José Mendonça Filho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mendonça Filho
Mendonça Filho em 2013
Ministro da Educação do Brasil
Período 12 de maio de 2016
até a atualidade
Presidente Michel Temer
Antecessor(a) Aloizio Mercadante
54.º Governador de Pernambuco
Período 31 de março de 2006
até 1º de janeiro de 2007
Vice-governador Nenhum
Antecessor(a) Jarbas Vasconcelos
Sucessor(a) Eduardo Campos
Vice-governador de Pernambuco
Período 1º de janeiro de 1999
até 31 de março de 2006
Governador Jarbas Vasconcelos
Antecessor(a) Jorge José Gomes
Sucessor(a) João Lyra Neto
Deputado Federal por Pernambuco
Período 1º: 1º de fevereiro de 1995
até 18 de dezembro de 1998
2º: 1º de fevereiro de 2011
até 12 de maio de 2016
(2 mandatos consecutivos)
Deputado Estadual de Pernambuco
Período 1º de fevereiro de 1987
até 1º de fevereiro de 1995
(2 mandatos consecutivos)
Dados pessoais
Nascimento 12 de julho de 1966 (51 anos)
Recife, Pernambuco
Progenitores Mãe: Estefania Maria de Nazaré Moura Bezerra
Pai: José Mendonça Bezerra
Alma mater Universidade de Pernambuco
Cônjuge Taciana Vilaça Mendonça
Partido DEM
Profissão Administrador de empresas
Político
linkWP:PPO#Brasil

José Mendonça Bezerra Filho (Recife, 12 de julho de 1966) é um administrador de empresas e político brasileiro, filiado ao Democratas (DEM). É o ministro da Educação desde 2016.

Começou a vida pública aos 20 anos, sendo, nas eleições de 1986, o deputado estadual mais novo eleito no País. Foi duas vezes deputado estadual, secretário de Estado, deputado federal (1995/1998), além de vice-governador do Estado de Pernambuco nas duas gestões do governador Jarbas Vasconcelos (1999-2002/ 2002-2006).

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nasceu em Recife e passou a infância e a adolescência entre a capital e Belo Jardim, terra natal de seus pais e município onde iniciou a carreira política. Filho do político e ex-deputado federal José Mendonça Bezerra é casado com Taciana Vilaça Mendonça, filha do ex-ministro Marcos Vilaça, com quem tem 3 filhos, José, Ilanna e Vinícius.

Formou-se em Administração de Empresas pela Universidade de Pernambuco e fez o curso de Gestão Pública pela Kennedy School, Escola de Governo da Universidade de Harvard (EUA).

Mendonça Filho assumiu a vice-liderança da oposição ao governo Arraes (1987-1990) e participou da elaboração da Constituição Estadual, durante a redemocratização do país. Em 1990, reelegeu-se deputado estadual, mas licenciou-se do mandato para assumir a Secretaria de Agricultura, no governo Joaquim Francisco. Na eleição seguinte, em 1994, foi eleito deputado federal.

Na Câmara dos Deputados, participou de várias comissões, destacando-se como presidente da Comissão Especial de Reforma Política e Eleitoral. O seu mandato ficou marcado pela emenda constitucional que recebeu seu nome e permitiu a reeleição para presidente, governadores e prefeitos. O que ocasionou a a reeleição de Fernando Henrique e do Vice Marco Maciel, aliados de Mendonça. Em 1998 disputou o governo de Pernambuco como vice na chapa encabeçada por Jarbas Vasconcelos (PMDB).

Assumiu como vice-governador em janeiro de 1999, ao lado do governador Jarbas Vasconcelos. Foi o principal executivo do Governo Jarbas/Mendonça tendo coordenado a atração de investimentos como a Refinaria Abreu e Lima, o Estaleito Atlantico Sul, a ampliação e consolidação do Porto de Suape, programas como Águas de Pernambuco, Estradas para o Desenvolvimento, a implantação dos Centros de Ensino Experimental (Escolas em Tempo Integral) e do Porto Digital. Foi secretário-executivo do Pacto 21, um conselho formado por empresários, intelectuais e universidades para discutir projetos estruturadores para impulsionar o desenvolvimento econômico e social de Pernambuco. Coordenou o processo de privatização da CELPE, iniciado ainda no governo de Miguel Arraes, em que o então Governor Eduardo Campos era o Secretário da Fazenda.

Em abril de 2006 assumiu o Governo de Pernambuco em substituição a Jarbas Vasconcelos, que deixou o cargo para disputar uma vaga de senador da República. Entre os projetos criados na gestão Mendonça Filho estão o Universidade Democrática, que garantiu gratuitamente o acesso de jovens da rede pública estadual à Universidade de Pernambuco, o Jovem Campeão, com construção de quadras poliesportivas nas escolas da rede estadual e o Ação Integrada pela Segurança, para promover a juventude, estimular a cidadania e aumentar a segurança no Estado com um conjunto de ações de prevenção e repressão policial. Disputou a reeleição em 2006, vencendo o 1 turno com quase 40% dos votos, porém, perde o 2 turno com a união dos opositores.[carece de fontes?]

Candidatou-se a prefeitura do Recife na eleição municipal de 2008, obtendo o segundo lugar, voltou a ser candidato na eleição municipal de 2012, obtendo o quarto lugar.

Em meio às investigações da Operação Castelo de Areia, deflagrada pela Polícia Federal em 2009, foi divulgado um grampo em que quatro diretores da Construtora Camargo Corrêa citam que Mendonça Filho, então candidato à Prefeitura de Recife, teria recebido R$ 100.000,00. Mendonça Filho declarou que as doações foram feitas dentro da lei para o diretório nacional do DEM, não ao comitê de sua campanha. [1]

Em maio de 2016, após o afastamento da presidente Dilma Rousseff, o presidente interino Michel Temer indicou-o para o Ministério da Educação.[2]

Em abril de 2017 foi favorável à Reforma Trabalhista.[3][4] Em agosto de 2017 votou contra o processo em que se pedia abertura de investigação do então presidente Michel Temer, ajudando a arquivar a denúncia do Ministério Público Federal.[3][5]

Referências

  1. «Brasil - NOTÍCIAS - Grampo cita doação de R$ 100 mil a Mendonça Filho (DEM-PE). PMDB teria recebido R$ 300 mil "por fora"». revistaepoca.globo.com. Consultado em 13 de maio de 2016 
  2. «Mendonça Filho (DEM), ministro da Educação e Cultura do governo Temer». G1. 12 de maio de 2016. Consultado em 13 de maio de 2016 
  3. a b G1 (2 de agosto de 2017). «Veja como deputados votaram no impeachment de Dilma, na PEC 241, na reforma trabalhista e na denúncia contra Temer». Consultado em 11 de outubro de 2017 
  4. Redação (27 de abril de 2017). «Reforma trabalhista: como votaram os deputados». Consultado em 18 de setembro de 2017 
  5. Carta Capital (3 de agosto de 2017). «Como votou cada deputado sobre a denúncia contra Temer». Consultado em 18 de setembro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Jarbas Vasconcelos
Governador de Pernambuco
2006—2007
Sucedido por
Eduardo Campos
Precedido por
Aloísio Mercadante
Ministro da Educação do Brasil
2016 – Atualmente
Sucedido por
-