Roberto Rodrigues

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de João Roberto Rodrigues)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes confiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde junho de 2017) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Roberto Rodrigues
Nascimento 12 de agosto de 1942 (75 anos)
Cordeirópolis,  São Paulo
Nacionalidade Brasileira
Ocupação Agrônomo

Roberto Rodrigues,[1], (Cordeirópolis, 12 de agosto de 1942) é engenheiro agrônomo formado pela ESALQ/USP em 1965, com cursos de aperfeiçoamento em administração rural. Divorciado, tem 4 filhos e 7 netos. Neto, filho e pai de engenheiros agrônomoas e agricultores. É grande defensor da agropecuária brasileira.

Sua carreira tem três vertentes: acadêmica, agrícola e cooperativista.

Área acadêmica:

É Coordenador do Centro de Agronegócios da Fundação Getúlio Vargas e Titular da Cátedra de Agronegócios da ESALQ USP, tem centenas de trabalhos publicados sobre agricultura, cooperativismo e economia rural. Autor de dez livros e co autor de diversos outros. Doutor Honoris Causa pela UNESP. É membro do Conselho Consultivo da FECAP, presidente do Conselho Consultivo da ESALQSHOW, membro do Conselho Consultivo da Japan House e Membro do Grupo de Empresários Brasil/Japão - Wise Men Group que busca maior aproximação entre os dois países.

Foi Professor do Departamento de Economia Rural da UNESP – Jaboticabal, e foi membro dos seguintes conselhos ligados à Academia: Fundação de Estudos Agrários Luiz de Queiroz – FEALQ, Conselho Assessor da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – EMBRAPA, Conselho Estadual da Ciência e Tecnologia – CONCITE, Conselho de Administração da Escola de Administração de Empresas de São Paulo – EAESP/FGV, Alto Conselho Agrícola do Estado de São Paulo, do Centro de Integração Empresa-Escola – CIEE, Centro de Conhecimento em Agronegócios - PENSA, International Food and Agribusiness Management Association – IAMA, IPC- International Policies Council, Global Crop Diversity Trust, Conselho Consultivo da ESALQ. Foi Presidente da Academia Nacional da Agricultura da SNA.

Recebeu a Medalha Paulista do Mérito Científico e Tecnológico, a Comenda da Ordem Nacional do Mérito Científico, foi condecorado pelo Instituto Agronômico de Campinas e pelo Instituto Biológico de São Paulo. Foi eleito pela AEASP como Engenheiro Agrônomo do ano em 1987 e Engenheiro Agrônomo da década, em 2004. Recebeu o Diploma de Mérito Agronômico da Confederação das Federações dos Engenheiros Agrônomos – CONFAEAB, em 2001 e a Medalha “Luiz de Queiroz”, da ESALQ, em 2004. Recebeu o Prêmio Professor Emérito Troféu Guerreiro da Educação Ruy Mesquita 2017 pelo CIEE – Centro de Integração Empresa-Escola e o Jornal O Estado de São Paulo.

Área da Agricultura:

Foi empresário rural em São Paulo, Minas Gerais e no Maranhão. Foi Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (janeiro de 2003 a junho de 2006) e como tal promoveu a completa reestruturação da Instituição, trabalhou pelas leis de biotecnologia, dos produtos orgânicos, seguro rural, novos documentos de comercialização, regulamentou a defesa sanitária, ampliou o comércio agrícola brasileiro e implementou as bases de uma agricultura moderna. Foi Secretário de Agricultura e do Abastecimento do Estado de São Paulo (1993/1994), Coordenador do Fórum Nacional de Secretários Estaduais de Agricultura, coordenou o setor privado no Fórum Nacional da Agricultura, e criou a Agrishow, juntamente com a ABAG, SRB, Abimaq e ANDA.

Foi Presidente da Associação Brasileira do Agronegócio – ABAG, da Sociedade Rural Brasileira - SRB e do Conselho Superior do Agronegócio da FIESP - COSAG. Foi vice presidente da Fundação Brasileira para Desenvolvimento Sustentável e da Sociedade Nacional de Agricultura – SNA. Por 19 anos foi eleito líder empresarial agrícola, em pesquisa realizada pelo Jornal Gazeta Mercantil. Foi Secretário Executivo da Frente Ampla da Agropecuária Brasileira, entidade informal que obteve grandes conquistas durante os trabalhos da Assembléia Nacional Constituinte. Como agricultor, recebeu vários prêmios nas áreas ambiental, social, de conservação do solo e de produtividade, e também a Ordem do Mérito Agrícola, no grau de Cavaleiro, concedido pelo governo da França.

Foi membro de vários Conselhos Nacionais e de fora, representando o agronegócio, tais como: Conselho Monetário Nacional – CMN, Conselho de Crédito Rural e Agroindustrial – CCRA, Conselho Nacional do Agronegócio – CONSAGRO, Conselho Nacional de Política Agrícola – CNPA, Conselho Nacional de Comércio Exterior – CONCEX, União da Indústria de Cana-de-açúcar – UNICA, Conselho da World Wildlife Foundation – WWF, Conselho de Administração (e Vice Presidente) da BM&F Bovespa, Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil - ADVB, Fundação Bunge, Instituto Nacional de Recuperação Empresarial - INRE, World Food Prize, Conselho Empresarial da América Latina - CEAL, Federação Brasileira de Bancos - FEBRABAN, Conselho Brasileiro de Engenheiros Agrônomos, entre outros .

É atualmente membro de diferentes conselhos de empresas e de instituições ligadas direta ou indiretamente ao agro, como Associação Brasileira de Criadores - ABC, The Nature Conservancy – TNC, World Trade Center – WTC, Grupo de Líderes Empresariais – LIDE, Fundação Dom Cabral – FDC, Associação Brasileira de Marketing Rural e Agronegócio - ABMR&A, Conselho Estratégico da FIESP, Conselho Nacional de Engenharia, Conselho da Organização de Cooperativas do Estado de São Paulo - OCESP, Conselho da Sociedade Rural Brasileira, entre outros. Preside o LIDE Agronegócios.

No centenário do Ministério da Agricultura, foi um dos 3 ex-Ministros escolhidos pela Casa para receber o Prêmio do Centenário, juntamente com Alysson Paolinelli e Antonio Delfim Neto.

Foi um dos maiores defensores da implantação do pagamento de cana pelo teor de sacarose, que revolucionou o setor sucroalcooleiro e ampliou a renda de todo o complexo agroindustrial a ele ligado.

Área do Cooperativismo:

É o Embaixador Especial da FAO para as cooperativas. Foi dirigente de cooperativas agrícolas e de crédito rural, com abrangência local (Guariba/SP), regional (Campinas/SP), e estadual (São Paulo/SP).

Foi Presidente da Organização das Cooperativas Brasileiras – OCB por dois mandatos (1985/1991), da Organização Internacional de Cooperativas Agrícolas (de 1992 a 1997) e da Aliança Cooperativa Internacional – ACI (1997/2001), órgão centenário que congrega mais 900 milhões de pessoas em todo o mundo, através de 250 organizações nacionais de cooperativas, representando uma centena de países. Conhece 80 países, em todos os continentes. Recebeu a Medalha Albin Johansson do cooperativismo sueco, por seu trabalho em favor da Democracia e da Paz no mundo todo, além de condecorações da Organização de Cooperativas Brasileiras - OCB, da Organização das Cooperativas das Américas – OCA e de inúmeros movimentos cooperativos de Estados Brasileiros. Presidiu o Comitê de Promoção de Cooperativas – COPAC, com sede em Genebra.

Criou e presidiu a Eximcoop, trading de cooperativas que permitiu o acesso de agricultores de soja a novas margens de renda nos negócios internacionais. Responsável pela internacionalização do cooperativismo brasileiro, através de ações junto à OCA, da qual foi vice-presidente, e da filiação da OCB à ACI. Coordenador dos trabalhos que levaram à autogestão do sistema cooperativista, através das conquistas obtidas junto à Constituição de 1988, alcançadas pela Frente Parlamentar Cooperativista, estimulada quando então presidente da OCB. É Cidadão Honorário dos Estados: Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Maranhão, Espírito Santo e Rio de Janeiro, e de dezenas de municípios em todo o País. Recebeu o Prêmio Pioneiros de Rochdale em Manchester - Inglaterra, berço do cooperativismo mundial e o Distinguished Service Award, da WOOCU, em Denver - Colorado.

Livros Publicados:

- “A Turma de Ouro”, publicado em 1990.

- “O Dínamo do Agribusiness: Ney Bittencourt”, publicado em 1994 (Co-autor e editor).

- “Pequeno Dicionário Amoroso da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz”, junto com Ivan Wedekin, publicado em 2001.

- “A Segunda Onda Cooperativa – Uma Visão Compartilhada”, publicado em quatro idiomas (português, espanhol, francês e inglês), lançado em 2001.

- “Turma de Ouro: 40 anos”, publicado em 2005.

- “Antes da Tormenta”, publicado em 2008.

- “Cooperativismo: Surfando a Segunda Onda - Democracia e Paz”, publicado em 2008.

- “Depois da Tormenta”, publicado em 2008.

- “Caminhando Contra o Vento”, publicado em 2011.

- “O Cordel do Agro”, publicado em 2012.

- “Um Tempo de Ouro”, publicado em 2015.

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Roberto Rodrigues
Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Roberto Rodrigues


Precedido por
Marcus Vinícius Pratini de Moraes
Ministro da Agricultura do Brasil
2003 — 2006
Sucedido por
Luis Carlos Guedes Pinto


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  1. «Roberto Rodrigues». FGV GVAgro. Consultado em 02 de maio de 2018.  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)