]

Renata Mallet[editar | editar código-fonte]

Renata Mallet é bancária e a atual presidente do PSTU na Bahia. Se candidatou a vereadora de Salvador em 2012, sem sucesso.[15][16] Nessa eleição, a candidata sai para a campanha sem coligação.

Paulo Souto[editar | editar código-fonte]

O candidato Paulo Souto é formado em Geologia pela Universidade Federal da Bahia e foi Secretário de Minas e Energia no segundo governo Antônio Carlos Magalhães e no governo João Durval sendo nomeado para comandar a Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste em 1987 pelo presidente José Sarney. Filiado ao PFL foi eleito vice-governador da Bahia na chapa de Antônio Carlos Magalhães em 1990 e foi eleito governador em 1994 e 2002, além de ter conquistado um mandato de senador em 1998.[6] O candidato lança a coligação "Unidos pela Bahia", que reúne DEM, PSDB, PMDB, SD, PTN, PROS, PRB, PSC, PTC, PV, PPS, PRP, PTdoB e PSDC.[9] O nome da Paulo Souto na escolha pelo governo da Bahia foi fechado em 10 de abril de 2014 após várias discussões, que permitiu incluir na chapa de oposição o PMDB e PSDB que na Bahia eram adversários históricos na época do ex-senador e ex-governador Antônio Carlos Magalhães.[17]

Da Luz[editar | editar código-fonte]

O candidato Da Luz é natural de Jundiaí (SP) e o atual presidente do PRTB no estado. Foi candidato nas eleições de 2002 ao governo da Bahia e a prefeito de Salvador na eleição municipal de 2004 e 2012, não conseguido os pleitos.[15][18] Nessa eleição, o candidato lança a coligação "Por uma Bahia Livre e Justa", formada por PRTB e PEN.

Lídice da Mata[editar | editar código-fonte]

Sobre Lídice da Mata, ela é formada em Economia pela Universidade Federal da Bahia e apesar de pertencer ao então clandestino PCdoB estreou na política pelo PMDB em 1982, quando foi eleita vereadora em Salvador e em 1986 foi eleita deputada federal. De volta ao PCdoB foi derrotada ao disputar o governo da Bahia em 1990, mas dois anos depois foi eleita prefeita de Salvador pelo PSDB. Filiada ao PSB, após deixar a prefeitura e a atual presidente do partido no estado, foi eleita deputada estadual em 1998 e 2002 e a seguir deputada federal e senadora.[6] Nessa eleição, a senadora lançou candidatura pela coligação "Um Novo Caminho para a Bahia", que conta com PSB, PSL e PPL.

Marcos Mendes[editar | editar código-fonte]

Marcos Mendes é formado em Geologia pela Universidade Federal da Bahia, pós-graduado em Gestão Pública Municipal e Governamental e mestre em Geologia Ambiental. Em 2004 desfiliou-se do PT na Bahia para fundar o PSOL, da qual preside. Foi candidato a deputado federal nas eleições de 2006, a governador da Bahia em 2010 e a vereador nas eleições de 2008 e 2012, todas não conseguindo se eleger.[15][19] Nessa eleição, o PSOL não se coligou a outro partido.

Debates do primeiro turno[editar | editar código-fonte]

Para a eleição de 2014 ao governo do estado, alguns debates entre os candidatos foram realizados. O ciclo de debates eleitorais foi iniciado em 17 de julho de 2014 na Reitoria da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Promovido pelo mestrado em Segurança Pública, Justiça e Cidadania da Faculdade de Direito da UFBA, com exceção do candidato governista Rui Costa, todos os outros cinco candidatos compareceram ao evento. Sob a mediação do vice-diretor da Faculdade de Direito Júlio César de Sá da Rocha, a discussão foi centralizada na questão da segurança pública.[20]

Os candidatos voltaram a se encontrar em 29 de julho. Não foi um debate, por não permitir perguntas dos candidatos entre si, mas uma sabatina feita pela Academia de Letras da Bahia (ALB) e transmitida ao vivo pela TVE Bahia, em televisão aberta, e pelo portal do Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia (IRDEB), na internet. Realizado na sede da ALB, no bairro de Nazaré em Salvador, com mediação do acadêmico e poeta Luís Antonio Cajazeira Ramos, o evento foi no formato de perguntas sobre políticas culturais, em duas áreas: "Estrutura e Funcionamento da Cultura" e "Patrimônio, Memória e Contemporaneidade".[21][22][23]

Em 2 de julho foi iniciada outra sabatina entre os candidatos, promovida pelos grupos A TARDE, Metrópole e TV Aratu (afiliada do SBT no estado) como parte do projeto Vota Bahia.[24][25] O evento teve como mediador o jornalista Levi Vasconcelos na qual os candidatos foram sabatinados pelos jornalistas e responderam a perguntas de internautas enviadas por e-mail em dois blocos de 20 minutos. O programa foi gravado e exibido na íntegra na internet.[25]

O primeiro debate televisionado iria ser transmitido pela Band Bahia. Marcado anteriormente para 14 de agosto, a morte em acidente aéreo de Eduardo Campos, então presidenciável pelo PSB, e o cancelamento da agenda de campanha da candidata pelo PSB Lídice da Mata por tempo indeterminado provocaram o adiamento.[26] Foi remarcado para às 22h do dia 28 de agosto com todos os candidatos convidados, exceto a candidata Renata Mallet por não possuir representatividade na Câmara Federal.[27][28]

Data Organizador(es) Paulo Souto (DEM) Lídice da Mata (PSB) Rui Costa (PT) Rogério Da Luz (PRTB) Marcos Mendes (PSOL) Renata Mallet (PSTU)
28 de agosto de 2014[29][30][31][32] TV Bandeirantes Salvador Presente Presente Presente Presente Presente Não convidada
26 de setembro de 2014[33][34][35] TV Record Bahia, R7,
Rádio Sociedade da Bahia
Presente Presente Presente Presente Presente Presente
29 de setembro de 2014[36][37] TV Aratu, A Tarde, Rádio Metrópole Presente Presente Presente Presente Presente Não convidada
30 de setembro de 2014[38][39] TV Bahia, G1, CBN Salvador Presente Presente Presente Presente Presente Não convidada

Pesquisas de opinião[editar | editar código-fonte]

Data Instituto Candidato ao Governo
Paulo Souto (DEM) Lídice da Mata (PSB) Rui Costa (PT) Rogério Da Luz (PRTB) Marcos Mendes (PSOL) Renata Mallet (PSTU) Brancos ou Nulos Nenhum ou Não sabe
5 de outubro de 2014
boca de urna
Ibope[40] 39% 9% 49% 1% 1% 1%
4 de outubro de 2014 Ibope[41] 46% 5% 46% 1% 1% 1% 10% 12%
30 de setembro de 2014 Babesp[42] 35,05% 6,16% 34,15% 0,5% 0,35% 0,55% 0,35% 14,52%
24 de setembro de 2014 Ibope[43] 43% 7% 27% <1% 1% 1% 10% 11%
22 de setembro de 2014 Babesp[44] 37% 9% 28%
10 de setembro de 2014 Ibope[45] 46% 6% 24% 1% 1% <1% 11% 11%
9 de setembro de 2014 Babesp[46][47] 39% 9% 27% <1% <1% <1% 7% 13%
4 de setembro de 2014 Sensus[48][49] 43% 10% 16% 1% 1% 1% 14% 14%
27 de agosto de 2014 Babesp[50] 41% 12% 21%
27 de agosto de 2014 Ibope[51][52] 44% 9% 15% 1% <1% 1% 16% 14%
15 de agosto de 2014 Ipespe[53][54] 47% 9% 14% 2% 1% 1% 13% 13%
13 de agosto de 2014 Bapesp[55] 40% 13% 16% 1% 2% 1% 11% 18%
23 de julho de 2014 Ibope[56][57] 42% 11% 8% 2% 1% 1% 18% 17%
27 de maio de 2014 Ibope[58][59] 42% 11% 9% 2% 1% 19% 16%

Resultado do primeiro turno[editar | editar código-fonte]

Eleição para senador[editar | editar código-fonte]

Candidaturas[editar | editar código-fonte]

Cinco candidaturas à vaga no Senado foram registradas junto à justiça eleitoral, e abaixo estão listados pela ordem numérica crescente do números dos candidatos titulares.[6][62]

N.º Candidato(a) a senador(a) Candidato(a)s a suplentes de senador(a) Coligação Duração da propaganda eleitoral[63]
150 Geddel Vieira Lima.jpg Geddel Vieira Lima (PMDB)
Geddel Quadros Vieira Lima
Eliel Lima Santana (PSC)
1.º suplente
Ricardo Grey de Araújo Lemos (PTC)
2.º suplente
"Unidos pela Bahia"
3min33s
400 Ministra do STJ Eliana Calmon 2.jpg Eliana Calmon (PSB)
Eliana Calmon Alves
Juvêncio Ruy Cardoso Neves (PSB)
1.º suplente
Edvaldo Mendes Araújo (PSB)
2.º suplente
"Um novo caminho para a Bahia"
1min2s
500 Hamilton Assis vota 50, eleições 2012.jpg Hamilton Assis (PSOL)
Hamilton Moreira de Assis
César Oliveira Carneiro (PSOL)
1.º suplente
José Nildo Rodrigues dos Santos (PSOL)
2.º suplente
Partido não coligado
42s
511 Silver - replace this image male.svg Marcelo Evangelista (PEN) Mariana Nuno (PEN)
1.º suplente
Mario César da Silva (PEN)
2.º suplente
"Por uma Bahia Livre e Justa"
41s
555 Otto Alencar.jpg Otto Alencar (PSD)
Otto Roberto Mendonça de Alencar
Abel Rebouças São José (PDT)
1.º suplente
Marizete Lisboa Fernandes Pereira (PT)
2.º suplente
"Pra Bahia Mudar Mais"
4min

Debates[editar | editar código-fonte]

Data Organizador(es) Geddel Vieira Lima (PMDB) Otto Alencar (PSD) Eliana Calmon (PSB) Hamilton Assis (PSOL) Marcelo Evangelista (PEN)
26 de setembro de 2014[36][64] TV Aratu, A Tarde, Metrópole Presente Presente Presente Presente Presente

Pesquisas de opinião[editar | editar código-fonte]

Data Instituto Candidato ao Senado
Geddel Vieira Lima (PMDB) Otto Alencar (PSD) Eliana Calmon (PSB) Hamilton Assis (PSOL) Marcelo Evangelista (PEN) Brancos ou Nulos Nenhum ou Não sabe
5 de outubro de 2014[nota 1]
boca de urna
Ibope[66] 37% 51% 8% 3% 1%
4 de outubro de 2014[nota 1] Ibope[67] 43% 47% 5% 1% 1% 12% 17%
25 de setembro de 2014[nota 1] Ibope[68] 33% 29% 4% 1% 1% 14% 18%
11 de setembro de 2014[nota 1] Ibope[69][70] 36% 27% 4% 2% 2% 13% 16%
4 de setembro de 2014[nota 2] Sensus[49][71] 32% 18% 4% 3% 2%
27 de agosto de 2014 Babesp[50] 36% 18% 6%
27 de agosto de 2014[nota 2] Ibope[72] 35% 17% 4% 1% 1% 20% 21%
15 de agosto de 2014[nota 2] Ipespe[53][73] 36% 19% 6% 2% 3% 17% 19%
23 de julho de 2014 Ibope[56][57] 34% 17% 5% 1% 1% 19% 23%
27 de maio de 2014 Ibope[58][59] 34% 14% 5% 2% 19% 26%

Resultado[editar | editar código-fonte]

Eleição para deputados federais[editar | editar código-fonte]

A Bahia possui 39 cadeiras na Câmara dos Deputados do Brasil que foram disputadas em 2014. Dos ocupantes em 2013, 33 deles se candidataram à reeleição. Dos outros 6, apenas um não concorreu a nenhum cargo nessa eleição. Foram registradas seis coligações: Um Novo Caminho para a Bahia (PSB, PSL, PPL), PHS-PMN-PTdoB, Unidos por uma Bahia Melhor (DEM, PMDB, PSDB, PTN, SD, PROS, PRB, PSC, PHS), Mais Mudanças, Novas Conquistas (PP, PDT, PT, PTB, PR, PSD, PCdoB); Juntos Somos Fortes (PTdoB, PPS, PSDC, PTC, PV, PRP), e Por uma Bahia Livre e Justa (PRTB, PEN). Já o PSOL e o PSTU não formaram coligações, concorrendo isoladamente. 336 candidaturas foram registradas, o que significa uma concorrência de 8,6 candidatos por vaga.[74]

Resultado[editar | editar código-fonte]

Na Bahia foram trinta e nove (39) deputados federais eleitos. A partir dos 6.641.666 votos válidos e das 39 vagas em disputa, o quocientes eleitoral da eleição de um deputado em 2014 foi de 170.299 votos, ou seja, mínimo para eleição de um contando os votos na coligação ou partido não coligado.[60][61][75][76][77]

Das coligações formadas, quatro delas elegeram deputados federais: Um Novo Caminho para a Bahia, Unidos por uma Bahia Melhor, Mais Mudanças, Novas Conquistas e Juntos Somos Fortes.[76]

Coligação e partidos Quocientes partidário
(vagas conquistadas)
5 de outubro de 2014[60][61][76]
Votação
Total Porcentagem
"Mais Mudanças, Novas Conquistas"
23
"Unidos por uma Bahia Melhor"
14
"Um Novo Caminho para a Bahia"
1
"Juntos Somos Fortes"
1
→ Votos nominais 6.010.974 90,50%
→ Votos de legenda 630.692 9,50%
Total de votos válidos 6.641.666 84,94%
→ Votos nulos 552.669 7,07%
→ Votos em branco 624.497 7,99%
Total 7.818.832 76,81%
Abstenções 2.360.558 23,19%
Total de inscritos 10.179.390 100,00%

Deputados federais eleitos[editar | editar código-fonte]

Eleição para deputados estaduais[editar | editar código-fonte]

O corpo legislativo da Assembleia Legislativa da Bahia é composto por 63 deputados estaduais, cujas todas as vagas foram disputados em 2014.

Foram registradas seis coligações: Um Novo Caminho para a Bahia (PSB, PSL, PPL), Pra Bahia seguir Mudando (PMN), Unidos para uma Bahia Melhor (DEM, PMDB, PSDB, PTN, SD, PROS, PRB, PSC, PHS), Pra Bahia Avançar Mais (PP, PDT, PT, PTB, PR, PSD); Juntos Somos Fortes (PTdoB, PPS, PSDC, PTC, PV, PRP), e Por uma Bahia Livre e Justa (PRTB, PEN). Já o PSOL, PCdoB e o PSTU não formaram coligações, concorrendo isoladamente.[62]

Resultado[editar | editar código-fonte]

Na Bahia foram eleitos sessenta e três (63) deputados estaduais. A partir dos 6.830.468 votos válidos e das 63 vagas em disputa, o quocientes eleitoral da eleição de um deputado em 2014 foi de 108.420 votos, ou seja, mínimo para eleição de um contando os votos na coligação ou partido não coligado.[60][61][78][79][80]

Conquistaram vagas na Casa quatro coligações: Um Novo Caminho para a Bahia, Unidos para uma Bahia Melhor, Pra Bahia Avançar Mais e Juntos Somos Fortes. Já o PCdoB não formou coligações e elegeu três membros.[79]

Coligação e partidos Quocientes partidário
(vagas conquistadas)
5 de outubro de 2014[60][61][79]
Votação
Total Porcentagem
"Pra Bahia Avançar Mais"
30
"Unidos para uma Bahia Melhor"
23
"Juntos Somos Fortes"
4
"Um Novo Caminho para a Bahia"
3
"Partido não coligado"
3
→ Votos nominais 6.026.453 88,23%
→ Votos de legenda 804.015 11,77%
Total de votos válidos 6.830.468 87,36%
→ Votos nulos 470.603 6,02%
→ Votos em branco 517.761 6,62%
Total 7.818.832 76,81%
Abstenções 2.360.558 23,19%
Total de inscritos 10.179.390 100,00%

Deputados estaduais eleitos[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

Notas

  1. a b c d Nessa pesquisa considerou-se Marcelo Evangelista (PEN), que substituiu o candidato Addson Gomes.[65]
  2. a b c Nessa pesquisa considerou-se Addson Gomes (PEN), que substituiu a candidata Idalba Marins.[65]

Referências

  1. «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 4 de julho de 2014 
  2. «Presidência da República: Constituição brasileira de 1988». Consultado em 4 de julho de 2014 
  3. Carolina Lemos (11 de Jul de 2014). «Campanha eleitoral para governador da Bahia é a sétima mais cara do país». Metro1. Consultado em 12 de Julho de 2014 
  4. Bahia Notícias (6 de julho de 2014). «TRE contabiliza 301 registros de candidaturas na Bahia». Consultado em 6 de julho de 2014 
  5. Juliana Nobre (30 de junho de 2014). «Alterações nos programas eleitorais devem mudar estratégias de candidatos». Bocão News. Consultado em 6 de julho de 2014 
  6. a b c d G1 BA (3 de julho de 2014). «Conheça os candidatos ao governo da Bahia e o panorama de coligações». Consultado em 8 de Julho de 2014 
  7. TSE. Partidos políticos registrados no TSE. Acesso em 12 de julho de 2014.
  8. «TRE nega todos os registros de candidaturas do PHS na Bahia». R7. 27 de agosto de 2014. Consultado em 29 de agosto de 2014 
  9. a b c «Distribuição do tempo de campanha em rádio e televisão». Sistema de Horário Eleitoral. Justiça Eleitoral. 29 de agosto de 2014. Consultado em 6 de setembro de 2016 
  10. Rui Costa rejeita o rótulo de 'poste' de Jaques Wagner
  11. Durante a reunião do diretório do PT da Bahia, Rui Costa é escolhido por unanimidade como pré-candidato ao governo do estado, Jornal Grande Bahia
  12. «PT oficializa nome de Rui Costa para governo da Bahia». www.politicalivre.com.br. Consultado em 7 de setembro de 2016 
  13. «Líder do PT decreta: Aliados não vão indicar candidato a governador; Eleição é Lula x Wagner». www.bahianoticias.com.br. Consultado em 7 de setembro de 2016 
  14. PT inicia debates sobre a sucessão de Jaques Wagner, “sem fazer gincana com os candidatos Rui Costa, José Sergio Gabrielli, Luiz Caetano e Walter Pinheiro, Bahia Negócios em Política
  15. a b c «Conheça os candidatos ao governo da Bahia». 25 de agosto de 2014. Consultado em 7 de setembro de 2016 
  16. Biografia em Eleições 2014
  17. «DEM lança Paulo Souto na Bahia e reúne 'anticarlistas' na chapa». 10 de abril de 2014. Consultado em 7 de setembro de 2016 
  18. Biografia em Eleições 2014
  19. Biografia em Eleições 2014
  20. Juliana Almirante (18 de Julho de 2014). «Candidatos ao governo protagonizam primeiro debate com troca de provocações». Bahia Notícias. Consultado em 28 de Agosto de 2014 
  21. Henrique Mendes (29 de julho de 2014). «Em sabatina, candidatos prometem aumentar verba para cultura na BA». G1 BA. Consultado em 29 de Agosto de 2014 
  22. Davi Lemos (26 de julho de 2014). «Primeiro debate na TV será sobre políticas para cultura». A Tarde. Consultado em 29 de Agosto de 2014 
  23. Biaggio Talento (30 de julho de 2014). «Candidatos debatem cultura na ALB». A Tarde. Consultado em 29 de Agosto de 2014 
  24. «Grupo A TARDE inicia sabatinas com candidatos na terça». A Tarde. 31 de agosto de 2014. Consultado em 6 de setembro de 2014 
  25. a b Davi Lemos (2 de setembro de 2014). «Souto diz ser necessário ocupar áreas controladas pelo crime». A Tarde. Consultado em 6 de setembro de 2014 
  26. «Band Bahia cancela debate entre candidatos ao governo da Bahia». Bahia Notícias. 13 de Agosto de 2014. Consultado em 28 de Agosto de 2014 
  27. Bocão News (19 de Agosto de 2014). «Debate da Band Bahia será dia 28». Consultado em 28 de Agosto de 2014 
  28. «BAND PROMOVE DEBATE COM CANDIDATOS AO GOVERNO BAIANO». Pimenta.blog.br. 28 de agosto de 2014. Consultado em 29 de agosto de 2014 
  29. «Band realiza debate para governo da Bahia». Eleições 2014. Consultado em 7 de setembro de 2016 
  30. «Candidatos confrontam propostas para governo da BA em debate na TV». G1. 29 de agosto de 2014. Consultado em 29 de agosto de 2014 
  31. Biaggio Talento (29 de agosto de 2014). «Debate vira palco para candidatos trocarem ataques». A Tarde. Consultado em 29 de agosto de 2014 
  32. «Debate: Na Bahia, candidatos do PT e DEM são pressionados por 'nanicos'». Carta Capital. 28 de agosto de 2014. Consultado em 29 de agosto de 2014 
  33. «R7 transmite ao vivo debates com candidatos aos governos dos Estados nesta sexta - Notícias - R7 Eleições 2014». noticias.r7.com. Consultado em 7 de setembro de 2016 
  34. «Candidatos ao governo da Bahia participam do 2° debate em Salvador». G1. 27 de setembro de 2014. Consultado em 27 de setembro de 2014 
  35. Davi Lemos (27 de setembro de 2014). «Clima morno marca debate entre os seis candidatos ao governo». A Tarde. Consultado em 27 de setembro de 2014 
  36. a b «Acompanhe ao vivo o debate entre os candidatos ao Senado». A Tarde. 26 de setembro de 2014. Consultado em 27 de setembro de 2014 
  37. «Candidatos discutem propostas para governo da BA em debate na TV». G1. 30 de setembro de 2014. Consultado em 30 de setembro de 2014 
  38. «TV Bahia realiza o último debate com candidatos ao Governo do Estado antes das eleições [vídeo]». G1. 30 de outubro de 2014. Consultado em 1 de outubro de 2014 
  39. «Candidatos ao governo confrontam propostas em debate na TV Bahia». G1. 1 de outubro de 2014. Consultado em 1 de outubro de 2014 
  40. «Ibope: boca de urna aponta que Rui Costa pode ser eleito no 1.º turno». R7. 5 de outubro de 2014. Consultado em 7 de outubro de 2014 
  41. «Ibope, votos válidos: Souto e Rui Costa têm 46%, e Lídice, 5%». G1. 4 de outubro de 2014. Consultado em 4 de outubro de 2014 
  42. Fernando Duarte (30 de setembro de 2014). «Souto e Rui empatam tecnicamente em pesquisa Babesp e petista fica à frente com apoios». Bahia Notícias. Consultado em 30 de setembro de 2014 
  43. «Paulo Souto tem 43%, Rui Costa, 27%, e Lídice, 7%, aponta Ibope». G1. 24 de setembro de 2014. Consultado em 24 de setembro de 2014 
  44. Levi Vasconcelos (23 de setembro de 2014). «Babesp prevê segundo turno entre Souto e Rui». A Tarde. Consultado em 23 de setembro de 2014 
  45. «Paulo Souto tem 46%, Rui Costa, 24%, e Lídice 6%, aponta Ibope». G1. 10 de setembro de 2014. Consultado em 10 de setembro de 2014 
  46. «Rui cresce quase o dobro e chega a empatar com Souto com apoio, diz pesquisa da Babesp». Bahia Notícias. 9 de setembro de 2014. Consultado em 9 de setembro de 2014 
  47. Levi Vasconcelos (9 de setembro de 2014). «No Babesp, Rui Costa cresce quase o dobro». A Tarde. Consultado em 9 de setembro de 2014 
  48. «Paulo Souto seria eleito no primeiro turno, aponta Sensus». Bahia Notícias. 4 de setembro de 2014. Consultado em 4 de setembro de 2014 
  49. a b João Pedro Pitombo (4 de setembro de 2014). «Paulo Souto venceria no primeiro turno na Bahia, aponta Sensus». Folha de S.Paulo. Consultado em 4 de setembro de 2014 
  50. a b «PESQUISA BAPESP APONTA SOUTO COM 41%, RUI COM 21% E LÍDICE TEM 12%». Bahia Econômica. 27 de agosto de 2014. Consultado em 27 de agosto de 2014 
  51. «Paulo Souto mantém liderança; Rui Costa ultrapassa Lídice e assume 2º lugar, aponta Ibope». Correio24horas. 27 de agosto de 2014. Consultado em 27 de agosto de 2014 
  52. «Ibope mostra Paulo Souto com 44%, Rui Costa com 15% e Lídice com 9%». G1. 27 de agosto de 2014. Consultado em 27 de agosto de 2014 
  53. a b «Pesquisa Eleitoral Bahia». Eleições 2014. 20 de agosto de 2014. Consultado em 26 de agosto de 2014 
  54. Fernando Duarte (15 de agosto de 2014). «Paulo Souto venceria no 1º turno com 47% das intenções, sugere Ipespe/ Bahia Notícias». Bahia Notícias. Consultado em 27 de agosto de 2014 
  55. «Pesquisa Babesp aponta Paulo Souto na liderança». Política Livre. 13 de agosto de 2014. Consultado em 27 de agosto de 2014 
  56. a b «Paulo Souto venceria para governador no 1º turno com 42% dos votos, diz pesquisa Ibope». Correio24horas. 23 de julho de 2014. Consultado em 27 de agosto de 2014 
  57. a b «Confira o relatório da pesquisa do Ibope para governador da Bahia». Jornal Grande Bahia. 3 de agosto de 2014. Consultado em 26 de agosto de 2014 
  58. a b Sergio Costa (27 de maio de 2014). «Com 42% dos votos, Paulo Souto venceria em 1º turno para governador, diz Ibope». Correio24horas. Consultado em 27 de agosto de 2014 
  59. a b «Paulo Souto lidera intenções de voto para governo da Bahia, diz Ibope». G1. 27 de maio de 2014. Consultado em 26 de agosto de 2014 
  60. a b c d e f g h Divulgação de Resultados de Eleições, TSE
  61. a b c d e f «Apuração de votos na Bahia». G1. 5 de outubro de 2014. Consultado em 5 de outubro de 2014 
  62. a b TSE. Eleições / Eleições 2014 / Divulgação de Candidaturas. Acesso em 6 de julho de 2014.
  63. [1]
  64. Cleidiana Ramos (26 de setembro de 2014). «Debate com os candidatos ao Senado tem troca de acusações». A Tarde. Consultado em 27 de setembro de 2014 
  65. a b «PEN substitui candidato a senador pela 2ª vez nessa eleição». Bahia Notícias. 5 de setembro de 2014. Consultado em 11 de setembro de 2014 
  66. «Boca de urna: Otto Alencar tem 51% dos votos para o Senado». A tarde. 5 de outubro de 2014. Consultado em 7 de outubro de 2014 
  67. «Ibope, votos válidos ao Senado na BA: Otto tem 47% e Geddel, 43%». G1. 4 de outubro de 2014. Consultado em 4 de outubro de 2014 
  68. «Geddel tem 33%, Otto, 29%, e Eliana, 4%, aponta Ibope». G1. 25 de setembro de 2014. Consultado em 25 de setembro de 2014 
  69. «Senado: Geddel lidera com 36% e Otto sobe 10 pontos». Correio24horas. 11 de setembro de 2014. Consultado em 11 de setembro de 2014 
  70. «Geddel tem 36%, Otto, 27%, e Eliana, 4%, aponta Ibope». G1. 11 de setembro de 2014. Consultado em 25 de setembro de 2014 
  71. «Pesquisa Sensus/ Vota Bahia aponta vitória de Geddel para o Senado». Bahia Notícias. 4 de setembro de 2014. Consultado em 4 de setembro de 2014 
  72. «Ibope mostra Geddel 35%, Otto 17% e Eliana 4% na disputa ao Senado». G1. 27 de agosto de 2014. Consultado em 27 de agosto de 2014 
  73. Fernando Duarte (15 de agosto de 2014). «Na corrida pelo Senado, Geddel aparece com 36% contra 19% de Otto, indica pesquisa». Bahia Notícias. Consultado em 27 de agosto de 2014 
  74. DIAP. «Eleições 2014: na Bahia, apenas um deputado não concorre a nenhum cargo». Consultado em 13 de Outubro de 2014 
  75. Deputados Federais Eleitos pela Bahia, Eleições 2014
  76. a b c «Divulgação de Resultado das Eleições 2014» (PDF). Justiça Eleitoral. Acorda Cidade 
  77. Portal EBC (5 de outubro de 2014). «Conheça a lista de deputados federais eleitos». Consultado em 13 de Outubro de 2014 
  78. Deputados Estaduais Eleitos da Bahia, Eleições 2014
  79. a b c «Divulgação de Resultado das Eleições 2014» (PDF). Justiça Eleitoral. Acorda Cidade 
  80. R7 (8 de outubro de 2014). «Coligação do Democratas reivindica 24ª vaga de deputado estadual na Bahia». Consultado em 13 de Outubro de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]