Unidos do Viradouro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de GRES Unidos do Viradouro)
Ir para: navegação, pesquisa
Viradouro
Bandeira do GRES Unidos do Viradouro.jpg
Fundação 24 de junho de 1946 (71 anos) [1][2][3]
Escola-madrinha Portela [1][4][5]
Cores

Vermelho

Branco
Símbolo Coroa e um aperto de mãos interracial [6][1]
Bairro Barreto [1][2]
Presidente Marcelo Calil Petrus Filho
Presidente de honra José Carlos Monassa Bessil (in memorian)
Marcelo Calil
Carnavalesco Edson Pereira
Comissão de carnaval Alex Fab
Dudu Falcão [7]
Intérprete oficial Zé Paulo Sierra [8]
Diretor de carnaval Comissão de Carnaval e Harmonia
Diretor de harmonia Comissão de Carnaval e Harmonia
Diretor de bateria Mestre Maurão [9]
Rainha da bateria Raíssa Machado [10]
Mestre-sala e porta-bandeira Julinho Nascimento
e Rute Alves [11]
Coreógrafo Márcio Moura
Desfile de 2018
Enredo "Vira a Cabeça, Pira o Coração - Loucos gênios da criação"
Posição de desfile 3° escola a desfilar no sábado (10/2/2018)
entre 23h30 e 23h50
Site oficial
www.unidosdoviradouro.com.br

Grêmio Recreativo Escola de Samba Unidos do Viradouro (popularmente referida apenas como Viradouro ou Unidos do Viradouro) é uma escola de samba brasileira, da cidade de Niterói, mas que há muitos anos participa do Carnaval da cidade do Rio de Janeiro. Oriunda do bairro do Viradouro, atualmente está sediada na Avenida do Contorno, no bairro do Barreto.[12][13] Foi campeã do Grupo Especial em 1997, campeã do Grupo 1 (atual Série A) em 1990 e campeã do Grupo 2 (atual Série B) em 1989. Durante muitos anos disputou a hegemonia do carnaval de sua cidade com a Cubango. Em 2011, as duas se reencontraram, competindo entre si, após 24 anos. Conquistou em 2014 o título da Série A, retornando ao Grupo Especial após 4 anos de ausência. No carnaval de 2015 ficou mais uma vez em 12º lugar voltando para a série A, onde está atualmente.

Lugar de origem[editar | editar código-fonte]

A Unidos do Viradouro foi criada em Viradouro, no município de Niterói, no estado do Rio de Janeiro.[14] Na época de fundação da escola de samba, o logradouro ainda não era um bairro, e sim um prolongamento do bairro de Santa Rosa, localizado entre o Morro do Africano e o Morro da União, no trecho conhecido como Garganta, na subida do Morro da União.[15] O Viradouro recebeu esse nome pois era o local onde os bondes faziam a virada de retorno.[16] Até a década de 1950, o local era habitado por poucas famílias. A partir dos anos de 1960, a população aumentou significativamente. Ao final da década de 1970 é fundada a Associação de Moradores do Viradouro, abrangendo as áreas do Morro da União, Africano e Alarico de Souza, e, mais tarde, associada à Federação das Associações de Moradores de Niterói (FAMNIT). No ano de 1986, o Viradouro deixou de ser uma extensão de Santa Rosa, passando a ser considerado como bairro pela Prefeitura de Niterói.[15][4]

No início do Século XX, o carnaval de Niterói era comemorado com desfiles de blocos carnavalescos, banhos de mar à fantasia, batalhas de confete e bailes carnavalescos. Em meados da década de 1930, começaram a surgir as primeiras escolas de samba. Na época, não haviam desfiles oficiais em Niterói, e as agremiações apresentavam-se apenas em seus próprios bairros ou em eventos pela cidade. O primeiro concurso oficial foi realizado pela Prefeitura da cidade em 1946. O primeiro desfile foi realizado na Rua Visconde do Uruguai.[17] Com o passar dos anos, o desfile tomou proporções maiores, com o aumento do número de escolas e de público, tendo sido considerado, durante algum tempo, o segundo maior concurso de escolas de samba do Brasil, atrás apenas dos desfiles do Rio de Janeiro.[18][19]

Fundação[editar | editar código-fonte]

A fundação da Viradouro foi ideia de Nelson dos Santos, conhecido como Nelson Jangada.[5][20] O sambista morava na Rua Capitão Roseira, no Viradouro, e promovia rodas de samba e batucada no quintal de sua casa.[16][2] Apaixonado por samba e carnaval, Jangada frequentava o bloco União do Viradouro. Após se desentender com dirigentes da agremiação, o sambista resolveu se desligar e fundar uma escola de samba.[20] Para isso, reuniu amigos e foliões da região, além de jogadores e torcedores de um time de futebol da localidade.[5] A Unidos do Viradouro foi fundada em 24 de junho de 1946 por Nelson Jangada, Nelson Braga, Roque Soares, Paulo Braga, Juci, Ataíde, Ercília Guedes, Maria Ana, Oto Braga, Telinho, Lindolfo dos Santos, Otacílio Nascimento, entre outros.[5][20][3]

Nome, símbolo, cores, padroeiros e escola-madrinha[editar | editar código-fonte]

A Unidos do Viradouro tem seu nome em referência ao seu lugar de origem.[4] São símbolos da agremiação uma coroa com ramos de folhas ao lado; e um aperto de mãos interracial, simbolizando a união de seus componentes.[6][21] A Viradouro foi fundada com as cores azul e rosa, inspiradas na vestimenta de Nossa Senhora Auxiliadora, a padroeira da escola.[4] Perto de onde a agremiação foi fundada, no bairro de Santa Rosa, está erguida a Basílica de Nossa Senhora Auxiliadora.[22] Por este motivo, a santa foi escolhida para apadrinhar a escola.[4] A Viradouro foi fundada no dia de São João Batista, padroeiro da cidade de Niterói.[23] Por isso, o santo também foi escolhido para ser o padroeiro da agremiação.[4]

A Portela é a escola-madrinha da Unidos do Viradouro. Natal da Portela e a comitiva portelense foram batizar a escola de samba de Niterói ainda em sua primeira quadra, na Garganta. A Velha Guarda da Viradouro também é batizada pela Velha Guarda da Portela.[4][5]

Troca de cores

Em seus primórdios, as escolas de samba utilizavam majoritariamente fantasias e adereços nas cores da própria agremiação. A Fábrica Matarazzo, de São Paulo, fabricava tecidos em cetim na tonalidade usada pela Viradouro. Com o fechamento da fábrica, a escola teve que recorrer a fornecedores diferentes e começou a ter dificuldades para encontrar quantidade suficiente de tecidos na mesma tonalidade para seus desfiles. Naquela época, havia respeito às cores originais da escola e os adversários chegaram a acusar a Viradouro de desfilar com roupas e alegorias reaproveitadas de anos anteriores. Sentindo que as notas dos jurados começavam a refletir esse pensamento, a diretoria da escola decidiu, após o carnaval de 1970, trocar as cores azul e rosa. A partir de 1971, a Unidos do Viradouro adotou as cores vermelho e branco. No mesmo ano, voltou a vencer o campeonato de Niterói.[6][4][5]

Bandeira[editar | editar código-fonte]

bandeira da escola tem forma retangular. A versão utilizada desde que a Viradouro passou a disputar o carnaval carioca, possui 16 raios de cores intercaladas (oito brancos e oito vermelhos) partindo do centro do pavilhão em direção às extremidades, em formação similar à siemens star. No centro da bandeira, há duas circunferências concêntricas. Na circunferência maior, encontra-se a inscrição "G.R.E.S." (na parte superior) e "UNIDOS DO VIRADOURO" (na parte inferior). Dentro da circunferência maior, há outra circunferência, onde localizam-se os símbolos da escola - a coroa (em cima) e o desenho de um aperto de mãos interracial (embaixo), entre dois ramos de folhas (um em cada lado). Acima da coroa, há uma estrela. Abaixo da circunferência, próximo à borda inferior da bandeira, está inscrito o ano de confecção da mesma.[6]

História[editar | editar código-fonte]

A escola disputou os desfiles de Niterói por 39 anos (1947 a 1985), porém, nesse período, veio ao Rio de Janeiro algumas vezes (64 e 65), conseguindo não mais que um 26º lugar (último) na terceira divisão.[24]

Após ser campeã niteroiense por dezoito vezes, a Viradouro resolveu tentar a sorte novamente no Rio em 1986. Fez bons desfiles nos grupos inferiores, sendo campeã do Grupo 2 em 1989 com o enredo "Mercadores e Mascates" e campeã do Grupo 1 no ano seguinte com "Só Vale o escrito", chegando assim ao Grupo Especial em 1991.[25]

Com uma homenagem à atriz Dercy Gonçalves, a escola surpreendeu e chegou em 7º lugar, à frente da Mangueira e da Vila Isabel, no ano em que o Império Serrano foi rebaixado. A escola teve a mesma quantidade de pontos da 4ª colocada, a Beija-Flor. Apenas pelos critérios de desempate, a escola acabou caindo para a 7ª posição. No desfile, considerado pela crítica como muito bonito, a homenageada desfilou no alto do primeiro carro alegórico, com os seios à mostra.

Em 1992, apresentou o enredo "E a magia da sorte chegou", enredo de autoria de Max Lopes, e que contava a história dos ciganos. A escola fez um dos melhores desfiles de sua história. Todavia, dois incidentes ocorreram. O primeiro foi quando descompasses em evolução, em um casal no carro do Egito, que fez a escola correr para que não estourasse o tempo. O segundo foi em um dos mais belos carros daquele ano, que homenageava a Sibéria e trazia vários huskies siberianos, que pegou fogo. No momento do incêndio, o desfile estava em seus minutos finais. A decisão dos bombeiros foi esperar o carro queimar por completo para iniciar o combate ao fogo. Enquanto isso, um imenso rastro de fumaça cobria a Sapucaí. Durante este tempo, a escola ficou parada, até o momento do combate ao fogo. Por fim, a escola estourou o tempo em 13 minutos, o que resultou na perda de 13 pontos. Foram esses pontos perdidos que levaram a escola para a 9ª posição. Diante do incêndio, a escola ainda perdeu pontos no quesito Evolução. Como o incêndio foi causado por curto-circuito e não por problemas técnicos, não houve punição para o caso específico.

Max Lopes ainda se manteve na escola em 1993 obtendo o 7° lugar com o enredo "Amor, Sublime Amor", mas em 1994 a Viradouro traria Joãosinho Trinta, que se afastara da Beija-Flor há dois anos. Logo em sua estreia, o carnavalesco obteve o 3º lugar, o melhor resultado da escola até então. Depois, obteve dois maus resultados, classificando-se na 8ª em 1995 com "O Rei e os três espantos de Debret" e na 13ª posição em 1996, com "Aquarela do Brasil ano 2000".

Após o péssimo resultado de 1996, quando quase foi rebaixada, a Viradouro tinha o projeto de conseguir chegar ao Desfile das Campeãs. Mas o resultado final foi mais generoso e deu o primeiro título à escola de Niterói. Com Dominguinhos do Estácio como intérprete oficial[26] e "Trevas, luz, a explosão do Universo", levou para a avenida um bonito jogo de cores, contrastando o preto e o branco, o claro e o escuro. Um dos destaques deste desfile foi a bateria ter tocado, na "paradinha", alguns compassos em ritmo de funk, sob o comando de Mestre Jorjão.[27] Na época houve críticas de alguns outros mestres de bateria, que não gostaram da novidade.

No ano seguinte, a escola apresentou o enredo "Orfeu, o Negro do Carnaval", baseado no filme de mesmo nome, que misturava mitologia grega à realidade social brasileira. Naquele ano a escola esperava repetir o sucesso do ano anterior, mas somente conseguiu um quinto lugar, o que a levou a protestar no desfile das campeãs, com alguns de seus integrantes inclusive usando narizes de palhaço. A partir daí, a escola conseguiu sempre chegar ao Desfile das Campeãs, exceto em 2005, quando ficou na 8º posição.

Em 2004 a escola do bairro do Barreto reeditou "A festa do Círio de Nazaré", enredo da Unidos de São Carlos apresentado em 1975, inicialmente a proposta da escola era um enredo inédito sobre a romaria Paraense, porém o então presidente José Carlos Monassa à época interrompeu a disputa de samba-enredo da escola e anunciou a reedição do samba estaciano. Se o critério de descarte da nota mais baixa fosse aplicado nessa época, a escola teria sido campeã do carnaval daquele ano, com 299,8 pontos se descontadas todas as notas minimas de cada quesito, exceto bateria que teve as notas de um julgador anuladas por quebra de sigilo.[28]

No ano de 2005, a escola perdeu seu presidente, o bicheiro José Carlos Monassa Bessil[29] Para sua sucessão, foi eleito o advogado Marco Lira[30]

Em 2007, a agremiação de Niterói apostou todas as fichas no talento do carnavalesco Paulo Barros, ao trazer o enredo "A Viradouro vira o jogo", tentando repetir o sucesso que o mesmo alcançara anos antes na Tijuca. O carnavalesco colocou a bateria em cima de um carro alegórico, um grande tabuleiro de xadrez; esta, conduzida pelo Mestre Ciça, tendo a frente como rainha de bateria Juliana Paes, desceu do carro em plena avenida. O samba, mesmo não sendo considerado pela crítica como um dos melhores, era animado e dizia no refrão "esse jogo vai virar, eu quero ser, o vencedor", tendo sido cantado por torcidas organizadas de futebol meses após o carnaval, fenômeno que não acontecia desde o "Ita" do Salgueiro, em 1993. Mesmo assim, o resultado mais uma vez ficou abaixo do esperado.[31] Em 2008, a escola começou o ano com seu presidente sofrendo um atentado,[32] num ano em que levou para a avenida o enredo "É de Arrepiar!",[33][34] que falava sobre as diversas sensações sentidas pelo ser humano, que lhe causariam arrepios, tais como frio, prazer sexual, emoção de um modo geral, medo, nojo e aversão à maldade. Para tanto, a agremiação trocou de intérprete,[26] e diretores de carnaval e de harmonia. A comissão de frente, trouxe homens de gelo, inspirados no personagem inimigo do Batman, que desciam de uma pista de esqui, improvisada sobre o carro abre-alas. Mas o desfile veio incompleto, pois um dos carros alegóricos, que representaria as vítimas do Holocausto, foi proibido pela justiça após ação proposta por grupos judaicos, que consideraram o carro ofensivo.[35][36] Indignado, o carnavalesco argumentou que não se poderia censurar a história, e o samba não seria menos digno para contar uma história real do que foram os filmes, como "A Lista de Schindler". com a proibição, todas as esculturas foram destruídas, e o carro alegórico passou todo coberto pelo desfile, o que certamente custou pontos à escola, que obteve as seguintes notas: 9.6 / 9.9 / 9.8 / 9.9, ou seja, nenhuma nota máxima no quesito. Novamente, a agremiação acabava fora do desfile das campeãs; porém, se a regra de descarte da nota mais baixa já valesse, ela chegaria em sexto lugar, a frente da Imperatriz Leopoldinense.

Com a recusa de Paulo Barros em fazer um carnaval um pouco mais tradicional e luxuoso, o que fugiria de seu estilo, este acabou sendo demitido da Viradouro,[37][38] que para o seu lugar contratou, para o carnaval de 2009, o carnavalesco Milton Cunha, que retornou à agremiação.[39] A escola trouxe também novo intérprete: David do Pandeiro, que estava na Santa Cruz.[40] Ainda em 2008, após o Carnaval, houve nova eleição para a presidência, e cogitou-se a candidatura de Luma de Oliveira,[41] mas por fim Marco Lira foi reeleito.[41]

Para o carnaval de 2010, a escola de Niterói levou para a avenida um enredo sobre o México, de Júnior Schall e Edson Pereira.[42][43] A agremiação passou por muitos problemas em quase todo pré carnaval, se envolvendo também em muitas polêmicas. A começar pela escolha da rainha de bateria, Julia Lira, de apenas 7 anos, filha de Marco Lira[44] Houve quem criticasse a ideia, uma vez que o cargo de rainha de bateria é geralmente ocupado por mulheres que são vistas como símbolos sexuais, e que desfilam quase sempre com muito pouca roupa. Inclusive na própria Viradouro, o posto já havia sido anteriormente ocupado por Luma de Oliveira e Juliana Paes[45] Marco Lira rebateu as críticas dizendo que quem olhasse a questão por esse lado "precisaria procurar um médico". Por fim, a participação da menina foi um sucesso.[42][43][46] mas o desfile foi considerado bem abaixo da crítica,[47] principalmente pelo fato de a Viradouro ter sido a quarta a desfilar no domingo, logo em seguida à Tijuca, que acabaria sendo campeã. Depois de 20 anos de grupo especial, a escola acabou terminando na última colocação, sendo rebaixada, causando revolta no presidente[48][49] Após o carnaval, começou-se a cogitar sua saída da presidência.[41] o que se concretizou em 13 de abril, com a renúncia.[50]

Pouco depois teve uma eleição onde saiu vitorioso o ex-compositor da escola (Gustavo Clarão), com o objetivo de recuperar a escola após o fiasco no carnaval de 2010.[51] pra isso continuou com o casal de Mestre-sala e porta-bandeira; Róbson e Ana Paula, colocou o prata da casa Pablo pra ser o novo diretor de bateria e renovou com Wander Pires, que acabou demitido devido uma briga com um diretor.[52] sendo substiuído por uma comissão formada por Leléu puxando o samba, junto com Diego Nicolau, Niu e Gilberto Gomes.[53] além de ter duas rainhas de bateria, a ex-rainha Patrícia Costa e Dany Bananinha, assistente de palco do programa Caldeirão do Huck.

De volta ao grupo de acesso em 2011, a Viradouro apresenta o enredo "Quem Sou Eu Sem Você?" falando dos outros tipos de comunicação, como a comunicação com extraterrestres, a comunicação com outras vidas através do espiritismo e da mediunidade, homenageando Chico Xavier numa escultura gigante no último carro alegórico psicografando, além de alas com dezenas de médiuns representando o plano espiritual. Também será abordado a comunicação via satélite, com várias antenas de ferro de rádio e tv em outra alegoria, além de trazer uma escultura da Torre de Babel sendo escalada no setor que trata da comunicação com o céu. A escola de samba de Niterói vai fazer um desfile com assuntos nunca antes tratados nos desfiles de Carnaval, foi vice-campeã, permanecendo no Grupo de acesso em 2012.

Para 2012 a Viradouro apostou numa homenagem ao jornalista e escritor Nelson Rodrigues através do tema "A vida como ela é, bonitinha mas ordinária... Assim falou Nelson Rodrigues", de autoria do carnavalesco Alexandre Louzada.[54][55] Sendo a sexta escola a desfilar no sábado de carnaval, a escola apresentou um desfile muito abaixo do que se esperava, terminando em 5° lugar.

Em 2013, a agremiação de Niterói apostou no retorno do "Mago das Cores" Max Lopes, para voltar ao Especial, com um enredo sobre os 60 anos do Salgueiro.[56] tendo após o retorno de Leléu a Rocinha. David do Pandeiro retornando, pelo qual se junta a Diego Nicolau, Gilberto Gomes e Niu no quarteto de cantores.[57] Após um desfile bonito e simples, ficou em segundo lugar com 299,6 pontos, ficando atrás da campeã Império da Tijuca que obteve a pontuação máxima de 300 pontos.

Ainda depois do desfile, a escola ficou sem barracão devido a revitalização da Zona Portuária. Depois de oito meses mantendo suas alegorias em um terreno a céu aberto na Avenida Brasil a escola conseguiu se alojar no antigo barracão da Estação Primeira de Mangueira, nas proximidades do Sambódromo.[58] Para 2014 a escola apostou no enredo "Sou a Terra de Ismael, 'Guanabaran' eu vou cruzar... Pra Você Tiro o Chapéu, Rio eu vim te Abraçar" onde cantou em homenagem à sua cidade natal. Neste ano, a vermelha e branca reforçou seu carro de som com a chegada do intérprete Zé Paulo Sierra, vindo da Mangueira, além de apostar no jovem carnavalesco João Vitor Araújo e tendo entre os autores de seu samba-enredo o cantor Dudu Nobre. Depois das muitas dificuldades com o barracão, fez um excelente desfile e passou a figurar entre as favoritas ao titulo da Serie A daquele ano, favoritismo esse que veio a se confirmar na apuração, onde, com apenas uma nota diferente de dez, a escola sacramentou seu retorno ao Grupo Especial em 2015, após quatro anos de ausência.

No carnaval de 2015, a escola manteve a equipe campeã do ano anterior e trouxe como enredo "Nas veias do Brasil, é a Viradouro em um dia de graça" que contou a história da evolução do negro no Brasil baseado nas músicas "Nas veias do Brasil" e "Por um dia de Graça" do compositor Luiz Carlos da Vila, a escola optou por não realizar concurso de samba-enredo e fez uma adaptação das duas músicas de Luiz Carlos para formar o hino que levaria para a avenida. Entretanto, mesmo tendo a ex-rainha de bateria Juliana Paes em sua comissão de frente, a escola acabou prejudicada pelo temporal que caiu durante seu desfile e terminou em 12° lugar, sendo rebaixada novamente para a Série A.

Na preparação para a disputa da Série A em 2016, a Viradouro apostou em um time de peso para tentar o retorno ao Grupo Especial. Para a bateria trouxe Paulinho Botelho, na composição do casal de Mestre Sala e Porte Bandeira, os experientes Marquinhos e Giovanna e uma dupla pra coreografar a comissão de frente, Sylvio Lemgruber e Fernanda Misailidis[59] e ainda com Wilson Alves, o Wilsinho, ex-presidente da Unidos de Vila Isabel, como diretor de carnaval.[60] Como carnavalesca, a Viradouro trouxe Márcia Lage, vice-campeã do carnaval de 2015 em dupla com o marido Renato Lage, no Salgueiro, mas devido a problemas de saúde, pediu dispensa da escola. Para seu lugar voltou Max Lopes, que desenvolveu o enredo "O Alabê de Jerusalém: A Saga de Ogundana" baseado na peça de Altay Veloso. Com um bonito desfile, a agremiação obteve o 3° lugar.

Para 2017, a Viradouro teve como enredo "...E todo menino é um rei", desenvolvido pelo carnavalesco Jorge Silveira, vindo da Dragões da Real, sendo este o primeiro enredo de temática infantil da história da escola. No dia em que completou 70 anos, a Viradouro deu um presente à sua comunidade: o retorno de Dominguinhos do Estácio ao carro de som da escola após dez anos. Ele dividirá o microfone com Zé Paulo Sierra. Com um belo desfile na sexta-feira de carnaval, a vermelha e branca alcançou o vice-campeonato (terceiro em seis carnavais) ficando 0,5 atrás do campeão Império Serrano. Após o carnaval, o então presidente Gustavo Clarão renuncia ao cargo após ocupá-lo desde 2010. No mês seguinte, é eleita por aclamação uma nova diretoria, tendo Marcelo Calil Petrus Filho como o novo presidente e Susie Bessil (filha do ex-presidente José Carlos Monassa) como vice.

Para o carnaval de 2018, a escola contratou o casal de mestre-sala e porta-bandeira Julinho e Rute Alves (vindos da Unidos da Tijuca) e o carnavalesco Edson Pereira, vindo da Unidos de Padre Miguel, sendo esta sua segunda passagem pela agremiação. Edson desenvolverá o enredo da escola será "Vira a Cabeça, Pira o Coração - Loucos Gênios da Criação". Durante a preparação para o desfile, a escola promoveu algumas inovações, como transmitir pela sua página no Facebook a escolha de seu samba-enredo e lançar um CD com releituras de sambas clássicos da agremiação na voz de seu intérprete, Zé Paulo Sierra, tendo seu repertório escolhido pelos torcedores através de enquete. Intitulado "Os sambas que vão tocar seu coração", o CD conta com as participações de Alcione, Altay Veloso, Bibi Ferreira, Dudu Nobre, Quinzinho, Dominguinhos do Estácio, entre outros.

Segmentos[editar | editar código-fonte]

Presidência[editar | editar código-fonte]

Presidência
Presidente Mandato Ref.
José Carlos Monassa Bessil ("Monassa") 1991 - 1994 [61][62]
Ito Machado 1995 [62][63]
Luiz Henrique Monassa Bessil 1996 - 1998 [62][64]
José Carlos Monassa Bessil ("Monassa") 1999 - 2005 [62][65]
Marco Lira 2006 - 2010 [62][66]
Gusttavo Clarão 2011 - 2017 [67][62]
Marcelo Calil Petrus Filho 2017 - atualmente

Intérpretes[editar | editar código-fonte]

Carnavais Intérprete oficial Referências
1980–1984 Silvinho da Portela [68]
1990–1993 Quinzinho [69]
1994–1995 Rico Medeiros [70]
1996 Nêgo Martins [71]
1997–2007 Dominguinhos do Estácio [72]
2008 Nêgo [73]
2009 David do Pandeiro [74]
2010 Wander Pires [75]
2011–2012 Diego Nicolau, Gilberto Gomes, Leléu e Niu Souza [76]
2013 David do Pandeiro, Diego Nicolau, Gilberto Gomes e Niu Souza [74][76]
2014–atual Zé Paulo Sierra [77]

Bateria[editar | editar código-fonte]

Direção de bateria Período Ref.
Ricardo Araújo 1991 [61][78]
Paulinho Botelho 1992 - 1995 [63][79]
Mestre Jorjão 1996 - 1998 [64][80]
Mestre Ciça 1999 - 2009 [81][82]
Mestre Jorjão 2010 [83][84]
Mestre Pablo 2011 - 2014 [85][86]
Mestres Gabriel Policarpo, Heros, Magrão, Thalita Santos, Thiago'z, Vini Lemos 2015 [87][88]
Paulinho Botelho 2016 [79][89]
Mestre Maurão 2017-atualmente [9]
A atriz Juliana Paes foi Rainha de Bateria da agremiação de 2004 a 2008.

Rainhas de bateria[editar | editar código-fonte]

Rainha de bateria Período Ref.
Patrícia Costa 1992 - 1998 [90]
Luma de Oliveira 1999 - 2003 [91]
Juliana Paes 2004 - 2008 [92]
Juliane Almeida 2009 [93]
Júlia Lira 2010 [94]
Dany Bananinha 2011 [95]
Patrícia Costa [90]
Monique Alfradique 2012 [96][97]
Dandara Oliveira 2013 [98][99]
Raíssa Machado 2014 - atualmente [100][101]

Diretores[editar | editar código-fonte]

Ano Direção de Carnaval Direção geral de harmonia Ref.
2012 Bebeto, Celso Cordovil e Marco Celso Cordovil
2013-2014 Wilson Polycarpo Miltinho Souza e Gabriel Sequeira
2015 Wilson Polycarpo Miltinho Souza e Gabriel Sequeira [87]
2016 Wilsinho Miltinho Souza e Gabriel Sequeira [79]
2017 Wilson Polycarpo Miltinho Souza e Gabriel Sequeira

Comissão de frente[editar | editar código-fonte]

Comissão de frente
Coreógrafo(a) Período Ref.
Lima 1991 [61][78]
Silvenir 1992 [102]
Jorge Paes Leme 1993 - 1994 [103][104]
Wilsão 1995 [63][105]
Jussara Pádua 1996 - 2003 [64][106]
Deborah Colker 2004 - 2006 [107][108]
Sérgio Lobato 2007 - 2010 [109][84]
Fábio de Mello 2011 [110][111]
Luciana Yegros 2012 - 2014 [112][113]
Sérgio Lobato 2015 [114][88]
Sylvio Lemgruber e Fernanda Misailidis 2016 [115][89]
Anderson Rodrigues 2017 [116]
Márcio Moura 2018-

Mestre-sala e Porta-bandeira[editar | editar código-fonte]

Mestre-sala e Porta-bandeira
Casal Período Ref.
Robson Sensação e Ana Paula 1991 [61][78]
Andrezinho e Patrícia Gomes 1992 - 2005 [102][117]
Julinho Nascimento e Patrícia Gomes 2006 [108][118]
Julinho Nascimento e Simone Pereira 2007 [109][119]
Raphael Rodrigues e Simone Pereira 2008 [120][121]
Robson Sensação e Ana Paula 2009 - 2011 [82][110]
Marcinho e Alessandra Chagas 2012 [122][123]
Marlon Flores e Alessandra Chagas 2013 - 2015 [124][88]
Marquinhos e Giovanna Justo 2016 [125][89]
Diego Machado e Alessandra Chagas 2017 [126][127]
Julinho Nascimento e Rute Alves 2018-

Carnavais[editar | editar código-fonte]

Carnavais da Unidos do Viradouro
Ano Colocação Divisão Enredo Carnavalesco Ref.
1947 [128]
1948 [128]
1949 Campeã Especial "Araribóia" [128]
1950 Campeã Especial "Tiradentes - Mártir da Independência" [128]
1951 A escola não desfilou [128]
1952 Campeã Especial "Vultos Nacionais" [128]
1953 Campeã Especial "Cândido Rondon" [128]
1954 Concurso anulado "Estado do Rio" [128]
1955 Vice-campeã Especial "Batalha Naval do Riachuelo" [128]
1956 Campeã Especial "Independência do Brasil" [128]
1957 Campeã Especial "Quatro grandes feitos da História" [128]
1958 Campeã Especial "Primeiro Reinado" [128]
1959 Campeã Especial "Carlos Gomes" [128]
1960 3.º Lugar Especial "Catulo da Paixão Cearense" [128][129]
1961 Não concorreu "Festa junina em pleno carnaval" [128]
1962 Campeã Especial "A Chegada da Família Real" [128]
1963 Campeã Especial "O Último baile imperial" [128]
1964 Não desfilou "Maria Quitéria" [128]
1965 26.º Lugar Grupo 3 "Rio Quarto Centenário" [128]
1966 Menção honrosa "Homenagem a Niterói' [128]
1967 Vice-campeã Especial "Chico Rei" [128]
1968 Vice-campeã Especial "Rugendas - viagem pitoresca através do Brasil" [128]
1969 Vice-campeã Especial "A Festa do Divino" [128]
1970 Vice-campeã Especial "Quilombo dos Palmares" [128]
1971 Campeã Especial "São Francisco - Rio da integração nacional" [128]
1972 Vice-campeã Especial "Três festas tradicionais brasileiras" Érico Lameiras, Nelson dos Santos e Juvenil [130]
1973 Campeã Especial "Niterói - sua origem e evolução" Clóvis Bornay, Érico Lameiras e Nelson dos Santos [131]
1974 Campeã Especial "Pleito de vassalagem de Olorum" Augusto Henrique Alves [128]
1975 Vice-campeã Especial "Rei Midas de Catas Altas" Augusto Henrique Alves [132]
1976 3.º Lugar Especial "Só mesmo na Bahia" Augusto Henrique Alves [133]
1977 3.º Lugar Especial "No mundo encantado da fantasia" Augusto Henrique Alves [128]
1978 Vice-campeã Especial "Ídolos de Ébano" Max Lopes, Érico Lameiras e Floriano Carvalho [128]
1979 Vice-campeã Especial "Ainda um paraíso tropical" Érico Lameiras e Gilberto [134]
1980 Campeã Especial "Os três encantos do rei" Yarema Ostrog, Hilda Perna e Adriano Jorge [135]
1981 Campeã Especial "Amor em Tom Maior"
(Samba-enredo composto por: Passarinho, Silvinho e Zelito)
Yarema Ostrog, Hilda Perna e Adriano Jorge [13][128]
1982 Campeã Especial "Mutou Muido Kitoko" Yarema Ostrog, Hilda Perna e Adriano Jorge [128]
1983 Campeã Especial "Acredite se quiser" Yarema Ostrog, Hilda Perna e Adriano Jorge [128]
1984 Campeã Especial "O sonho de Ilê Yfé"
(Samba-enredo composto por: Joel do Cavaco e Odair Conceição)
Yarema Ostrog, Hilda Perna e Adriano Jorge [128]
1985 Vice-campeã
(Empatada com Sossego)
Especial "Na terra de Antônio Maris, só não viu quem não quis" Yarema Ostrog, Hilda Perna e Adriano Jorge [128][136]
1986 Aprovada Grupo 2B "Novos ventos, novos tempos - História de uma integração" Yarema Ostrog, Hilda Perna e Adriano Jorge [128]
1987 5.º Lugar Grupo 4 "Na boca e na ponta da língua ... É carnaval" Rodney Lucas [128]
1988 Vice-campeã Grupo 4 "Contribuição do negro ao folclore brasileiro" Rodney Lucas [128]
1989 Campeã Grupo 3 "Mercadores e mascates"
(Samba-enredo composto por: Gilberto, Mário, Odar, Nilo, Charuto, Carlos, Japona e Delfim)
Rodney Lucas [128]
1990 Campeã Grupo A "Só vale o escrito"
(Samba-enredo composto por: Adir, Odir Sereno, Gelson e Gilberto Barros)
Max Lopes [128]
1991 7.º Lugar Grupo Especial "Bravo! Bravíssimo! - Dercy Gonçalves, o retrato de um povo"
(Samba-enredo composto por: Gelson, Rubinho, Odir Sereno e Adir)
Max Lopes [137]
1992 9.º Lugar Grupo Especial "E a magia da sorte chegou"
(Samba-enredo composto por: Heraldo Faria, Flavinho Machado, Gelson e Rubinho)
Max Lopes [138]
1993 7.º Lugar Grupo Especial "Amor, sublime amor"
(Samba-enredo composto por: Heraldo Faria, Flavinho Machado e Gelson)
Max Lopes [128]
1994 3.º Lugar Grupo Especial "Tereza de Benguela - Uma rainha negra no Pantanal"
(Samba-enredo composto por: Cláudio Fabrino, Paulo César Portugal, Jorge Baiano e Rico Medeiros)
Joãosinho Trinta [139][140]
1995 8.º Lugar Grupo Especial "O rei e os três espantos de Debret"
(Samba-enredo composto por: José Antonio, Gonzaga, Olivério, Rico Medeiros, Wilsinho, Fabrino, Portugal, Bernardo, Gilberto e João Sérgio)
Joãosinho Trinta [141][142]
1996 13.º Lugar Grupo Especial "Aquarela do Brasil ano 2000"
(Samba-enredo composto por: Heraldo Faria, Jorge Baiano, Mocotó e Flavinho Machado)
Joãosinho Trinta [128]
1997 Campeã Grupo Especial "Trevas! Luz! A explosão do universo"
(Samba-enredo composto por: Dominguinhos do Estácio, Mocotó, Flavinho Machado e Heraldo Faria)
Joãosinho Trinta [143]
1998 5.º Lugar Grupo Especial "Orfeu, o negro do carnaval"
(Samba-enredo composto por: Gilberto Gomes, R. Mocotó, Gustavo, P. C. Portugal e Dadinho)
Joãosinho Trinta [144]
1999 3.º Lugar Grupo Especial "Anita Garibaldi - Heroína das sete magias"
(Samba-enredo composto por: Gilberto Gomes, R. Mocotó, Gustavo, PC Portugal e Dadinho)
Joãosinho Trinta [145]
2000 3.º Lugar Grupo Especial "Brasil: visões de paraísos e infernos"
(Samba-enredo composto por: Gilberto Gomes, Gustavo, Dadinho, PC Portugal e Mocotó)
Joãosinho Trinta [146]
2001 5.º Lugar Grupo Especial "Os sete pecados capitais"
(Samba-enredo composto por: Gilberto Gomes, Gustavo, Dadinho, PC Portugal e Mocotó)
Lane Santana [147]
2002 5.º Lugar Grupo Especial "Viradouro, Vira-Mundo, Rei do Mundo"
(Samba-enredo composto por: Gilberto Gomes, Gustavo, Dadinho, PC Portugal e Mocotó)
Chico Spinoza [148][149][150]
2003 6.º Lugar Grupo Especial "A Viradouro canta e conta Bibi, uma homenagem ao teatro brasileiro"
(Samba-enredo composto por: Gustavo, Gilberto Gomes, Heraldo Faria e Gelson)
Mauro Quintaes [151][152]
2004 4.º Lugar Grupo Especial "Pediu pra Pará, parou! Com a Viradouro, eu vou... Pro Círio de Nazaré"
(Samba-enredo composto por: Dario Marciano, Nilo Mendes (Esmera) e Aderbal Moreira)
(Reedição do enredo de 1975 da Unidos de São Carlos)
Mauro Quintaes [153][154]
2005 8.º Lugar Grupo Especial "A Viradouro é só sorriso!"
(Samba-enredo composto por: Gusttavo, Gilberto Gomes, P.C. Portugal, Zé Antônio e Dominguinhos do Estácio)
Mauro Quintaes [155][156][157]
2006 3.º Lugar Grupo Especial "Arquitetando folias"
(Samba-enredo composto por: Dadinho, Evaldo, Waldeir Melodia, Tamiro e Peralta)
Milton Cunha, Mário Monteiro e Kaká Monteiro [158][159]
2007 5.º Lugar Grupo Especial "A Viradouro vira o Jogo"
(Samba-enredo composto por: Gusttavo Clarão, Gilberto Gomes, Nando, Pablo Fernandes, P.C. Portugal e Dominguinhos do Estácio)
Paulo Barros [160]
2008 7.º Lugar Grupo Especial "É de arrepiar!"
(Samba-enredo composto por: Paulo César Portugal, Evaldo, Tamiro e Lima de Andrade)
Paulo Barros [33][34][161]
2009 8.º Lugar Grupo Especial "Vira-Bahia, pura energia"
(Samba-enredo composto por: Heraldo Faria, Flavinho Machado, Edu, Rafael e Floriano)
Milton Cunha [39][40][162][163][164]
2010 12.º Lugar
(Rebaixada)
Grupo Especial "México, o paraíso das cores, sob o signo do sol"
(Samba-enredo composto por Floriano do Caranguejo, Gustavo da Marbela e Sacadura Cabral)
Júnior Schall e Edson Pereira [42][43][165]
2011 Vice-campeã Grupo A "Quem sou eu sem você?"
(Samba-enredo composto por Renan Gemeo, PC Portugal, Rodrigo, Fernando Johara, Diego Moura e Jeferson Lima)
Jack Vasconcelos [166][167][168]
2012 5.º Lugar Grupo A "A vida como ela é, bonita mas ordinária... Assim falou Nelson Rodrigues"
(Samba-enredo composto por Claudinho Mattos, Daniel Louzada, Diego Moura, Diego Nicolau, Dudu Oliveira, Ênio Almeida, Erik Borges, Fábio Borges, Felipe Filósofo, Fernando Johara, Marcello Bertolo, PC Portugal, Renan Gemeo, Rodrigo e Vitor Adolfo)
Alexandre Louzada [169][170][171]
2013 Vice-campeã Série A "Nem melhor nem pior, que não sai da minha mente. Inspiração para o meu samba, eu também sou diferente"
(Samba-enredo composto por Dadinho, Floriano do Carangueijo, Gilberto Gomes, J. Lambreta, Manolo, Sacadura Cabral e Zé Gloria)
Max Lopes [56][172][173][174]
2014 Campeã Série A "Sou a Terra de Ismael, 'Guanabaran' eu vou cruzar... Pra você tiro o chapéu, Rio eu vim te abraçar"
(Samba-enredo composto por Dudu Nobre, Diego Tavares, Zé Glória, Paulo Oliveira, Dílson Marimba, Junior Fragga, D. Oliveira, Arlindo Neto, LC e William Neves)
João Vitor Araújo [175][176][177]
2015 12.º Lugar
(Rebaixada)
Grupo Especial "Nas veias do Brasil, é a Viradouro em um dia de graça"
(Composições de Luiz Carlos da Vila adaptadas por Gusttavo Clarão)
João Vitor Araújo [178][179][180]
2016 3.º Lugar Série A "O Alabê de Jerusalém: A Saga de Ogundana"
(Samba-enredo composto por Paulo César Feital, Zé Glória, Felipe Filósofo, Maria Preta, Fabio Borges, William, Zé Augusto e Bertolo)
Max Lopes [89]
2017 Vice-campeã Série A "...E todo menino é um Rei"
(Samba-enredo composto por Felipe Filósofo, Renan Gêmeo, Manolo, Fabio Borges, Claudio Mattos, Rodrigo Gêmeo, Anderson Lemos, Diego Nicolau e Marcello Bertolo)
Jorge Silveira
2018 Série A Vira a Cabeça, Pira o Coração – Loucos Gênios da Criação

(Samba-enredo composto por Zé Glória, Lucas Macedo, William Lima, Gugu Psi, Lico Monteiro, Lucas Neves e Matheus Gaúcho)

Edson Pereira [181][182]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Carnaval do Rio de Janeiro[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Carnaval do Rio de Janeiro
Carnaval do Rio de Janeiro Município do Rio de Janeiro
Divisão Títulos Temporadas Ref.
WikiCup Trophy Gold.png Grupo Especial 1 1997 [183]
Trophy (transp. Simón Bolívar Cup).png Grupo 2
(Atual Série A)
2 1990, 2014 [184]
Trophy (transp. Simón Bolívar Cup).png Grupo 3
(Atual Série B)
1 1989 [185]

Carnaval de Niterói[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Carnaval de Niterói
Carnaval de Niterói Niterói
Divisão Títulos Temporadas Ref.
WikiCup Trophy Gold.png Grupo Especial 18 1949, 1950, 1952, 1953, 1956, 1957, 1958, 1959, 1962, 1963, 1971, 1973, 1974, 1980, 1981, 1982, 1983 e 1984 [186][187]

Premiações[editar | editar código-fonte]

Estandarte de Ouro[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Estandarte de Ouro
Estandartes de Ouro do GRES Unidos do Viradouro
Categoria Total Ano Referência
Escola (Grupo Especial) 1 1997 [188]
Escola (Grupo 2) 1 2014 [189]
Samba-enredo (Grupo Especial) 1 1992 [190]
Samba-enredo (Grupo 2) 1 2016 [191]
Intérprete 1 2000 [192]
Ala das baianas 3 1992, 1999, 2015 [193][194]
Passista feminino 1 1992 [195]
Passista masculino 1 2006 [196]
Ala de crianças
(Categoria extinta em 1994)
1 1991 [197]

Outros prêmios[editar | editar código-fonte]

Outros prêmios recebidos pelo GRES Unidos do Viradouro.

Ano Prêmio Categoria / premiados Divisão Ref.
2001 Tamborim de Ouro Bateria (Diretor responsável: Mestre Ciça) Especial [198]
Musa da Sapucaí (Luma de Oliveira)
2002 Tamborim de Ouro Musa da Sapucaí (Luma de Oliveira) Especial [199]
2003 Tamborim de Ouro Intérprete (Dominguinhos do Estácio) Especial [200]
2004 Tamborim de Ouro Intérprete (Dominguinhos do Estácio) Especial [201]
Musa da Sapucaí (Juliana Paes)
Troféu Jorge Lafond Diretor de harmonia (Vanderlei Borges) [202]
2005 Tamborim de Ouro Enredo ("A Viradouro é só sorriso!") Especial [203]
Passista masculino (Renato Sorriso)
Plumas & Paetês Destaque performático (Paulo Robert) [204]
2006 Tamborim de Ouro Bateria (Diretor responsável: Mestre Ciça) Especial [205]
2007 Tamborim de Ouro Bateria (Diretor responsável: Mestre Ciça) Especial [206]
Troféu Jorge Lafond Personalidade (Marco Lira) [207]
Plumas & Paetês Coreógrafo (Sérgio Lobato) [208]
Desenhista (Erler Junior)
Iluminador (Mário Sérgio)
2008 Tamborim de Ouro Personalidade (Mestre Ciça) Especial [209]
Ala mirim
Estrela do Carnaval Originalidade (Carro do "banquete") [210][211]
2009 Estrela do Carnaval Passista masculino (Anderson Lima) Especial [212]
Troféu Rádio Manchete Bateria (Diretor responsável: Mestre Ciça) [213]
Plumas & Paetês Diretor de bateria (Mestre Ciça) [214]
2010 Tamborim de Ouro Ala das baianas Especial [215]
2011 Gato de Prata Melhor escola Grupo A [216]
Estrela do Carnaval Comissão de frente (Coreógrafo responsável: Fábio de Mello) [217]
Casal de Mestre-sala e Porta-bandeira (Robson Sensação e Ana Paula)
Troféu Jorge Lafond Casal de Mestre-sala e Porta-bandeira (Robson Sensação e Ana Paula) [218]
Personalidade (Patrícia Costa - Rainha de bateria)
S@mba-Net Casal de Mestre-sala e Porta-bandeira (Robson Sensação e Ana Paula) [219]
Ala mirim
Velha guarda
Plumas & Paetês Diretor de bateria (Mestre Pablo) [220]
Compositores (Renan Gemeo, P.C. Portugal, Rodrigo, Fernando Johara, Diego Moura e Jeferson Lima)
Costureira (Flávia Jacob)
Ferreiro (Valdecir)
2012 S@mba-Net Bateria (Diretor responsável: Mestre Pablo) Grupo A [221]
Ala mirim
Troféu Jorge Lafond Intérpretes (Diego Nicolau, Leléu, Gilberto Gomes e Niu Souza) [222]
Porta-bandeira (Alessandra Chagas)
Ala mirim
Plumas & Paetês Ferreiro (Devalcyr Ribeiro) [223]
2013 S@mba-Net Velha guarda Série A [224][225]
Troféu Jorge Lafond Ala de passistas [226]
2014 Estrela do Carnaval Melhor desfile Série A [211][227]
Intérprete (Zé Paulo Sierra)
SRZD-Carnaval Melhor desfile [228][229]
Conjunto da obra
Tupi Carnaval Total Melhor escola [230]
Troféu Apoteose Melhor escola [231]
S@mba-Net Melhor escola [232][233]
Intérprete (Zé Paulo Sierra)
Revelação (Carnavalesco João Vitor Araújo)
Ala das baianas
Troféu Jorge Lafond Melhor escola [234]
Intérprete (Zé Paulo Sierra)
Revelação (Carnavalesco João Vitor Araújo)
Harmonia (Direção: Gabriel Sequeira e Miltinho Souza)
Gato de Prata Intérprete (Zé Paulo Sierra) [235]
Revelação (Carnavalesco João Vitor Araújo)
Plumas & Paetês Carnavalesco (João Vitor) [236]
Compositores (Dudu Nobre, Diego Tavares, Zé Glória, Paulo Oliveira, Dilson Marimba e Júnior Fraga)
Iluminador (Joel Francisco)
Gestor de ateliê (Aquarela Carioca - pela confecção da fantasia do casal de mestre-sala e porta-bandeira)
2015 SRZD-Carnaval Intérprete (Zé Paulo Sierra) Especial [237]
2016 SRZD-Carnaval Samba-enredo
("O Alabê de Jerusalém: A Saga de Ogundana" - Compositores: Paulo César Feital, Zé Glória, Felipe Filósofo, Maria Preta, Fabio Borges, William, Zé Augusto e Bertolo)
Série A [238]
Estrela do Carnaval Samba-enredo
("O Alabê de Jerusalém: A Saga de Ogundana" - Compositores: Paulo César Feital, Zé Glória, Felipe Filósofo, Maria Preta, Fabio Borges, William, Zé Augusto e Bertolo)
[239]
Intérprete (Zé Paulo Sierra)
Gato de Prata Samba-enredo
("O Alabê de Jerusalém: A Saga de Ogundana" - Compositores: Paulo César Feital, Zé Glória, Felipe Filósofo, Maria Preta, Fabio Borges, William, Zé Augusto e Bertolo)
[240][241]
Intérprete (Zé Paulo Sierra)
Personalidade (Altay Veloso)
Troféu Sambista Samba-enredo
("O Alabê de Jerusalém: A Saga de Ogundana" - Compositores: Paulo César Feital, Zé Glória, Felipe Filósofo, Maria Preta, Fabio Borges, William, Zé Augusto e Bertolo)
[242][243]
Bateria (Diretor responsável: Mestre Paulinho Botelho)
Intérprete (Zé Paulo Sierra)
S@mba-Net Samba-enredo
("O Alabê de Jerusalém: A Saga de Ogundana" - Compositores: Paulo César Feital, Zé Glória, Felipe Filósofo, Maria Preta, Fabio Borges, William, Zé Augusto e Bertolo)
[244][245]
Bateria (Diretor responsável: Mestre Paulinho Botelho)
Troféu Jorge Lafond Samba-enredo
("O Alabê de Jerusalém: A Saga de Ogundana" - Compositores: Paulo César Feital, Zé Glória, Felipe Filósofo, Maria Preta, Fabio Borges, William, Zé Augusto e Bertolo)
[246]
Enredo ("O Alabê de Jerusalém: A Saga de Ogundana")
Harmonia (Direção: Gabriel Sequeira e Miltinho Souza)
Plumas & Paetês Compositores (Paulo César Feital, Zé Gloria, Felipe Filósofo, Maria Preta, Fabio Borges e William) [247]
Pintores artísticos (Gilmar e Magrão)
2017 Passista Samba no Pé Ala de Passistas Série A [248]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Bastos, João (2010). Acadêmicos, unidos e tantas mais - Entendendo os desfiles e como tudo começou 1.ª ed. Rio de Janeiro: Folha Seca. ISBN 978-85-87199-17-1 
  • Cabral, Sérgio (2011). Escolas de Samba do Rio de Janeiro 1.ª ed. São Paulo: Lazuli; Companhia Editora Nacional. ISBN 978-85-7865-039-1 
  • Diniz, André (2012). Almanaque do Samba - A história do samba, o que ouvir, o que ler, onde curtir 1.ª ed. Rio de Janeiro: Zahar. ISBN 978-85-37808-73-3 
  • Diniz, André; Cunha, Diogo (2014). Na Passarela do Samba - O Esplendor das Escolas em 30 anos de desfiles de carnaval no Sambódromo 1.ª ed. Rio de Janeiro: Casa da Palavra. ISBN 978-85-7734-445-1 
  • Fabato, Fábio; Farias, Julio Cesar; Simas, Luiz Antonio; Camões, Marcelo; Natal, Vinícius (2014). As Titias da Folia - O brilho maduro de escolas de samba de alta idade 1.ª ed. Rio de Janeiro: Novaterra Editora e Distribuidora LTDA. ISBN 978-85-61893-29-3 
  • Gomyde Brasil, Pérsio (2015). Da Candelária à Apoteose - Quatro décadas de paixão 3.ª ed. Rio de Janeiro: Multifoco. ISBN 978-85-7961-102-5 
  • Nóbrega Fernandes, Nélson da (2001). Escolas de Samba: Sujeitos Celebrantes e Objetos Celebrados 1.ª ed. Rio de Janeiro: Prefeitura do Rio de Janeiro 
  • Perigo, João (2016). O Carnaval de Niterói - O Resgate das Memórias Esquecidas 1.ª ed. Rio de Janeiro: João Perigo. 177 páginas 

Referências

  1. a b c d «Dados básicos». Site Galeria do Samba. Consultado em 3 de setembro de 2017. Cópia arquivada em 3 de abril de 2016 
  2. a b c «Resultados - Sambas - Histórico». Site Sambario Carnaval. Consultado em 3 de setembro de 2017. Cópia arquivada em 6 de julho de 2017 
  3. a b «Viradouro no Dicionário MPB». Site Dicionário MPB. Consultado em 3 de setembro de 2017. Cópia arquivada em 3 de setembro de 2017 
  4. a b c d e f g h «História». Site oficial da Viradouro. Consultado em 30 de outubro de 2009. Arquivado do original em 30 de outubro de 2009 
  5. a b c d e f «História da Viradouro». Site oficial da Viradouro. Consultado em 17 de fevereiro de 2007. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2007 
  6. a b c d «Símbolos da Viradouro». Site CJC Carnaval. Consultado em 3 de setembro de 2017. Cópia arquivada em 3 de setembro de 2017 
  7. «Ver 'Nossa Gente'». Viradouro.com. Consultado em 19 de março de 2016 
  8. «Fim do sufoco dos torcedores: intérprete Zé Paulo continua na Viradouro». SRZD. Consultado em 19 de março de 2016 
  9. a b «Mestre Maurão, sobre a Viradouro: 'vou trabalhar muito para manter os 40 pontos'». SRZD - Sidney Rezende. Consultado em 19 de março de 2016 
  10. «Ver 'Nossa Gente'». Viradouro.com. Consultado em 19 de março de 2016 
  11. http://revistacarnaval.com.br/index.php/2017/03/17/julinho-e-rute-sao-da-viradouro/
  12. Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome Academia_do_Samba1
  13. a b Samba Rio Carnaval. «Viradouro». Consultado em 19 de outubro de 2010 
  14. «Viradouro: orgulho de ser Niterói». Site O Globo. Consultado em 3 de setembro de 2017. Cópia arquivada em 3 de setembro de 2017 
  15. a b «Viradouro». Site Cultura Niterói. Consultado em 3 de setembro de 2017. Cópia arquivada em 27 de janeiro de 2016 
  16. a b «A Escola». Site oficial da Viradouro. Consultado em 3 de setembro de 2017. Cópia arquivada em 3 de setembro de 2017 
  17. Perigo, João (2016). O Carnaval de Niterói - O Resgate das Memórias Esquecidas 1.ª ed. Rio de Janeiro: João Perigo. 177 páginas 
  18. «Carnaval de Niterói». Site Correio da Cidade Online. Consultado em 3 de setembro de 2017. Cópia arquivada em 3 de setembro de 2017 
  19. «Carnaval de Niterói». Site Niterói Mais. Consultado em 3 de setembro de 2017. Arquivado do original em 3 de março de 2016 
  20. a b c Fabato, Fábio; Farias, Julio Cesar; Simas, Luiz Antonio; Camões, Marcelo; Natal, Vinícius (2014). As Titias da Folia - O brilho maduro de escolas de samba de alta idade 1.ª ed. Rio de Janeiro: Novaterra Editora e Distribuidora LTDA. pp. 52–55. ISBN 978-85-61893-29-3 
  21. «Viradouro traz de volta seu símbolo para abre-alas». Site SRZD. Consultado em 3 de setembro de 2017. Cópia arquivada em 3 de setembro de 2017 
  22. «Santa Rosa». Site Cultura Niterói. Consultado em 3 de setembro de 2017. Cópia arquivada em 24 de fevereiro de 2016 
  23. «São João Batista». Site da ALERJ. Consultado em 3 de setembro de 2017. Cópia arquivada em 3 de setembro de 2017 
  24. Academia do Samba. «1965». Consultado em 9 de maio de 2010 
  25. Academia do Samba. «1991». Consultado em 9 de maio de 2010 
  26. a b G1. «Viradouro demite Dominguinhos e contrata Nego». Consultado em 9 de maio de 2010 
  27. Lívia Torres (23 de dezembro de 2009). «Inventor da 'paradinha' funk da Viradouro promete surpresa na Sapucaí». Portal G1 
  28. Uol Carnaval. «LIESA anula notas de jurado por quebra de sigilo (25/02/2004)». Consultado em 8 de agosto de 2013 
  29. Folha de S.Paulo. «Morre José Carlos Monassa Bessil, presidente da Viradouro (28/08/2005)». Consultado em 9 de maio de 2010 
  30. Papo de Samba. «Marco Lira é eleito presidente da Viradouro (10/10/2005)». Consultado em 9 de maio de 2010 
  31. O Dia - 25 de fevereiro de 2007, Beija-Flor exibe sua supremacia no desfile das campeãs
  32. O Globo. «Presidente da Viradouro é baleado em Niterói». Consultado em 9 de maio de 2010 
  33. a b G1 (4 de fevereiro de 2008). «Com mistura de arrepiar, Viradouro fecha 1ª noite do Grupo Especial». 11h03. Consultado em 15 de novembro de 2013 
  34. a b UOL (4 de fevereiro de 2008). «Viradouro faz espetáculo hollywoodiano em seu desfile "de arrepiar"». 6h16. Consultado em 15 de novembro de 2013 
  35. G1 (31 de janeiro de 2008). «Liminar proíbe Viradouro de desfilar com carro do holocausto». 17h33. Consultado em 15 de novembro de 2013 
  36. Estadão (5 de fevereiro de 2008). «Mesmo após desfile, censura à Viradouro é assunto na Sapucaí». Consultado em 15 de novembro de 2013 
  37. Terra (29 de junho de 2008). «Viradouro demite o carnavalesco Paulo Barros». Consultado em 15 de novembro de 2013 
  38. SRZD-Carnaval (28 de junho de 2008). «Paulo Barros deixa Viradouro». 20h04. Consultado em 15 de novembro de 2013 
  39. a b SRZD-Carnaval (29 de junho de 2008). «Viradouro confirma Milton Cunha». 18h41. Consultado em 15 de novembro de 2013 
  40. a b SRZD-Carnaval (15 de outubro de 2008). «David do Pandeiro chega na Viradouro». 11h41. Consultado em 15 de novembro de 2013 
  41. a b c Isaac Ismar, para SRZD Carnavalesco. «Marco Lira responde declarações de Luma de Oliveira (09/05/2008)». Consultado em 9 de maio de 2010 
  42. a b c G1 (15 de fevereiro de 2010). «Viradouro redescobre personagens mexicanos na Sapucaí». 2h53. Consultado em 15 de novembro de 2013 
  43. a b c UOL (15 de fevereiro de 2010). «Arte, política e religião mexicana são retratados no desfile da Viradouro». 2h59. Consultado em 15 de novembro de 2013 
  44. Susana Salvador, para o Sapo. «Polémica com rainha da bateria de apenas 7 anos (7 de fevereiro de 2010)». Consultado em 9 de maio de 2010 
  45. Agência Brasil, para "O Povo" de Fortelza. «Menina de 7 anos é rainha de bateria no RJ (27/01/2010)». Consultado em 9 de maio de 2010 
  46. Madalena Romeo e Nice de Paula, para O Globo. «Rainha de bateria Julia Lira rouba a cena no desfile da Viradouro». Consultado em 9 de maio de 2010 
  47. Samba Sul. «Tijuca é a favorita na primeira noite de desfiles». Consultado em 9 de maio de 2010 
  48. SRZD-Carnaval (17 de fevereiro de 2010). «'Estava tudo armado para a Viradouro cair', diz presidente da escola». 18h08. Consultado em 15 de novembro de 2013 
  49. Jornal do Brasil. «"São pilantras, já estava tudo armado", diz presidente da Viradouro». Consultado em 9 de maio de 2010 
  50. Thiago Trindade, para o SRZD Carnavalesco. «Primeira mão: Marco Lira renuncia à presidência da Unidos do Viradouro». Consultado em 14 de maio de 2010 
  51. SRZD-Carnaval (13 de junho de 2010). «Gusttavo Clarão é o novo presidente da Viradouro». 19h56. Consultado em 15 de novembro de 2013 
  52. Isaac Ismar, para o SRZD Carnavalesco. «Wander Pires é demitido da Viradouro». Consultado em 14 de setembro de 2010 
  53. Redação SRZD Carnavalesco. «Viradouro confirma Diego Nicolau, Leléu e mais dois cantores». Consultado em 17 de setembro de 2010 
  54. SRZD-Carnaval (10 de abril de 2011). «Viradouro apresenta Alexandre Louzada». 22h46. Consultado em 15 de novembro de 2013 
  55. Sérgio Soares - O São Gonçalo (5 de abril de 2011). «Viradouro aposta em novo carnavalesco». 23:19:50. Consultado em 15 de novembro de 2013 
  56. a b G1 (9 de fevereiro de 2013). «Viradouro encerra o 1° dia de desfile celebrando 60 anos do Salgueiro». 06h35. Consultado em 1 de novembro de 2013 
  57. Site oficial da Unidos do Viradouro (5 de janeiro de 2013). «Novas caras na Viradouro». Consultado em 1 de novembro de 2013 
  58. Carnavalesco (1 de novembro de 2013). «Oito meses depois do abandono e 'sarjeta', Viradouro já está em um novo barracão». 11:05. Consultado em 1 de novembro de 2013 
  59. Carnavalesco. «Viradouro aposta em dupla de coreógrafos para comissão de frente». Consultado em 25 de outubro de 2015 
  60. «Viradouro ainda mais forte: Mestre Paulinho, Marquinho e Giovanna completam nova equipe». Site Carnavalesco. 26 de março de 2015. Consultado em 26 de março de 2015 
  61. a b c d «Unidos do Viradouro - Carnaval de 1991 - Bravo, bravíssimo - Dercy, o retrato de um povo - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Unidos do Viradouro. Consultado em 17 de março de 2016 
  62. a b c d e f Academia do Samba. «Diretoria». Consultado em 15 de maio de 2014 
  63. a b c «Unidos do Viradouro - Carnaval de 1995 - O rei e os três espantos de Debret - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Unidos do Viradouro. Consultado em 17 de março de 2016 
  64. a b c «Unidos do Viradouro - Carnaval de 1996 - Aquarela do Brasil Ano 2.000 - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Unidos do Viradouro. Consultado em 17 de março de 2016 
  65. «Folha Online - Ilustrada - Morre José Carlos Monassa Bessil, presidente da Viradouro - 28/08/2005». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 19 de março de 2016 
  66. «Primeira mão: Marco Lira renuncia à presidência da Unidos do Viradouro». SRZD - Sidney Rezende. Consultado em 19 de março de 2016 
  67. «Gusttavo Clarão é o novo presidente da Viradouro». SRZD - Sidney Rezende. Consultado em 19 de março de 2016 
  68. «Silvinho da Portela». Sambario Carnaval. Consultado em 18 de fevereiro de 2017 
  69. «Quinzinho». Sambario Carnaval. Consultado em 18 de fevereiro de 2017 
  70. «Rico Medeiros». Sambario Carnaval. Consultado em 18 de fevereiro de 2017 
  71. «Nêgo Martins». Sambario Carnaval. Consultado em 18 de fevereiro de 2017 
  72. «Dominguinhos do Estácio». Sambario Carnaval. Consultado em 18 de fevereiro de 2017 
  73. «Nêgo». Sambario Carnaval. Consultado em 18 de fevereiro de 2017 
  74. a b «David do Pandeiro». Sambario Carnaval. Consultado em 18 de fevereiro de 2017 
  75. «Wander Pires». Sambario Carnaval. Consultado em 18 de fevereiro de 2017 
  76. a b «Diego Nicolau». Sambario Carnaval. Consultado em 18 de fevereiro de 2017 
  77. «Zé Paulo Sierra». Sambario Carnaval. Consultado em 18 de fevereiro de 2017 
  78. a b c «Viradouro 1991». academiadosamba.com.br. Consultado em 17 de março de 2016 
  79. a b c «Com a casa cheia e comunidade empolgada, Viradouro apresenta 'galácticos' para Carnaval 2016». Carnavalesco. Consultado em 19 de março de 2016 
  80. «Unidos do Viradouro - Carnaval de 1998 - Orfeu, o Negro do Carnaval - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Unidos do Viradouro. Consultado em 19 de março de 2016 
  81. «Unidos do Viradouro - Carnaval de 1999 - Anita Garibaldi, Heroína das Sete Magias - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Unidos do Viradouro. Consultado em 19 de março de 2016 
  82. a b «Unidos do Viradouro - Carnaval de 2009 - Vira-Bahia, pura energia - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Unidos do Viradouro. Consultado em 17 de março de 2016 
  83. «Mestre Jorjão é da Viradouro». SRZD - Sidney Rezende. Consultado em 19 de março de 2016 
  84. a b «Unidos do Viradouro - Carnaval de 2010 - México, o paraíso das cores, sob o signo do Sol - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Unidos do Viradouro. Consultado em 17 de março de 2016 
  85. «Mestre Pablo é o novo comandante dos ritmistas da Viradouro». SRZD - Sidney Rezende. Consultado em 19 de março de 2016 
  86. «Mestre Pablo está fora da Viradouro». SRZD - Sidney Rezende. Consultado em 19 de março de 2016 
  87. a b «Viradouro apresenta comissão no comando da bateria». Carnavalesco. Consultado em 19 de março de 2016 
  88. a b c «Unidos do Viradouro - Carnaval de 2015 - Nas veias do Brasil, é a Viradouro em um dia de graça! - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Unidos do Viradouro. Consultado em 17 de março de 2016 
  89. a b c d «Unidos do Viradouro - Carnaval de 2016 - O Alabê de Jerusalém, a saga de Ogundana! - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Unidos do Viradouro. Consultado em 3 de março de 2016 
  90. a b Leonardo Bruno - Extra (21 de janeiro de 2011). «Patrícia Costa está de volta como rainha de bateria da Viradouro». 22:42. Consultado em 9 de junho de 2013 
  91. Terra (12 de fevereiro de 2013). «Luma de Oliveira faz as pazes com a Viradouro». Consultado em 15 de novembro de 2013 
  92. «Juliana Paes samba em meio a muita água». Terra. Consultado em 4 de novembro de 2013. Cópia arquivada em 3 de agosto de 2004 
  93. SRZD-Carnaval (26 de outubro de 2008). «Viradouro elege nova rainha». 21h03. Consultado em 15 de novembro de 2013 
  94. Carnaval do Brasil. «Filha do presidente da Viradouro de apenas 7 anos é a nova rainha de bateria». Consultado em 9 de junho de 2013 
  95. EGO (5 de dezembro de 2010). «Dany Bananinha é coroada rainha de bateria da Viradouro». 10:51. Consultado em 9 de junho de 2013 
  96. O Dia na Folia (4 de dezembro de 2011). «Monique Alfradique é coroada rainha de bateria da Viradouro». Consultado em 18 de dezembro de 2011 
  97. Revista Caras (8 de dezembro de 2011). «MONIQUE ALFRADIQUE É COROADA RAINHA DE BATERIA DA VIRADOURO». Consultado em 17 de novembro de 2013 
  98. Carnavalesco (25 de julho de 2012). «Viradouro aposta na prata da casa: Dandara Oliveira, a nova rainha de bateria». 17:39. Consultado em 7 de outubro de 2013 
  99. EGO (9 de fevereiro de 2003). «Rainha da Viradouro diz admirar Luma de Oliveira e Juliana Paes». Consultado em 17 de novembro de 2013 
  100. SRZD-Carnaval (7 de outubro de 2013). «Vivi Araújo faz coroação de rainha da Viradouro». 13h20. Consultado em 7 de outubro de 2013 
  101. Revista QUEM (7 de outubro de 2013). «Viviane Araújo coroa nova rainha de bateria da Viradouro». 13h20. Consultado em 7 de outubro de 2013 
  102. a b «Unidos do Viradouro - Carnaval de 1992 - E a magia da sorte chegou - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Unidos do Viradouro. Consultado em 17 de março de 2016 
  103. «Unidos do Viradouro - Carnaval de 1993 - Amor, sublime amor - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Unidos do Viradouro. Consultado em 17 de março de 2016 
  104. «Unidos do Viradouro - Carnaval de 1994 - Tereza de Benguela, uma rainha negra no Pantanal - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Unidos do Viradouro. Consultado em 17 de março de 2016 
  105. «Viradouro 1995». academiadosamba.com.br. Consultado em 17 de março de 2016 
  106. «Unidos do Viradouro - Carnaval de 2003 - A Viradouro canta e conta Bibi – Uma homenagem ao teatro brasileiro - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Unidos do Viradouro. Consultado em 17 de março de 2016 
  107. «Unidos do Viradouro - Carnaval de 2004 - Pediu pra Pará, parou! Com a Viradouro eu vou pro Círio de Nazaré - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Unidos do Viradouro. Consultado em 17 de março de 2016 
  108. a b «Unidos do Viradouro - Carnaval de 2006 - Arquitetando folias - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Unidos do Viradouro. Consultado em 17 de março de 2016 
  109. a b «Unidos do Viradouro - Carnaval de 2007 - A Viradouro vira o jogo - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Unidos do Viradouro. Consultado em 17 de março de 2016 
  110. a b «Unidos do Viradouro - Carnaval de 2011 - Quem sou eu sem você? - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Unidos do Viradouro. Consultado em 17 de março de 2016 
  111. «Viradouro 2011». academiadosamba.com.br. Consultado em 17 de março de 2016 
  112. O Dia na Folia. «Luciana Yegros é a nova coreógrafa da Viradouro». Consultado em 30 de maio de 2011 
  113. «Unidos do Viradouro - Carnaval de 2014 - Sou a terra de Ismael. Guanabaran vou cruzar, para você tiro o chapéu, Rio eu vim te abraçar - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Unidos do Viradouro. Consultado em 17 de março de 2016 
  114. «Viradouro contrata coreógrafo Sergio Lobato para o Carnaval de 2015 - O Dia na Folia - O Dia». O Dia. Consultado em 17 de março de 2016 
  115. «Viradouro terá dupla de coreógrafos na Comissão de Frente». Jornal do Brasil. Consultado em 17 de março de 2016 
  116. Carnavalesco. «Viradouro contrata coreógrafo consagrado em São Paulo para comandar a comissão de frente». Consultado em 4 de março de 2016 
  117. «Unidos do Viradouro - Carnaval de 2005 - A Viradouro é só sorriso! - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Unidos do Viradouro. Consultado em 17 de março de 2016 
  118. «Viradouro 2006». academiadosamba.com.br. Consultado em 17 de março de 2016 
  119. «Carnaval 2007 - NOTÍCIAS - Primeiro casal da Viradouro gira a roleta na Sapucaí». g1.globo.com. Consultado em 17 de março de 2016 
  120. «Unidos do Viradouro - Carnaval de 2008 - É de arrepiar - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Unidos do Viradouro. Consultado em 17 de março de 2016 
  121. «Viradouro começa seu desfile "de arrepiar" com protesto e surpresas - 04/02/2008 - UOL Carnaval». carnaval.uol.com.br. Consultado em 17 de março de 2016 
  122. «Unidos do Viradouro - Carnaval de 2012 - A vida como ela é, bonitinha, mas ordinária... Assim falou Nelson Rodrigues - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Unidos do Viradouro. Consultado em 17 de março de 2016 
  123. «Viradouro aposta na renovação com Marcinho e Alessandra Chagas». Carnavalesco. Consultado em 17 de março de 2016 
  124. «Unidos do Viradouro - Carnaval de 2013 - Nem melhor nem pior, que não sai da minha mente. Inspiração para o meu samba, eu também sou diferente! - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Unidos do Viradouro. Consultado em 17 de março de 2016 
  125. «Viradouro confira Marquinho e Giovanna como novo casal. Paulinho Botelho é o novo mestre de bateria». Galeria do Samba - Notícias. Consultado em 17 de março de 2016 
  126. «Alessandra Chagas retorna à Viradouro: 'Volto em um momento de renovação'». SRZD Sidney Rezende. Consultado em 17 de março de 2016 
  127. «Diego Machado é o novo mestre-sala da Viradouro». Carnavalesco. Consultado em 20 de maio de 2016 
  128. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z aa ab ac ad ae af ag ah ai aj ak al am an Academia do Samba. «Viradouro - Desfiles e Enredos». Consultado em 9 de maio de 2010 
  129. Jornal Ultima Hora. Edição 307 de 08/03/1960.
  130. Academia do Samba. «Viradouro 1972». Consultado em 1 de novembro de 2013 
  131. Academia do Samba. «Viradouro 1973». Consultado em 1 de novembro de 2013 
  132. Academia do Samba. «Viradouro 1975». Consultado em 1 de novembro de 2013 
  133. Academia do Samba. «Viradouro 1976». Consultado em 1 de novembro de 2013 
  134. Academia do Samba. «Viradouro 1979». Consultado em 1 de novembro de 2013 
  135. Academia do Samba. «Viradouro 1980». Consultado em 1 de novembro de 2013 
  136. Desfiles e enredos em: http://www.academiadosamba.com.br/passarela/viradouro/index.htm
  137. Academia do Samba. «Viradouro 1991». Consultado em 1 de novembro de 2013 
  138. Academia do Samba. «Viradouro 1992». Consultado em 1 de novembro de 2013 
  139. Academia do Samba. «Viradouro 1994». Consultado em 1 de novembro de 2013 
  140. Cd e Lp dos Sambas de Enredo Carnaval 1994, voz da faixa Viradouro.
  141. Academia do Samba. «Viradouro 1995». Consultado em 1 de novembro de 2013 
  142. Cd e Lp dos Sambas de Enredo do Carnaval 1985, voz da faixa da Viradouro.
  143. Academia do Samba. «Viradouro 1997». Consultado em 1 de novembro de 2013 
  144. Academia do Samba. «Viradouro 1998». Consultado em 1 de novembro de 2013 
  145. Academia do Samba. «Viradouro 1999». Consultado em 1 de novembro de 2013 
  146. Academia do Samba. «Viradouro 2000». Consultado em 1 de novembro de 2013 
  147. Academia do Samba. «Viradouro 2001». Consultado em 1 de novembro de 2013 
  148. Academia do Samba. «Viradouro 2002». Consultado em 1 de novembro de 2013 
  149. «Viradouro embala Sapucaí com Luma e "paradinha"». Terra. Consultado em 4 de novembro de 2013. Cópia arquivada em 4 de junho de 2004 
  150. Folha de S.Paulo (12 de fevereiro de 2002). «Viradouro leva a paz, amor e xamanismo para a avenida». 4h13. Consultado em 15 de novembro de 2013 
  151. Academia do Samba. «Viradouro 2003». Consultado em 1 de novembro de 2013 
  152. «Viradouro encanta e canta Bibi Ferreira». Terra. Consultado em 4 de novembro de 2013. Cópia arquivada em 12 de junho de 2004 
  153. Academia do Samba. «Viradouro 2004». Consultado em 1 de novembro de 2013 
  154. «Ensopada, Viradouro ressuscita enredo». Terra. Consultado em 4 de novembro de 2013. Cópia arquivada em 10 de abril de 2005 
  155. Academia do Samba. «Viradouro 2005». Consultado em 1 de novembro de 2013 
  156. «Com Juliana Paes, Viradouro celebrou o sorriso». Terra. Consultado em 4 de novembro de 2013. Cópia arquivada em 9 de maio de 2005 
  157. UOL (8 de fevereiro de 2005). «Viradouro encerra o terceiro desfile da noite no Rio». Consultado em 15 de novembro de 2013 
  158. Academia do Samba. «Viradouro 2006». Consultado em 1 de novembro de 2013 
  159. UOL (28 de fevereiro de 2006). «Viradouro constrói desfile para disputar campeonato». 3h49. Consultado em 15 de novembro de 2013 
  160. Academia do Samba. «Viradouro 2007». Consultado em 1 de novembro de 2013 
  161. Academia do Samba. «Viradouro 2008». Consultado em 1 de novembro de 2013 
  162. Academia do Samba. «Viradouro 2009». Consultado em 1 de novembro de 2013 
  163. G1 (24 de fevereiro de 2009). «Viradouro encerra segundo dia de desfiles na Sapucaí». 6h21. Consultado em 15 de novembro de 2013 
  164. UOL (24 de fevereiro de 2009). «Bateria é destaque em desfile da Viradouro sobre combustíveis e orixás». 6h10. Consultado em 15 de novembro de 2013 
  165. Academia do Samba. «Viradouro 2010». Consultado em 1 de novembro de 2013 
  166. Academia do Samba. «Viradouro 2011». Consultado em 1 de novembro de 2013 
  167. Sérgio Soares (6 de março de 2011). «Chuva atrapalha Viradouro». 21:36:15. Consultado em 15 de novembro de 2013 
  168. R7 (3 de março de 2011). «Viradouro aposta na comunicação para voltar ao grupo Especial». 6h00. Consultado em 17 de novembro de 2013 
  169. «Unidos do Viradouro - Carnaval de 2012 - A vida como ela é, bonitinha, mas ordinária... Assim falou Nelson Rodrigues - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Unidos do Viradouro. Consultado em 3 de março de 2016 
  170. Academia do Samba. «Viradouro 2012». Consultado em 1 de novembro de 2013 
  171. Folha de S.Paulo (8 de outubro de 2011). «Nelson Rodrigues vira enredo da Viradouro no Carnaval 2012». 9h25. Consultado em 17 de novembro de 2013 
  172. Academia do Samba. «Viradouro 2013». Consultado em 1 de novembro de 2013 
  173. Terra (9 de fevereiro de 2013). «Viradouro usa Salgueiro para tentar voltar à elite no Rio». Consultado em 04/111/2013  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  174. «Unidos do Viradouro - Carnaval de 2013 - Nem melhor nem pior, que não sai da minha mente. Inspiração para o meu samba, eu também sou diferente! - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Unidos do Viradouro. Consultado em 3 de março de 2016 
  175. GRES Unidos do Viradouro. «João Vitor Araújo assume como carnavalesco da Viradouro para 2014». Consultado em 15 de novembro de 2013 
  176. Carnavalesco (1 de abril de 2013). «Zé Paulo Sierra é o novo intérprete da Viradouro». Consultado em 15 de novembro de 2013 
  177. G1 (2 de março de 2014). «Viradouro canta Niterói na Sapucaí e empolga público, que grita 'é campeã!'». 02h49 
  178. SRZD (29 de abril de 2014). «Presidente desmente homenagem a Fernanda Montenegro e estuda três enredos». 19h54 
  179. SRZD (18 de abril de 2014). «Presidente da Viradouro diz que ter somente um intérprete 'deu muito certo' e renova com Zé Paulo». 10h08 
  180. Fábio Silva (9 de junho de 2014). «Unidos do Viradouro define título do enredo para o Carnaval 2015». Galeria do Samba. Consultado em 9 de junho de 2014 
  181. Site Carnavalesco (2 de maio de 2017). «Sinopse do enredo da Viradouro para o Carnaval 2018» 
  182. «'É de enlouquecer, Viradouro'. Parceria de Zé Glória vence disputa de samba para o Carnaval 2018». Carnavalesco. 20 de agosto de 2017 
  183. «Grupo Especial 1997». Consultado em 1 de novembro de 2013 
  184. «Academia do Samba - Grupo A 19990». Consultado em 1 de novembro de 2013 
  185. «Academia do Samba - Grupo B 1989». Consultado em 1 de novembro de 2013 
  186. Galeria do Samba. «Dados basicos Viradouro». Consultado em 9 de maio de 2010 
  187. O Globo. «Viradouro orgulho de ser Niteroi». Consultado em 3 de abril de 2016 
  188. Academia do Samba. «Estandarte de Ouro - Melhor Escola». Consultado em 14 de novembro de 2013 
  189. «Estandarte de Ouro homenageia melhores do carnaval 2014». O Globo. Consultado em 5 de maio de 2016 
  190. Academia do Samba. «título=Estandarte de Ouro - Melhor Samba Enredo». Consultado em 14 de novembro de 2013 
  191. «Império Serrano ganha o Estandarte de Ouro de melhor escola da Série A». O Globo. Consultado em 9 de fevereiro de 2016 
  192. Academia do Samba. «título=Estandarte de Ouro - Melhor Intérprete». Consultado em 14 de novembro de 2013 
  193. Academia do Samba. «Estandarte de Ouro - Melhor Ala de Baianas». Consultado em 14 de novembro de 2013 
  194. «Imperatriz Leopoldinense conquista o Estandarte de Ouro». O Globo. Consultado em 5 de maio de 2016 
  195. Academia do Samba. «Estandarte de Ouro - Melhor Passista Feminino». Consultado em 14 de novembro de 2013 
  196. Academia do Samba. «Estandarte de Ouro - Melhor Passista Masculino». Consultado em 14 de novembro de 2013 
  197. Academia do Samba. «Estandarte de Ouro - Melhor Ala de Crianças». Consultado em 14 de novembro de 2013 
  198. «Tamborim de Ouro 2001». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 9 de maio de 2016 
  199. «Tamborim de Ouro 2002». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 9 de maio de 2016 
  200. «Tamborim de Ouro 2007». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 9 de maio de 2016 
  201. «Tamborim de Ouro 2004». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 9 de maio de 2016 
  202. «Troféu Jorge Lafond 2004». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 14 de junho de 2016 
  203. «Tamborim de Ouro 2005». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 9 de maio de 2016 
  204. «Plumas e Paetês 2005». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 10 de junho de 2016 
  205. «Também de Ouro 2006». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 9 de maio de 2016 
  206. «Tamborim de Ouro 2007». academiadosamba.com. Consultado em 9 de maio de 2016 
  207. «Troféu Jorge Lafond 2007». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 20 de junho de 2016 
  208. «Plumas e Paetês 2007». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 10 de junho de 2016 
  209. «Tamborim de Ouro 2008». academiadosamba.com. Consultado em 9 de maio de 2016 
  210. Academia do Samba. «Estrela do Carnaval 2008». Consultado em 14 de novembro de 2013 
  211. a b «Confira aqui todos os ganhadores do Estrela do Carnaval de 2008 a 2014». Carnavalesco. Consultado em 12 de maio de 2016 
  212. Academia do Samba. «Estrela do Carnaval 2009». Consultado em 14 de novembro de 2013 
  213. «Rádio Manchete entrega troféu aos melhores do Carnaval 2009». SRZD | Sidney Rezende. Consultado em 25 de maio de 2016 
  214. «Plumas e Paetês 2009». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 10 de junho de 2016 
  215. «Tamborim de Ouro 2010». academiadosamba.com. Consultado em 9 de maio de 2016 
  216. «Troféu Gato de Prata aos melhores do carnaval 2011 é neste sábado». Carnavalesco. Consultado em 7 de junho de 2016 
  217. Academia do Samba. «Estrela do Carnaval 2011». Consultado em 14 de novembro de 2013 
  218. «Troféu Jorge Lafond 2011». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 27 de junho de 2016 
  219. Academia do Samba. «Prêmio S@mba-Net 2011». Consultado em 17 de novembro de 2013 
  220. «Plumas e Paetês 2011». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 10 de junho de 2016 
  221. Academia do Samba. «Prêmio S@mba-Net 2012». Consultado em 17 de novembro de 2013 
  222. «Troféu Jorge Lafond 2012». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 27 de junho de 2016 
  223. «Plumas e Paetês 2012». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 10 de junho de 2016 
  224. Rodney de Figueiredo (16 de fevereiro de 2013). «Prêmio S@mba-net divulga relação dos ganhadores da 15ª edição». Consultado em 17 de novembro de 2013 
  225. «Sábado (18/5) é a festa de entrega do Prêmio S@mba-Net». Blog de bamba - O Globo. Consultado em 19 de maio de 2016 
  226. «Confira os vencedores do 11º troféu Jorge Lafond – Carnaval 2013». Consultado em 28 de junho de 2016 
  227. «Estrela do Carnaval 2014: Viradouro fatura o melhor desfile do ano na Série A». Carnavalesco. Consultado em 12 de maio de 2016 
  228. «'Prêmio SRZD-Carnaval 2014': Viradouro vence como melhor desfile da Série A». SRZD - Sidney Rezende. Consultado em 10 de maio de 2016 
  229. «'Prêmio SRZD-Carnaval 2014': confira lista de todos os homenageados». SRZD - Sidney Rezende. Consultado em 10 de maio de 2016 
  230. «Rádio Tupi entrega nesta terça-feira o Troféu Carnaval Total aos melhores de 2014». Galeria do Samba - Notícias. Consultado em 25 de maio de 2016 
  231. «Confira os vencedores do troféu Apoteose do Samba». Carnavalesco. Consultado em 25 de maio de 2016 
  232. «Prêmio S@mba-Net será neste sábado». Extra Online. Consultado em 19 de maio de 2016 
  233. «16º Prêmio S@mba-Net será entregue no dia 17 de Maio». www.sambasul.com. Consultado em 19 de maio de 2016 
  234. «Cubango divulga premiados do troféu Jorge Lafond». Carnavalesco. Consultado em 28 de junho de 2016 
  235. «5ª Festa de entrega do Troféu Gato de Prata aos melhores do Carnaval 2014 em julho ‹ Rota do Samba». www.rotadosamba.com. Consultado em 7 de junho de 2016 
  236. «Conheça os premiados do Prêmio Plumas & Paetês Cultural de 2014». SRZD - Sidney Rezende. Consultado em 13 de junho de 2016 
  237. «Prêmio SRZD-Carnaval/RJ 2015: São Clemente vence como melhor escola». SRZD - Sidney Rezende. Consultado em 10 de maio de 2016 
  238. «Unidos de Padre Miguel vence Prêmio SRZD-Carnaval como Melhor Escola da Série A». SRZD - Sidney Rezende. Consultado em 10 de maio de 2016 
  239. «Desfile do Ano da Série A é do Paraíso do Tuiuti». Carnavalesco. Consultado em 12 de maio de 2016 
  240. «Diretora do SRZD será homenageada na 7ª edição do Troféu Gato de Prata». SRZD - Sidney Rezende. Consultado em 8 de junho de 2016 
  241. «7ª Edição do Troféu Gato de Prata vai homenagear os 100 anos do samba – Ziriguidum». ziriguidum.net.br. Consultado em 8 de junho de 2016 
  242. «Primeira edição do 'Troféu Sambista' agita a Zona Norte com entrega de 34 prêmios». SRZD - Sidney Rezende. Consultado em 8 de junho de 2016 
  243. «1ª edição do Troféu Sambista será neste sábado no River Futebol Clube». CARNAVAL CARIOCA - O melhor carnaval do mundo - Ano 7. Consultado em 8 de junho de 2016 
  244. «Festa de entrega do S@mba-Net será em 21 de maio na quadra da Unidos da Tijuca». Carnavalesco. Consultado em 20 de maio de 2016 
  245. «SÁBADO: SambaSul transmite AO VIVO a entrega do 18º Prêmio S@mba-Net». www.sambasul.com. Consultado em 20 de maio de 2016 
  246. «Apoteose.com é premiado na 12ª edição do Troféu Jorge Lafond». www.apoteose.com. Consultado em 28 de junho de 2016 
  247. «Confira a relação dos agraciados com Prêmio Plumas & Paetês Carnaval 2016». Manchete Online na Folia. 15 de fevereiro de 2016. Consultado em 13 de junho de 2016 
  248. «Prêmio Passista Samba no Pé divulga os vencedores do Carnaval 2017 – Revista Carnaval». revistacarnaval.com.br. Consultado em 10 de março de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Imagens e media no Commons
Commons Categoria no Commons
Wikinotícias Notícias no Wikinotícias

Unidos do Viradouro

Bateria Furacão Vermelho e Branco

Torcida Organizada Viramor