Congregação Cristã no Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Congregação Cristã No Brasil
Dados históricos
Fundação 1910 - Santo Antônio da Platina, Paraná, Brasil,
Fundador Luigi Francescon
Dados gerais
Orientação Cristianismo pentecostal
Sede mundial São Paulo, SP, Brasil
Presença global América do Sul
América do Norte
América Central
África
Europa
Oceania
Ásia
Mais informações
Anciães no Brasil 3006
Diáconos no Brasil 4318

A Congregação Cristã no Brasil[1] [2] figura como a primeira igreja[3] [4] cristã a instalar-se em território brasileiro sob a designação sociológica pentecostal[5] [6] . De origem ítalo-americana, sua introdução é historicamente atribuída a Louis Francescon[7] .

Sede da Congregação Cristã no Brasil, no bairro do Brás, em São Paulo.

História[editar | editar código-fonte]

Originária do Avivamento Pentecostal de Chicago de 1907[8] , a Congregação Cristã no Brasil iniciou-se sem denominação em 1910 nas cidades de Santo António da Platina no Paraná e São Paulo, capital fruto da pregação do missionário pentecostal ítalo-americano Louis Francescon.

Antecedentes

Em fins do século XIX, segundo relato de próprio punho, Louis Francescon, na época um ancião na Igreja Presbiteriana Valdese em Chicago, chegou à convicção[9] quanto ao batismo por imersão voluntário. Vindo a submeter-se a esse batismo uma década depois, Francescon e alguns aderentes romperam filiação presbiteriano-valdense e formaram uma pequena congregação independente que mais tarde seria chamada de "Assemblea Christiana".[10]

Pouco tempo depois Francescon tornou-se Pentecostal quando entrou em contato com a Missão Pentecostal liderada pelo pastor William Durham[11] Em 1907 na cidade de Chicago, na 943 West North Avenue[12] (semelhante à Rua Azuza em Los Angeles[13] , Califórnia), havia uma missão que anunciava a promessa do Espírito Santo com evidência de se falar novas línguas[14] [15] [16] . Nessa Missão pastoreada por Durham também experimentaram a charismata do Espírito Santo outros líderes do pentecostalismo como Daniel Berg e Aimeé McPherson, respectivamente fundadores da Assembleias de Deus no Brasil e da Igreja do Evangelho Quadrangular[17] . Francescon visitou aquele serviço a convite e teria recebido, conforme suas palavras,[9] uma confirmação divina de que aquela obra era de Deus. Prontamente o grupo que o acompanhava uniu-se aquela missão pentecostal, a maioria recebendo o dom de falar línguas diferentes.

Em 15 de setembro de 1907 Francescon e outros pentecostais italianos retornaram à "Assemblea Cristiana" e houve um avivamento nesse dia, que marca o início do movimento pentecostal italiano [18] . Três semanas depois Francescon foi reeleito ancião dessa igreja. Estavam reunidas as doutrinas dos batismos da água e no Espírito.

Início no Brasil

Quando veio ao Brasil em 20 de abril de 1910, Francescon realizou o primeiro batismo em Santo Antônio da Platina, Paraná, batizando o italiano Felício Mascaro e mais dez pessoas. Depois dirigiu-se para a cidade de São Paulo, onde foram batizadas mais vinte pessoas. Além de Francescon, outros pioneiros pentecostais ítalo-americanos também atuaram como missionários no Brasil. Entre eles destacam-se Luis Terragnoli, Augustinho Lencioni e Giuseppe Petrelli.

Desenvolvimento Doutrinário e Organizacional

Em 1927, na cidade de Niagara Falls, NY, houve uma convenção da Igreja Cristã da América do Norte[19] juntamente com representantes de congregações italianas na América do Norte sendo definidos os 12 pontos de doutrina. Nos anos seguintes, esses artigos de fé seriam adotados pelas igrejas no Brasil, Argentina e Itália.

No Brasil, durante alguns anos, os fiéis reuniram-se sem denominação. Uma convenção da comunidade brasileira em 1936 foi realizada, adotando-se o nome de Congregação Cristã do Brasil,[20] que foi registrada em 30 de março de 1936. Em 1962 foi alterado para Congregação Cristã no Brasil, substituiu-se a contração "do" pela contração "no".

A Congregação brasileira possuiu maioria italiana até a década de 1930, quando então passaram a preponderar as demais etnias. Desde 1950 está presente em todo território brasileiro e em diversos países. Em 2010, contabilizou 2,3 milhões de fiéis declarados no Brasil, segundo o Censo decenial do IBGE [21] [22] [23] .

Sua igreja central é estabelecida em São Paulo, no bairro do Brás, onde o Ministério reúne-se anualmente em Assembleia Geral quando são estabelecidas convenções e ensinamentos.

Doutrina[editar | editar código-fonte]

Os 12 artigos[24] [25] [26] [27] de Fé e doutrina seguidos pela Congregação:

1. Nós cremos na inteira Bíblia Sagrada e aceitamo-la como contendo a infalível Palavra de Deus, inspirada pelo Espírito Santo. A Palavra de Deus é a única e perfeita guia da nossa fé e conduta, e a Ela nada se pode acrescentar ou d'Ela diminuir. É, também, o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê[28] .

2. Nós cremos que há um só Deus vivente e verdadeiro, eterno e de infinito poder, criador de todas as coisas, em cuja unidade há três pessoas distintas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo[29] .

3. Nós cremos que Jesus Cristo, o Filho de Deus, é a Palavra feita carne, havendo assumido uma natureza humana no ventre de Maria virgem, possuindo Ele, por conseguinte, duas naturezas, a divina e a humana; por isso é chamado verdadeiro Deus e verdadeiro homem e é o único Salvador, pois sofreu a morte pela culpa de todos os homens[30] .

4. Nós cremos na existência pessoal do diabo e de seus anjos, maus espíritos, que, junto a ele, serão punidos no fogo eterno[31] .

5. Nós cremos que o novo nascimento e a regeneração só se recebem pela em Jesus Cristo, que pelos nossos pecados foi entregue e ressuscitou para nossa justificação. Os que estão em Cristo Jesus são novas criaturas. Jesus Cristo, para nós, foi feito por Deus sabedoria, justiça, santificação e redenção[32] .

6. Nós cremos no batismo na água, com uma só imersão, em Nome de Jesus Cristo[33] e em Nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo[34] .

7. Nós cremos no batismo do Espírito Santo, com evidência de novas línguas, conforme o Espírito Santo concede que se fale[35] .

8. Nós cremos na Santa Ceia. Jesus Cristo, na noite em que foi traído, tomando o pão e havendo dado graças, partiu-o e deu-o aos discípulos, dizendo: "Isso é o meu corpo, que por vós é dado; fazei isto em memória de mim". Semelhantemente tomou o cálice, depois da ceia, dizendo: "Este cálice é o Novo Testamento no meu sangue, que é derramado por vós"[36] .

9. Nós cremos na necessidade de nos abster das coisas sacrificadas aos ídolos, do sangue, da carne sufocada e da fornicação, conforme mostrou o Espírito Santo na Assembleia de Jerusalém[37] .

10. Nós cremos que Jesus Cristo tomou sobre si as nossas enfermidades. "Está alguém entre vós doente? Chame os presbíteros da Igreja, e orem sobre ele, ungindo-o com azeite em nome do Senhor; e a oração da fé salvará o doente, e o Senhor o levantará; e, se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados"[38] .

11. Nós cremos que o mesmo Senhor (antes do milênio) descerá do céu com alarido, com voz de arcanjo e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois, nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar nos ares e assim estaremos sempre com o Senhor[39] .

12. Nós cremos que haverá a ressurreição corporal dos mortos, justos e injustos. Estes irão para o tormento eterno, mas os justos para a vida eterna[40] .

Práticas[editar | editar código-fonte]

Culto[editar | editar código-fonte]

O culto da Congregação Cristã no Brasil segue uma ordem preestabelecida mas sem uma liturgia fixa. Os pedidos de hinos, orações, testemunhos e a pregação da Palavra são feitos de forma espontânea e tidos como guiados pelo Espírito Santo. Preza-se a participação coletiva em detrimento de manifestações individualizantes[41] .

Entre as práticas do culto, há o uso do véu pelas mulheres. A saudação do ósculo santo é realizada entre irmãos e irmãs dentro de seu próprio gênero. O assento é separado nas igrejas entre homens e mulheres. As orações são feitas de joelhos podendo haver até três orações no início do serviço e apenas uma de agradecimento no final. Embora seja raro, pode haver até três pregações sucessivas[20]

Kerigmática e Homilética

A pregação do sermão é feita sem preparo prévio ou com notas, com pregações improptu ou extempore. A pregação da Palavra na Congregação Cristã alinha-se à tradição protestante de centrar-se na pregação da Bíblia, como um elemento importante como revelação da Palavra divina, [42] . Entretanto, há interpretações populares da pregação da Bíblia. Como manifestação de religiosidade popular, semelhantes às consultas aos búzios das religiões afro-brasileiras ou às "profetadas" e "revelamento" de ramos do pentecostalismo brasileiro[43] muitos fiéis da Congregação Cristã no Brasil praticam o "buscar a palavra", uma forma de adivinhação ou bibliomancia[44] [45] . Para esses membros, suas decisões pessoais quanto a trabalho, viagem, negócios, estudos, casamentos serão pautados pelo oráculos da pregação. [46] Corroborando com essa prática, muitos ministros alternam a temática de suas pregações entre promessas materiais e a imposição de controle comportamental visando a manutenção da comunidade. Assim, resulta na prática de haver pouca ou nenhuma exegese bíblica nas pregações de muitos desses pregadores. Todavia, essa bibliomancia da pregação não é oficialmente endorsada pelo ministério da Congregação Cristã no Brasil.

Reunião de Jovens e Menores

Na década de 1930, por orientação de Louis Francescon se iniciaram as Escolas Dominicais na Congregação Cristã no Brasil segundo o modelo já em prática nas congregações cristãs italianas na América do Norte. Relatórios da época registram que essa iniciativa foi "proveitosa e abençoada." Salvo por um breve momento de cânticos e orações no início e no final desse serviço, a maior parte dele era dedicado ao exame das Escrituras. As crianças e jovens em idades escolares recitavam versos memorizados no final. Tanto auxiliares homens e mulheres podiam pregar nesses serviços,[47] com várias mulheres que presidiam as escolas dominicais, como fez por mais de 50 anos Rosina Francescon na Congregação Cristã de Chicago. Entretanto, devido ao baixo letramento de seus ministros, as Escolas Dominicais foram se transformando em cópias dos cultos regulares, exceto a recitação da oração do Pai Nosso e de jograis de Salmos. Ainda hoje, algumas congregações no norte do estado de São Paulo (Catanduva, S.José do Rio Preto, Pindorama) se mantém na tradição, com serviços e atividades separados por faixa etária.

Organização[editar | editar código-fonte]

As atividades da Congregação Cristã no Brasil são conduzidas por um ministério[41] organizado que as exerce sem expectativas de receber salários[48] , distribuído segundo as necessidades de cada localidade, constituído por ancião, cooperador do ofício ministerial, diácono[49] . Somente os anciãos e diáconos são ministros ordenados[50] .

Para construções de templos, utilizam-se, na maioria dos casos, de voluntariado mobilizado em esquema de mutirão. Para outros serviços das igrejas como portaria, limpeza, som, escrituração de livros e fundo bíblico também são escolhidos dentre os membros, voluntários que não possuem expectativa de receber salário.

A Congregação Cristã no Brasil não possui registro de membros valorando o vínculo espiritual do fiel com Deus[51] . Não prega o dízimo e mantém-se pelo espírito voluntário dos seus membros que contribuem com coletas anônimas e voluntárias.[52] .

A organização eclesiástica da Congregação Cristã no Brasil é uma forma adaptada do governo presbiteriano. Um grupo de igrejas locais são reunidas em uma "região administrativa", normalmente correspondente a um município nos estados onde a denominação é maior e vários municípios onde a Congregação é menor, presidida por um conselho de anciãos e um corpo administrativo. As regiões administrativas são agrupadas em "regionais", que por sua vez se concentram nas "assembleias estaduais".

As mudanças de caráter doutrinário na Congregação Cristã no Brasil são discutidas pelo Conselho de Anciãos Mais Antigos e apresentada em assembleia anual.

Anciãos[editar | editar código-fonte]

Os Ancião são responsáveis pelo atendimento da Obra, realização de batismos, santas ceias, ordenação de novos obreiros (anciães e diáconos), apresentação de Cooperadores do Ofício Ministerial, Encarregados de Orquestras e Cooperadores de Jovens e Menores, atendimento das Reuniões para Mocidade, encarregado de conferir ensinamentos à igreja, cuidar dos interesses espirituais e do bem-estar da igreja, entre outras funções.

Os 20 Anciãos mais velhos do mundo em 2013 [53]
Ordem de senioridade Ancião Localidade Data de Ordenação Participa do Conselho Mundial dos Anciãos?
1 Oscar Bonifacio Laturraga Maipú Buenos Aires 1951 não
2 Natal Mendes de Moraes Curitiba PR 1953 honorariamente
3 Natanael Agrello Lapa, São Paulo, SP 1961 sim
4 Pedro Resina Fernandes Pinheiros, São Paulo, SP 1961 sim
5 Josias Alves Soares Nova Esperança PR 1961 não
6 Adolfo Antunes Ferreira Remanso BA 1961 não
7 Sebastião Vieira da Silva Curitiba PR 1962 não
8 Matheus Andreus Mesa Dracena SP 1962 não
9 Vitor Martins Assis Chateubriand PR 1962 não
10 Jorge Couri Brás, São Paulo, SP 1963 sim
11 José João de Souza Assaí PR 1964 não
12 José Furquim Curitiba PR 1964 sim
13 Adeildo Valeriano Soares Presidente Prudente SP 1965 não
14 Elizeu Gomes de Andrade Mirabela MG 1965 não
15 Anselmo Siqueira Pinto Itapeva SP 1966 não
16 Antonio Manoel Teotonio Petrolina PE 1966 não
17 Sebastião Pereira de Lucena Uruaçu GO 1967 não
18 João Santin Vila Guilhermina, São Paulo SP 1967 sim
19 Jair Mendes de Moraes Curitiba PR 1967 não
20 Albari de Paula Quadros Ponta Grossa PR 1968 sim


Apesar do nome, não são necessariamente os mais antigos no ministério ou na idade que compõem o Conselho dos Anciãos Mais Antigos. A participação nesse conselho é obscura, já que se dá por convite de seus membros correntes. Entre os alegados motivos estariam as condições de saúde e da vontade do próprio ancião e a disponibilidade para estar sempre que preciso na central do Brás. Atualmente somente sete anciãos entre os vinte mais velhos de ministério participam dele. Com raras exceções, os membros do Conselho dos Anciãos Mais Antigos são do estado de São Paulo.

Na prática, o Conselho dos Anciãos Mais Antigos é órgão deliberativo máximo, a última instância disciplinar além de monopolizar a capacidade de tomar iniciativas quanto às mudanças doutrinárias. Compete exclusivamente a esse Conselho criar novas regiões administrativas[54] e nelas podem intervir soberanamente:

O Conselho dos Anciães mais Antigos do Brasil, que se reúne em São Paulo, em proteção à unidade espiritual, poderá revisar ou substituir, soberanamente, qualquer decisão tomada pelo Conselho de Anciães em Reunião Regional ou Estadual, indicando-se nesse ato a Administração que deverá executar eventual medida para cumprimento da deliberação.[55]
Membros do Conselho dos Anciãos Mais Antigos [56]
Ordem de Senioridade Ancião Localidade Ano de ordenação
20 Albari de Paula Quadros Ponta Grossa PR 1968
73 Antonio Alberto de Oliveira Vila Salete, São Paulo SP 1975
100 Antonio Lubek São Carlos SP 1977
163 Aristides Valério Maringá PR 1979
1246 Arquimedes Azol Fernandes Lapa, São Paulo SP 1998
438 Carlos Antonio Franco Arapongas PR 1986
88 Cláudio Marçola Araraquara SP 1976
113 Davi Gomes Cardoso Itai SP 1977
95 David Trevisan Catanduva SP 1976
65 Dionisio Ribeiro Votorantim SP 1974
454 Elizeu Vieira Marçal Cianorte PR 1986
53 Eugênio Heidgger Ibaiti PR 1974
481 Floravante Cortese Tatui SP 1987
74 Geraldino Soares Magalhães Umuarama PR 1975
101 Gerbes Oliva Brás, São Paulo, SP 1977
1079 Geter Valério Maringá PR 1997
132 Hélio Bianco Baptista Dracena SP 1978
259 Hermelindo Federzoni Cabreúva SP 1982
42 Hildebrando Maciel Campinas SP 1973
134 Isaias Marin Andradina SP 1978
111 Izaias da Silva Assis SP 1977
212 Jamil Rodrigues de Oliveira Itapeva SP 1980
58 João Benedito Toledo Eldorado SP 1974
24 João de Azevedo Londrina PR 1969
18 João Santin Vila Guilhermina, São Paulo, SP 1967
10 Jorge Couri Brás, São Paulo, SP 1963
12 José Furquim Curitiba PR 1964
264 José Luiz Vaccilotto Mocóca SP 1982
34 Júlio de Jesus Moraes São Roque SP 1971
108 Laércio Santin Itaquera, São Paulo SP 1977
87 Lelio Croce Cândido Mota SP 1976
240 Maury Gomes Ilha Solteira SP 1981
121 Melchior José Alves Maringá PR 1977
3 Natanael Agrello Lapa, São Paulo SP 1961
261 Nilo Edson Rodrigues Sorocaba SP 1982
794 Nilson Marques Pinheiros, São Paulo SP 1993
23 Nilton Apparecido Cardoso Osasco SP 1969
48 Oswaldo Meniquelli Vila Carolina, São Paulo SP 1974
145 Paulo Mellado Navas Vila Guilhermina, São Paulo SP 1978
72 Paulo Plácido Rodrigues Jardim Paulista, São Paulo SP 1975
5 Pedro Resina Fernandes Pinheiros, São Paulo SP 1961
263 Roberto Mateus Vieira Araraquara SP 1982
80 Roberto Simões Guarulhos SP 1975
117 Sebastião Idalino de Oliveira Penha, São Paulo SP 1977
1149 Wilson André Baccan Júnior Guarulhos SP 1997

Depois de o Conselho de Anciãos Mais Antigos tomar suas decisões, repassam essas decisões nas assembleias chamadas "reunião anual de ensinamentos". Essas assembleias começam no final-de-semana da Páscoa[57] pela cidade de São Paulo e repete-se pelo interior e outros estados sob a presidência de um ancião local e de um representante do Conselho dos Anciãos de São Paulo. Nestas assembleias, outros anciãos, diáconos e cooperadores escutam as deliberações do Conselho de Anciãos Mais Antigos nos chamados "Tópicos de Ensinamentos", os quais tratam de assuntos relacionados à doutrina, costumes e comportamento. Os mesmos "Tópicos de Ensinamentos" valem para o Brasil inteiro. Não há voz dos outros ministros nem dos membros nessas decisões, restando-lhes somente a referendar e aceitar a decisão desse Conselho de Anciãos Mais Antigos.

Anciãos que presidiram as Assembleias Anuais do Brasil [58]
Ancião Período
Luís Pedroso 1936-1949
Francisco Guilherme Romano 1949-1958
João Finotti 1958-1965
Rizzieri Fortunato Lavander 1966
Miguel Spina 1966-1991
Vitório Angare 1991-1995
Luiz Sanches Lorente 1995-1997
Basílio Gitti (em conjunto) 1997-2002
Elias de Camillis (em conjunto) 1997-1998
José Nicolau (em conjunto) 1997-2000
Jorge Couri 2000-2014
Cláudio Marçola 2013

Outros ministros[editar | editar código-fonte]

  • Diácono - responsável pelo atendimento assistencial e material à igreja. É auxiliado por irmãs obreiras chamadas de "Irmãs da Obra da Piedade".
  • Cooperador do Ofício Ministerial - responsável pela cooperação nos ensinamentos e presidência dos cultos oficiais bem como pelas Reuniões de Jovens e Menores caso não haja um Cooperador de Jovens e Menores em sua localidade.
  • Encarregado de Orquestra (Locais e Regionais) - É o maestro da Orquestra, designado para manter o bom andamento musical nos cultos, coordenar o ensino musical aos interessados e presidir os ensaios musicais (locais e regionais, respectivamente).
  • Cooperador de Jovens e Menores - responsável por atender as Reuniões de Jovens e Menores de sua comum congregação.
  • Músico - membro habilitado a tocar nos cultos e demais serviços. O sistema de ensino musical da Congregação é gratuito. Qualquer pessoa que frequente a igreja pode ingressar nas chamadas escolinhas, cursos, em geral semanais, que visam habilitar o aluno a praticar o instrumento desejado. Para ingressar na orquestra, no entanto é necessário ser batizado e estar em um grau avançado de habilidade no instrumento escolhido. Todo templo da Congregação possui um órgão no qual tocam somente irmãs. O sistema de ensino musical é o mesmo em todos os estados do Brasil e dos outros países.
  • Examinadoras são organistas mulheres, oficializadas, designadas para avaliar outras organistas aprendizes no processo de oficialização.
  • Auxiliar de Jovens e Menores - são jovens, homens ou mulheres solteiros, designados para preparar e organizar os recitativos, passagens bíblicas por eles escolhidas, ou pela pessoa que vai recitar individualmente, que são recitadas em grupo em determinado momento do culto. Cuidam, ainda, da ordem e da organização durante a reunião de jovens e menores.
  • Administração - Constituída por Presidente, Vice - Presidentes, Tesoureiro, Vice-Tesoureiros, Secretário, Vice-Secretários, Auxiliares da Administração, Conselho Fiscal e Conselho Fiscal Suplente. Os administradores são eleitos pelos anciãos a cada três anos e o Conselho Fiscal anualmente, e confirmados durante a Assembleia Geral Ordinária. É permitida a recondução ao cargo. Ainda que o estatuto não proíba, não há mulheres ocupando cargos administrativos estatutários.

Música[editar | editar código-fonte]

A Congregação Cristã no Brasil valoriza sua música sacra para fins de culto. Até 1932 a Congregação Cristã no Brasil não possuía orquestra. Em algumas igrejas havia o órgão para o auxílio dos hinos, até que o fundador Louis Francescon convocou uma reunião a fim de inserir a orquestra na igreja para auxiliar a irmandade no canto[59] . Ela provê aos fiéis escolas musicais gratuitas e ensaios musicais em suas dependências.

Atualmente, são permitidos em sua orquestra os seguintes instrumentos:

Violino, Viola, Violoncelo, Flauta transversal, Oboé, Corne inglês, Fagote, Contrafagote, Clarinete, Clarone, Contra Clarone, Saxofone soprano curvo, Saxofone soprano, Saxofone alto, Saxofone tenor, Saxofone Barítono, Trompete, Cornet, Flugelhorn, Trompa, Trombonito, Trombone de pisto, Barítono, Saxhorn, Eufônio (também chamado de Bombardino), Tuba e Órgão.

Hinário[editar | editar código-fonte]

Os cultos da Congregação Cristã no Brasil são acompanhados de hinos de um hinário intitulado de "Hinos de Louvores e Súplicas a Deus"[25] . Possui melodias e letras de autores norte-americanos[60] , britânicos, russos e italianos tais como: Bentley DeForest Ackley, Hubert Platt Main, James Milton Black, João Dieners, Leila Naylor Morris, Martinho Lutero, Peter Philip Bilhorn, Samuel Sebastian Wesley, Silas Jones Vail, William Savage Pitts. Há também letras e melodias feitas no Brasil, notavelmente pela compositora Anna Spina Finotti. São 480 hinos e entre eles há especiais para batismos, santas ceias, funerais, 50 para as "Reuniões de Jovens e Menores" e seis coros[24] .

O livro originariamente chamava-se Nuovo Libro di Inni e Salmi Spirituali, posteriormente Nuovo Libro di Inni e Salmi Spirituali e Novo Livro de Hymnos e Psalmos Espirituais[41] .

Os hinários com notação musical contém as claves de Sol, Dó (somente para Violas) e de Fá, e estão escritos para instrumentos em Dó, Mi bemol e Si bemol, além do hinário de Cordas. No dia 17 de março de 2013 começou em todo o Brasil a utilização do Hinário n°5 com trinta novos hinos.

A Congregação Cristã não produz gravações de seus hinos, nem mesmo as autoriza.

Política[editar | editar código-fonte]

A Congregação Cristã no Brasil é uma organização religiosa apolítica[61] que prega a total separação entre Estado e religião.

Não mantém ligação nem se manifesta de forma alguma em relação a causas ou partidos políticos, candidatos a cargos públicos, ou qualquer outra instituição ou organização, governamental ou não[52] .

Se algum membro de seu corpo ministerial assumir cargos políticos, deverá renunciar ao seu cargo congregacional[62] . Seus membros são doutrinados a não votar em candidatos que neguem a existência de Deus e a Sua moral.[63]

Mídia[editar | editar código-fonte]

A Congregação Cristã no Brasil não utiliza meios de comunicação como rádio, televisão[64] , imprensa escrita, ou qualquer outro tipo de propagação[63] da sua doutrina que não seja o frequentar quaisquer de suas igrejas pelos interessados em conhecê-la. Aliás ela não permite estas práticas midiáticas e não autoriza que nenhum dos seus trabalhos, sejam eles em cultos ou não, sejam gravados e reproduzidos[52] . Entretanto, mantém apenas um endereço eletrônico (www.congregacaocrista.org.br)[52] apenas para fins de esclarecimento sobre a comunidade religiosa. Diferente da Congregação norte-americana, que mantém um sítio oficial na internet, divulgando endereços de igrejas e horários de cultos.

Presença[editar | editar código-fonte]

No Brasil[editar | editar código-fonte]

Segundo o último Censo do IBGE, a Congregação Cristã figura como 2ª maior denominação evangélica no Brasil. Está presente em todo o território nacional, em todas as regiões brasileiras, incluindo as 27 unidades da federação. A nação brasileira apresenta ainda o maior número de localidades de culto religioso - 18.580 (2013).[65]

A Congregação Cristã em outros países[editar | editar código-fonte]

Está presente, ainda de forma discreta, em cerca de 60 países, a saber:[66] [67] [68] [69] [70] [71] [72] [73] [74] [75] [76] [77] Pelo gráfico abaixo, percebe-se uma maior presença dessa igreja no continente sul-americano seguido pelo continente africano.

Cong-Numbers.TIF

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Galeria de imagens[editar | editar código-fonte]

</gallery>

Fontes e Referências

  1. (Agosto 2012–2013) "Informações Institucionais Preliminares de Contato, Localização e Registro" (anuário impresso). Relatório 76: 1. São Paulo, SP: Prol (Congregação Cristã no Brasil: Nome registrado no Instituto Nacional da Propriedade Industrial – Diretoria de Marcas – Ministério da Indústria e Comércio sob N° 813165873).
  2. {{Citar periódico | titulo = Informações Institucionais Preliminares de Contato, Localização e Registro | jornal =Relatório |volume=76 |ano=2012–2013 |mes= Agosto |paginas= 1 |formato = anuário impresso |editora= Prol|local= São Paulo, SP|notas= Congregação Cristã do Brasil: Nome registrado no Instituto Nacional da Propriedade Industrial – Diretoria de Marcas – Ministério da Indústria e Comércio sob N° 813316375).
  3. JACOB, C.R.; HEES, D.R.; WANIEZ, P.; BRUSTLEIN, V.. In: Augusto Sampaio, Cesar Romera Jacob, Danilo Marcondes de Souza Filho, Eneida do Rego Monteiro Bomfirn, Fernando Sa, Cisele Cittadino, José Alberto dos Reis Parise, Miguel Pereira. Atlas da Filiação Religiosa e Indicadores Sociais no Brasil. São Paulo: PUC-Rio - Edições Loyola, 2003. Capítulo: 3. , 240 p. p. 43. 1 vol. vol. 1. ISBN 85-15-02719-4 OCLC CDD 291 (Apoio Conferência Nacional dos Bispos do Brasil - CNBB)
  4. [Gouvêa Mendonça, Antonio]. Protestantes, Pentecostais & Ecumênicos: o campo religioso e seus personagens. 2 ed. São Bernardo do Campo: UMESP, 2008. 222 p. p. 142-143. vol. 1. ISBN 8578140508
  5. Corten, André; Echalar, Mariana N. R.. In: Vitório Mazzuco, OFM. Os pobres e o Espírito Santo: o pentecostalismo no Brasil. Petrópolis, RJ: Vozes, 1996. 285 p. p. 66. vol. 1. ISBN 85-326-1713-1 OCLC CDD 269.4
  6. Corten, André. Le pentecôtisme au Brésil: émotion du pauvre et romantisme théologique (em francês). Paris: KARTHALA Editions, 1995. Capítulo: 3. , 307 p. p. 74. 1 vol. vol. 1. ISBN 978-2-86537-563-9 OCLC 408192473
  7. Campos, Leonildo Silveira. (jul./set. 2011). "Pentecostalismo e Protestantismo Histórico no Brasil: um século de conflitos, assimilação e mudanças" (PDF). Horizonte: Revista de Estudos de Teologia e Ciências da Religião da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais 9 (22): 505. Belo Horizonte: PUC Minas. ISSN 2175-5841. Página visitada em 31 de Dezembro de 2012.
  8. [http://ccnamerica.weebly.com/historia.html%7C Congregação Cristã na América do Norte: História
  9. a b Francescon, Louis. Histórico da Obra de Deus, Revelada pelo Espírito Santo no Século Passado - 1952. 1ª ed. São Paulo, SP: Augusto, 2002. 64 p. (Tradução autorizada à Congregação Cristã no Brasil - Edição Unificada - 1ªTiragem - 300.000)
  10. Toppi, Fracesco. Un giorno di sacra memoria L’indimenticabile 15 settembre 1907. Cristiani Oggi. Numero Speciale Centtenario 2007 - Anno XXVI.
  11. Synan, Vinson The Holiness-Pentecostal Tradition: Charismatic Movements. Grand Rapids/Cambridge: Eerdmans, 1997
  12. Hartwick, A. Reuben. (1990). "A Surveyof the Early Events and Influential Leaders: Pentecost Comes to The Northeast" (PDF) (em inglês). Assemblies of God Heritage 10: p.23. Springfield, MO: Assemblies of God Archives. ISSN 0896-4394. 0896-4394 (indexed in the ATLA Religion Database, published by the American Theological Library Association). Página visitada em 26 de Agosto de 2012.
  13. Freston, Paul. Nem Anjos nem demônios: interpretações sociológicas do pentecostalismo: Breve história do pentecostalismo brasileiro. 2ª ed. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes & Centro de Estatística Religiosa e Investigações Sociais - CERIS, 1994. Capítulo: 2. , 270 p. p. 74. 1 vol. vol. 1. ISBN 85.326.1227-X
  14. Rodgers, Darrin J. (2005-2006). "The Place of Azusa Street in Pentecostal Origins" (PDF) (em inglês). Assemblies of God Heritage 25 (4): 3. Springfield, MO: Assemblies of God Archives. ISSN 0896-4395. 0896-4395 (indexed in the ATLA Religion Database, published by the American Theological Library Association). Página visitada em 08 de Outubro de 2012.
  15. Synan, Vinson. (2005-2006). "The Azusa Street Revival:Celebrating 100 Years" (PDF) (em inglês). Assemblies of God Heritage 25 (4): 3. Springfield, MO: Assemblies of God Archives. ISSN 0896-4395. 0896-4395 (indexed in the ATLA Religion Database, published by the American Theological Library Association). Página visitada em 08 de Outubro de 2012.
  16. Mota Dias, Zwinglio. (jul./set. 2011). "Um século de religiosidade Pentecostal: algumas notas sobre a irrupção, problemas e desafios do fenômeno Pentecostal" (PDF) (em português). Horizonte: Revista de Estudos de Teologia e Ciências da Religião da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais 9 (22): 377. Belo Horizonte: PUC Minas. ISSN 2175-5841. Página visitada em 30 de Dezembro de 2012.
  17. Araújo, Isael de. Dicionário do Movimento Pentecostal Rio de Janeiro: CPAD, 2007
  18. Toppi, Fracesco. Un giorno di sacra memoria L’indimenticabile 15 settembre 1907. Cristiani Oggi. Numero Speciale Centtenario 2007 - Anno XXVI.
  19. Saggio, Joseph J. (2010). "A Brief History of Italian Pentecostalism in America" (PDF) (em inglês). Assemblies of God Heritage 30: 34-41. Springfield, MO: Gospel Publishing House. ISSN 0896-4395. 0896-4395 (indexed in the ATLA Religion Database, published by the American Theological Library Association). Página visitada em 10 de Agosto de 2012.
  20. a b Congregação Cristã no Brasil. Resumo da Convenção Realizada em Fevereiro de 1936. 1ª ed. São Paulo, SP: Augusto, 2002. 64 p. p. 7-18. (Edição Unificada - 1ªTiragem 300.000 - Subscritores: Louis Francescon, Luiz Pedroso, Reynaldo Ribeiro e Francisco D'Angelo)
  21. População residente, por situação do domicílio e sexo, segundo os grupos de religião (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística censo (2010). Página visitada em 9 de Agosto de 2012. "Tabela 1.4.1"
  22. [Freston, Paul]. Evangelical Christianity and Democracy in Latin America (em inglês). ilustrada ed. New York, NY: Oxford University Press, 2008. Capítulo: Introduction. , 280 p. p. 15. ISBN 9780195174762 (Evangelical Christianity And Democracy in the Global South)
  23. Oro, Ari Pedro. (jul./set. 2011). "Algumas interpelações do Pentecostalismo no Brasil" (PDF). Horizonte: Revista de Estudos de Teologia e Ciências da Religião da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais 9 (22): 385. Belo Horizonte: PUC Minas. ISSN 2175-5841. Página visitada em 31 de Dezembro de 2012.
  24. a b Congregação Cristã no Brasil. Hinos de Louvores e Súplicas a Deus (em português). HM-102 1ª ed. São Paulo, S.P.: Pancrom Indústria Gráfica, 2012. p. contracapa. 5 vol. (Registro de Direitos Autorais no Ministério da Cultura Nº 546.522, 30.12.2011 - 1ª impressão 145.000 exemplares)
  25. a b Congregação Cristã no Brasil. Hinos de Louvores e Súplicas a Deus. 6ª ed. São Paulo, SP: Geográfica, 2009. p. contracapa. 4 vol. (Registro de Direitos Autorais no Ministério da Educação e Cultura Fls.452 - L.16 - Nº 22.558 - 24.08.77)
  26. Congregação Cristã no Brasil. Estatuto. [S.l.: s.n.], 2006. Capítulo: Art.22. , 22 p. p. 10-11. (Registrado sob o nº de ordem 59.805 do Registro de Pessoas Jurídicas da Cidade de Belo Horizonte do Estado de Minas Gerais em 17 de Dezembro de 2004)
  27. Congregação Cristã no Brasil. Pontos de Doutrina e da Fé Que Uma Vez Foi Dada Aos Santos. 1ª ed. São Paulo, SP: Augusto, 2002. 64 p. p. 28-30. (Edição Unificada - 1ªTiragem 300.000)
  28. II Pedro 1:21, II Timóteo 3:16-17 e Romanos 1:16
  29. Efésios 4:6, Mateus 28:19 e I João 5:7
  30. Lucas 1:27, João 1:14 e I Pedro 3:18
  31. Mateus 25:41
  32. Romanos 3:24, I Coríntios 1:30 e II Coríntios 5:17
  33. Atos 2:38
  34. Mateus 28:18-19
  35. Atos 2:04, Atos 10:45-47 e Atos 19:6
  36. Lucas 22:19-20 e I Coríntios 11:24-25
  37. Atos 15:28-29, Atos 16:4 e Atos 21:25
  38. Mateus 8:17 e Tiago 5:14-15
  39. I Tessalonissenses 4:16-17 e Apocalipse 20:6
  40. Atos 24:15 e Mateus 25:46
  41. a b c Monteiro, Yara Nogueira. (jul./dez. 2010). "Congregação Cristã no Brasil: da fundação ao centenário – a trajetória de uma Igreja brasileira". Horizonte: Revista de Estudos de Teologia e Ciências da Religião da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais 24 (39): 122-163. Belo Horizonte: PUC Minas. ISSN 1679-9615.
  42. [http://www.dasp.org.br/codigos/artigos/proclamacao_evangelho.htm%7C BARTH, Karl. A proclamação do Evangelho. Basileia, 1963
  43. spot.com.br/2014/08/sobre-as-profetadas-e-revelamentos-nos.html?spref=fb | Sobre as "Profetadas" e "Revelamentos" nos púlpitos cristãos
  44. NORBERT HANS CHRISTOPH FOERSTER. Title, A Congregação Cristã no Brasil numa área de alta vulnerabilidade social no ABC paulista
  45. DE GOES, Paulo. Congregação Cristã no Brasil: o poder do discurso sobre a organizacão
  46. Muitos deles veem uma analogia aos oráculos do Êxodo como fazia o povo hebreu no deserto. Perguntas como: " Senhor, devo ir?, devo ficar?, devo me calar?, devo ficar em paz? (ficar em paz = não fazer nada)" e etc são corriqueiras em suas orações. Dúvidas estas que são muitas vezes interpretadas como respostas na pregação espontânea do sermão. Para esses membros, decisões pessoais tomadas de forma precipitada e, sem o aval de Deus, poderiam-lhes custar dolorosas provações.
  47. CCB. Ensinamentos, 1971
  48. Congregação Cristã no Brasil. Estatuto. [S.l.: s.n.], 2006. Capítulo: Art.8 parágrafo 1º. , 22 p. p. 8.
  49. Ibidem, p.11, Art.23.
  50. Ibidem, p.11, Art.24.
  51. Ibidem, p.13, Art.30.
  52. a b c d Congregação Cristã no Brasil. Sítio Oficial de Esclarecimento. Página visitada em 13 de Agosto de 2012.
  53. | Os Anciãos mais velhos do Mundo
  54. CCB. Estatutos. São Paulo, 2013. Art.2º§ 2º.
  55. CCB. Estatutos. São Paulo, 2013. Art.22§ 2º.
  56. CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL. 79a Reunião Geral de Ensinamentos. São Paulo, 2014. Lista do Conselho de anciãos de 2014. Na ordem de senioridade não estão computados os anciãos do exterior
  57. Coincidência de data e aproveitamento do feriado. A Congregação Cristã no Brasil não celebra a Páscoa
  58. CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL. 79a Reunião Geral de Ensinamentos. São Paulo, 2014.
  59. (06 de Junho de 2007) "Os Evangélicos dão o tom". Veja 40 (22): p.105. São Paulo: Editora Abril. ISSN 0100-7122 (edição 2011).
  60. Christian Congregation in The United States. Hymns of Praise and Supplication to God. 1st Printing ed. The United States of America: ©C.C.U.S., julho de 1998. 5 vol.
  61. (15 de Novembro de 1972) "O avanço dos pentecostais". Veja (219): p.62. São Paulo: Editora Abril.
  62. [Freston, Paul]. Evangelicals and Politics in Asia, Africa and Latin America (em inglês). ilustrada, reimpressão ed. Cambridge, UK: Cambridge University Press, 2004. Capítulo: 1. , 360 p. p. 14,20. ISBN 052160429X, 9780521604291
  63. a b Congregação Cristã no Brasil. Reuniões e ensinamentos Realizadas em Março de 1948. 1ª ed. São Paulo, SP: Augusto, 2002. 64 p. p. 19-27. (Edição Unificada - 1ªTiragem 300.000 - Subscritores: Antonio Marques, Reynaldo Ribeiro, Gregório Ros Soto Filho)
  64. Freston, Paul. Protetantes e Política no Brasil: Da Constituinte ao Impeachment. Campinas, São Paulo: [s.n.], 1993. Capítulo: 10. , 303 p. p. 141. 1 vol. vol. 1. (Tese de doutorado em Sociologia, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas IFCH - Unicamp)
  65. Congregação Cristã no Brasil. (Agosto 2012-2013). "Total Geral Das Casas De Oração Da Congregação Cristã No Brasil". Relatório 76: p.07. prol (Estatísticas).
  66. Congregação Cristã no Brasil. (Agosto 2012-2013). "Índice". Relatório 76: p.03. prol.
  67. Congregação Cristã no Brasil. (Agosto 2012-2013). "Endereços De Casas De Oração - Exterior". Relatório 76: pp.766-778. prol.
  68. Congregacio Cristiana A Espanya‎. Street View. Google Maps - ©2013 Google (Maio de 2008). Página visitada em 28 de Julho de 2012.
  69. Congregazione Cristiana in Italia. Street View. Google Maps - ©2013 Google (Novembro de 2008). Página visitada em 30 de Julho de 2012.
  70. Congregation Chretienne en France. Street View. Google Maps - ©2013 Google (Outubro de 2008). Página visitada em 30 de Julho de 2012.
  71. Congregation Chretienne en Belgique. Street View. Google Maps - ©2013 Google (Junho de 2009). Página visitada em 05 de Agosto de 2012.
  72. Christian Congregation in The United States. Street View. Google Maps - ©2013 Google (Outubro de 2009). Página visitada em 19 de Agosto de 2012. "Illinois"
  73. Christian Congregation in The United States. Street View. Google Maps - ©2013 Google (Setembro de 2007). Página visitada em 19 de Agosto de 2012. "New York"
  74. Christian Congregation in The United States. Street View. Google Maps - ©2013 Google (Setembro de 2009). Página visitada em 19 de Agosto de 2012. "New Jersey"
  75. Christian Congregation in South Africa. Street View. Google Maps - ©2013 Google (Setembro de 2009). Página visitada em 07 de Setembro de 2012.
  76. Christian Congregation in Canada. Street View. Google Maps - ©2013 Google (Maio de 2009). Página visitada em 07 de Setembro de 2012.
  77. Congregação Cristã em Portugal. Street View. Google Maps - ©2013 Google (junho de 2009). Página visitada em 07 de Fevereiro de 2013. "Matosinhos"