Meu Bem, Meu Mal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Meu bem, meu mal)
Ir para: navegação, pesquisa
Meu Bem, Meu Mal
Logotipo da exibição original. Uma segunda versão foi criada para a reexibição em 1996 no Vale a Pena Ver de Novo.
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero Suspense
Romance
Drama
Duração 60 minutos
Criador(es) Cassiano Gabus Mendes
País de origem  Brasil
Idioma original (português brasileiro)
Produção
Diretor(es) Paulo Ubiratan
Elenco
Tema de abertura "Meu Bem, Meu Mal", Marcos André
Tema de encerramento "Meu Bem, Meu Mal", Marcos André
Exibição
Formato de exibição 480i (SDTV)
Transmissão original 29 de outubro de 199018 de maio de 1991
N.º de episódios 173

Meu Bem, Meu Mal é uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo entre 29 de outubro de 1990 e 18 de maio de 1991, em 173 capítulos, substituindo Rainha da Sucata e sendo substituída por O Dono do Mundo.[1] Foi a 43ª "novela das oito" exibida pela emissora. Escrita por Cassiano Gabus Mendes, com colaboração de Maria Adelaide Amaral, Solange Castro Neves, Dejair Cardoso e Luís Carlos Fusco, com direção de Paulo Ubiratan, Reynaldo Boury e Ricardo Waddington.

Contou com José Mayer, Yoná Magalhães, Cássio Gabus Mendes e Sílvia Pfeifer como protagonistas da trama. E ainda contou Lima Duarte, Mila Moreira, Lídia Brondi, Fábio Assunção, Armando Bogus, Nívea Maria, Françoise Forton e Adriana Esteves nos demais papeis principais da trama.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Dom Lázaro Venturini, sócio majoritário da Venturini Designers, é obrigado a conviver com Ricardo Miranda, que detém 30% das cotas da empresa e representa o adultério de sua falecida mulher. Ricardo mantém um caso secreto com Isadora Venturini (também cotista da empresa), a viúva de Cláudio, filho de Dom Lázaro, e odiada pelo patriarca. Mas tanto Ricardo quanto Isadora são vítimas do ódio de outras pessoas.

Ricardo foi o responsável pela ruína de Felipe. A filha deste, Patrícia, planeja vingança se envolvendo com Ricardo, mesmo sendo bem mais jovem que ele e amiga de sua problemática, mimada, arrogante e egoísta filha, Jéssica. Mas Patrícia não contava que fosse se apaixonar de verdade por Ricardo Miranda.

Contra Isadora se juntam a socialite Mimi Toledo e sua manicure, Berenice. Mimi Toledo fora apaixonada pelo falecido marido de Isadora, e preterida. E Berenice quer vingar a filha, Fernanda, da humilhação imposta por Isadora, que não aceitou a jovem como namorada do filho, Marco Antônio, manipulado pela mãe.

Essa vingança põe em cena Doca, um rapaz pobre que, industriado por Mimi Toledo, se infiltra na alta sociedade na pele do falso milionário Eduardo Costabrava, para enlouquecer de amor a filha de Isadora, a antipática Victória. Já sua amiga Magda precisa conviver com os elogios exagerados do mordomo Porfírio, empenhado em conquistar sua musa inspiradora.

Mas um grande obstáculo contra Isadora e Ricardo surge na pele de Valentina, a fria irmã de Dom Lázaro que, com a morte do sobrinho, é chamada de volta ao Brasil para assumir o lugar dele na empresa e brigar pelo poder com o casal.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator / Atriz Personagem
José Mayer Ricardo Miranda
Yoná Magalhães Valentina Venturini
Adriana Esteves Patrícia Ferraz de Mello
Cássio Gabus Mendes Doca (Eduardo José Gentil da Silva) / Eduardo Costabrava
Sílvia Pfeifer Isadora Venturini
Lídia Brondi Fernanda Marques Castro
Jorge Dória Emílio Marques
Luciana Braga Dirce Aparecida Alves
Thales Pan Chacon Henrique Paiva
Ísis de Oliveira Madame Mimi Toledo (Maria Isabel Raposo Toledo)
Mila Moreira Bianca Paiva
Lizandra Souto Victória Venturini
Guilherme Karan Porfírio Tavares
Luma de Oliveira Ana Maria Batista
Ariclê Perez Rose Marie Costabrava (Rosa Maria Gentil da Silva)
Mylla Christie Jéssica Miranda
Sônia Clara Angelina
Fábio Assunção Marco Antônio Venturini
Edson Fieschi João Emanuel Mello
Stênio Garcia Argemiro Castro
Marcelo Galdino Jorge
Vera Zimmermann Magda (Divina Magda)
Monique Alves Luciana
Hugo Gross José Guilherme Menezes de Barros (Zeca)
Maria Estela Gisela Pascowitch (Gigi)
José Steinberg Fausto
Júlio Braga Ananias
Cláudia Magno Eulália
Miriam Pires Matilde
Maria Gladys Eusébia
George Otto João Sebastião (Joãozinho)
Dante Ruy Rubem Miranda
Zaira Zambelli Maria Helena Venturini
participação especial
Ator Personagem
Herson Capri Cláudio Venturini
Françoise Forton Marcela Miranda
atores convidados
Ator Personagem
Marcos Paulo André
Armando Bogus Felipe Brandão de Mello
Sérgio Viotti Sr. Toledo
atriz convidada
Atriz Personagem
Zilda Cardoso Elza Gonçalves Gentil
Nívea Maria como Berenice
Lima Duarte como Dom Lázaro Venturini

Galeria[editar | editar código-fonte]

Exibição[editar | editar código-fonte]

Foi reexibida pelo Vale a Pena Ver de Novo de 12 de agosto a 22 de novembro de 1996, substituindo Despedida de Solteiro e sendo substituída por Mulheres de Areia, em 75 capítulos.

Foi reexibida na íntegra pelo Canal Viva de 21 de março a 7 de outubro de 2016, substituindo Cambalacho e sendo substituída por Torre de Babel, às 14h30.[2][3]

Música[editar | editar código-fonte]

Nacional[editar | editar código-fonte]

Meu Bem, Meu Mal Nacional
Trilha sonora de Vários intérpretes
Lançamento Novembro de 1990
Gênero(s) Vários
Formato(s) Vinil, K7, CD
Gravadora(s) Som Livre
Cronologia de Vários intérpretes
Último
-
Meu bem meu Mal Internacional
Próximo

Capa: Luma de Oliveira

N.º Título Música Personagem Duração
1. "Meu Bem, Meu Mal"   Marcos André tema de abertura  
2. "Setembro"   Ivan Lins tema de Fernanda  
3. "Esse Tal de Repi En Roll"   Roupa Nova ( com part. esp. The Commodores) tema de Victória  
4. "Amor Vira Lata"   Wando tema de Doca  
5. "Moreno, Moreno"   Lúcia Helena tema de Patrícia  
6. "Tanto Querer"   Beth Carvalho tema de Felipe e Berenice  
7. "Valentina"   Roger Henri tema de Valentina  
8. "Separação"   Milton Guedes tema de Ricardo  
9. "Ilegal, Imoral Ou Engorda"   Leo Jaime tema de Jéssica  
10. "Você Pra Mim"   Fernanda Abreu tema de Ana Maria  
11. "Amor Clandestino"   João Mineiro & Marciano tema de Dirce  
12. "Amor e Ódio"   Rosa Marya Colin tema de Isadora  
13. "Dreaming"   Roger Henri tema de André  
14. "Metrópole"   Nova Era tema de locação São Paulo  

Internacional[editar | editar código-fonte]

Meu bem, Meu Mal Internacional
Trilha sonora de Vários intérpretes
Lançamento Março de 1991
Gênero(s) Vários
Formato(s) Vinil, K7, CD
Gravadora(s) Som Livre
Cronologia de Vários intérpretes
Último
Meu bem meu Mal Nacional
Próximo

Capa: Milla Christie

N.º Título Música Personagem Duração
1. "Being Boring"   Pet Shop Boys tema de Porfírio e Magda 4:50
2. "Tom's Diner"   DNA featuring Suzanne Vega tema de Jéssica 4:27
3. "I'm Not In Love"   Will to Power tema de Victória 3:40
4. "Blue Savannah"   Erasure tema de Doca 4:25
5. "We"   Malcolm Forest tema de Marco Antônio e Dirce 3:25
6. "Where Are You, Baby?"   Betty Boo tema de Bianca 3:33
7. "Unchained Melody"   Righteous Brothers tema de Isadora 3:35
8. "Pianonegro"   Pianonegro tema de André 3:45
9. "Have You Seen Her?"   MC Hammer tema de Ricardo 4:42
10. "Loco Mia"   Locomia tema de locação São Paulo 5:45
11. "By My Side"   INXS tema de Fernanda e Doca 3:07
12. "Such a Lovely Night (I'm Crazy To Leave You)"   William Pitt tema de Patrícia e Ricardo 3:57
13. "Bastardo Amore"   Fred Bongusto tema de Dom Lázaro 3:01
14. "Strangers"   Rick Melch tema de núcleo romântico 2:54

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Se(c)ções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • O convite para que Maria Adelaide Amaral fosse uma das colaboradoras da novela partiu do autor Cassiano Gabus Mendes. Maria Adelaide precisava ir à Inglaterra para fazer pesquisas e escrever um monólogo sobre Shakespeare. Cassiano disse que ela podia ir e que, quando voltasse, assumiria a função. Quando ela voltou, a novela já estava no ar. Os autores revezavam o trabalho: ele escrevia os capítulos de segunda, quarta e sexta; e ela os de terça, quinta e sábado. Havia reuniões semanais ou quinzenais, quando se estabelecia o caminho da novela. Os autores não trabalhavam com escaleta, uma espécie de resumo ordenado, em escala rigorosa, das cenas de uma novela, que serve de guia para o texto final.
  • Quando a novela já estava no ar, Marcos Paulo, que interpretava André, acumulou a função de diretor na trama, em substituição ao diretor Paulo Ubiratan.
  • Pelo seu trabalho como Patrícia, Adriana Esteves ganhou as graças do público e da crítica, sendo muito bem elogiada por todos, e considerada a substituta de Regina Duarte como a namoradinha do Brasil.
  • Meu Bem, Meu Mal marcou a estreia da já veterana comediante Zilda Cardoso em telenovelas. Ela começou a carreira na TV Paulista, em 1961, no programa Praça da Alegria, com a personagem Catifunda. Meu Bem, Meu Mal também foi a primeira novela de Fábio Assunção e Sílvia Pfeifer na TV Globo.
  • Guilherme Karam destacou-se na trama, como o mordomo Porfífio, empenhado em conquistar sua "divina" Magda (Vera Zimmermann).
  • Stênio Garcia entrou na novela, já com a trama em andamento, para viver um ex-presidiário. O personagem morreu nos capítulos finais da história, vítima de um assalto, para que o ator pudesse se dedicar a um novo trabalho, em O Dono do Mundo (1991).
  • É considerada uma das melhores obras de Cassiano Gabus Mendes.
  • Meu Bem, Meu Mal foi a última novela da atriz Lídia Brondi, que decidiu se afastar da carreira artística.
  • Vera Zimmerman fez da sua personagem, Divina Magda, um grande sucesso. Tanto que estampou a capa da Playboy, de maio de 1991
  • A música "Unchained Melody" de Righteous Brothers foi o grande destaque da trilha internacional. Essa mesma música que estava nas mais tocadas da rádio fez mais sucessos pelo fato de também ter sido trilha do filme Ghost que era campeão em bilheteria naquele ano.
  • Teve os titulos provisórios de Amor e Ódio e O Outro Lado da Moeda.
  • [4]Uma cena memorável da novela foi quando Dom Lázaro (Lima Duarte), após ter sofrido um derrame, era perguntado por sua enfermeira Elza (Zilda Cardoso) se queria mamão ou melão para o café da manhã. Como ela não ouviu resposta, disse que iria trazer mamão. Até que Dom Lázaro volta a falar e solta a antológica frase: "Eu quero melão! Enfermeira, eu prefiro melão!" Essa cena corresponde aos capítulos 158 e 159.
  • Felipe Carone interpretou Benedito, paciente de Elza que aparece na casa desta para medir a pressão arterial.

Referências

  1. «Meu bem, meu Mal». Teledramaturgia. Consultado em 16 de dezembro de 2015. 
  2. «Novela Meu Bem, Meu Mal chega ao VIVA em 2016 - Canal Viva». Canal Viva. Consultado em 14 de outubro de 2015. 
  3. «Novela “Meu Bem Meu Mal” será reprisada pelo canal Viva em 2016». UOL. 10 de outubro de 2015. Consultado em 14 de outubro de 2015. 
  4. http://memoriaglobo.globo.com/Memoriaglobo/0,27723,GYN0-5273-229581,00.html

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre telenovelas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.